Death Mage — Vol 1 — Capítulo 7

Capítulo Anterior

Índice


Próximo Capítulo

Capítulo 7: Vingança temporária completa! Agora, se esforçar

Traduzido por: Erufailon

 

O mercador Rudy considerava-se um homem abençoado.

Como o terceiro filho da nobre família mercante de Visconde Maggio, ele não tinha esperanças de herdar a família, mas ele foi criado sem sofrer qualquer discriminação sob as mãos de seus parentes ou de seus dois irmãos mais velhos. Ele recebeu a mesma educação de alto nível que o primeiro e o segundo filho e foi preparado para tornar-se independente desde uma tenra idade, já que ele não iria herdar as posses da família.

E então, quando ele se tornou um adulto, Rudy começou a ganhar experiência como mercador. Ele recebeu um fundo de auxílio único de sua família para se tornar independente e experienciou inúmeras dificuldades para chegar onde ele estava hoje.

Este era o seu terceiro ano como um mercador. Seus negócios estavam sendo tão bem-sucedidos que ele estava seriamente considerando a possibilidade de usar seu dinheiro acumulado para comprar uma carruagem e convidar outros mercadores para formar uma caravana, ou assentar-se em algum lugar para abrir a sua própria loja.

Entretanto, Rudy acabou sendo capturado alguns dias atrás e pensou que sua sorte tinha acabado.

Ele tinha contratado aventureiros de Classe E como escoltas, mas eles acabaram sendo mortos pelo número absoluto do grupo de bandidos com 20 integrantes. Ele se arrependeu de não ter contratado mais escoltas, mas agora já era tarde demais.

Seus bens e dinheiros foram tomados e, quando sua vida seria a próxima, ele havia gritado coisas como “minha família vai pagar um resgate por mim!”. Era a pior forma de implorar por sua sobrevivência.

Mas morrer orgulhosamente não era o trabalho de um mercador. Ele causaria problemas para sua família, mas ele tinha de fazer o que quer que fosse possível para sobreviver e reconstruir seus negócios. Ele podia pagar o resgate que sua família daria por ele ganhando dinheiro através desses negócios.

Seria ideal se um grupo de aventureiros ou cavaleiros galantemente aparecesse para exterminar os bandidos, resgatando-o e devolvendo seu dinheiro e suas posses roubadas. Mas o mundo aparentemente não era um lugar tão benevolente assim.

Enquanto ele pensava nisso, um som chegou às orelhas de Rudy, que estava vivendo um estilo de vida simples em uma masmorra escura e úmida.

“Alguém veio até o subsolo?”

Rudy, tomando ciência dos sons suaves emitidos por alguém descendo as escadas, ergueu seu corpo da manta bruta — e levemente fedida — para espreitar através das barras de madeira, mas estava escuro e ele não conseguia enxergar nada.

Se fosse um dos bandidos descendo, então haveria luz de vela e sinais de magia viva. Ele pensou ter sido apenas a sua imaginação, mas ele conseguia ouvir os passos de alguém constantemente se aproximando.

Esses passos pararam na frente de sua cela. Em meio as trevas, no entanto, ele ainda não conseguia enxergar nada.

— Q-quem é?

Em resposta à sua pergunta aguda e temerosa, uma voz surgiu na direção do solo.

— Ah, me perdoe. Eu não percebi que estava escuro por aqui. [Fogo Demoníaco].

Com um suave crepitar, uma chama azul do tamanho de um punho iluminou a masmorra.

— Um f-fantasma?!

Parado na frente dos olhos de Rudy estava uma pequena criança com cabelo branco bagunçado e de tez tão pálida quanto cera de vela, vestida em trapos.

Rudy assumiu que essa figura aparentemente desprovida de vida era uma criança morta-viva que tinha sido assassinada pelos bandidos e que tinha vindo assombrar este lugar. Ele apertou sua manta com força e começou a tremer.

— Não… eu estou vivo. [1]

Quando Rudy gritou, Vandalieu acabou se perguntando “essa pessoa também consegue enxergar espíritos?”, mas quando Vandalieu percebeu que ele mesmo é quem tinha assustado Rudy, ele abaixou os ombros. Ele pensou que Rudy não deveria estar tão assustado com alguém que tinha vindo até aqui embaixo para ajudá-lo e melancolicamente esqueceu-se de sua própria aparência. Novamente reunindo seus pensamentos, ele continuou.

— Eu já cuidei dos bandidos que te capturaram. E como você pode ver, eu não sou um aventureiro, mas sim um dampiro.

Ao ouvir o tom desinteressado de Vandalieu, Rudy começou a gradativamente se acalmar, mas então ele percebeu que sua situação não tinha melhorado muito e sua face empalideceu.

