Capítulo 01 – O Começo

Divindade: Contra o Sistema Divino

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

O Começo


“E foi assim que eu morri … Preso em um jogo e morto pelo sistema que deveria me ajudar …”

Tudo começou há três anos, quando o primeiro jogo de realidade virtual totalmente envolvente foi anunciado.

Ninguém tinha ouvido falar do nome da Corporação Necrosis até o ano de 2047, quando de repente eles lançaram o primeiro jogo de realidade virtual totalmente imersivo ‘Divinity’.

Um único anúncio fez deles uma sensação da noite pro dia.

Uma pequena empresa americana que precisava lutar para ganhar capital suficiente para pesquisa e desenvolvimento tornou-se repentinamente o ponto alto do mercado. A Corporação Necrosis tornou-se a organização mais brilhante.

Cada pessoa rica do mundo queria investir na Corporação Necrosis e obter algumas ações. Provavelmente porque perceberam o imenso potencial da realidade virtual no futuro da humanidade. A maioria das pessoas sabia que era apenas o começo. Eles podiam sentir que a Necrosis Corporation não terminaria somente com Divinity.

Assim como todos no mundo, Ryder também estava animado com o primeiro jogo de realidade virtual ‘Divinity’. Já havia alguns rumores sobre o preço. Se os boatos fossem verdadeiros, os preços não eram muito caros, mas também não eram muito baratos. Embora ele não fosse rico, ele sentia que poderia pagar por isso.

Em 23 de agosto de 2048, o jogo foi finalmente lançado mundialmente. Os mercados inundaram com clientes esperando comprar Divinity. O mundo inteiro estava falando apenas sobre uma coisa. Não é política … não é esporte … mas um jogo. Um jogo que estava prestes a mudar o mundo.

Como Divinity foi o primeiro jogo de realidade virtual totalmente imersivo, não havia monitores, CDs ou consoles. Tudo o que precisavam fazer era comprar seu equipamento de realidade virtual. Embora parecesse estranho, o equipamento de realidade virtual nada mais era do que um par de óculos escuros pretos.

Foi dito que os óculos de sol tinham alguma tecnologia futurística dentro deles que poderia fazer com que se conectassem ao seu sistema nervoso. Ele foi capaz de enviar e receber sinais para o cérebro, respectivamente.

Inicialmente, Ryder teve dúvidas sobre o quão seguro era, mas os óculos vieram com a certificação da maior organização científica do mundo, IMC.

O certificado IMC mencionou que o jogo e os óculos foram testados por seus especialistas e considerados 100% seguros. Aquele certificado conseguiu convencê-lo de que seria seguro. Afinal, IMC era um grande nome.

Ele ficou em uma longa fila por horas antes de finalmente conseguir comprar um par de óculos Divinity VR.

A empolgação de começar a jogar o jogo e experimentar o mundo virtual estava no auge, já que Milhões de Unidades foram vendidas em apenas um dia.

Aqueles que não conseguiam entrar no jogo ficavam deprimidos. Ainda assim, os desenvolvedores do Divinity prometeram a todos por meio de suas contas de mídia social que aumentariam a produção e venderiam cinquenta milhões de unidades todos os sábados.

Tudo isso não tinha nada a ver com Ryder, pois ele já havia recebido o que desejava.

Ryder Flynn era um homem de 24 anos. Ele havia acabado de se formar no ano passado e trabalhava como profissional.

Ele era um designer de software. Ele não trabalhava para nenhuma grande organização porque queria ser seu próprio patrão. Ele costumava desenvolver jogos para Android na época e ganhava dinheiro com eles.

Embora ele não ganhasse uma quantia excessiva, os ganhos ainda eram bem decentes.

Ele era um órfão. Seu pai e sua mãe morreram em um acidente de carro quando ele tinha apenas 18 anos. Felizmente, eles deixaram algumas economias e ele pôde continuar seus estudos.

Havia outra pessoa que morava na casa com ele. Era uma garota cujo nome era Alice.

O avô materno de Ryder tinha um melhor amigo que infelizmente morreu em um acidente. Ele só tinha uma filha que era cuidada pelo avô de Ryder. A garota se chama Jasmine. O avô de Ryder ajudou a financiar seus estudos e deu-lhe um lugar para ficar. Ele fez tudo que podia como guardião sem adotá-la.

Mais tarde, ela se casou com alguém e se separou. Ela também tinha uma filha chamada Alice.

A mãe de Alice, Jasmine, era como uma tia para Ryder, embora ela fosse mais uma amiga da família.

Era um fato bem conhecido, mas todos tratavam Jasmine como família.

Jasmine morreu com os pais de Ryder quando eles estavam viajando juntos. Ryder foi informado de que um caminhão atingiu o carro de seus pais.

Desde o acidente, Alice está morando com ele. Ela era cinco anos mais nova que ele. Ela era uma estudante universitária na época do lançamento de Divinity. A vida ficou difícil depois da morte de seus pais, mas Ryder não a deixou sofrer por falta de recursos.

****

Ryder chegou em casa depois de pegar os óculos de realidade virtual e se trancou em seu quarto.

“Incrível … É tão incrível que um simples par de óculos de sol pudesse esconder uma tecnologia tão incrível.”

Ele ficou chocado assim que abriu o pacote. Havia um par de óculos Divinity VR, um certificado de segurança IMC e um manual. Os óculos não pareciam nada de especial. Eles pareciam um par de óculos de sol normais.

“E o carregador?”

Esse foi o primeiro pensamento que lhe veio à mente assim que abriu a caixa. Foi uma reação normal, pois ele não viu nenhum carregador dentro.

– Como vou carregar essa coisa quando ficar sem energia? Foi uma questão séria que passou por sua mente.

Ryder abriu o manual dos óculos Divinity VR e começou a lê-lo.

Ao terminar de ler o manual, ele finalmente obteve a resposta para a pergunta que o atormentava. Ele descobriu que os óculos não precisavam ser carregados.

O manual mencionava alguma confusão técnica que ele não entendia nem um pouco. Tudo o que ele entendeu foi que não precisava carregar os óculos.

Ele só descobriu que os óculos podiam ser carregados por meio de algo chamado link neural.

Ele ficou um pouco assustado pensando na tecnologia que estava por trás disso e ficou preocupado se era realmente seguro, mas o certificado IMC que ele tinha em sua outra mão conseguiu acalmá-lo.

Ele finalmente usou os óculos. O Manual dizia que os óculos funcionavam por meio de comandos de voz. Todos os comandos já estavam mencionados no manual, que ele aprendeu.

“Divinity Scan!” Ryder disse com uma voz animada enquanto usava o primeiro comando.

“Por favor, mantenha os olhos abertos para a varredura de retina.” Uma voz feminina apareceu em sua cabeça.

‘Incrível … Os óculos já podem transmitir sons para o meu cérebro.’ Ryder pensou com um olhar surpreso em seu rosto.

Os óculos foram ligados e começaram a escanear sua retina. Assim que a digitalização fosse concluída, ele seria salvo como o proprietário dos óculos. Era um recurso de segurança que permitia apenas a ele acessar os óculos. Era para que ninguém mais pudesse usar sua conta ou seus óculos. Isso tornaria o roubo dos óculos inútil.

“Digitalização concluída! Você gostaria de entrar no mundo da divindade?” A voz feminina novamente apareceu em sua cabeça.

Rolar para o topo