Capítulo 1

Épico do Dragão Vampiro: Renascido como um Dragão Vampiro com um Sistema

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

Capítulo 1

Renascer… Como um Dragão Vampiro?

—–

À deriva em um oceano de escuridão abissal, uma entidade de origens desconhecidas estava se fragmentando.

Todo o seu corpo, por meio das forças naturais do cosmos, começou a se despedaçar, fragmentando-se em pedaços.

Cada peça se expandiu pela escuridão cósmica, viajando para muito longe.

E uma dessas peças fragmentadas caiu nos confins do cosmos.

Conforme ele caiu, mais de sua escuridão residual começou a se dissipar, o caos dentro de sua existência começou a desaparecer.

No entanto, quando um clarão repentino, uma força interrompeu sua queda.

Ele o convocou e rapidamente o depositou em um ciclo de transmigração.

A força, ou bem, a entidade que fez isso brilhou quando o fragmento de escuridão se retorceu e balançou, enquanto era purificado pelo brilho etéreo das essências primordiais.

E então, quando muitas das almas dentro deste ciclo de transmigração, ele foi enviado por um rio sem fim que se conectou a muitos mundos, para renascer.

—–

Quando Chaos ganhou alguma consciência de si mesmo, ele desenvolveu habilidades.

Nascido em um mundo parecido com a Terra moderna, mas que havia passado recentemente por um apocalipse que encheu o mundo de Miasma, Mana corrompida, ele era uma daquelas pessoas que havia nascido com uma Habilidade.

No entanto, sua habilidade não era como muitas outras.

No momento em que desenvolveu suas habilidades, uma grande massa de um líquido preto e viscoso saiu de suas mãos. Ele possuía propriedades mutagênicas estranhas e também era capaz de negar outros tipos de elementos até certo ponto… era um poder perigoso.

Este líquido foi posteriormente catalogado como Miasma, a mesma substância que uma vez impactou este mundo e trouxe o Apocalipse, tirando a vida de milhões e mudando o mundo para sempre.

No entanto, o que o esperava Chaos não era uma vida como um herói do mundo, salvando inúmeras pessoas e derrotando as feras mutantes que surgiram ao redor do mundo.

Infelizmente, seu destino era outro.

Como alguém cuja mãe morreu quando ela deu à luz a ele, e cujo pai já se foi, ele era, como muitas outras crianças no apocalipse, um órfão.

Jogado em um orfanato na favela, ele mal ganhava um pedaço de pão mofado e um pouco de sopa de ossos todos os dias.

Sua vida era miserável e, mesmo aos 4 anos, ele mal sabia falar ou entender as pessoas porque ninguém assumia a responsabilidade de ensiná-lo nada.

Afinal, quem se importaria com uma criança pobre, em um mundo tão cheio de loucura e monstros?

Porém, quando ele desenvolveu mais suas habilidades, um dia, homens vestindo ternos pretos apareceram no orfanato.

Pequeno e indefeso, e sem ter desenvolvido nenhum meio adequado para se defender, ele foi agarrado por essas pessoas e, em seguida, jogado em uma instalação especial cheia de cientistas.

Parece que o dono do orfanato vendeu Chaos, como muitas outras crianças, em uma instalação que fazia experiências com jovens que tinham habilidades despertas.

Os cientistas fizeram experimentos com o Chaos, e ficaram fascinados com seu poder, eles nunca encontraram ninguém em todo o mundo que tivesse nascido ou despertado uma habilidade tão única quanto a dele.

O Atributo do Caos.

“Incrível…! Neste mundo, as pessoas despertaram ou nasceram com muitos Atributos… Mas Caos é um Atributo como nada mais!”

“É o poder contido no Miasma que chegou à Terra há 120 anos!”

Caos… uma força instável da natureza, nada dentro do caos estava em ordem, distorcia tudo.

Não foi capaz de desintegrar a matéria, mas foi capaz de assimilá-la em completa desordem, por isso tinha o poder de anular até certo ponto outros tipos de atributos.

