Selecione o tipo de erro abaixo

Capítulo 17 — Homem versus Gafanhoto

Vários fragmentos de gelo residiam presos nas árvores. Marcas de lâmina, folhas bagunçadas e até alguns filetes de sangue, suor e hemolinfa estavam espalhados por toda aquela área da Selva de Concreto. O mercenário e o gafanhoto trocavam golpes a cerca de dois minutos, mas nenhum dos lados demonstrava o menor sinal de fragilidade.

A lâmina congelada de Huan Shen já portava diversas rachaduras, enquanto essa era a terceira lâmina que o gafanhoto projetava em seu braço. Mais uma vez, um avançou contra o outro com toda a ferocidade possível. Usando suas asas como impulso, a criatura realizou um ataque aéreo descendente contra o mercenário, que aparou com a borda da sua lâmina e o arremessou para trás, mas não sem antes receber um pequeno talho em seu rosto.

“Essa passou perto!”

Aproveitando o movimento do corpo, Huan Shen avançou em direção a criatura, desferindo uma série de golpes rígidos e pesados, forçando-a a aparar diversos deles. O último, abriu uma rachadura no exoesqueleto da criatura, que tentou imediatamente contra-atacar com um golpe frontal.

“Era a abertura que eu precisava.”

Inclinando seu corpo para a lateral, o mercenário se esquivou do golpe e agarrou o braço do gafanhoto com sua mão esquerda, aproveitando o braço direito para acertar uma cotovelada bem no meio em seu rosto, danificando profundamente sua mandíbula.

Ainda tonteando, a criatura deu as costas e bateu as asas, ativando seu instinto primordial contra a morte. Mas Huan Shen não estava determinado a deixar aquela criatura fugir. Apoiando o pé no solo, ele saltou e agarrou o tornozelo da criatura.

Só que ele não esperava que elas fossem tão fortes.

“Eita, porra!”

De repente, viu seu corpo sendo completamente arrastado para cima. O gafanhoto tentava realizar movimentos errantes e equilibrar seu corpo tendo noventa quilos preso em sua perna, mas era uma tarefa árdua. A criatura balançava de um lado para o outro, tentando acertar as árvores o máximo possível. Huan Shen, bateu a cabeça em um tronco e ficou preso ali mesmo.

“Isso vai ficar roxo mais tarde.”

Finalmente livre, o gafanhoto tentou se reorientar, pronto para retornar para a colônia e avisar sobre os aquele grupo. Eles poderiam de fato serem fortes, mas não poderiam fazer muita coisa contra um ataque de dezenas de gafanhotos simultaneamente. Além disso, a Selva de Concreto era enorme, não precisaria nem de cinco minutos para poder retornar e se vingar.

Então, a criatura escutou algo estranho. Um farfalhar de folhas, uma perturbação na copa das árvores. Ao olhar para trás, o pesadelo se tornou real. Huan Shen avançava contra a criatura, saltando de galho em galho feito a porra de um macaco, determinado a derrubá-lo de qualquer jeito.

O desespero começou a dominar a mente do gafanhoto, quando este resolveu voar acima da copa das árvores. Suas asas se inclinaram e a criatura avançou acima das folhas, vendo o céu e o topo daquele lugar claramente. Finalmente, estava livre e longe do alcance daquele humano maníaco.

Antes que conseguisse comemorar, uma enorme sombra surgiu das folhas, voando rapidamente em sua direção. Quando se deu conta, Huan Shen o alcançou novamente e se agarrou em sua perna. Mas dessa vez, sem árvores e o fator surpresa, o mercenário tomou impulso dali mesmo e saltou nas costas da criatura. Antes que o gafanhoto pudesse reagir direito, a lâmina congelada perfurou o seu peito, afetando todo o seu sistema nervoso.

Suas asas pararam de bater e o monstro despencou em direção ao chão. O mercenário saltou na árvore mais próxima, enquanto a criatura se espatifou no chão com a lâmina presa em seu peito. Suas asas estavam danificadas, deu exoesqueleto estava gravemente comprometido e havia hemolinfa espalhada por todo canto.

— Considere-se com sorte, caso pudesse sentir dor, estaria implorando pela morte agora — disse Huan Shen, descendo da árvore.

O gafanhoto usou todas as suas forças para tentar se colocar de pé, mas estava difícil. Mesmo assim, não iria se render. Usando seu braço direito, virou rapidamente para trás e disparou uma lâmina do pulso em direção ao mercenário, este que apenas inclinou a cabeça e agarrou com suas mãos nuas.

— Interessante essas lâminas, eu meio que demoro para fazer as minhas.

Huan Shen estendeu sua mão direita e formou uma pequena adaga de arremesso. Seu balanço era excelente, mas era muito mais devagar que o do gafanhoto. Então, o mercenário arremessou contra a criatura, acertando no braço dela e arrancando algumas das suas garras.

