Capítulo 57: Luta à Noite Na Competição

— Hey, Morrigan.

Ouço a voz da Demcis e me viro. Ela está com o Grupo de Comunicações, que parecem que acabaram de sair de uma briga.

— Vocês estão bem? — pergunto a eles.

— Só uma pequena briga — o careca responde gesticulando uma pinça com as mãos.

— É melhor vocês descansarem um pouco antes de irem. Seus rostos não estão legais — falo para eles.

— Faremos isso com prazer. — O Rahiq, o careca, senta no chão se apoiando numa árvore. O grupo dele faz o mesmo.

Olho para a Demcis e ela dá de ombros. Volto a focar no mapa que está no chão com o Dilliam e seu grupo parados como uma estátua.

Ouço passos e a Demcis aparece ao meu lado. — Perdemos vários grupos para uma única pessoa.

— Sério?

— Sim, uma garota. Parece ser alguém próximo do Maksi.

— Derrotaram ela?

— Sim. — Ela aponta para o grupo descansando.

— Entendo. Foram quantos?

— No mínimo uns cinco ou seis. No mínimo.

— Em que lugar?

Ela fala as referências geográficas e eu as identifico no mapa. Agora temos uma parte enfraquecida e aberta na formação, provavelmente, deve ter mais que não consigo ver. Uma pessoa causou isso? Bem, convivo com o Temmos, então não devia ser uma surpresa. Ele também deve estar fazendo isso com os adversários.

Olho para cima e percebo que é meio-dia, algumas horas já se passaram desde o início, mas ainda temos várias até anoitecer. Precisamos de comida.

— Dilliam — chamo ele.

— Oi?

— Manda algum do seu pessoal ir caçar.

Ele faz um gesto com a mão e um do seu grupo sai do mapa e adentra na floresta. Olho para o espaço vazio no mapa.

— Careca — chamo o Rahiq.

Ele me olha como se estivesse com sono.

— Senta alí. — Aponto para o lugar que o colega do Maksi estava.

Ele me olha confuso, mas depois levanta com dificuldades e senta no lugar onde apontei. Me viro para o lado e vejo a Demcis me observando estranhamente. Ignoro ela e foco no mapa.

Tenho que relembrar que há um atraso grande de quando recebo a informação e também de quando ordeno algo. Estou tentando organizar algo caótico, além de que, esses alunos não são soldados e preciso prever que alguns não vão obedecer certas ordens. Isso é bem diferente daquele jogo que eu jogava.

Olho de volta para o Grupo de Comunicações ferido. — Dilliam — chamo ele.

— Oi?

— Vamos sair um pouco.

Chamo a Demcis também e corro com eles pela floresta. A menina me guia para os locais que falo, que é onde estão os alunos, ou que devem estar. Quando acho eles, falo para o Dilliam dizer algumas ordens que eu indico. Os alunos ficam surpresos por ele estar aqui, e animados para ver se conseguem ganhar alguma atenção dele, provavelmente, para subir de “ranking” na hierarquia.

Continuo a correr pela floresta com eles. Como o Grupo de Comunicações está inutilizável, vou ter que fazer isso pessoalmente. Também me ajuda a montar melhor o mapa na minha consciência, já que estou vendo a localização por conta própria.

Assim que vejo a situação pessoalmente, consigo ter um mapa mental mais detalhado, então volto para o QG. A não ser daqueles subordinados fortes do Maksi, não tem nada em que eu possa me preocupar. Hoje vai ser tranquilo, provavelmente. Não houve grandes movimentos pela parte do Maksi, ele deve estar esperando para agir de noite ou amanhã. Falando nisso… Olho para o céu. Falta poucas horas para anoitecer.

— Vamos agrupar as unidades — falo para os dois, então começamos a aumentar nossa velocidade e dizer as ordens para os alunos se juntarem.

Ficar separado de noite só vai nos prejudicar, já que há grandes chances do Maksi atacar de surpresa.

Ao chegar em outro QG de noite, onde tem algumas tochas para iluminar, mesmo que a luz delas seja fraca e não ilumine muita coisa. Forçando um pouco a vista, monto um mapa no chão, que seja entendível para o pessoal e faço três grandes círculos. — São os agrupamentos, e nós estamos aqui. No meio deles. — Os agrupamentos formam um triângulo entre eles.