— Um dampiro… isso significa que você vai me matar?

Dampiros… no país onde Rudy nasceu e foi criado, eles eram tratados como monstros e tidos como alvos que precisavam ser exterminados. Os sacerdotes de Alda, em particular, não hesitavam em denominá-los um tipo especial de mortos-vivos.

Entretanto, a criança dampiro na sua frente negou com a cabeça.

— Não. Se você estiver disposto a não dizer nada sobre mim, eu não tenho intenção alguma de te matar.

— D-de verdade?

— Sim. Você foi capturado por bandidos, mas você conseguiu escapar durante um conflito contra outro grupo de bandidos. Por favor, espalhe essa história. Não diga nada sobre mim para ninguém.

Rudy não estava totalmente convencido. Isso era compreensível, já que do seu ponto de vista ele tinha acabado de conhecer um demônio virtuoso.

Vandalieu sabia que seria melhor silenciar o mercador. Mas ele tinha um motivo para não matar Rudy, caso isso pudesse ser evitado.

“Eu quero manter minhas ações tão boas quanto possível. Pelo futuro”.

Essa era o seu simples motivo.

Matar bandidos para sua própria proteção não era um problema, já que ninguém consideraria isso um crime mesmo que ele matasse todos os bandidos de Lambda. Entretanto, matar uma vítima lamentável como Rudy para sua própria proteção era algo que um demônio faria.

A família de seu tio que o maltratou na Terra, os terroristas que usaram uma bomba e que se explodiram junto do navio, os pesquisadores em Origin que realizaram experimentos em incontáveis humanos, incluindo nele mesmo — todas essas pessoas eram simplesmente lunáticos malignos aos olhos de Vandalieu.

Ele não queria se tornar um lunático maligno como eles.

Já que ele os odiava, ele não queria se transformar num deles. Mas ainda mais importante que isso, Vandalieu desejava desfrutar de uma vida feliz que ele nunca experimentou na Terra ou em Origin. Ele queria realizar esse desejo.

Um estilo de vida confortável e próspero junto de boas relações com amigos e família ao redor de si. Será que um lunático maligno seria capaz de manter esse tipo de estilo de vida?

E embora essa ocasião ainda estivesse quase que a meio século de distância, um dia Amemiya Hiroto e os outros, com suas habilidades trapaceiras, seriam reencarnados aqui. Se ele se voltasse para o mau, era provável que eles o expurgariam em nome da justiça.

Por conta de suas habilidades trapaceiras, Vandalieu tinha a impressão que eles seriam capazes de revelar e expor seus crimes do passado, mesmo se ele não deixasse nenhuma testemunha. Provavelmente havia alguém dentre eles que podia ler a mente de outras pessoas ou enxergar o passado, ou expor seus crimes de alguma outra forma mais direta, e eles seriam extremamente experientes com magia.

Portanto, Vandalieu queria evitar matar vitimas como Rudy.

— Se isso é tudo, então eu entendo. Eu não sou um aventureiro nem nada do tipo.

E felizmente Rudy não era um devoto fanático de Alda, então ele aceitou as condições de Vandalieu e escolheu viver.

A outra decisão sábia tomada por Rudy foi que ele não subestimou Vandalieu por conta de sua idade. Ele estava temeroso e cauteloso dessa criança cuja altura nem mesmo chegava à sua cintura.

Dito isso, era uma reação natural da parte de Rudy.

O tom maduro de Vandalieu que não batia com sua aparência e a aura macabra que ele emitia… essas coisas deixavam claro que ele não era uma criança comum.

Com um tinir, o cadeado foi removido usando a chave que o líder dos bandidos estava segurando. Agora que Rudy estava livre, ele soltou um suspiro de alívio, mas…

— Ah, e se você me dedurar para outras pessoas, eu irei mandar espíritos malignos atrás de você. Então, por favor, não mude de ideia.

Com a face pálida e com os dentes rangendo, Rudy assentiu em resposta à ameaça que Vandalieu fez apenas por precaução.

Rudy escalou a corda de madeira até a superfície e tremeu violentamente ao ver os corpos dos bandidos no chão, os mortos-vivos cobertos em sangue e Pássaro Esqueleto, que agora estava coberto em uma luz pálida num tom azul esbranquiçado depois de subir de rank, soltando gritos agourentos de alegria.

E então ele jurou que definitivamente manteria esse segredo, mesmo se lhe oferecessem uma montanha de moedas de platina.

―♦♦♦―

Rudy deu um gole na bebida que os bandidos estavam tomando anteriormente para mascarar o medo que ele sentia enquanto recuperava seus bens roubados. Além disso, lhe tinha sido dito “Eu não posso usar cavalos vivos”, então ele também ficou com os cavalos dos bandidos. Assim, prendendo o vagão tomado dos bandidos nos cavalos, ele partiu.