Entre suas muitas propriedades, Chaos tinha o poder de desencadear mutações nos seres vivos, trazendo-lhes poder ao enchê-los de miasma.

Era um poder perturbador, algo que os humanos nunca deveriam ter encontrado.

O menino, que foi chamado de Chaos pelos cientistas, foi catalogado como uma criança milagrosa, alguém que traria um futuro brilhante para o mundo.

Oh, quão falsa foi essa afirmação…

Chaos só sofreu durante toda a sua vida.

Experimentado como uma cobaia, muitas vezes ele desejou, dentro de sua mente jovem e inocente, morrer.

Eles constantemente extraíam seu sangue, que também tinha propriedades especiais.

E eles estavam constantemente alimentando-o em excesso com Poções de Mana, enquanto extraíam imensas quantidades de Miasma de suas mãos, a qual era produzida diariamente

O cientista experimentou o corpo especial do Chaos, um corpo que de alguma forma se adaptou para conter atributos do caos dentro dele, e o colocou em árduas e horrendas provações e torturas, jogando-lhe muitos atributos para ver como ele poderia resistir a eles.

No entanto, como um menino jovem e subdesenvolvido, Chaos ficou mais fraco, consumido por seu próprio poder, ele morreu aos 19 anos…

Mas é claro, não sem que os cientistas tivessem retirado dele grandes quantidades de miasma, que usaram para criar armas especiais de destruição em massa, que mais tarde foram usadas em guerras.

Essas armas de miasma, no entanto, tinham muito poder e, como afirmado anteriormente, era um poder com o qual a humanidade nunca deveria ter brincado. Inúmeras vidas foram perdidas e, depois de todas essas guerras, a humanidade foi extinta.

Chaos teve uma primeira vida lamentável e nunca teve a chance de se vingar, nem de viver uma vida melhor. No entanto, sem fazer nada, todos aqueles que o fizeram sofrer morreram horrivelmente de qualquer maneira.

Depois que ele morreu, Chaos viu vislumbres de memórias que percorriam sua consciência, lugares e coisas que ele nunca tinha feito, e muitas memórias de pessoas falando com ele, seres grandes, enormes, lagartos escamados, pessoas de pele clara com olhos vermelhos e outras coisas.

 

 

Ele não foi capaz de assimilar completamente todas essas informações e sentiu-se tonto.

No entanto, ele sabia que após a morte, não deveria haver mais nada.

Ainda… O que estava acontecendo agora?

Depois de morrer, ele se encontrou em outro lugar.

Foi tão rápido que parecia que ele simplesmente tinha fechado os olhos em um corpo apenas para abri-los em outro.

Isso poderia ser… ele reencarnou?

A primeira coisa que Chaos sentiu quando recuperou a consciência foi uma frieza como nunca havia sentido antes. Ele se sentia como se estivesse flutuando no meio de um fluido incrivelmente frio, onde não conseguia se mover um centímetro.

Por muitas semanas, meses e até anos, ele permaneceu neste lugar, imóvel.

E durante esse tempo, ele lentamente começou a avaliar essas lembranças estranhas, porém, eram muito difíceis de compreender, o deixavam tonto e muitas vezes ele adormecia.

No entanto, ele tinha certeza de que seu corpo, o que quer que fosse agora, estava crescendo continuamente durante esse longo período de tempo.

Em algum ponto, depois de aproximadamente 42 anos aqui, ele sentiu como se tivesse crescido membros grandes, quatro deles, ao lado de uma espécie de cauda longa. Havia também outro par de membros estranhos crescendo acima de seus ombros.

Seu rosto também cresceu, e ele também sentiu como se tivesse cabelo e algumas protuberâncias estranhas crescendo sobre sua cabeça.

Quando seus olhos se desenvolveram totalmente, ele os abriu e finalmente foi capaz de ver onde estava, finalmente.

O que saudou seus olhos foi o que parecia ser um laboratório escuro e cheio de poeira, onde todos os utensílios eram estranhos e enferrujados, havia muitas joias estranhas de cores exalando auras coloridas, grandes caldeirões com líquidos verdes ferventes e… ossos, muitos ossos espalhados por todo o lugar.

Havia um osso em particular, não, mais parecido com um esqueleto completo, que estava olhando para ele com seus olhos vazios.

Abriu a mandíbula, pois de alguma forma falava sem lábios, nem língua, nem carne.

“Haha! Hahaha! Consegui! Finalmente! Demorou tanto, mas acabou! Bem-vindo, meu filho, ao mundo de Ginnungagap! Você é como nenhum outro! Você é minha criação perfeita! Uma criança que não compartilha nada de mim, mas foi criado pela minha graça! Oh, bem, você tem alguns dos meus ossos!”

O esqueleto começou a falar com uma voz jovem, conforme ele começou a se mover, Chaos ficou perplexo ao ver um esqueleto se movendo sem ter nenhuma gavinha ou músculos o segurando no lugar. Foi uma visão surreal de se ver.

O esqueleto em particular estava vestindo uma túnica preta, e ele também tinha uma coroa feita de metal preto, sua mão esquerda empunhava um longo bastão de madeira com a ponta decorada pelo crânio de algo que não era humano.

Chaos não conseguia falar, então ele olhou para o esqueleto enquanto falava.

“Você é a criação perfeita! Um ser feito entre duas das raças mais poderosas e antigas deste universo! Vampiros e Dragões! Minha própria criação! Hah! Aposto que a Ordem Antiga vai se mijar sempre que eu liberar você na galáxia! Você e eu iremos conquistar esta galáxia, não, o universo! E torná-lo nosso!”

‘O que?’

‘Do que esse esqueleto estava falando? Vampiros? Dragões? Conquiste o Universo? Ordem Antiga?’

Chaos estava confuso, ele não conseguia entender nada do que estava falando.

No entanto, um súbito vislumbre de informação passou por sua mente, pois as memórias que ele estava tendo dificuldade em assimilar o ajudaram a entender o que eram essas coisas.

Os Vampiros eram uma raça de mortos-vivos sobrenaturais, os mais fortes de todos eles, eles possuíam longevidade infinita e habilidades de regeneração insana, talento incrível com magia, força sobre-humana, olhos mágicos poderosos e muitos outros poderes.

Os Dragões eram uma raça de seres antigos que foram catalogados como monstros por alguns, mas vistos como deuses vivos por outros. Muito parecido com os vampiros, eles não tinham limite um limite de vida e cresciam lentamente, quanto mais velho um dragão, mais forte eram. Seus corpos eram enormes, cobertos por escamas impenetráveis ​​que eram imunes à maioria da magia, eles possuiam garras fortes, mandíbulas e um sopro mortal, entre seus muitos poderes.

E este esqueleto disse que ele foi a criação entre essas duas linhagens antigas e poderosas.

Uma quimera entre os dois.

Um Dragão Vampiro.

Chaos olhou para o esqueleto, que falou mais um pouco.

“Em breve, em cerca de 10 anos, você será capaz de amadurecer totalmente… Você não sabe quanto tempo levei para criá-lo! Como um Ancião Lich que existe há 12.340 anos, foi realmente um trabalho árduo! Acho que se pode dizer que você é a maior criação em todos os meus anos de existência! Você vai mudar o mundo e…”

Quando Chaos ouviu o esqueleto falar, ele de repente começou a adormecer novamente e fechou os olhos por sabe-se lá quanto tempo…

Durante este período de sono, Chaos sonhou em estar de volta à Terra.

Ele era uma criança como se lembrava.

Mas em vez de ficar sozinho, estava com sua família.

Uma mãe que ele nunca conheceu e um pai que nunca conheceu.

Eles seguraram suas mãozinhas enquanto o guiavam por uma estrada no meio de um parque.

Era um dia lindo, o sol brilhava forte no alto do céu azul claro e muitas outras famílias desfrutaram da beleza e da tranquilidade do dia.

Ele comeu os deliciosos sanduíches que sua mãe preparou e bebeu o refrescante suco de laranja doce.

Depois, ele foi brincar no parque com as outras crianças, eram todas do orfanato, mas eram felizes ao invés de odiosas ou sozinhas.

Ele sorriu levemente, enquanto brincava com eles.

Foi um sonho bom…

Mas foi só isso, um sonho.

A única vez que Chaos experimentou a felicidade foi através de seus próprios sonhos… Parecia que sua própria mente estava tentando ajudar sua instabilidade mental.

Mas no meio de um sonho tão lindo, o mundo começou a se fragmentar.

Homens enormes vestindo jalecos brancos emergiram, cobertos por uma gosma preta e bolorenta.

Eles gemeram monstruosamente, afastando-o de seus pais, enquanto ele começou a gritar e chorar.

Eles começaram a rasgar seu corpo e usá-lo para experimentos, enquanto ele estava enjaulado em uma masmorra escura.

“…Por quê? Por que eu… ?! POR QUÊ ?!”

De repente, Chaos acordou.

Ele começou a tossir e vomitar um líquido verde e viscoso, de repente sentiu como se pudesse mover seu corpo, e se viu dentro do que parecia ser uma cápsula gigante onde ficou confinado o tempo todo. O líquido viscoso onde ele estava flutuando se foi, e ele estava tossindo até os últimos pedaços presos em seus pulmões.

Ao ver que seu corpo parecia o de um humano, mas coberto de escamas pretas e vermelhas aqui e ali, com uma cauda longa e o que parecia ser asas atrás das costas, um som súbito de sinos ressoou na mente de Chaos.

Ding!

#display#

[Sua alma foi registrada no [Registros de Origem Universal]

#display-fim#

“Re… gistros… de Ori… gem Universal…?”

#display#

[Assimilando o poder do usuário e adaptando-o aos Registros…]

[Erro]

[A existência do usuário não corresponde a nenhuma entidade existente]

[Criando novo arquivo…]

[Sucesso…]

#display-fim#

Ding!

#display#

<Registros de Origem Universal>

[Nome: [Chaos (autoproclamado)]

[Raça: [Quimera Dragão Vampiro Menor]

[Reino de Existência: [Pseudo Semi-Divindade: 1/9 (Estágio Inicial)]

[Classificação do Núcleo de Sangue: [Nível IV: Vampiro Dracônico (Estágio Inicial)]

[Classificação do Coração de Dragão: [Nível IV: Dragão de Sangue Adulto (Estágio Inicial)]

[Linhagem: [Linhagem mista de dragão-vampiro (vermelho carmesim)]

[Facção: [Caótico Mal: ​​Inimigo do mundo (Facção forçada devido à maldição)]

[Vitalidade: [55.000 / 55.000]

[Mana: [100.000.000 / 100.000.000]

[Força: [14.500]

[Agilidade: [12.600]

[Vigor: [22.300]

[Magia: [32.500]

[Habilidades]

[Habilidade Única: Nascido no Caos]

[Habilidade Única: Existência Única: Dragão Vampiro]

[Habilidade Única: Consumo Total]

[Corpo Imortal: Nível 1]

[Força Sobrenatural: Nível 1]

[Vampirismo: Nível 1]

[Controle de Sangue: Nível 1]

[Respiração do Dragão: Nível 1]

[Escamas de Dragão: Nível 1]

[Transformação Dragão Vampiro: Nível 1]

[Maldições]

[Maldição Divina: Maldição de Deus]

#display-fim#

Os olhos de Chaos se arregalaram quando ele viu o que parecia ser uma janela holográfica na frente de seus olhos vermelho-carmesim.

O que era esta estranha janela holográfica e o que significava?

Antes que Chaos recebesse qualquer resposta, alguém na frente dele falou.

“Feliz aniversário!”

Aviso do Tradutor:

Tayzer

Rolar para o topo