Capítulo 1 Parte 3 – Viva

A Tênue Linha

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

Quando acordei estava em um quarto velho com minha esposa chorando e tremendo no canto da parede. Então, fui até ela e tentei acalmá-la…

“Calma, tudo vai ficar bem. Estou aqui e irei te proteger, eu prometo.” Falei enquanto a abraçava. 

 

Ao tentar tranquilizá-la eu acabei a enganando. Dois meses depois que fui preso eu descobri que o nome daquele velho era Yamamoto, ele era o “líder” de uma gangue chamada Yakusa, por algum motivo ele não nos matou, mas nos colocou para trabalhar para ele. Sasha era responsável por cuidar das finanças do velho e das inúmeras contas bancárias da Yakuza. Durante oito meses houveram incontáveis brigas por território. Ao decorrer desse tempo comecei a notar que todos os subordinados do Yamamoto tinham uma tatuagem de cruz no pescoço. Seria essa a marca desta máfia?! Eu como médico tive que salvar todas as vidas daqueles desgraçados, mas eu não fazia apenas isso, durante o tempo que estivemos em cativeiro sempre que eu tinha a oportunidade mandava mensagens codificadas para a Li Wang usando o computador, quando ninguém estava vendo.

Até que o dia da fuga finalmente chegou, Sasha depositou todo o dinheiro de todas as contas bancárias que ela conhecia para institutos de caridade. Li Wang veio nos salvar com a maior tropa policial que eu já vi perante meus olhos, durante o tumulto e trocas de tiros eu e a Sasha fugimos pela floresta, mas um dos capangas do Yamamoto chamado Fuyuki Myura nos viu fugindo, ele era considerado o braço direito de Yamamoto por sempre conseguir matar todos os alvos que eram dados a ele.

“PAREM DE CORRER, OU IREI ATIRAR!” Fuyuki gritava enquanto corria atrás de nós.

 

Eu achei que Fuyuki estivesse blefando por isso continuei correndo, como ele poderia atirar na pessoa que salvou a vida dele quando estava à beira da morte?! 

Ele atirou, senti todas as três balas se aprofundarem em minha coluna, perdi a força das minhas pernas e fui ao chão. Quando Fuyuki se aproximou uma bala atravessou a cabeça dele e o corpo caiu sobre meus pés, eu fiquei extremamente assustado, mas mais importante que isso era saber como Sasha estava, mesmo que eu não estivesse conseguindo mover minhas pernas usei todas as minhas forças para conseguir tirar o corpo desfalecido do Fuyuki de cima de mim, logo depois que consegui, eu me virei para ver como a Sasha estava, neste momento pude notar que ela estava ainda mais assustada que eu, o trauma de me ver baleado foi muito grande e por conta disso ela entrou em trabalho de parto, mesmo sem conseguir mexer um músculo das minhas pernas, me arrastei até ela com o objetivo de tentar ajudar no nascimento do meu filho.

“VOCÊS ESTÃO MACHUCADOS?” Uma mulher segurando uma arma gritou enquanto corria em nossa direção.

 

Foi ela que matou o Fuyuki?! Ela estava escondida na floresta?! Bem, isso não importa agora…

Minha visão estava escurecendo e eu mal conseguia me manter consciente devido à perda de sangue, mas tudo valeu a pena quando consegui ouvir meu filho gritar e chorar. Ele era lindo, me fez lembrar da Sasha quando era mais nova… infelizmente eu não pude ficar com meu filho no braço por muito tempo, já não me restava mais forças para me manter acordado. Então, como último ato antes de perder a consciência, coloquei meu filho nos braços da mãe e fiquei ao lado dela, abraçando-a.

 

Quando recobrei a consciência notei que estava em um quarto de hospital, mesmo que minha visão ainda estivesse um pouco trêmula eu pude ver que Sasha estava deitada em uma cama ao meu lado, e ao lado dela havia uma mulher sentada em uma cadeira, por algum motivo aquela mulher me parecia familiar.

“Quem é você?” Perguntei ainda meio grogue. 

“Oh!! Andrew, você acordou.” A mulher se levantou da cadeira e lentamente caminhou em minha direção. Sua pele clara, cabelo curto e escuro… já faz um tempo, mas essa mulher é Li Wang?! Conforme ela se aproximava o barulho que a bota dela fazia ao tocar no chão se tornava ainda mais alto, como se tomasse conta do local. 

“Li Wang?! É você?” Perguntei como se estivesse tentando adivinhar quem era a pessoa na minha frente.

“Sim, sou eu. Já faz um tempo. Desde que você se casou nós nunca mais nos vemos.” Essa realmente era Li Wang?! Ela estava completamente diferente de quando era criança, ela está mais alta e forte.

“Você… está diferente.” Falei incrédulo de quão bela minha irmã havia se tornado.