Ele estava viajando sozinho e sem escoltas, mas Vandalieu já tinha exterminado todos os bandidos que tinham tomado essa região como seu território, então enquanto ele não fosse azarado o bastante para encontrar um grupo de goblins, ele seria capaz de chegar ao seu destino.

Rudy tinha, inesperadamente, ganhado alguns cavalos, então agora ele compraria uma carruagem e formaria uma caravana de mercadores para expandir seus negócios, mas isso era irrelevante para Vandalieu.

Vandalieu passou o resto do tempo até a madrugada substituindo os ossos quebrados dos mortos-vivos com partes sobressalentes: os ossos humanos e animais que ele tinha coletado até então. Ele também brincou um pouco com Pássaro Esqueleto, que agora tinha aumentado em rank e adquirido a habilidade de voar com suas novas asas espirituais, e enterrou os bandidos. Depois disso ele dormiu profundamente até o meio-dia.

Ele deixou que Homem Esqueleto e os outros cuidassem da partida de Rudy.

Não importa o quão desconhecido Rudy fosse para Vandalieu, ele pensou que deveria fazer pelo menos isso.

E então Vandalieu acordou e comeu o resto de comida deixada pelos bandidos como almoço.

No menu havia carna seca, pão e queijo. Também havia vegetais no lugar da salada e sopa de peixe salgado. Para a sobremesa, ele comeu algumas frutas apanhadas da floresta.

“Mesmo bandidos comem melhor do que eu…”, percebeu Vandalieu enquanto comia, ficando um pouco deprimido.

Depois de ter atacado os bandidos e roubado a comida deles, sua situação alimentícia tinha melhorado significantemente; ele não precisava mais comer a carne dura e fedida de guaxinins e raposas. Entretanto, quando ele tentou usar as ferramentas amaldiçoadas e utensílios mortos-vivos para cozinhar a comida, as coisas não acabaram muito bem.

As ferramentas amaldiçoadas tinham sido feitas através da possessão de espíritos malignos, tornando-se monstros que se moviam por vontade própria, mas elas não tinham nenhuma força ou destreza. Por conta disso, elas não eram muito úteis para cozinhar.

Nesse caso, era possível fazer com que Homem Esqueleto assumisse a tarefa, mas os espíritos habitando seu corpo não eram humanos, mas sim pequenos animais como insetos e ratos, então ele não compreendia o conceito de cozinhar. Quando ele lhe mandou cortar vegetais, Homem Esqueleto fincou sua espada nos vegetais com toda a sua força, cortando diretamente através da tábua de cortar.

O fato de que ele tinha conseguido aprender como usar uma espada e um arco já era um desenvolvimento mais do que satisfatório para ele.

Quanto a Vandalieu…

— Não! Cozinhar com um ano de idade, não! O que você faria se acabasse se cortando?!

— Mas mãe, eu acho que consumir carne seca e pão queimado não é apropriado para o sistema digestivo de um bebê de um ano de idade. Embora a força da minha mandíbula seja inúmeras vezes maior do que a de um bebê normal.

— Não quer dizer não! O que você vai fazer se acabar queimado?!

— Eu vou usar água e [Extinguir Calor] para resfriar a queimadura…

Já que o atributo da morte era o oposto do atributo da vida, ele era péssimo em coisas como cura. Ele tinha uma habilidade que poderia ser usada para curar, mas ela era estranha e funcionava apenas para “curar feridas fatais e doenças graves, mas não feridas ou doenças que não são um perigo para a vida de uma pessoa”.

Se ele queimasse todo o seu corpo, ele seria capaz de curá-lo, mas se ele queimasse apenas o bastante para criar uma cicatriz em sua mão, seria difícil para Vandalieu se curar com suas habilidades.

— Então você não pode!

— Tudo bem ~

Isso provavelmente aconteceu porque Darcia tinha pensado “eu tenho que ser cuidadosa para não deixá-lo se queimar” enquanto ela ainda estava viva. Essa noção possivelmente tinha ficado um pouco descontrolada depois de sua morte.

Mas Vandalieu tinha acabado de fazer um ano de idade e seus braços e pernas eram curtos. Certamente havia o risco dele se machucar tentando usar uma panela, então Darcia não estava errada de avisá-lo.

Como consequência, Vandalieu agora estava esquentando água usando algumas brasas feitas usando lenha e fazendo com que os mortos-vivos colocassem alguns pedaços de pão esmigalhado e pedaços de carne seca dentro dela. Essa tinha se tornado sua refeição diária.

