AFE – Capítulo 453

  • Asu 
Capítulo Anterior
Próximo Capítulo

Anterior   ||   Índice  ||   Próximo


Capítulo 453: O Caminho Próprio de Ai Hui

Tradutor: Asu | Editor: Asu

Seja abertamente ou discretamente, muitos estavam prestando atenção à recuperação de Ai Hui. Ninguém notou, no entanto, que o fantoche de areia ao lado dele havia desaparecido.

Mesmo Gong Peiyao, que adorava Lou Lan, estava focado nas notícias da morte do Grande Ancião e não estava no clima para brincar com Lou Lan.

Um som farfalhante podia ser ouvido vindo do matagal em um canto vazio da Cidade da Água Clara.

Pouco depois, uma voz fraca e alegre soou dos arbustos.

“Ninguém à esquerda.”

“Ninguém à direita.”

Um momento depois, Lou Lan saiu do meio dos arbustos.

“Fique de vigia no telhado, Lou Lan!”

“Fique de olho na boca do beco, Lou Lan!”

“Olhe o lado esquerdo, Lou Lan.”

“Olhe o lado direito, Lou Lan.”

Alguns mini Lou Lans chamaram um ao outro, um após o outro, antes de se virar e sair correndo. Um pulou para o telhado e escondeu-se dentro de uma fenda entre as telhas. Dois correram para a junção de duas paredes pela boca do beco e ficaram de vigia, um para a direita e outro para a esquerda.

“Lou Lan está aqui!”

“Lou Lan está aqui!”

Gritos alegres soaram incessantemente quando, um após o outro, Lou Lans começou a sair dos arbustos. Eles correram em direção um ao outro alegremente e seus mini corpos se uniram e se expandiram para eventualmente se tornar um grande Lou Lan.

Tendo recuperado sua aparência, os olhos vermelhos de Lou Lan brilharam sem parar. Ele estava processando a resposta de cada mini Lou Lan. Depois de um curto tempo, ele murmurou para si mesmo: “Não há nada nesta região. Para a próxima, Lou Lans, vamos embora!”

Lou Lan não usou nenhum método inteligente. O que ele usou foi realmente bobo.

Ele separou toda a cidade em regiões diferentes e ao chegar a cada região, ele se espalharia em muitos mini Lou Lans e vasculharia a região como areia. Os mini Lou Lans se lembraria das conversas que eles ouviram e dos rostos das pessoas. Finalmente, as informações que os mini Lou Lans reuniu seriam resumidas.

Uma quantidade tão grande de informações faria com que os fantoches de areia comuns superaquecessem. Mas o núcleo de areia de Lou Lan, Meia-Noite, poderia resolver todas essas informações sem esforço.

Se houvesse algum alvo suspeito, Lou Lan arrumaria um mini Lou Lan para ficar de olho. Ninguém prestaria atenção a uma minúscula pilha de areia amarela escondida nas vigas do teto, embaixo da cama, dentro das fendas entre tijolos ou em um canto escuro de seus quartos.

Nunca houve tal fantoche de areia.

O que as pessoas geralmente sabiam sobre os fantoches de areia era que eles eram todos do mesmo tamanho e possuíam as mesmas habilidades. Quanto maior o corpo, mais forte na batalha eles seriam. Um exemplo seria um Sentinela de Areia, porque quanto maior o tamanho, mais o núcleo de areia poderia suportar.

Os fantoches de areia não eram espiões adequados, uma vez que não eram rápidos nem inteligentes o suficiente. Eles não eram bons em se disfarçar também. Quando os fantoches de areia foram inventados pela primeira vez, as pessoas foram facilmente enganadas. Agora, uma poça extra de areia alertaria a todos.

Ninguém usava fantoches de areia para espionar hoje em dia, a menos que o elementalista da terra realmente não tivesse companheiros de equipe para confiar.

O método de Lou Lan dependia apenas da capacidade do Meia-Noite, por isso, embora não fosse inteligente, era extremamente eficaz.

Funcionou também porque a Cidade da Água Clara não cobria uma grande área. Se Lou Lan usasse esse método em uma área grande como a Cidade de Prata, ele precisaria de pelo menos dez a quinze dias para investigar.

Lou Lan, que chegara à uma nova região, repetiu os passos.

Ele encontrou algo desta vez.

O prefeito pagara uma quantia enorme para construir a sala de meditação subterrânea. Não só era à prova de som, tinha sido reforçada por um mestre elementar da terra. Por mais violentas que fossem as coisas, a sala de meditação era indestrutível.

Apenas sons estridentes podiam ser ouvidos da sala de meditação.

Todo o corpo de Ai Hui estava vermelho quando seu sangue subiu e sua cabeça se fumegou. Era como se ele tivesse acabado de ser retirado do forno.

Ele segurou a Lâmina Jade de Inverno e andou pelo quarto descalço, agitando sua espada de vez em quando. Raios de espada voaram de sua ponta e atingiram as paredes fortificadas, fazendo com que pontos impactados se acendessem.

A energia elementar dentro de seu corpo era como lava fervente. Estava perdendo o controle.

Para Ai Hui, usar [Poeira Vermelha] foi simplesmente forçado demais. O julgamento de Han Li não estava errado. Ninguém sob o nível Mestre seria capaz de quebrar sua [Formação de Espada do Peixe Yin Yang].

E [Poeira Vermelha] era na verdade um movimento de nível Mestre. Foi a primeira vez que o utilizou desde a conceptualização.

O julgamento de Ai Hui também foi muito preciso. Quando ele viu a Formação de Espada do Peixe Yin Yang, de Han Li, ele sabia que movimentos comuns não seriam eficazes e que o único movimento usável seria a [Poeira Vermelha].

Mas como não poderia haver um preço a pagar por usar um movimento de nível Mestre quando ele ainda não era um Mestre?

A energia elementar crescente e desordenada dentro de seu corpo foi a consequência de usar vigorosamente a [Poeira Vermelha]. Se ele fosse incapaz de domar a energia elementar, suas cinco residências e oito palácios seriam danificados. Se fosse sério, seu nível de base cairia.

Mas como ele iria acalmar a energia elementar?

Ai Hui tentou operar a Rotação do Ciclo Circulatório, mas não adiantou.

Ele então tentou esgotar toda a sua energia elementar, mas ainda sem sucesso. A energia elementar recém-nascida continuou em estado caótico, incapaz de ser suprimida.

O que ele poderia fazer?

Ai Hui ofegou pesadamente enquanto seu cérebro girava rapidamente.

De repente, ele recordou o conteúdo de algumas anotações que leu. As notas foram deixadas por um ancião do Salão de Registros Antigos. Em sua tentativa de procurar pelas anotações de Sênior Xiao, Ai Hui praticamente folheou cada livro daquele salão. Ele estava desamparado naquele momento, mas por causa disso ele ganhou muitas ideias estranhas e todo tipo de ideais absurdas. Além disso, ele leu mais sobre tesouros raros e todos os tipos de situações estranhas.

Ai Hui os leu enquanto lia os livros de histórias, exatamente como fizera com os manuais de espadas da Era do Cultivo.

De repente, ele se lembrou de uma situação descrita pelo ancião. Era precisamente o que ele estava enfrentando agora.

Como esse sênior resolveu o problema?

Ai Hui atormentou seu cérebro e queria tanto abri-lo para encontrar a memória. Ele só leu através deles muito brevemente por interesse. Agora, ele estava dependendo dele como sua última gota de esperança e estava com medo de perder aquele momento de realização. Ele franziu as sobrancelhas, ponderando muito.

Depois de muito tempo, Ai Hui finalmente se lembrou do conteúdo.

Aquele ancião enfrentou a mesma situação que ele. Ele se lembrava tão claramente porque o escritor descrevia cada detalhe com muita meticulosidade. No entanto, o ancião não compartilhou o método para resolvê-lo. Em vez disso, ele mencionou que isso aconteceu com ele na noite anterior a ele se tornar um Mestre.

Espere, à noite antes de um avanço?

Ai Hui recebeu um sobressalto. Isso também aconteceria com ele?

Esse pensamento acalmou seu coração inquieto significativamente e seu corpo quase queimando também se acalmou um pouco.

Depois de se acalmar, a mente de Ai Hui girou mais rápido.

O que ele deveria fazer se isso fosse realmente o sinal de um avanço?

Havia duas condições para um Elementalista se tornar um Mestre. Ele deve satisfazer o requisito de nível de base da energia elementar e criar sua própria arte absoluta. Ai Hui já havia cumprido a primeira condição. E quanto ao segundo?

De repente, a compreensão de Ai Hui de um Mestre parecia ter distorcido.

A palavra-chave na segunda condição não era “arte absoluta”, mas “arte própria”.

Ai Hui caiu em transe.

Seu próprio…

Ele percebeu que nunca havia pensado nisso antes. Sua mente foi para Han Li. A escolha de Han Li foi clara à primeira vista. Ele escolheu o caminho “Yin Yang”. Ai Hui sentiu que era uma escolha decente. Yin Yang parecia simples, mas era profundo, imprevisível e mutável.

Qual era o seu próprio caminho?

Ai Hui afundou em um estado profundo e reflexivo e esqueceu completamente seu desconforto.

Ele tinha visto um grande número de artes absolutas e técnicas de espadas. Pensou na ambiciosa enciclopédia de jogo de espada da chefe de Kun Lun, abrangente e diversificada. Ai Hui pensou neles um por um e se sentiu ainda mais perplexo.

Qualquer força se tornaria chocantemente poderosa com prática e reflexão constantes. Cada tipo de força tinha seu próprio fascínio.

Ele começou a entender a ideia de que encontrar seu próprio caminho era a chave para se tornar um mestre. Este mundo era muito grande e havia muitos tipos de forças. No entanto, a energia humana era limitada. A fim de compreender a verdadeira essência da força, ele teve que desistir das coisas ao longo do caminho, já que apenas o foco e a devoção poderiam levá-lo ainda mais longe.

Qual tipo ele deveria escolher?

Ai Hui se sentia calmo agora. Ele sabia que sua escolha iria influenciar grandemente seu futuro.

Foi uma decisão importante.

Ai Hui começou a pensar porque queria se tornar um elementalista. Sua ideia era simples naquela época. Ele só queria sobreviver. Três anos na Região Selvagem mostraram a ele que os Elementalistas tinham uma chance muito maior de sobrevivência em comparação com os trabalhadores.

Ele tinha sido confuso e apenas queria viver. Ser capaz de viver era bom o suficiente.

Não foi até que ele conheceu seu mestre, professora e sênior que sua vida monótona começou a se iluminar.

Não foi por causa da luz fria do sol que brilhou através de rachaduras nas casas enquanto ele andava desalentadamente pelas ruas após o fechamento do Salão de Treinamento do Espadachim. Era por causa da luz quente e brilhante do sol, acompanhado pela brisa fresca, que caía diante do sujeito sonolento que varria a entrada, por causa da tranquila manhã na Cidade do Pinho Central, onde a fumaça subia das chaminés da cozinha em espirais.

Drip!

Em meio à solidão, sons de gotas de água caindo encheram a escura sala de meditação.

Os olhos de Ai Hui estavam bem fechados. Lágrimas fizeram o caminho até os cantos de seus olhos antes de escorrer pelas bochechas.

Ele encontrou sua resposta.

Uma imagem incolor surgiu diante de seus olhos.

Em uma rua que não era muito larga, demônios de sangue parecidos com a maré estavam avançando avassaladoramente. Foi uma inundação cor de sangue. Um jovem segurando uma espada permaneceu imóvel no centro da rua como um recife na praia.

A espada afiada e fria cortou tudo a sua frente. Sangue fresco respingou e os membros dos demônios de sangue voaram em todas as direções.

O cheiro rico, asfixiante e sangrento parecia ter atravessado o tempo e a memória, atingindo-o.

A imagem ficou embaçada, mas a espada ficou mais pesada.

Apenas o céu embaçado permaneceu. Incontáveis ​​raios prateados desceram do céu, iluminando o mundo sombrio e cruel.

Os demônios de sangue ficaram moles e caíram no chão e a poderosa inundação vermelha se transformou em terra vermelha macia. Gritos indistintos soavam como um deslizamento de terra ou um tsunami. Era tão vago, mas reconfortante.

A escuridão assumiu mais uma vez. Estava tão quieto que ele podia ouvir seu próprio coração batendo.

“Você sabe como as pessoas estão te chamando?”

“Como?”

“O Lâmina Relâmpago! Descendo do céu com muitos relâmpagos. Você assustou todo mundo. Essa grande tempestade de raios fez todos os demônios de sangue soltarem sua resistência e o prefeito aproveitou a oportunidade para bloquear os portões da cidade.”

“Lâmina Relâmpago…”

“Ai Hui, os demônios de sangue têm medo da aura do relâmpago.”

“Sim.”


Anterior   ||   Índice  ||   Próximo

Capítulo Anterior
Próximo Capítulo