Olho para todos me encarando. Tem mais grupos de alunos que eu não conheço aqui, bem, segundo o Dilliam, são confiáveis. Não que eu precise me importar com isso, já que é bem provável que o Maksi saiba as localizações dos três agrupamentos. Esses grupos que mandei o Dilliam chamar vão ser responsáveis por formar pontes entre o QG e os agrupamentos. Vão ser como o Grupo de Comunicações, só que mais eficiente. Faço uma linha na terra com um graveto conectando os três grandes círculos com o QG

— A partir de agora, vamos ter que improvisar — eu falo. — Vai haver muitas ordens indo e informações vindo. Quando o Maksi atacar, será uma confusão e não vai ter como eu organizar daqui, então cada agrupamento vai ter um líder, que já estão lá. Eles vão ter que se adaptar enquanto nenhuma ordem do Dilliam chega.

Um aluno insatisfeito, que não conheço, me Interrompe. — Por que é você está nos dando ordens?

Solto um suspiro interno.

— Bem, tecnicamente, não sou eu que estou dando ordens. É o Dilliam. Estou apenas informando o plano que ele e nós montamos.

Olho para o Dilliam.

— Ele está certo — continua ele. — Eu montei o plano, o Morrigan só está informando, já que “melhorou” meu plano.

— Uhum — fala nasalmente[1]de forma nasal, ele meio que “falou” com o nariz. o aluno insatisfeito.

Bem, eu que montei o plano inteiro sozinho. Essa é só uma desculpa para ninguém reclamar que uma pessoa desconhecida está dando ordens para eles. Claro, além de tudo, essa pessoa desconhecida é, supostamente, um demônio.

— Voltando para o plano — eu falo. — Os líderes vão agir com certa independência e qualquer ordem deles deve ser seguida. É um plano básico, então é só isso.

Discuti os detalhes com os próprios líderes, coisas que eles podem fazer quando o ataque chegar, que espero que não chegue, assim podemos descansar. Esse é um dos motivos para estarmos nos defendendo, em vez de atacando. Os alunos já caçaram o dia todo e continuar isso até de noite não funcionaria. Eles não são soldados experientes, ou são pagos, então podem desistir quando pensarem que não querem mais fazer isso. Eles só devem estar nos ajudando agora, porque tem o poder do Dilliam agrupando eles. Além de que eles estão esperando ganhar alguma recompensa no final.

Claro, cansados e famintos. Os grupos que mandei pegar comida, só conseguiram o suficiente para um petisco ao dividir com todos. Felizmente, o Maksi deve estar enfrentando a mesma situação. Um dia sem comida dá para aguentar, depois das primeiras horas sem comer o corpo diminui a fome, em certa parte.

Explico mais alguns detalhes e libero eles. Fica só eu, o Dilliam e a Demcis aqui. Os outros estão no acampamento. Enquanto penso nisso, ouço um barulho do mato se mexendo e faço um punho, me preparando para lutar, mas assim que a pessoa sai, abaixo a guarda.

— Eita, porra! — exclama a Demcis ao ver o Temmos saindo do mato. — Você sabe que não precisa matar ninguém para vencer, né?

O rosto e roupa do Temmos está com alguns respingos de sangue espalhados, não muitos, porém o suficiente para pensar que ele é um assassino.

— Só matei umas dez pessoas — fala o Temmos com o rosto sério.

Vejo o sangue da Demcis gelar e o Dilliam levantar as sobrancelhas com seu sorriso típico.

— Brincadeira. — Ele continua com o rosto sério.

A Demcis solta um suspiro e diz para ele nunca mais fazer piadas. Sinto pena de quem encontrou ele.

— Chegou tarde — eu falo.

— Depois que começou a anoitecer, diminui a velocidade para descansar um pouco, já que preciso de energia para depois.

— Entendo.

— Então, o que preciso fazer mesmo? — pergunta ele.

— Por enquanto, nada. Vamos esperar o Maksi atacar. Você pode descansar.

— Entendido. — Ele se senta em uma árvore e coloca seu bastão ao seu lado.

— E lave o rosto — manda a Demcis.

Bem, não há muito o que eu possa fazer agora. Me deito no chão olhando para a copa das árvores e vendo a lua cheia em um céu cheio de estrelas. Mesmo depois de tudo, essa é uma visão linda.

 

 


 

 

— Rahiq, vai se fuder.