O gosto era… bem, melhor do que almondegas de guaxinim e raposa.

“Está tudo bem. Assim que eu crescer, eu irei ganhar um monte de dinheiro e contratar um chef habilidoso para cozinhar coisas deliciosas para mim todos os dias. Err… mais importante que isso, os lucros de hoje são…”

Primeiramente, as armas dos bandidos. Todos os outros grupos criminosos que ele derrotou anteriormente estavam usando lanças rústicas feitas amarrando uma faca na extremidade de um bastão de madeira; seus porretes, arcos e flechas também eram de baixa qualidade. Mas este grupo não era considerado o maior grupo criminoso na região apenas no nome. Cada um deles estava usando boas armas.

Elas eram feitas de ferro comum, mas elas não eram armas de baixa qualidade forjadas derramando metal líquido num molde, não. Elas foram apropriadamente forjadas por um ferreiro. E embora algumas delas tinham lascado com o passar do tempo ou sido quebradas pelo Homem Esqueleto e os outros durante a luta, alguns dos bandidos tinham sido mortos rapidamente e não tiveram tempo de retaliar, então suas armas ainda estavam impecáveis.

O mesmo valia para a armadura de couro que os bandidos estavam usando. Em comparação com as armaduras de outros grupos criminosos, que tinham sido reparadas inúmeras vezes, essas estavam em ótimas condições.

Eles certamente tinham atacado um mercante de armas anteriormente.

Também havia alguns tesouros nas carroças. Ele tinha devolvido todos os bens de Rudy, mas ainda havia um montante considerável sobrando na carroça puxada por três cavalos.

Havia aproximadamente 50.000 Amid em dinheiro e uma pequena quantidade de acessórios. Além disso, também havia uma pequena pilha de tecido de boa qualidade com uma cor bonita e dois barris de vinho aparentemente bons e um punhado de açúcar, que era um ingrediente valioso já que ele não era produzido no país de Mirg.

E, finalmente, havia as armas sobressalentes e a comida dos bandidos.

Incluindo a carruagem, tudo isso valia mais do que 200.000 Amid. Seria o equivalente a 20.000.000 ienes japoneses [2
] caso fosse convertido e, embora fosse um monte de dinheiro, não era o bastante para ser chamado de fortuna. Entretanto, saquear tudo isso nessa região, em que a única cidade próxima era Evbejia, podia ser considerado um feito digno de nota.

Apesar de que neste caso, ao invés de elogiar as habilidades dos bandidos, talvez seja mais apropriado culpar a inaptidão dos guardas.

“Dito isso, qualquer coisa que não seja comida é inútil pra mim”, ele pensou.

Vandalieu ainda não teria nenhuma oportunidade de gastar o dinheiro e tentar o seu melhor para fazer roupas com o tecido tinha resultado nos trapos que ele estava usando agora. Como ele era incapaz de realmente utilizar o tesouro dos bandidos, a situação não tinha mudado.

Mas Homem Esqueleto podia usar as armas e as armaduras; a armadura de couro também podia ser reutilizada para fazer equipamentos protetores para Macaco Esqueleto e Urso Esqueleto.

Entretanto, com esse tanto de tesouros, o problema era como transportá-los. Ele tinha dado os cavalos para Rudy e apenas a carruagem tinha sobrado. Mesmo que ele quisesse que seus mortos-vivos a puxassem, a carruagem em si teria de ser alterada.

Vandalieu teve uma ideia.

“Mas e agora, quem eu deveria fazer me ajudar?”

Vandalieu murmurou, observando os espíritos ao redor de si e percebendo que não havia apenas os espíritos dos bandidos mortos. Para sua surpresa, o espírito de um homem de meia-idade com a aparência que ele tinha quando ainda estava vivo preservada deu um passo em frente.

— Por favor, permita-me! Meu nome é Sam e durante a minha vida eu assumi o posto de zelador de cavalos e cocheiro para um nobre. Minhas habilidades quanto a cuidar de uma carruagem são inigualáveis!

Vandalieu foi sortudo que o espírito de Sam, que aparentemente tinha manuseado carruagens durante a sua vida, ainda não tinha passado para outro plano. O fato de que seu espírito tinha mantido sua aparência terrena sem precisar de Mana para sustentá-lo significava que ele tinha uma considerável força emocional, também.

De certa forma, o espírito de Sam era o maior achado dentre todos os tesouros aqui.

— Vandalieu-sama, você vingou a mim e às minhas filhas! Minhas meninas, que foram tratadas como joguetes e então mortas! Em nossa gratidão, minhas filhas e eu iremos servir você até o fim de sua vida!

