Selecione o tipo de erro abaixo


『 Tradutor: Otakinho 』

Acampamento Jintha’Alor.

A lua grande e brilhante já estava alta no céu. O lindo e fraco luar tornou a Floresta Fantasia ainda mais silenciosa e misteriosa do que já era.

Os adeptos espalhados pelo perímetro do campo de batalha retornaram. O trabalho de limpeza de Jintha’Alor também estava prestes a ser concluído. Todos os elfos da floresta capturados foram escoltados até o navio voador. Apenas trinta robôs de construção foram deixados na colina, movendo diligentemente o grande número de recursos dos armazéns para o navio.

Já se passaram quatro horas desde o início da batalha. Mesmo que as aldeias vizinhas tivessem vindo reforçar os seus aliados depois de receberem notícias da luta, as suas forças seriam dispersas e divididas. Eles não teriam chance de lutar contra bruxas tão poderosas.

Para ser honesto, Jintha’Alor já era o maior campo de treinamento dentro de quinhentos quilômetros. Agora que até eles foram derrotados, a única maneira de lidar com essas bruxas era correr para Astrannar em busca de ajuda, a seiscentos quilômetros daqui.

Os elfos de Astrannar precisariam de um mínimo de quatorze horas para atravessar uma distância tão enorme, mesmo que Jintha’Alor tivesse conseguido enviar uma mensagem pedindo ajuda logo no primeiro momento em que foram atacados. Além disso, esta era uma velocidade que só seria possível se todos os reforços fossem unidades voadoras.

Se fossem unidades terrestres, seria impossível chegarem a Jintha’Alor sem pelo menos dois dias e três noites de marcha!

Foi esse tipo de controle extremo das informações do inimigo que permitiu às bruxas vasculhar tão casualmente Jintha’Alor e seus arredores em busca de recursos após uma vitória significativa como esta. Quando os reforços chegassem, a única coisa que veriam seria a ruína vazia de um campo de batalha.

A essa altura, as bruxas teriam ido sabe-se lá onde para comemorar sua vitória.

Esta batalha de Jintha’Alor aumentou muito a moral de todos. Foi uma experiência emocionante.

Além de algumas baixas de Golems de metal do lado do Clã Carmesim e do guerreiro Draconato sendo gravemente ferido, as perdas das bruxas foram praticamente insignificantes. Foi uma vitória gloriosa que superou em muito as expectativas de todos!

As bruxas já podiam prever as expressões interessantes nos rostos das Bruxas Pálidas se conseguissem transportar com sucesso esses escravos e recursos de volta para as Ilhas Echo.

Talvez porque obtiveram muitos despojos sem perder nada, ou talvez porque quisesse melhorar o relacionamento deles com Greem e os outros, Uzzah, a líder dessas bruxas, tomou a iniciativa de se aproximar de Alice. Ela desejava doar alguns dos escravos ao Clã Carmesim como compensação pelas perdas que sofreram nesta batalha.

A bruxa Uzzah tinha apenas um pedido. Ela esperava que as Bruxas do Destino pudessem ajudar as Bruxas das Trevas a lançar um ataque a Nascente Mágica dos Pégasus nas montanhas centrais de Garan quando a oportunidade se apresentasse.

Claro, esta operação era uma missão pessoal das Bruxas das Trevas. Foi por isso que Uzzah estava disposta a colaborar plenamente com as Bruxas do Destino durante os seis meses restantes em Faen, desde que estivessem dispostas a ajudá-la, se tornariam aliados firmes e inquebráveis.

É claro que a confiabilidade das palavras de Uzzah exigiria mais tempo e colaboração para ser verificada. Ainda assim, ser capaz de fazer uma bruxa de Terceiro Grau se rebaixar para oferecer tal proposta já era uma prova do poder de Alice e Greem. Eles demonstraram competência suficiente para conquistar o direito de falar por si próprios.

