Capítulo 20 – Incontrolável

Bruxo Inumano

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

Incontrolável


Tradutor:<impronunciável>

“Eu não estou fazendo isso só porque eu quero. Mas porque devemos. Ele é perigoso para poder andar livremente. Devemos informar a polícia. O menino precisa ser enjaulado para manter todos os outros. Imagine quantas vidas ele vai tirar “, Emilia disse ao marido enquanto discava o número das autoridades.
“Mas aquele menino… ele ficará enjaulado como uma besta. Não sabemos o que farão com ele. Ele pode até ser morto. Isso está realmente bem? Não importa o que aconteça, ele salvou nossas vidas”, enfatizou Weston. ele deu um passo à frente.
Ele pegou sua mão esquerda com ambas as mãos, o que a impediu de ligar.
Weston olhou nos olhos de sua esposa, cheio de emoções. “Por favor, pense novamente.”

*****

Lúcifer alcançou os andares superiores e caminhou em direção à porta mais próxima, de onde ouviu algum som vindo.
Em segundos, ele alcançou a porta, mas não a abriu porque estava perto o suficiente para ouvir o que estava sendo falado lá dentro.
A primeira coisa que ouviu foi Emilia falando.
“Já pensei sobre isso. Aquele menino precisa ser enjaulado! Não tenho dúvidas. E daí se as autoridades o matarem? Se a morte dele vai salvar as pessoas, então vale a pena!” Emilia aludiu ao marido com total seriedade.
Weston não pôde evitar desistir antes de sua esposa. Ele podia ver que algumas de suas palavras faziam sentido.
A única razão pela qual ele estava hesitante era que Lúcifer os havia ajudado. No entanto, se sua esposa estava certa e ele fez isso apenas porque queria matar, salvar Lúcifer seria o mesmo que proteger um assassino em massa que mataria muitas pessoas novamente.
Ele só podia esperar que as autoridades ajudassem Lúcifer e agissem com cautela. Afinal, ele era uma criança. Era melhor informar as autoridades agora do que fazer com que capturassem Lúcifer nos estágios finais de seu crescimento.
Ele achava que seria melhor chamar as autoridades que poderiam ajudar Lúcifer agora e levá-lo às pessoas que poderiam ajudar os Variantes que lidavam com este problema; foi melhor.
Embora tentasse pensar nos benefícios de ter Lúcifer preso, na realidade, ele estava apenas tentando justificar mentalmente a decisão de sua esposa, que também não conseguia pensar com clareza.
” *Suspiro*, acho que algumas de suas palavras fazem sentido. Devemos informar as autoridades”, ele aceitou.
Infelizmente, Lúcifer só ouviu as palavras de sua esposa e não ouviu mais nada depois disso. Ele não se importou em ouvir mais nada. Seu coração começou a pensar enquanto suas mãos tremiam incontrolavelmente.
Uma única frase flutuou em sua cabeça, que saiu da boca da mulher. Da boca da mulher que ele decidiu ajudar. Da mulher que ele comparou um pouco com sua mãe com gentileza.
“Se a morte dele vai salvar pessoas, então vale a pena!”
“Se a morte dele vai salvar pessoas, então vale a pena!”
“Se a morte dele vai salvar pessoas, então vale a pena!”
A mesma frase continuava ressoando em sua cabeça enquanto o rosto cruel de Emilia aparecia diante dele.
Ele não pôde evitar cair de joelhos, que haviam enfraquecido repentinamente.
“Hahaha, é claro! Se a morte dele ajudar a humanidade, vamos matá-lo!”
A voz de um homem também caiu em seus ouvidos.
Lúcifer ergueu os olhos apenas para encontrar o Doutor Rao diante dele.
“Isso mesmo. Quem se importa com ele. Tudo o que importa somos nós. Vamos apenas matá-lo. Ele é apenas um brinquedo, afinal!”
Outra voz caiu nos ouvidos de Lúcifer, que parecia vir de trás. Ele se virou apenas para encontrar o Doutor Layman parado ali.
“Mate ele!”
Outra voz foi ouvida.
Lúcifer olhou para a esquerda e encontrou Weston parado ali.
“Isso mesmo! Prenda esse bastardo e mate-o por nós!”
Outra voz veio da direita, onde Lúcifer encontrou Emilia.
“Mate ele!”
“Mate ele!”
“Mate!”
“Mate!”
Todos começaram a gritar nos ouvidos de Lúcifer, que começou a alucinar.
Esse acontecimento parecia ser a repetição do que havia acontecido com os cientistas, tanto que até as palavras ditas agora eram semelhantes. Sua morte foi pela humanidade. Isso era tudo que ele valia.
Sua cabeça continuava latejando de dor enquanto ele se deitava de joelhos, segurando a cabeça com força.
O sangue estava se movendo pelo corpo de Lúcifer mais rápido do que nunca. Uma onda de raiva incontrolável também estava crescendo dentro de seu coração, que parecia estar misturada com pesar, tristeza e dor.
“Porque, porque, porque…”
Lúcifer continuou resmungando sem expressão enquanto seus olhos ficavam úmidos.
Outra mudança estava acontecendo em seus olhos que ele não tinha notado. Seus olhos eram de um belo tom de azul anteriormente, mas seu olho direito parecia ter mudado um pouco de cor.
Seu olho direito tinha ficado um pouco violeta. Foi quase imperceptível no momento, no entanto. Seu olho direito ainda parecia quase todo azul e apenas um pouco violeta.
“Por que fui estúpido o suficiente para acreditar…” Lúcifer deixou escapar enquanto uma única lágrima escorreu por sua bochecha.
A parte traseira desceu lentamente por sua bochecha, e logo deixou suas bochechas quando se separou de seu corpo.
A lágrima se moveu pelo ar sob o efeito da gravidade.
Tocar!
A lágrima caiu no chão. Simultaneamente, um grito furioso escapou dos lábios de Lúcifer.
“Por que!!!”
O rugido de Lúcifer foi tão alto que encheu a casa inteira.

*****

Emilia havia acabado de discar o número de autoridades e estava prestes a marcar a opção de chamada quando um grito alto caiu em seus ouvidos.
O grito parecia tão assustador que lhe deu calafrios. Um arrepio percorreu sua espinha quando o telefone caiu de sua mão.
Batida!
O telefone caiu no chão, mas o som da queda foi encoberto pelo som da porta sendo quebrada.
Tanto Emilia quanto Weston olharam para a porta, mas seus rostos empalideceram de medo.

Tradutor:

Impronunciável

Impronunciável

Rolar para o topo