Os espíritos parados atrás de Sam com suas cabeças abaixadas provavelmente eram as filhas dele. Seus corpos queimados e enegrecidos eram parcamente identificáveis como os de uma mulher, então Vandalieu não tinha certeza.

Os bandidos provavelmente tinham ido longe demais ao usá-las como joguetes e elas tinham ficado inviáveis para se comercializar, ou talvez os bandidos não tinham conexões com algum comerciante de escravos. É possível que elas foram mortas por um desses dois motivos.

Pelo fato de que os espíritos dos bandidos estavam tremendo quando Vandalieu olhou para eles, isso era provavelmente uma suposição correta.

— Bem, eu vou contar com você então, Sam.

Firmemente decidido a usar os espíritos dos bandidos até que eles não mais existissem, ele mandou o espírito de Sam para dentro da carruagem.

— Erga-se.

Assim que Vandalieu deu esse comando e infundiu Mana na carruagem, ela começou a ranger.

— Vá em frente.

Com essas palavras, as rodas da carruagem começaram a girar, mesmo sem os cavalos que geralmente eram essenciais para o seu funcionamento. Vendo isso, Vandalieu assentiu, satisfeito.

“Criar uma Carruagem Amaldiçoada com Sam, sucesso. Com isso, eu também ganhei um método de transporte. Bem, eu vou fazer ele atropelar alguns goblins para subir de nível no caminho de volta para a floresta.

Dois dias depois, a patrulha da estrada entrou na base dos bandidos após ter recebido as informações de Rudy, mas tudo o que eles viram foram pilhas de terra onde os bandidos tinham sido enterrados e as bestas e goblins que tinham desenterrado-os gananciosamente.

Marcas deixadas pelas rodas de uma carruagem seguiam pelo lado de fora, mas eles assumiram que elas pertenciam aos bandidos que tinham sido vitoriosos neste conflito e não incomodaram-se em investigar a situação mais profundamente.

O oficial comandante da patrulha inclinou a cabeça curiosamente ao perceber que não havia nenhuma pegada acompanhando as marcas deixadas pela carruagem, mas não era algo digno de ser mencionado em seu relatório.

―♦♦♦―

Baronete Bestero têm estado de bom humor desde o ano passado.

Desde que aquela bruxa foi capturada e executada, apenas coisas boas aconteceram. Sim, o Sumo Sacerdote e seus homens ocuparam a floresta nos dois meses seguintes e três caçadores tinham desaparecido, mas essas coisas eram triviais.

Embora o corpo do dampiro nunca fora encontrado, sua morte tinha sido aceita e Bestero recebeu uma medalha do rei de Mirg. Com isso, o desprezo dos lordes feudais das regiões circundantes pelo fato dele ser apenas “o lorde feudal de uma zona rural sem nenhuma qualidade redentora que não fosse o vinho” tinha sido suprimido.

Mesmo o vinho desse ano e as uvas que tinha sido usadas como ingrediente para fazê-lo produziram bons resultados, e os bandidos que até então lhe davam dor de cabeça ameaçando a ordem pública foram exterminados no começo do verão.

Ele estava um pouco insatisfeito que o problema não tinha sido resolvido pela patrulha da estrada, cavaleiros protetores ou mesmo aventureiros, mas os bandidos eram um problema sério, então ele estava feliz que eles foram exterminados, mesmo que através de disputas entre eles mesmos.

E o melhor de tudo: ele tinha sido promovido.

Embora ainda não tinha sido formalmente decidido, ele recebeu uma mensagem privada indicando que logo o convocariam para a capital imperial do Império Amid.

O título de Barão que seu bisavô, o Baronete Bestero da primeira geração, tinha desejado. Ele seria seu em breve.

Sabendo disso, mesmo que o líquido em sua taça fosse vinagre, ao invés de vinho, ele ainda o beberia alegremente. Isso demonstrava o quão feliz ele estava.

―♦♦♦―

Em uma noite úmida de verão, uma sombra estava à espreita ao redor da parte externa das muralhas de Evbejia.

— Entre, entre, entre.

Vandalieu estava acompanhado de incontáveis espíritos e, um por um, ele os fez possuir a muralha.

Mesmo que alguém visse Vandalieu agora, essa pessoa não teria ideia do que ele estava fazendo. A não ser que ela tivesse aptidão com magia do atributo da morte, ou fosse um necromante, era impossível que ela enxergasse espíritos que não foram transformados em monstros ou mortos-vivos.

Os guardas provavelmente atirariam flechas nele se o vissem, mas o trabalho deles era prevenir que monstros e criminosos entrassem na cidade através das muralhas. Cuidar de criminosos e monstros que aparecessem do outro lado da muralha durante a noite não era o trabalho deles. A atenção desses guardas estava focada nos portões e nas regiões circundantes.

