Extra – Infância (Parte 2)

 

Extra – Infância (Parte 2)

Tradutor: Otakinho

 

Acontece que o homem que veio buscá-los era o líder da família Zhong e sua família tinha acabado de expandir os negócios da família, razão pela qual ele comprou tantos empregados novos. Com ele estava um grande grupo de guardas da casa de sua família, todos viajando de forma que o grupo de servos ficasse completamente cercado e não havia como escapar sem passar direto pelos guardas que vigiavam.

No início, a velocidade com que a caravana humana estava se movendo era incrivelmente lenta enquanto eles manobravam seu caminho pelas ruas estreitas da cidade Honghe, mas assim que eles saíram da cidade, a velocidade aumentou instantaneamente para um ritmo constante, um ritmo adequado aos jovens servos que haviam comprado.

Xu Wu estava na parte de trás com Xu Min nos braços. Dentro da cidade, a velocidade não tinha sido difícil de acompanhar, no entanto, agora que estavam em terreno aberto, Xu Wu tinha que correr constantemente para acompanhar a velocidade e, mesmo enquanto corria, ela se recusou a dar Xu Min para qualquer outra pessoa segurar. Ele era seu irmão mais novo e neste novo mundo, Xu Wu não confiava em ninguém, portanto, ninguém tinha permissão para segurar seu irmão mais novo.

Rangendo os dentes, a jovem continuou correndo. Mesmo com as pernas tão doloridas que as lágrimas escorriam pelo rosto e os braços pesados como se tivessem sido feitos de concreto, ela continuava abraçando Xu Min e correndo para frente.

Todas as noites quando paravam, Xu Wu ficava quieta e cuidava das bolhas nos pés, tentava fazer seu corpo produzir cada vez mais energia, se obrigava a continuar correndo no dia seguinte.

Durante essas semanas em que suas pernas doíam constantemente, seus pés se enchiam de feridas e bolhas e ela não comia o suficiente ao compartilhar as refeições com seu irmão mais novo, Xu Min foi sua felicidade e alegria.

O menino foi crescendo aos poucos. Ele havia começado a fazer alguns sons e costumava rir e segurar os dedos de Xu Wu quando eles estavam descansando. Estranhamente, Xu Min nunca chorou. Ele passou o dia dormindo no abraço caloroso de sua irmã e a noite ele ria para ela, falava com ela em sua própria língua infantil e segurava suas mãos com seus dedos minúsculos. Olhando para aquele menino, Xu Wu sentiu que todo o seu trabalho duro, seus pés feridos e os dias exaustivos valeram a pena.

O líder da família Zhong que liderava a viagem ficou satisfeito em olhar para o grupo de servos que havia comprado, especialmente a jovem que conquistou seu respeito. Ela era apenas uma criança e estava sobrecarregada por um bebê, mas ainda assim continuou correndo teimosamente por todo o caminho. Ele decidiu que uma criança como ela se tornaria uma grande mulher e decidiu que embora estivesse procurando por servos para trabalhar em seus campos de ervas, ele preferia que ela trabalhasse na casa principal, trabalhando como serva para sua esposa. Encontrar empregados domésticos adequados foi difícil, então ter encontrado essa jovem foi algo que o deixou muito satisfeito.

A viagem da cidade Honghe primeiro fez com que a caravana de pessoas viajasse por uma terra árida e escaldante antes de finalmente chegarem a uma floresta. Essa floresta era escura e densa, repleta de bestas, porém nenhum deles ameaçava o grupo, pois a grande quantidade de guardas era suficiente para afugentar bandidos e bestas.

A viagem pela floresta era muitas vezes mais fácil do que a viagem pela terra árida e escaldante para Xu Wu. Embora a viagem tenha se tornado mais difícil para todo o grupo, pois eles tiveram que diminuir a velocidade enquanto caminhavam pela floresta, constantemente à procura de cobras e répteis, galhos no chão, buracos na estrada. A estrada havia se tornado muito mais perigosa e cheia de perigos, tornando a velocidade tão lenta que Xu Wu foi capaz de viajar pela floresta em uma velocidade confortável, seus pés tendo tempo para começar a cicatrizar.

Quando eles atravessaram a floresta, eles finalmente chegaram à periferia e uma cidade se espalhou na frente de todos os servos e guardas que já haviam viajado por um mês inteiro para chegar aqui. A cidade na frente deles era deslumbrante.

De um lado da cidade os campos eram visíveis até onde a vista alcançava, campos com flores de múltiplas cores desabrochando, alguns desses campos eram novos e servos caminhavam sobre eles, preparando-se para plantar as mudas, permitindo a área de flores deslumbrantes para aumentar com pelo menos o dobro.

“Parem!” Um grito soou na frente do grupo e todos pararam, ninguém ousou dizer nada, todos esperando pacientemente por quem gritou para pararem.

“Esses campos que você pode ver pertencem à nossa família!” A voz explodiu, crescendo sobre cada um dos servos e guardas. “Eu comprei todos vocês para trabalhar nesses campos. Todos vocês receberão moradia e uma ajuda de custo mensal para alimentação. Lide com isso por conta própria, você não vai ganhar mais comida só porque você comeu muito rápido.”

“Me sigam!”

Sem esperar por uma resposta, a caravana humana começou a se mover mais uma vez e eles desceram o vale até onde a cidade estava localizada.