No momento em que Alice e a Bruxa Uzzah estavam discutindo o assunto dentro do navio voadora, uma anormalidade sutil apareceu na lua redonda acima de Jintha’Alor.

Uma bruxa disparou pelo céu em sua vassoura voadora. Ela aliás levantou a cabeça e imediatamente parou o voo em estado de choque.

O luar frio, mas lindo, projetava-se da lua como água suave, cobrindo um manto prateado sobre a floresta onde o fogo da guerra acabara de ser extinto. A floresta, as árvores, os rios, a grama e os arbustos; tudo à vista estava envolto em um aglomerado de fantástico brilho estrelado.

A bruxa abaixou a cabeça e ficou chocada ao encontrar seu próprio corpo coberto com bastante desse brilho estranho também. Esta luz estrelada piscou silenciosamente, quase respirando como se tivesse vida própria.

A Bruxa das Trevas não era uma mortal ignorante e comum. Ela não se deixaria enganar por um cenário tão bonito e divino.

Seus sentidos poderosos e sensíveis informaram-na que esse brilho respiratório fluía.

Circulava com uma energia estranha que era totalmente estranha para ela. Além disso, quanto mais tempo se banhava ao luar, mais espessa e intensa era a aura dentro da luz ficava.

Droga, algo está errado. Este não é um poder de adeptos.

A Bruxa das Trevas de Primeiro Grau finalmente percebendo imediatamente se virou e voou em direção ao navio voador. Ao voltar para a embarcação, usou Som Trovejante para soltar um rugido ensurdecedor.

“Cuidado! Ataque inimigo!”

Infelizmente, esse pequeno feitiço que lançou casualmente foi como uma faísca lançada em um barril de petróleo selado. Instantaneamente desencadeou uma reação do luar.

Sla!

Um estranho som explosivo soou. O brilho estrelado inicialmente calmo, pacífico e misterioso de repente se transformou no horrível Fogo Estelar, acendendo todo o corpo da bruxa de cima a baixo e de dentro para fora.

No segundo seguinte, todas as formas de vida e substâncias que não eram da natureza dentro da floresta, dos céus e da terra começaram a queimar furiosamente sob a carícia do luar. Esta onda ardente de fogo estelar parecia ter uma estranha vida própria. Embora cobrisse toda a área, não fez nada com a floresta, as árvores, a vegetação, as flores ou os riachos. Apenas envolveu e queimou as bruxas, o navio voador e as máquinas mágicas.

Quando Uzzah e Alice saíram correndo do navio voador em estado de choque, tudo o que viram foi um mar prateado de fogo estelar!

Se você desconsiderasse suas identidades, poder sentar-se silenciosamente e observar este lindo mar estrelado seria, sem dúvida, um prazer. Era uma cena notável que dificilmente alguém poderia encontrar em cem anos. No entanto, o humor de Uzzah ficou agitado quando descobriu suas bruxas presas no mar de fogo estelar, gritando e chorando em agonia.

“Algo está errado com o luar. Todos, preparem suas defesas.” Alice era sem dúvida a mais alerta de todas. Ela foi a primeira a descobrir a origem do problema.

Enquanto ela gritava, todas as bruxas que emergiram do navio voador ergueram seus feitiços defensivos e proteções elementais.

As bruxas estavam no convés do navio voador e olhavam ao redor. Elas não viram absolutamente nenhum sinal do inimigo. Eles só viram o céu cheio de estrelas prateadas e seus companheiros se contorcendo dentro das chamas.

No campo de Jintha’Alor, as duas dúzias de máquinas que estavam ocupadas transportando os recursos também começaram a queimar. Elas foram rapidamente reduzidos a pilhas fumegantes de metal.

Uzzah avançou furiosamente. Ela fez um movimento de agarrar com sua mão murcha em forma de garra para uma bruxa que se debatia a duzentos metros de distância dela.

O ar vazio chiou e uma enorme mão preta e fantasmagórica apareceu. A mão alcançou a bruxa.