— De nada — respondo ao xingamento dessa formiga raivosa.

Estou na frente de uma das fogueiras do acampamento. Não sei por que o Morrigan me deixou como líder daqui, deve ter tantas pessoas melhores que eu aqui em liderar. Sorte que não aconteceu nada e eu não precisei fazer nenhuma ação até agora.

Olho para o lado e vejo algumas barracas improvisadas feitas por alguns dos alunos que sabem fazer uma. Aqueles que não sabem vão dormir no chão mesmo, igual a eu.

— Fome… — resmunga a Gailas ao meu lado.

A comida que pegaram durante o dia já acabou há algum tempo. Não deu nem para encher o apetite. Houve uma pequena confusão ao dividir a comida, mas não deu nada demais, já que ainda não chegaram ao nível de brigar devido à fome.

Encaro o fogo da fogueira. A qualquer momento vamos ser atacados e eu que precisarei lidar com isso. Chega até a dar um pouco de ansiedade. Nunca fiz algo do tipo, sei nem o que dizer ou ordenar. O Morrigan deu algumas instruções, mas são muito amplas. Pelo menos, ele me avisou que não preciso fazer nada complexo, só mandar atacar quando estamos ganhando, ou recuar quando estamos perdendo. Também me disse para realocar alguns alunos para lugares que precisam de ajuda. Se for só isso, consigo lidar tranquilamente. Acho que depois dessa competição, vou para a Aula De Liderança com ele.

— Rahiq?

— Quê? — Olho para ela, esperando seu pedido irreal que ela está fazendo toda hora depois que o Morrigan me colocou como líder.

— Manda eles pegarem comida para mim. — Ela abre os olhos e junta as mãos tentando parecer fofa.

— Vai pegar você. Tem duas pernas aí, só se levantar e ir pegar. Sei que você é pequena e suas pernas são curtas, mas acredito no seu potencial. Força.

— Vai se fuder — Ela vira o rosto com raiva.

Depois que ela fala isso, vejo alguns alunos se levantarem com suas armas e moverem suas cabeças como se estivessem ouvindo algum barulho. Percebendo isso, eu e a Gailas também levantamos.

— Um ataque! — um dos alunos grita.

Saindo das árvores, em todas as direções, os inimigos correm até nós gritando. Eles estavam escondidos?

Meu coração começa a bater mais rápido, então encho meus com ar e grito: — Lutem! — Como se estivessem sendo despertados de um sono, os nossos alunos gritam e avançam contra os inimigos.

Pego no ombro de um aluno, que ia correr para lutar, e falo: — Avisa o QG que a luta já começou.

 

 


 

 

Nota do Seu Lindo, Maravilhoso, Esplêndido, Narcisista e Perfeito Autor:

 

Demorei um pouco para postar, só um poquin mesmo, então, minhas sinceras desculpas. Falando de desculpas, aqui o motivo de eu demorar tanto: 1. Depois de escrever 5 capítulos em um dia pelo celular, decidi tirar um descanso de, aproximadamente, três dias… só que acabei esquecendo de escrever e durou quase 2 semanas… acontece, sabe… 2. No momento em que ia voltar a escrever, fiquei doente por uma semana, então não deu. F.

Mas, não estou aqui para falar isso. Só avisando, que tentarei manter uma postagem de capítulos. Como vocês escolheram lá no Discord, por uma votação que fiz, decidimos que a postagem vai ser assim: — Segunda, Quarta e Sexta, às 23hrs. — Tentarei ao máximo fazer essa rotina durar, começando por hoje. Se eu não conseguir, vou postar pelo menos dois capítulos na semana, caso eu não entre em férias e queira sair um pouco do celular, ou fique doente, que acontece de vez em quando. Aliás, entre no nosso server! Faço algumas votações assim, e quando tenho que avisar algo, aviso por lá. E também vão lá me cobrar, caso eu não poste no dia certo, uma pressão sempre ajuda, e esse é um dos motivos para eu estar falando isso aqui.

Bem, desculpe o incomodo. Até mais, pessoas celestiais donas do meu coração! ❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️

 

Notas

Notas
1 de forma nasal, ele meio que “falou” com o nariz.
Banner PC Vulcan Novel
Facebook
Twitter
WhatsApp
Email
Criado Por Metal_Oppa! <3
Letras
16
Tema
Fundo
Fonte
Texto