— Bom, tá na hora de acabar com isso!

Após minutos de procura, Rodrich encontrou Huan Shen. Ele estava sentado em uma pedra, usando algumas folhas para remover toda a sujeira que estava em seu corpo.

— Graças aos deuses, você está bem! — disse Rodrich, ofegante.

Huan Shen deu um sorriso.

— Vejo que você se saiu bem! Suas técnicas de haste foram úteis?

— Sim! — disse Rodrich, recostando em uma árvore. — Acho que agora irei passar a confiar mais nelas. Cadê o gafanhoto que te arrastou?

O mercenário apontou para o seu lado esquerdo, onde a criatura residia completamente desmembrada e decapitada. Sua cabeça estava na ponta de uma lança de madeira cravada no chão.

— Precisava de tudo isso? — perguntou Rodrich.

Huan Shen se levantou e foi na direção do cavaleiro, que ficou meio apreensivo.

— Não é pelo espetáculo, é para deixar uma mensagem.

— Que mensagem?

O mercenário estendeu o punho e rapidamente uma lâmina congelada, similar ao do gafanhoto, surgiu sobre sua mão.

— Que somos ameaças. E que lutar conosco só irá levá-los à morte. Vamos?

Rodrich olhou novamente o corpo da criatura enquanto seguia os passos de Huan Shen. Desde o início, sabia que o homem na sua frente estava muito à frente nas habilidades marciais, mas não apenas isso. Era a sua ferocidade. Ele não era um bárbaro louco, nem um general estrategista, mas claramente alguém que sabia onde fazer seu inimigo sangrar e sofrer. Ser o alvo daquele homem deveria ser algo muito desagradável.

— Você sabe para onde estamos indo? Esse lugar não muda de forma o tempo todo? — perguntou Rodrich, confuso.

— Não é o lugar que muda, são as criaturas que habitam nela. Porém, elas sabem reconhecer quando uma ameaça maior está no lugar e não se atrevem a perturbar o seu caminho. Depois do que fizemos, elas não irão nos perturbar por um bom tempo.

Ali, Rodrich começou a se sentir mais confiante. Ainda que sentisse que a morte daquelas pessoas foi um sinal de fraqueza sua, agora ele tinha confiança de que poderia confiar na sua própria força e proteger quem ele quisesse.

Após alguns minutos de caminhada, eles encontraram as moças e o senhor que tinham deixado para trás quando foram atrás dos gafanhotos. Havia um certo ar de alívio entre todos ali, já que conseguiriam retornar para casa vivos.

— Eu até te abraçaria, mas você está fedendo a inseto — disse Lily.

— Na próxima, eu trago a cabeça dele para você mostrar nas suas aulas de ciências, mocinha! — disse o mercenário, rindo.

— Está todo mundo bem? — perguntou Rodrich.

Enquanto Ferdinand apenas concordou com a cabeça, Lavignia lançou um olhar de descontentamento em direção ao mercenário, como se tivesse desaprovado a ideia de eles terem ido sozinhos e deixando-as para trás.

— Parece que você está empenhado em ser meu cavaleiro de armadura dourada, Sr. Shen — disse Melissa.

— É Huan Shen, tudo junto. Não é nome e sobrenome, é um nome composto. E vocês prometeram pagamento, não posso deixar que morram antes disso.

— Se porta como um cavaleiro, mas tem os modos de um bruto — retrucou Lavignia.

O mercenário deu um sorriso.

— É o meu charme insular. Vamos? A estrada é longa.

Huan Shen e seu grupo seguiu estrada acima, em direção a Santa Marília. Era a primeira vez após muito tempo que o mercenário iria pôr os pés na sua terra natal novamente. Não poderia negar a ansiedade que estava sentindo. O que será que aconteceria? Será que acabaria encontrando sua família novamente?

E ele não poderia esquecer. Havia um enorme sistema de tráfico de pessoas no Santo Império, perpetuando entre várias cidades. Nenhuma dessas pessoas que estavam com ele estavam plenamente seguras enquanto os responsáveis fossem capturados. Ainda havia muito o que fazer.

Nota do autor: Pessoal, obrigado a todos vocês que leram até aqui. Esse capítulo finalmente conclui o arco da Selva de Concreto. Parando para rever, é nítido que preciso melhorar em diversos aspectos, mas fico feliz em saber que consegui fechar um arco inteiro. Isso para mim já é uma vitória. A partir da semana que vem, iniciaremos um novo arco e agradeço de verdade o apoio que a sua leitura tem feito por mim!

Sinceros agradecimentos,

Kuai Liang.

Olá, eu sou o Kuai Liang!

Olá, eu sou o Kuai Liang!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