Infelizmente, antes que a mão pudesse proteger a bruxa, ela se transformou em uma nuvem de cinzas, incapaz de resistir mais ao fogo estelar queimando.

Um vendaval soprou no ar. A mão passou pelo ar, mas só conseguiu pegar as cinzas voadoras em suas mãos.

Uzzah franziu a testa e se virou para encarar a bruxa das trevas de Segundo Grau que a seguia.

“Como está? Ganna voltou?”

A bruxa das trevas de Segundo Grau pegou uma estranha bússola geomântica preta e olhou para ela. Ela então assentiu feliz.

“Ela retornou… retornou. A alma de Ganna já retornou ao reservatório de energia da alma. Sua alma foi gravemente ferida. Levará aproximadamente dois meses para ela reviver completamente.”

Os rostos de todas as bruxas das trevas presentes iluminaram-se ligeiramente ao ouvir isso.

O reservatório de energia da alma era um edifício raro, exclusivo das Bruxas das Trevas.

A primeira coisa que as Bruxas das Trevas tiveram que fazer ao chegar em um novo plano era construir um reservatório especial de energia da alma em um local seguro de sua escolha. Elas então deixariam as marcas de alma de todas as bruxas nesse reservatório.

Dessa forma, mesmo que morressem em batalha – e enquanto o oponente não tivesse meios de restringir ou destruir almas – suas almas retornariam automaticamente ao reservatório de energia da alma. Suas almas poderiam então usar a energia do reservatório para reviver mais uma vez.

Desta vez para a viagem a Faen, as Bruxas das Trevas já haviam deixado o reservatório de energia da alma no lugar mais seguro, a Ilha das Sombras, logo na primeira semana. Dessa forma, não precisariam mais se preocupar em morrer no campo de batalha.

As Bruxas do Destino estariam realmente mortas se morressem. As Bruxas das Trevas, por outro lado, tinham muitas vidas.

Essa foi a principal razão pela qual todas as Bruxas das Trevas eram lutadoras tão imprudentemente ferozes!

As bruxas estavam na proa do navio. Não fazia muito tempo que o fogo começou, mas faíscas de chamas também começaram a aparecer nos feitiços defensivos ao seu redor. Seus escudos de Elementium estalavam e chiavam com o fogo.

De todas as bruxas presentes, Uzzah era a mais forte. Como tal, todas as outras a encararam.

“Isso não é magia; isso é poder divino. Droga, como atraímos a atenção de um espiritualista? Movam-se. Não podemos mais pensar nos recursos abaixo. Saiam agora. Caso contrário, quando o espiritualista chegar, nós…”

Antes que as ordens de Uzzah pudessem ser executadas, um feixe ofuscante de luz prateada saiu da lua sagrada e brilhante no céu. Um enorme portal se abriu nos céus de Jintha’Alor.

No momento seguinte, cerca de cem silhuetas de vários tamanhos emergiram do portal e apareceram diante das bruxas.

O portal desapareceu.

O luar desapareceu.

O lugar voltou a ser como era antes.

No entanto, uma centena de potências furiosas apareceram nos céus acima de Jintha’Alor.

A líder era uma linda elfa. Ela usava uma armadura bonita, com cimitarras na cintura e um arco longo nas costas. Seus traços faciais eram delicados e elegantes como uma pintura, enquanto suas orelhas eram afiadas e fofas. No entanto, uma marca brilhante de lua cheia podia ser vista em sua testa.

Ela ficou no ar enquanto o luar em cascata atrás dela se reunia em uma capa misteriosa que constantemente emitia um lindo brilho celestial.

Ela abriu seus lindos olhos estrelados e os varreu pelas ruínas de Jintha’Alor. Foi só então que olhou para as bruxas que estavam no navio voador e exclamou furiosamente: “Hereges nojentos. Hoje, este será o seu local de descanso final!”

“Em nome da lua, serão punidos!”

[Combo: 22/200]

Olá, eu sou o Otakinho2!

Olá, eu sou o Otakinho2!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