A cidade inteira era bem menor do que a cidade Honghe, de onde eles foram vendidos, mas todos pareciam aceitar seu destino, alguns até exultantes porque seu trabalho era tão simples quanto cuidar de ervas nos campos. Xu Wu ficou grata pela perspectiva de receber comida e abrigo para cuidar das plantas, no entanto, assim que chegaram à residência da família Zhong, todos os servos foram transferidos para um local onde havia um pequeno vilarejo feito de barracos. Alguns desses barracos tinham sinais de serem usados por alguém, enquanto outros estavam completamente vazios.

“Pegue um para cada família!” Uma voz explodiu e todos correram para as casas, Xu Wu esperando no fundo. Ela entendeu que esses servos provavelmente lutariam entre si pelas melhores casas, mas ela não se importava com o quão degradada estava a cabana, desde que houvesse um teto para ter acima de sua cabeça e uma cama para colocar seu irmão dentro à noite.

Enquanto ela caminhava pela aldeia de barracos de servos, ela viu que todos eles tinham sido tomados, exceto um que estava longe dos outros, construído próximo a um pequeno rio. O barraco estava destruído, ainda mais do que os outros, mas para Xu Wu era o lar perfeito para ela e seu irmão.

Enquanto ela estava limpando sua nova casa, de repente ela ouviu batidas do lado de fora e quando abriu a porta, apenas para ver um guarda parado em sua porta.

No momento em que o viu, Xu Wu se sentiu preocupada e em estado de alerta. Mas a única coisa que aconteceu foi que o guarda olhou para a jovem à sua frente.

“Lorde Zhong me disse para informá-la de que você não trabalhará nos campos. A partir de amanhã de manhã ao meio-dia você trabalhará na mansão da família principal. Chegue tarde e você será punida.” O guarda transmitiu a mensagem que recebera perfeitamente e, ao olhar para a cabana decadente, seus olhos pousaram em cima do bebê na cama.

“Você tem permissão para trazer seu bebê”, disse ele, sem se importar com a relação real entre os dois, mas não pôde deixar de se perguntar por que o líder da família Zhong escolheu uma garota simples como essa para cuidar da senhora.

Lançando um longo olhar para a jovem e a criança, o guarda não se importou mais com os dois e então voltou pelo caminho de onde tinha vindo antes.

Xu Wu ficou chocada ao saber que ela deveria cuidar da senhora da casa, mas se sentiu orgulhosa por ter sido escolhida para fazer um trabalho tão importante, suas bochechas ficaram vermelhas e ela inchou de orgulho ao retornar ao barraco, fechando a porta e se certificando de que Xu Min estava dormindo antes de lentamente começar a olhar ao redor da cabana para ver o que havia em sua nova casa.

A cabana inteira era um cômodo e dentro do cômodo havia uma área de dormir. A área de dormir estava cheia de palha velha e a outra extremidade da sala tinha uma pequena lareira e utensílios que pareciam ser de uma cozinha.

Tudo parecia incrivelmente velho, e Xu Wu só colocou Xu Min na cama porque ela precisava limpar o resto do lugar.

Abrindo a porta, ela saiu ao anoitecer para encontrar pequenos galhos que usou para iniciar uma pequena fogueira. O grupo de servos ainda não havia recebido sua ração de comida, então eles tiveram que se virar sozinhos durante a noite, algo que não era grande problema para Xu Wu. O barraco ficava perto de um rio e do outro lado do rio ficava a floresta. Quando ela ainda vivia com sua família do outro lado do mar, ela costumava pescar nos lagos e rios, isso era algo em que ela era hábil e depois de apenas uma hora ela conseguiu pegar dois peixes pequenos, os dois deles podendo alimentar tanto Xu Min quanto Xu Wu.

Por esta noite, Xu Wu sabia que os dois tinham que dormir na velha palha dentro da velha cabana, pois ela não tinha tempo de trocá-la ainda, mas ela sentiu felicidade por dentro ao pensar que este lugar era seu novo lar. Este era o lugar onde ela e Xu Min cresceriam juntos.

Na manhã seguinte, Xu Wu amarrou Xu Min em suas costas em um balanço de roupas que ela havia rasgado de suas roupas, as roupas que ela havia recebido de quem a vendia, e ela tinha certeza de que receberia outras roupas quando ela estava prestes a atender a senhora da família e ela estava certa.

Quando o sol nasceu no céu, Xu Wu estava a caminho da casa principal e, ao chegar, encontrou uma senhora idosa cujo rosto estava cheio de rugas e sua expressão facial rígida. Vendo uma expressão tão rígida em seu rosto, Xu Wu instantaneamente parou e fez o melhor que pôde para fazer uma reverência na frente da mulher idosa.

“Esta humilde cumprimenta a patroa”, disse ela, sem ousar levantar a cabeça e só depois que a rígida mulher fez um aceno de aprovação, ela se atreveu a se erguer mais uma vez.

“Você estará aguardando a senhora pela manhã. Você a ajudará a se vestir e, quando ela sair de seus aposentos, você trocará os lençóis.”

“Você vai trabalhar de manhã bem cedo. À tarde, você estará lavando a roupa, incluindo a limpeza de seus lindos vestidos.”

Xu Wu acenou com a cabeça ao entender o que estava sendo dito. Foi-lhe entregue um conjunto de roupas que aceitou imediatamente e, após ter mudado de roupa, dirigiu-se imediatamente para a casa onde lhe disseram que a senhora vivia. Um sorriso no rosto, pois ela faria o seu melhor neste novo país e nova cidade. Enquanto ela ganhasse comida e um lugar para ficar, trabalhar pela comida não era algo estranho para ela e ela estava genuinamente feliz que a Família Zhong tinha comprado ela e seu irmão mais novo, dando a ambos uma nova vida.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email