Capítulo 11: Alvo Selecionado

Divindade: Contra o Sistema Divino

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

Capítulo 11: Alvo selecionado

Ele olhou para o outro lado e viu seus companheiros de guilda anteriores sentados nas cadeiras. Eles estavam torcendo por ele. Max Lee também estava lá. Ele queria ir matar Max e Maya, mas percebeu que estava em um sonho e que isso não mudaria nada.

“Ahh. Posso te perguntar uma coisa?” Alice disse de repente para ele enquanto olhava para ele com um olhar curioso em seu rosto.

“Sim, você pode me perguntar qualquer coisa! Fale os desejos do seu coração”, Ryder disse a Alice. Alice abriu os lábios de flor de cerejeira e disse o que ele menos esperava.

“Quanto tempo você planeja dormir? A comida está pronta.”

 

N.T: acorda vagabundo kkkk

 

“Huh?” Ryder estava pasmo. Ele não conseguia entender o que estava acontecendo em seu lindo sonho. Ele estava com fome e inconscientemente manipulando esse sonho?

“Ei! Quanto tempo você vai dormir! O jantar está pronto!” Ela disse novamente.

O sonho se quebrou de repente quando Ryder abriu os olhos apenas para encontrar Alice parada na frente dele.

“A comida está na mesa. Vá comer você mesmo.” Ela disse antes de sair da sala.

“Suspiro, que sonho estranho”, Ryder suspirou enquanto se levantava.

“Bem, já que ela me fez o jantar, é melhor eu ir comê-lo. Estou com muita fome de qualquer maneira. Já faz um longo tempo desde a última vez que comi a comida feita por ela”, disse ele enquanto se lembrava de sua comida na linha do tempo anterior.

Alice partiu para a China para seus estudos superiores depois de concluir a universidade na linha do tempo anterior. Então, na verdade, já se passaram cerca de 2 anos desde que ele comeu a comida feita por ela.

Ele saiu da sala e caminhou em direção à sala de jantar. Depois de comer a comida, ele se sentou na cadeira e começou a pensar no que fazer a seguir.

‘O dia vai acabar logo e eu só teria um dia para matar uma pessoa. Eu vou fazer isso esta noite. Não posso deixar isso para o último momento. Afinal, é sobre a vida dela! ‘ Ele se levantou e saiu de casa sem informar Alice.

As ruas da cidade estavam quase vazias e apenas alguns carros podiam ser vistos entrando e saindo. Ele caminhou por um longo tempo antes de finalmente ver uma pessoa. Era uma velha que parecia estar vindo de um shopping. Ryder olhou para ela por um breve momento antes de balançar a cabeça.

‘Eu não posso matar uma senhora! Porra, não consigo nem matar um animal, muito menos um humano! Eu nem sei o que estou tentando fazer ‘Ele pensou enquanto continuava andando. Depois de algum tempo, ele finalmente bolou um plano.

“Já que não tenho escolha, eu usaria esta oportunidade para o bem do mundo. Eu limparia as ruas dos criminosos”, ele decidiu enquanto caminhava em uma determinada direção.

Havia um lugar na cidade conhecido como Clube Bucky’s. Era um bar que ficava na rua 67 da Zona Norte da cidade. O bar era usado principalmente por gângsteres e criminosos. Dizia-se que a máfia comandava o bar, mas a polícia não ligava. Ele decidiu procurar sua presa naquele local.

Normalmente ele nem pensaria em ir a um lugar como aquele, muito menos ir até lá para matar um criminoso, mas depois de comer 2 comprimidos fortificantes e aumentar sua força em 125%, ele sentiu que poderia cuidar de si mesmo. Ele até aprendeu a técnica de artes marciais inferiores na loja do sistema. A menos que a pessoa imediatamente começasse a atirar, ele sentia que poderia ter sucesso.

“Eu tenho que ter sucesso. Não por mim, mas por Alice”, ele murmurou com um olhar determinado no rosto.

Embora ele estivesse agindo com confiança, ainda havia alguma hesitação em seu coração junto com alguma ansiedade. A rua 67 não era nem muito perto de sua casa nem muito longe. Levou cerca de uma hora caminhando para chegar lá. Assim que ele pisou na rua, ele foi capaz de ver o bar.

Três pessoas corpulentas estavam paradas do lado de fora do bar, conversando. “Tudo bem, como devo lidar com isso?” Ele se perguntou enquanto estava na rua 67. Ele estava prestes a dar um passo à frente e caminhar em direção ao bar quando de repente ouviu o grito de uma mulher. Veio do lado oposto.

Ele rapidamente se virou e correu na direção de onde veio o grito.

“Por favor, não faça isso! Me deixe ir, eu imploro!” Veio a voz de uma mulher novamente.

 

 

 

N.T.: cena clássica aí

 

Rolar para o topo