As chances de um deles notar um bebê se movendo um pouco distante das paredes externas sem sequer usar uma fonte de luz era mínima.

Era possível que aventureiros ou cavaleiros experientes com a habilidade [Detecção de Mana] conseguissem notá-lo. Entretanto, mesmo que Vandalieu não soubesse disso, sua Mana era mais difícil de ser sentida por conta de sua aptidão com o atributo da morte.

Portanto, uma pessoa com a habilidade [Detecção de Mana] no nível 1 ou 2 não conseguiria detectar sua magia, mesmo se ele usasse um feitiço na frente de seus olhos.

Mesmo com uma habilidade de nível 3 ou superior seria impossível sem um foco intenso, mas já que não havia nenhum Ninho do Diabo com monstros poderosos ao redor de Evbejia, os membros de sua Guilda dos Aventureiros eram, no máximo, de Rank D, então não havia ninguém com [Detecção de Mana] no nível 3.

Depois de dar meia volta na muralha externa de Evbejia, Vandalieu suspirou pesadamente.

“Com isso, eu terminei… levei dois dias, mas as preparações estão finalmente prontas. Agora eu posso alcançar a minha vingança com uma simples palavra. Mas vamos deixar isso para amanhã de manhã…”

―♦♦♦―

No dia seguinte, o sol da manhã brilhou sobre as pessoas de Evbejia assim como no dia anterior e eles estavam completamente desatentos.

Eles não sabiam que hoje seria o dia que o nome de Evbejia seria conhecido não só em toda Mirg, como também na integridade do Império Amid.

Ela seria conhecida como a “cidade do incidente misterioso”.

— Ruir.

Um som veio das paredes de cinco metros de altura que tinha protegido a cidade de monstros como goblins, animais selvagens perigosos e bandidos.

Enquanto os guardas permaneciam confusos, a muralha externa ruiu com um som estrondoso.

A parede externa parecia ter colapsado mas, uma por uma, enormes criaturas com formato humano começaram a ser formadas, soltando rugidos cheios de malícia que ecoaram pelo céu azul.

E então, com passos ruidosos, elas começaram a andar para longe.

— O q-que?! O que acabou de acontecer?!

— Oficial Comandante! A muralha externa transformou-se num golem!

— Isso eu consigo ver!

Enquanto o comandante e os guardas estavam gritando, o portão que eles estavam vigiando também transformou-se em outro golem e saiu andando.

— Não fiquem aí parados! Impeçam aqueles golens!

— Mas Oficial Comandante, eles estão em alvoroço por aí, apenas indo embora. Seria outra história se eles estivessem indo em direção à cidade, mas do jeito que as coisas estão indo, mesmo se não fizermos nada…

Os subordinados do estupefato comandante não pareciam ansiosos para obedecerem suas ordens. Mas isso era o esperado; quem gostaria de ficar perto de golens feitos com uma parede de cinco metros de altura?

E de que forma os guardas lutariam contra os golens com suas lanças de ferro? Olhando sob o ponto de vista dos guardas, não era surpreendente que eles questionassem a sanidade de seu comandante.

— Seus tolos! Essa é a muralha externa da cidade! Sem ela, como vocês pretendem proteger Evbejia de agora em diante?!

Entretanto, os guardas ficaram surpresos quando o comandante apontou esse enorme problema.

Sem as muralhas, os ursos selvagens, lobos e javalis que viessem durante a noite poderiam entrar na cidade, comer as plantações, o gado e atacar as pessoas. Goblins e bandidos também seriam capazes de entrar na cidade quando quisessem.

Embora o contingente de guardas conseguisse tranquilamente vigiar os poucos portões da cidade, eles não tinham como defender toda a circunferência dela.

Entretanto, mesmo que agora eles estivessem cientes desse problema, não havia nada que pudesse ser feito.

— M-mas…

Os guardas estavam claramente apreensivos, mas não importa o quão grave fosse a situação, eles não tinham como subitamente aumentar a quantidade de pessoas disponíveis para cuidar do problema.

Eles não puderam fazer nada além de observar as costas dos golens de pedra que outrora foram as paredes da muralha de Evbejia enquanto eles iam embora.

―♦♦♦―

As paredes externas subitamente transformaram-se em golens e saíram andando. Todos em Evbejia notaram isso, mas não havia nada que eles pudessem fazer de imediato.

Baronete Bestero congelou, aterrorizado; os guardas e cavaleiros estavam em pânico; o pessoal da Guilda dos Aventureiros estava correndo apressadamente ao redor da cidade, tentando enviar um pedido de emergência e os cidadãos estavam simplesmente estupefatos.

