Selecione o tipo de erro abaixo

❖ ❖ ❖


Rei continuou com as investidas. 

À medida que as estocadas tornavam-se ainda mais intensas, o sentimento de êxtase permanecia ao máximo. Os batimentos cardíacos, o suor, o contato físico.

— Você está… você está se sentindo bem… Kazuki? 

— Hrngh… 

Kazuki só conseguiu responder com um grunhido bestial de prazer, enquanto fechava os seus olhos ao sentir a cintura do estudante subindo e descendo. 

Sentir o membro do homem-fera entrando e saindo em um ritmo rápido doeu mais do que o menor esperava… Ele sequer sabia como poderia continuar movendo-se daquela maneira em cima daquilo, porém continuou a mantê-lo em seu interior. 

O estudante estava no controle de toda a situação, e mesmo agora, escolheu uma abordagem intensa e selvagem, podendo sentir o seu interior ficando mais úmido e com mais pré-gozo de Kazuki. 

Quando espiou o homem-fera, Rei descobriu uma reação de pura luxúria em seu rosto, enquanto ambos tentavam recuperar o fôlego, — era como ver dois cães no cio. 

Com um empurrão para baixo, o garoto se colocou completamente dentro de Kazuki novamente, enquanto deixava soltar alguns gemidos. 

— Ahhhh… 

— Nghhh… 

Agarrou-se com força em Kazuki, com todo o corpo a tremer com o empurrão.

“Estou tão malditamente apertado, consigo sentir tudo dentro de mim… droga! Preciso relaxar, para que o pau dele entre com mais facilidade.”

“Desgraçado… ele deve estar adorando essa sensação, estou tão apertado que parece que estou sugando todo o seu pau para o meu interior.”

“Está tão… gostoso.”

— V-você quer me tocar? — subitamente, o estudante perguntou ao olhar diretamente para aqueles olhos azuis.

— Eu quero — declarou o homem-fera, com o olhar fixo sobre o seu rosto. Sua resposta veio imediatamente, como se tivesse esperado por aquela pergunta.

Mesmo envergonhado, ele respondeu sem hesitação, com uma voz firme e grossa. 

— Parece que você está animado… hehehe. Não vou mentir, gostei da sua atitude. Se você quiser realmente me tocar, e tomar controle da situação, você só precisa fazer uma pequena coisinha.

Quando termina de falar, o estudante acelerou as suas descidas no membro do homem-fera, enterrando o seu pequeno buraco em seu grosso pau. 

Em meio aos gemidos, Kazuki perguntou sem conseguir respirar direito e com saliva saindo da boca: — Ahh… o que… o que eu preciso fazer? Arhhh.

Ao receber a pergunta, o estudante inclinou o rosto para frente, e começou a chupar os mamilos rosados do homem-fera. Seus movimentos de língua eram agressivos e fortes, mas com certa suavidade e proteção. 

— Eu quero que você me xingue e me puna, até eu não aguentar mais ver o seu rosto na minha frente! — declarou o garoto, transparecendo um tom de voz pervertido. 

— Nã… 

No momento em que escutou a explicação, Kazuki tentou negar e dizer com todas as forças não. Contudo, ele foi interrompido quando sentiu a sensação do seu pau no interior do garoto, e o movimento de língua em seus mamilos. 

— Vamos, diga. Você só precisa fazer isso uma única vez, cara. Eu nunca escutei você xingando, independente da ocasião. Quero ser o primeiro, então diga a palavra — insistiu Rei, ao deitar sua cabeça no peito de Kazuki. 

“Eu… xingar ele? Eu não… eu não posso…”

“Se não fosse por você, eu não estaria vivo. Eu não posso fazer isso, você é a razão de eu conseguir permanecer firme todos os dias.”

“Como eu… como eu poderia? Isso não é certo, mas por quê? Por que você faz parecer que é certo? E se eu…”

“Espera! O que eu estou pensando…? Eu realmente acabei de pensar na possibilidade de xingar ele? Devo estar perdendo a cabeça.”

“O seu corpo está me deixando doido, e se eu… e se eu realmente conseguir tocar ele? Essas algemas estão me irritando. Se não fosse por elas, talvez eu pudesse…”

Pensou nervoso Kazuki, ainda a olhar para o rosto do garoto, e sua mente começou a ser influenciada por aquele jogo perverso. 

— Qual é, Kazuki. Você não vai querer me tocar, realmente? Eu esperava… mais… de você. 

Escutá-lo fez o homem-fera estremecer e cerrar os dentes. E, não demorou muito para que Kazuki lentamente começaase a ceder, e por fim, concordar com o desafio estúpido de Rei. 

Ainda mantendo parte de seu orgulho e humanidade, Kazuki virou seu rosto para o estudante e tentou pronunciar algumas palavras de forma confusa: — V-você é… um… grande…

— Eu sou um grande… Filho da puta? — interrompeu o estudante para complementar, ao perceber a relutância do homem em dizer mais do que isso.

O homem-fera então concordou com o que o garoto disse, e imediatamente inclinou a cabeça para o outro lado, envergonhado com toda a exposição. 

— Mas você sabe, isso não vai ser o suficiente. Quero que você me xingue em alto e bom tom, só assim poderei tirar suas algemas, ou talvez… você não queira? 

Ao ouvir novamente as palavras absurdas que saíram da boca do estudante, o homem-fera olhou para ele com uma expressão de surpresa e decidiu se submeter àquele tratamento. 

Em sua mente, a única forma de acalmar Rei, que parecia mais como um animal no cio, era aceitar o desafio.

E, por um momento, Kazuki pensou de forma decisiva nesse momento: “Se ele está agindo assim, mesmo não estando no cio, penso como seria caso ele realmente estivesse…”

Por fim, ele manteve sua postura firme, e sem hesitação, pronunciou-se novamente: — Você é um desgraçado. 

Quando pronunciado isso, houve um silêncio no local, mas não durou muito tempo. Até que, em seguida, o garoto satisfeito com a demonstração de Kazuki, acabou criando uma pequena chave com sua habilidade de criação, liberando-os das algemas que o prendiam.

Ouvi-lo xingar aquela maneira e com uma expressão de raiva no rosto, deixou tudo ainda mais atrativo e excitante.

Quando finalmente foi libertado das algemas, o homem-fera colocou as suas mãos sobre o corpo do estudante e tentou se levantar.

Parte de sua camisa rasgada caiu sobre o chão, e nesse momento o homem levantou Rei e começou a beijá-lo violentamente, de modo a levá-lo até próximo da cama. 

Se antes o estudante estava liderando com as investidas, agora a situação era diferente, e Kazuki estava agora no comando de tudo. 

Derrubado violentamente na cama, o estudante sentiu o corpo de Kazuki se movimentar rapidamente, enquanto parte dos quadris dele perdiam totalmente o controle com as estocadas violentas.

Tudo que ele fazia parecia ficar mais selvagem, inclusive seus movimentos de estocada. 

Em um momento, o estudante se surpreendeu,  ao notar que alguém tão selvagem como Kazuki, precisava recuperar parte do fôlego para continuar com as suas investidas.

Durou por algumas horas essas investidas, até que finalmente o homem-fera se cansou depois de satisfazer-se por várias e várias vezes. 

E, por fim, os dois adormeceram se abraçando, depois de longas horas exaustivas que mais pareciam dias. 

Continua… 

Picture of Olá, eu sou XXX!

Olá, eu sou XXX!

Comentem e avaliem o capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