“Estou estranha, né?…” Li Wang falou desapontada.

“Não! Não me entenda mal, mas você está mais bonita.”

“Hum?! Obrigada.” Li Wang agradeceu mesmo estando envergonhada.

 

Pouco a pouco, Li Wang começou a me falar o que havia acontecido depois que desmaiei. Disse que a pessoa que havia matado o Fuyuki, na verdade era uma policial chamada Daisy. Quando Daisy notou que Sasha estava em trabalho de parto, ela entrou em desespero, pois não sabia o que fazer, então ficou incansavelmente pedindo para que mandassem um helicóptero para nos levar ao hospital. Graças a essa mulher chamada Daisy, Sasha não corre mais perigo de vida e o meu filho nasceu saudável, neste momento ele está dentro de uma incubadora que fica na ala de maternidade. Eu gostaria de um dia poder conhecer essa mulher e agradecer pessoalmente o que ela fez por minha família. Quanto a mim, logo foi constatado que fiquei paraplégico… 

Bem, eu não me arrependo de nada, pois esse é um pequeno preço a ser pago pela vida das pessoas que amo.

“Li, você conhece essa mulher chamada Daisy?” Perguntei-lhe.

“H-Hum?! Sim, um pouco. Por quê?” Li Wang falou enquanto se atrapalhava em algumas palavras.

 

Eu nunca havia visto a Li Wang se atrapalhar tanto nas palavras… bem, não é como se conversássemos tanto assim, mas o inglês dela ficou tão ruim assim desde a última vez que a vi?

“Li, eu sei que não fui um bom irmão para você quando éramos crianças, na verdade, nem mesmo depois disso… eu sentia inveja de como o nosso pai te tratava por isso eu te evitava, fui imaturo e muito injusto com você. O que quero dizer é… me desculpa… eu fui um péssimo irmão mais velho nesses últimos anos, e mesmo assim você veio me ajudar quando eu mais precisei, se você me permitir eu gostaria de me reconciliar com você e com nosso pai. Sei que já é muito tarde para isso, mas por favor você poderia arrumar um lugar em seu coração para me perdoar?” As palavras que eu nunca tive coragem de dizer saíram da minha boca, ao dizê-las senti meu corpo mais leve, como se tivesse tirado um enorme peso dos meus ombros.

“Andrew, você não precisa se preocupar com isso, na verdade, eu nunca fiquei com raiva pela forma como você agia, então você não precisa do meu perdão, mas sei que você tem alguns problemas com nosso pai. Então, se possível eu gostaria que você tentasse resolvê-los, caso você precise de ajuda nisso eu estarei com você.” Li Wang falava enquanto se mostrava confiante, mas por alguma razão ela continua desviando o olhar.

 

A forma como ela desvia o olhar, isso significa que ela ainda está com receio de confiar em mim?! Bem, eu não a culpo, eu fui um péssimo irmão, não é como se ela fosse me aceitar de braços abertos assim do nada.

“Bem, mudando de assunto, que nome vocês darão ao bebê?” Li Wang falou como se estivesse incomodada com o assunto anterior. 

“Hum!? Essa é uma boa pergunta. Você tem alguma ideia querido?” Sasha falou. 

“O quê?! Você estava acordada querida?! Hum!? Você não ouviu nada que falei, certo?!” Falei com um pouco de desespero, eu não esperava que a Sasha estivesse acordada… que vergonha~.

“Eu ouvi tudinho. Haha. A forma como você estava implorando por perdão… Pff~… eu nunca te vi tão emotivo assim.” Sasha falou em um tom de deboche fazendo pequenas pausas para rir.

“Esqueça isso, por favor~…” Eu estava tão envergonhado que poderia esconder minha cabeça em um buraco como uma avestruz. 

“Certo, certo, já esqueci. Voltando ao nome do nosso filho, eu estava pensando em dar-lhe o nome de Henry, o que você acha?” 

“Hum!? Ah! Certo… eu concordo, Henry é um bom nome. Agora que vou ficar em uma cadeira de rodas para sempre poderei ensinar tudo sobre medicina para nosso filho, e talvez no futuro ele se torne um médico tão bom quanto eu.”

“Vai com calma Andrew” Li Wang deu uma gargalhada e continuou falando. “Seu filho acabou de nascer e você já está pensando em todo o futuro dele.” 

“Verdade, querido, antes de pensar quão bom médico nosso filho será, por que você não pensa primeiro no sobrenome dele?” Sasha concordou com Li Wang e as duas começaram a rir.

 

Sem que eu me desse conta, aquele quarto de hospital já havia se tornado tão confortável quanto qualquer outro lugar, sons de risada ecoavam por todo local, e mesmo que a pouco tempo havia acontecido inúmeras tragédias, agora posso novamente rir honestamente.

