AFE – Capítulo 367

Capítulo Anterior   ||   Índice  ||   Próximo Capítulo


Capítulo 367: Estátua da Pedra

Levando a estátua para o jardim de bambu, Ai Hui fechou a porta antes de colocá-la em sua mesa. Como uma cobra, a atadura impaciente avançou para frente e enrolou-se em torno da estátua de pedra.

Ai Hui quase soltou uma risada; A estátua de pedra parecia uma múmia tola e sem vida. Seu encanto celestial desapareceu.

Talvez houvesse algo poderoso escondido dentro da estátua?

Ai Hui era muito curioso. Claro, ele já conhecia o poder da atadura, mas para os chefes de família da Residência Ye terem ficado perplexos com a estátua por tantos anos, definitivamente não era um objeto simples.

Ai Hui não se atrevia a desprezar as famílias aristocráticas. O seu poder acumulado era chocantemente profundo, seja em termos de riquezas, tesouros ou mesmo de sua capacidade de energia elementar.

A construção da tesouraria e o método de selagem das caixas eram coisas que ele nunca tinha visto antes.

Talvez a família não tivesse representantes excelentes, mas seu trabalho duro contribuiu para a sucessão de cada geração por centenas e milhares de anos. Ao longo do caminho, suas experiências acumuladas eram intimamente profundas e extensas.

Famílias aristocráticas eram as pessoas que ficavam no auge da Era Elementar.

A atadura realmente respondeu a um segredo que essas pessoas não conseguiram desvendar. Que legal!

Eh?

Ai Hui de repente levantou-se em linha reta, com os olhos brilhando.

O rosto da estátua de pedra estava começando a derreter.

Uma mudança estava ocorrendo!

Ai Hui ficou muito agitado, mas se acalmou rapidamente. Aproximando os ouvidos e ouvindo, a costa estava clara. A estátua de pedra não tinha ondas de energia elementar. Era como uma vela que, após o aquecimento, derretia gradualmente.

Ai Hui olhou atentamente para aquela estátua. Definitivamente, era um granito comum, ele havia verificado com cuidado!

Seus olhos o enganaram?

À medida que o rosto da estátua se derreteu, suas linhas grosseiras suavizaram e seu rosto irregular suavizou significativamente. As características faciais desfocadas tornaram-se mais distintas.

Vendo o rosto da estátua tornando-se delicado e refinado, esse leve encanto celestial tornou-se mais intenso. Ai Hui ficou completamente cativado, como se a estátua de pedra fosse um vórtice que engolia o olhar. Ai Hui olhou fixamente para ele, incapaz de afastar os olhos.

A estátua de pedra em sua visão começou a ficar turva.

O mundo tornou-se nebuloso quando o céu se mesclava com o oceano. Ele viu uma cadeia interminável de montanhas maciças, íngremes e majestosas. As árvores antigas atingiram o alto do céu, os campos eram vastos, e todos os tipos de animais incomuns estavam correndo e voando ao redor.

Ai Hui garantiu que ele nunca tinha visto nenhum desses animais incomuns. Tendo ficado na Região Selvagem durante tanto tempo, ele poderia ser considerado um especialista quando se tratava de reconhecer a maioria das bestas selvagens e ferozes. Esses animais incomuns eram ainda mais primitivos e bárbaros, definitivamente estranhos a ele.

Escavando as montanhas altas e os cumes precipitados, seu olhar pousou em um pequeno vale.

Pelo que viu, Ai Hui calculou que o terreno deste vale era muito adequado para acampar ao ar livre.

Havia um ribeirão sinuoso, seu fluxo era pequeno, de modo que as inundações não eram uma preocupação. As montanhas dos dois lados serviram de partição. Eles eram íngremes e feitas de granito. O vale era largo, mas sua boca era extremamente estreita, tornando-se um lugar que era fácil de proteger e difícil para os intrusos atacarem.

Havia uma cerca feita de troncos grossos e sólidos na boca do vale. Que uso poderia ter uma medida defensiva tão grosseira? Ai Hui não conseguiu pensar em nenhum. No interior, havia uma tenda de pele animal e grama de caniço-branco[1], e dentro dela estavam as pessoas acendendo um fogo para cozinhar e esfolar as bestas selvagens. Era uma cena bastante animada.

Tribo selvagem?

Ai Hui parecia ter pensado em algo.

Observando por um momento, Ai Hui sentiu que os selvagens tinham vidas tediosas. Eles eram incivilizados e pareciam bastante ignorantes. Quando Ai Hui e os trabalhadores estavam na Região Selvagem, suas vidas também haviam sido árduas, mas em comparação com esses selvagens, eles estavam muito melhores.

Algum tempo depois, o chefe tribal tirou uma folha de pele animal e desenhou uma figura humana áspera com sangue de carvão e besta.

Seus traços eram muito grosseiros. Dizer que era uma figura humana era parcialmente um palpite.

A pintura de pele animal foi apoiada por um ramo de árvore e as pedras foram empilhadas para formar uma simples mesa sacrificial. O chefe matou uma besta selvagem, colocou-a sobre a mesa como uma oferta e liderou o processo de adoração à medida que todos começaram a reverenciar.

Passaram-se anos e o chefe continuou mudando. As roupas usadas pelos membros das tribos também foram desenvolvidas, desde a pele inicial de animal até a aniagem[2]. Os desenhos sobre a pele animal gradualmente se tornaram mais claros e começaram a ter um charme único e celestial.

Encanto celestial?

Ai Hui reagiu de repente. Poderia ser…

Ele examinou mais de perto a figura humana sobre a pele animal e descobriu que era realmente semelhante à estátua de pedra.

Com mudanças na pele de animal, os membros da tribo tornaram-se cada vez mais piedosos e ofereceram sacrifícios com mais regularidade. À medida que as ofertas cresciam, a figura humana na pele tornou-se mais requintada e realista.

A tribo, após anos de campanha, agora era influente e poderosa. As muralhas da cidade foram construídas e ele negligenciou todos os outros.

Os inimigos se infiltraram no salão sacrificial e queimaram a pele de animal.

O chefe transmitiu uma ordem, busque tesouros das respectivas cidades para criar e aperfeiçoar um retrato do deus demoníaco. Reunindo tesouros, sacerdotes respeitáveis, pintores e bruxos de todo os lugares dentro do salão, depois de vinte e dois anos de sangue, suor e lágrimas, um novo retrato de deus demoníaco foi finalmente concluído.

As campanhas contra inimigos e por poder começaram abruptamente também.

No período de sessenta anos, inúmeros cativos foram detidos e oferecidos como sacrifícios.

O encanto celestial do retrato do deus demoníaco se intensificou, tornando-se aterrador ao olhar.

Passaram-se mais anos quando a tribo subiu e caiu, prosperou e caiu em declínio. No entanto, esse retrato permaneceu intacto. Foi sempre tão bom quanto novo e os sacrifícios foram constantemente oferecidos.

Em uma noite ventosa e chuvosa, um raio do lado de fora das janelas iluminava o escuro e espaçoso salão de sacrifícios e também o retrato que pendia da parede.

Os olhos do deus demoníaco se moveram e um sorriso surgiu no canto da boca. Este sorriso carregava uma energia maligna, fazendo com que seu rosto gentil parecesse cada vez mais coquete e sedutor.

De repente, uma perna se estendeu do retrato.

O deus demoníaco realmente ganhou vida. Ele moveu seu corpo, aparentemente interessado em tudo o que estava acontecendo. De repente, como se sentisse algo, levantou a cabeça e olhou na direção de Ai Hui.

Ver os olhos do deus demoníaco interrompeu momentaneamente a linha de pensamento de Ai Hui.

Naquele momento, a Lâmpada de Lótus Flamejante do Coração do Céu percebeu o perigo e começou a operar abruptamente, permitindo que Ai Hui recuperasse um traço de clareza. Ele tentou com todas as suas forças fechar os olhos e bloquear sua visão.

Hu… hu…

Suas respirações difíceis eram como foles em movimento, fazendo com que Ai Hui suasse profusamente. Esse momento de luta praticamente esgotou toda sua força.

Ele se acalmou cinco minutos depois, mas não sem um medo persistente. Ele sempre pensou que era firme e invulnerável para distúrbios do mal, especialmente depois de treinar sua Lâmpada de Lótus Flamejante do Coração do Céu. Ele poderia permanecer impassível mesmo quando de frente com a Mil Yuan.

Só então, no entanto, seu estado mental estava completamente fora de seu controle. Ele não conseguia pensar. Se não fosse pela a lâmpada, ele não teria conseguido fechar os olhos.

Foi a primeira vez que Ai Hui experimentou algo tão estranho, terrível e perigoso.

Ao contrário do combate real, ataques psíquicos não poderiam ser prevenidos. Qualquer leve falta de atenção levaria a um ataque, fazendo com que o corpo perdesse todo o controle. A mente não seria capaz de dominar o corpo para executar até mesmo a resistência mais básica. A vítima seria completamente à disposição dos inimigos.