Entretanto, não acabou por aí.

— A terra, a terra virou um Golem!

— Esse é o meu vinhedo! Essa é a terra do meu vinhedo!

— Espera, meu campo de trigo! Espera!

A terra dos campos, junto da safra e das árvores que estavam crescendo nela, transformou-se em golens e seguiu os passos dos golens de pedra que tinham deixado a cidade um pouco mais cedo.

Os fazendeiros, vendo isso, correram desesperadamente atrás deles. Eles foram corajosos o bastante para tentar impedi-los.

Não apenas para recuperar a safra e as árvores protuberantes das costas dos golens, mas também por conta da terra que formava o corpo dessas criaturas, que era a coisa mais importante para eles.

A terra é importante na agricultura. Eles fertilizaram e araram os campos para aumentar sua produção durante muitos anos; ela era essencial para esses fazendeiros.

Se eles a perdessem, toda essa terra teria que ser refeita do zero. Na Terra e em Origin, fertilizantes podiam ser adquiridos de imediato, mas em Lambda esse tipo de coisa leva tempo.

Para os fazendeiros que eram donos de vinhedos a situação era ainda mais séria, já que eles teriam de cultivar suas árvores do zero também.

E não apenas os campos, mas…

— Uwah! A casa do senhor feudal! O segundo andar da casa está colapsando e se transformando em um golem?!

— A Guilda dos Aventureiros também! Meus amigos estão ali dentro!

A casa do senhor feudal e a prédio da Guilda dos Aventureiros também transformaram-se em golens e começaram a andar para fora da cidade.

Os movimentos dos construtos eram lentos, mas seus corpos eram grandes então seus passos também era similarmente longos. O povo da cidade, cavaleiros e aventureiros que queriam parar os golens agora estavam no meio de uma perseguição para recuperar os destroços de seus edifícios.

―♦♦♦―

Vandalieu observou isso tudo, satisfeito.

As muralhas externas, os campos, a Guilda dos Aventureiros e a casa do senhor feudal. Fazendo com que todos os inúmeros espíritos possuíssem essas coisas e esperassem por seu sinal tinha sido difícil. Só as muralhas tinham levado dois dias e os campos e a Guilda dos Aventureiros um dia cada.

Mas quando o plano fosse ser executado, tudo o que ele precisava era de uma palavra. Como dominós que foram cuidadosamente arranjados finalmente caindo; era uma vingança extremamente satisfatória.

— Veja, mãe. As pessoas que riram de você estão todas chorando com expressões patéticas em suas faces agora.

Com suas muralhas e edifícios transformados em golens, Evbejia agora estava em um problema impossível de ser superado. Mesmo que eles derrotassem os golens e recuperassem os destroços que outrora eram seus prédios, eles ainda teriam de fazer os reparos.

Grande parte dos destroços estaria inutilizável; a única coisa que poderia ser, de certa forma, juntada e retornada ao estado normal era a terra dos campos.

Evbejia teria que reconstruir aquelas paredes grandes e espessas. Se eles não fizessem isso a cidade não funcionaria, não no mundo de Lambda em que monstros perigosos vagavam.

É claro que os guardas também teriam de ficar preparados enquanto os reparos aconteciam. Contratar mais guardas, publicar mais pedidos para aventureiros, comprar materiais de pedreiras e organizar os trabalhadores demandaria uma imensa quantidade de tempo e, mais importante ainda, dinheiro.

Tanto que a reconstrução da casa de Baronete Bestero precisaria esperar, não importa o que ele usasse como chantagem.

É claro que ele imploraria por ajuda ao governo de Mirg e então seu cargo como Barão desapareceria.

Além disso, Vandalieu até mesmo estendeu seu plano aos armazéns de vinho.

Ele aplicou a magia [Decomposição] aos barris de vinho no armazém, fazendo-os estragar. E então ele usou o feitiço [Esterilização] para matar cada partícula de fermento que os preservava.

Ninguém tinha notado isso ainda, mas a indústria de Evbejia tinha sido completamente obliterada. Levaria décadas para reconstruí-la.

— Uhum, obrigada pelo que você fez por mim, Vandalieu. Foi difícil, não foi? Realizar esse tipo de vingança gentil.

Darcia olhou amorosamente para seu filho que possuía uma enorme reserva de Mana. Muitas pessoas poderiam perguntar o que essa vingança tinha de gentil. Mas, considerando a magia de Vandalieu e toda a sua Mana, ela poderia ser chamada de gentil, assim como Darcia tinha dito.

Se ele tivesse feito com que os golens criados com a muralha fossem para dentro da cidade, ao invés de para fora, ele poderia ter causado um dano incalculável à cidade e muitos teriam morrido. Isso somado aos golens criados com a casa do senhor feudal e o prédio da Guilda dos Aventureiros teria ocasionado em danos catastróficos.