“Oh! Certo” Eu estava tão feliz que não parava de rir. “Então… hum!? Que tal…” Neste momento por algum motivo o nome “Vangeance” veio em minha mente inúmeras vezes, mesmo que eu tentasse pensar em outro eu não conseguia. “Que tal… Vangeance?!” 

“O quê?!” Li Wang deu uma gargalhada. “Que nome é esse irmão?” 

 

Por algum motivo, quando falei o nome “Vangeance”, Sasha ficou pálida e não falou nada, será que ela não gostou do nome?!

“Sasha?! Tudo bem? Você está pálida, foi o nome?! Se você não gostar então pode escolher outro.” 

“Hum?!… Não, não é isso… esse é um bom nome. Muito bom…” Sasha falou como se estivesse meio desnorteada. 

“Sério Sasha?! Você vai mesmo deixar o Andrew colocar o sobrenome do seu filho de Vangeance?” Li Wang perguntou. 

“Hum!?… Sim. Eu… eu… Li Wang, você poderia por favor pegar minha bolsa em cima daquele criado-mudo?” Sasha falou enquanto apontava para a bolsa dela.

“Claro…” Li Wang levantou e pegou a bolsa da Sasha.

 

Por algum motivo a Sasha está agindo estranha, algo aconteceu a ela?! Após Li Wang entregar a bolsa para Sasha, ela tirou uma pequena caixa de ferro de dentro e abriu, na caixa havia algumas folhas em branco e uma caneta, Sasha começou a escrever como se aquela fosse a última vez que ela escreveria. 

“Andrew, por que você não põe o nome “Oscar” como sobrenome do Henry?! Não estou dizendo para não usar o nome Vangeance, você poderia usar os dois nomes, se você fizesse isso nosso pai ficaria muito feliz…” Li Wang falou enquanto tentava ignorar as ações estranhas da Sasha.

“Sim, você está certa. O que você acha amor?”

“… Está perfeito querido.” Sasha respondeu. 

Por algum motivo Sasha não estava mais prestando atenção em nossa conversa, algo aconteceu com ela?!

Infelizmente o destino não me deu tempo suficiente para compreender o que estava acontecendo, as pessoas começaram a correr e gritar pelos corredores do hospital, uma enfermeira entrou no quarto onde estávamos, ela estava desesperada, chorando e com o ombro sangrando.

“O QUE ACONTECEU?” Li Wang se levantou da cadeira rapidamente e foi ajudar a enfermeira.

“O demônio, ele… ele está aqui, ele quer matar as presas que conseguiram escapar…” A enfermeira estava tremendo, sua voz estava baixa, cada palavra se tornava ainda mais difícil de entender, logo depois disso ela saiu por outra porta deixando um rastro de sangue no chão.

“Que merda?! Demônio?! O que essa mulher está falando?!” Li Wang irritada foi até a porta por onde a enfermeira havia entrado e puxou um dos médicos que estavam correndo pelos corredores para dentro da sala. “O que está acontecendo lá fora?” Li Wang perguntou. 

“O demônio de Tóquio, ele e a gangue dele trocaram tiros com a polícia e estão invadindo o hospital, estão matando todos que se ponham em seu caminho.” O médico falou assustado. Logo após isso, Li Wang soltou o médico e ele continuou a correr.

“Não se preocupem, eu protegerei vocês. Apenas preciso ligar para Daisy, ela trará algumas armas, eu e ela… nós duas podemos salvar voc-” Li Wang começou a falar desesperada.

“NÃO, você tem que sair viva, você não pode morrer aqui.” Falei exaltado. “Pegue a Sasha e o meu filho, e saiam desse hospital, fujam. Salve meu bem mais precioso, por favor Li Wang.” 

“NÃO, eu não posso te abandonar agora… quando finalmente estávamos nos dando bem… eu não posso fazer isso…” 

“Li Wang, por favor, estamos ficando sem tempo. Logo esse maníaco chegará aqui. Eu sou apenas um estorvo, eu não consigo andar, muito menos correr. Você tem que salvar a Sasha e sair do hospital o mais rápido possível.”

“MERDA!! MERDA!! MERDA!!” Li Wang gritou em desespero. Logo em seguida foi até perto da Sasha para ajudá-la a se levantar. 

“Me desculpe Li Wang, mas eu não vou com você.” Sasha falou. 

“O QUÊ?! O QUE VOCÊ QUER DIZER COM ISSO?” Gritei.

“Li Wang, por favor pegue essa caixa. Nela está contido algo que só deve ser entregue ao Henry quando ele fizer 18 anos.” Sasha falou enquanto entregava a caixa de ferro para Li Wang enquanto ignorava completamente o que eu havia falado. 

“SASHA, VOCÊ ESTÁ DOIDA? VOCÊ AINDA PODE CORRER, LEVANTE-SE DESSA CAMA E SALVE-SE.” Gritei novamente.

“Andrew… eu não posso fazer isso, eu não deixarei que você morra sozinho.” Sasha falou enquanto se levantava da cama dela e se sentava na beirada da minha cama. 

“Não… você não pode fazer isso… deixe-me morrer sozinho, por favor…” Falei enquanto chorava desesperadamente.

“Vá! Li Wang.” Sasha falou.

 

Ainda muito indecisa do que deveria ser feito, Li Wang começou a correr para a maternidade chorando.

 

“Por quê?! Sasha. Por quê?” Perguntei enquanto chorava e soluçava.

“Por que eu te amo.” Ela respondeu enquanto me abraçava e apoiava sua cabeça sobre meu peito. “Sinto muito, eu sou a culpada de tudo isso, fui eu que estudei algo que não deveria…” Sasha falou enquanto chorava.

“Não, a culpa é minha por ser tão fraco…” Após falar segurei a mão dela que estava sobre meu ombro e dei-lhe um último beijo. 

 

Pouco tempo depois a porta do nosso quarto foi aberta com um chute.

“Ora, ora… se não são meus dois pombinhos fugitivos… quem devo matar primeiro? A dama ou o cavalheiro?” Yamamoto falou em tom de ironia. 

 

Eu estava dominado pela raiva, a única coisa que eu queria fazer era levantar desta cama e soca-lo até que ele parasse de respirar… tentei, eu juro que tentei…, mas isso só fez com que ele ficasse com ainda mais raiva…

“Muito bem! Já que vocês não decidiram nada… homens, matem a mulher.” Yamamoto falou enquanto apontava sua bengala para Sasha.

“NÃO!! POR FAVOR!! ME MATE, MAS POR FAVOR POUPE A MINHA ESPOSA-” O tiro veio antes que eu conseguisse terminar o que tinha para falar… 

 

Sasha… Minha amada, ela havia levado um tiro na garganta. Como ela estava abraçada em mim, o tiro atravessou a garganta dela e atingiu meu peito. Todo sangue dela caiu sobre mim, mas a esse ponto já era impossível dizer de quem era aquele sangue, meu ou de… mas isso já não importava mais. 

Eu não podia acreditar que a Sasha havia realmente morrido… NÃO!!… não pode… só pode ser brincadeira…

“Nossaaaa!! Que belo tiro! Olha todo esse sangue, que loucura” Yamamoto gargalhava como se estivesse vendo um stand up “Vejam que engraçado homens, ele está parecendo um tomate.” Yamamoto continuou rindo e contando piadas por um curto período de tempo enquanto os capangas dele olhavam para Sasha e davam risadas. 

“POR QUÊ?! PORQUE VOCÊ A MATOU?” Gritei desesperado enquanto segurava o pescoço da Sasha, na tentativa de parar o sangramento.

“And… rew… me… descul… pa…” Sasha usou suas últimas forças para me pedir desculpas enquanto chorava. Cada palavra que ela dizia fazia com que o sangramento em seu pescoço ficasse ainda pior. Lentamente Sasha levantou sua mão e trouxe até meu rosto. “Eu… te… amo…” Essas foram as últimas palavras que a Sasha me disse sorrindo antes de morrer.

“Que cara é essa? Não me diga que o doutor tem medo de sangue?! Bem, tanto faz você é o próximo…” Yamamoto falava em tom de provocação, como se desejasse que eu lhe respondesse algo, mas ter o corpo desfalecido da minha amada sobre meus braços me fez desejar a morte mais que qualquer um neste mundo podre. “Ah!! Não pense que pararemos por aqui, iremos atrás do seu filho imundo, mas antes disso faremos uma visita ao seu pai. Devo dar-lhe a boa notícia que ele é avô” Yamamoto gargalhou novamente. Como esse desgraçado consegue rir tanto da desgraça dos outros?! Isso me irrita muito, a única coisa que eu gostaria de pedir agora seria a morte desse filho da puta “Rapazes… Podem matar este estorvo.” Yamamoto falou enquanto se virava de costas.

 

Levei 5 tiros no peito, é aqui que estou entre a vida e a morte… bem, isso não importa, apenas quero que a última coisa que eu veja seja o rosto da minha amada. 

Sasha, você nunca mais precisará sofrer… nunca mais…

Antes de morrer eu consegui ouvir…

“Vão seus inúteis peguem a mulher e o bebê… JÁ.” A voz que parecia com a do Yamamoto, mas a forma de falar… parecia que ele estava muito estressado…

 

Sasha, logo estarei com você. Seja lá onde nós formos, isso não importa, desde que eu esteja ao seu lado… 

Henry, viva. Boa sorte meu filho… Cuide bem dele Li… me desculpem…

 

Autor:

King

Rolar para o topo