Ele não queria experimentar isso nunca mais.

Deus demoníaco…

Pouco depois, o corpo de Ai Hui ficou tenso quando a Lâmpada de Lótus Flamejante do Coração do Céu circulou de forma insegura. Ele reuniu todo o foco para que, sempre que algo se sentisse mal, ele fecharia os olhos novamente.

Ele abriu os olhos e olhou em volta.

Ah!

Ele viu uma estátua de pedra.

Onde estava o salão sacrificial? Deus demoníaco?

Ai Hui ficou atordoado. Ele estava sonhando? As cenas que ele tinha testemunhado eram muito vívidas. Sentia ter vivido milhares de anos ao lado da tribo e do deus demoníaco.

Mas neste momento, ele ainda estava em seu quarto.

Fantasia? Possivelmente!

Mas uma fantasia tão realista…

Ai Hui olhou a hora e percebeu que nem meia hora havia passado.

Quão místico. Essa sequência de sonhos simplesmente tinha sido muito real e ele ainda podia recordar todos os detalhes finos. As vagens de feijão de miragem vendidas nos mercados não podiam ser comparadas com o que ele acabara de ver.

Ele se sentiu um tanto arrependido, mas também aliviado. A cena em que o deus demoníaco tinha saído do retrato deixou uma impressão profunda sobre ele; ele ainda tinha algum medo persistente.

Seu olhar caiu sobre a estátua de pedra e as pupilas de repente encolheram.

A estátua de pedra na mesa parecia exatamente com o deus demoníaco!

Ai Hui lembrou claramente a aparência do deus demoníaco, não houve nenhum erro. A estátua era, neste momento, não mais aquela estátua de pedra, mas extremamente refinada e realista.

Tinha uma figura graciosa, a cintura aparecendo fraca e delicada e a parte superior do corpo masculina. Tinha um rosto andrógino com um contorno suave, mas um nariz e lábios masculinos. Seus olhos estavam frios, mas os cantos exteriores se curvavam lindamente.

Foi a primeira vez que Ai Hui viu características tão andróginas e conflitantes que, de alguma forma, conseguiram se encaixar bem, deixando uma profunda impressão nele.

Exatamente o mesmo!

Essa visão era a estátua de pedra do deus demoníaca?

Era possível!

Essa era a origem dessa estátua de pedra? Ai Hui estava bastante convencido, já que não havia outra explicação possível.

Ele nunca imaginou que haveria uma história por trás da estátua de pedra. Ai Hui clicou na língua com admiração e olhou por toda a estátua.

A estátua agora era requintada e realista, mas seu encanto celestial havia desaparecido. Parecia uma estátua de pedra comum.

Então, o encanto celestial continha a história da estátua, Ai Hui de repente percebeu.

Não importava como ele olhasse para ela, no entanto, a estátua do deus demoníaca ainda era apenas a estátua do deus demoníaco e o granito ainda era o granito. Não houve mudanças. Ele simplesmente gastou tanto esforço apenas para obter uma estátua de pedra fina?

Ai Hui não sabia se ria ou chorava.

O que ele viu em seguida, em sua atadura, o chocou.

O olho de sangue desapareceu; recuperando a cor branca anterior e agora estava vazia.

Ao ver as duas ataduras brancas de neve sobre a mesa, surgiu um pensamento quando ele as desdobrou e as colocou na posição plana, depois as juntou. Ele lembrou que eles eram originalmente uma peça quando ele as viu pela primeira vez.

Quando colocados um ao lado do outro, as partes do meio começaram a se fundir, formando um pedaço de pano branco.

Isso foi realmente possível?!

Ai Hui abriu os olhos, como nunca pensou em junta-las.

Espere um minuto!

O corpo de Ai Hui ficou rígido. Ele olhou fixamente para o pano branco na mesa enquanto a imagem do retrato de deus demoníaco pendurado no salão sacrificial surgiu em sua mente.

Depois que o deus demoníaco saiu do retrato, tornou-se um pano branco, e seu tamanho… Era aproximadamente do mesmo tamanho que o pano branco na frente dele.

A atadura… era a tela do retrato do deus demoníaco?


Capítulo Anterior   ||   Índice  ||   Próximo Capítulo


Notas:

[1]  Mais informações sobre essa grama: Imperata cylindrica

[2] Tecido grosseiro de juta, linho cru ou outra fibra vegetal, us. esp. na confecção de sacos e fardos; serapilheira.

Rolar para o topo