Já que o Sumo Sacerdote Gordan e os Lâminas de Cinco Cores, liderados por Heinz, tinham deixado a cidade há muito tempo atrás ele poderia ter usado a magia [Veneno Mortal] para contaminar o suprimento de água da cidade, ou simplesmente usado a magia [Doença] para começar uma epidemia.

Se ele quisesse, ele poderia ter matado todas as pessoas em Evbejia.

Darcia considerou-o gentil por não ter feito isso, e Vandalieu tinha até mesmo aguardado o amanhecer chegar para fazer com que as paredes ruíssem.

— Eu simplesmente paguei na mesma moeda.

Vandalieu não concordou nem discordou com as palavras de Darcia. Ele não tinha a intenção de mostrar simpatia para as pessoas da cidade. Em sua mente, não havia sequer um único inocente em Evbejia. Cada um deles eram criminosos que tinham visto a execução de Darcia e riram como se aquilo fosse uma espécie de show.

É por isso que ele fez o mesmo para eles.

— De agora em diante eu passarei os próximos anos, até mesmo décadas, para trazer você de volta, mãe. Eu irei criar um novo corpo compatível para o seu espírito. Eu simplesmente fiz com que essas pessoas tenham que trabalhar durante décadas para voltar ao seu estilo de vida original, isso é tudo.

Não haveria uma única morte diretamente causada por esse evento. Ele até mesmo pensou na ordem em que os golens deveriam se mover, com as paredes primeiro e então os prédios, de modo que eles não colapsassem no meio do caminho.

Ele tinha simplesmente destruído coisas que podiam ser reparadas.

— Sim, você deu uma chance para eles. Vandalieu é uma criança gentil, afinal.

Ele tinha, de certa forma, causado um dano na cidade que demoraria décadas para ser consertado, mas… Darcia, que tinha sido encantada pela habilidade [Fascínio do Atributo da Morte], não tinha intenção alguma de dizer isso.

Enquanto Darcia acariciava sua cabeça com uma mão que ele não conseguia sentir, seus olhos estreitaram um pouco.

— Tudo bem, vamos indo. Pássaro Esqueleto, estou contando com você.

— Geeeeh!

Soltando um piado que mais se parecia com uma pessoa sendo estrangulada, Pássaro Esqueleto, que tinha se tornado um Pássaro Fantasma, envergou suas asas ósseas.

Colocando o fragmento do osso de Darcia perto de seu peito, ele segurou em ambas as pernas de Pássaro Esqueleto.

As asas ósseas, cobertas por brilhantes penas espirituais branco azuladas, começaram a bater e Vandalieu voou através do ar para voltar à Carruagem Amaldiçoada onde Homem Esqueleto e os outros estavam esperando.

―♦♦♦―

Nome: Vandalieu
Raça: Dampiro (Elfo Negro)
Idade: 1 ano de idade
Título: Nenhum
Classe: Pessoa comum
Nível: 100 
Histórico de classes: Nenhum

Atributos:
Vitalidade: 34
Mana: 100.001.203
Força: 
32
Agilidade: 7
Fortitude: 35
Inteligência: 45

Habilidades passivas:
Força Sobre-humana: Nível 1
Regeneração Rápida: Nível 2
Magia do Atributo da Morte: 
Nível 3
Resistência a Efeitos Negativos: 
Nível 3
Resistência Mágica: 
Nível 1
Visão Nortuna
Degradação Mental: 
Nível 10
Fascínio do Atributo da Morte: 
Nível 2
Revogar Encantamento (NOVO!)

Habilidades ativas:
Sanguessuga: Nível 3
Transcender Limites: Nível 2
Criação de Golem: 
Nível 3 (PASSOU DE NÍVEL!)

Maldições:
Experiência adquirida em vidas passadas não será transferida
Não pode aprender nenhuma das Classes já existentes
É incapaz de adquirir Pontos de Experiência independentemente

Nome: Pássaro Esqueleto
Rank: 3
Raça: Besta Esqueleto
Nível: 17

Habilidades passivas:
Visão Noturna
Força sobre-humana: Nível 1
Penas Espirituais: Nível 1 (NOVA!)

Habilidades ativas:
Passos Silenciosos: Nível 1
Voo Veloz: Nível 1 (NOVA!)


 

[1] Na raw japonesa, o tom que Vandalieu usa para conversar com ele é muito mais educado do que habitualmente.

[2] Na cotação atual, aproximadamente R$665.839,03

Capítulo Anterior

Índice


Próximo Capítulo

%d blogueiros gostam disto: