Capítulo 01

Fake Hiro

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

Jovens, sejam ambiciosos!

Essa é a história sobre o sonho de Morgan e o árduo caminho tomado para alcançá-lo!

De que tipo de sonho estamos falando? Para responder a essa pergunta, primeiro temos que contextualizar a vida de Morgan até agora.

Este é um mundo em que a espécie humas – que descende da humana, com a diferença de que pode usar magia – coexiste com a espécie monstas – que consiste de pessoas hibridas, que descendem de criaturas lendárias e humas. 

Morgan nasceu em uma família com um pai humas e três mães monstas, crescendo com suas sete irmãs monstas.

No caso de mestiços entre monstas, a criança herdará a espécie de um dos pais. Já no caso de mestiços entre humas e monstas, as crianças sempre herdam a espécie do pai ou mãe monstas. Ou melhor, quase sempre. Na verdade, existem casos extremamente raros em que tais filhos podem nascer humas.

Então, qual seria o sonho de Morgan? Vivendo em um mundo cheio de pessoas monstas, com influência do harem de seu pai e após ter alcançado uma idade jovem e saudável?

— Como minha única criança humas, é você que tem que continuar com o meu sonho, Morgan! Consiga um harem de monmusus! Conquiste um título de hiro! E consiga um harem ainda maior!!!

— Caramba, pai! Quantas vezes já não te falei para parar de vir no nosso quarto para ler as revistas voltadas ao público adulto, da Chrome!? E eu já falei que estou estudando biologia monstas e vou trabalhar com isso!

E assim, Morgan começa sua aventura para trabalhar no campo das ciências biológicas de monstas!

Em uma grande casa, aos arredores da vila Shalltear.

— Moga ido ibola?

Happy puxa a calça de Morgan enquanto pergunta.

A irmã mais nova, a harpia Happy (3). Com braços em formatos de asas, e pernas com escamas abaixo da coxa, terminando em quatro garras aos pés. Por ser uma criança ainda, sua plumagem azul claro ainda era curta e macia, imprópria ao voo. Com cabelos da mesma coloração que suas plumas e olhos castanhos também claros, ela normalmente fica em casa aos cuidados de alguém da família. 

— S-sim, m-mas…

— Uuu… *olhos lacrimejando*

Morgan se agacha para falar com a irmã.

— Ah! Não fica triste princesinha!!! Eu vou mandar várias cartas, e… e lembrancinhas—  brinquedos! Vou mandar vários brinquedos! Mas só se você se comportar direitinho e obedecer todo mundo…

— Não biquedos, quelo Mogaaaaa!

— E-eu volto logo!

— *chuiff* Logo…?

— É-é! Logo mais eu estou de volta! Relativamente… É só você contar até cem!

— Chei…?

— É, cem. Lembra quantos aninhos você tem?

A Happy olha para as mãos e levanta dois dedos.

— Doi! 

— Quase! Lembra que você fez aniversário? Com bolinho e tudo? Então agora são…?

A Happy olha para as mãos de novo. Dessa vez ela levanta três dedos.

— Doi!

— Lembra que depois do dois vem o trê— ?

— Dei! 

— É! Três, muito bem! Agora é só você continuar aprendendo a contar com a mamãe vermelha, e quando você conseguir contar até cem eu já devo estar de volta! Provavelmente bem antes disso, mas prefiro não fazer promessas sem ter certeza… Então, me promete que vai se comportar?

— Hm, pomede…

*Abraço*

— Ai ai, meu coração não tanka essa fofura…

— Oras oras~? O que é isso logo de manhã~? Quero me juntar também~~~

A Chrome se junta ao abraço.

A terceira irmã mais velha, a súcubo Chrome (19), com pequenas asas púrpuras em suas costas, feitas de uma membrana fibrosa com vasos sanguíneos perceptíveis quando colocadas contra a luz. Uma cauda lisa escarlate se estende por trás de sua cintura, terminando em uma ponta com o formato de um coração. Com cabelos roxos e olhos chocantemente rosados, ela trabalha (de vez em quando) como caixa na loja da Tsubaki, além de receber diversos presentes de seus vários admiradores.

— Hehe~ Você ouviu, diabinha *Chrome olha para a Happy*~~~ A cerejinha disse que você tem que obedecer todo mundo~~~ Especialmente a mim~~~

Morgan pega a Happy no colo e empurra a Chrome enquanto se levanta.

— Não me lembro de ter falado nada dessa última parte… Além disso, para de me chamar de “uma cereja”, e de se referir a mim no diminutivo, é irritante, principalmente vindo de você. Mas mais importante…

Morgan volta a falar com a Happy.

— Isso não conta para a Chrome, ok princesinha? O melhor seria se você conseguisse ignorar ela sempre que puder, nem precisa olhar para a cara dela…

— Não fale assim~~~ Por que falar isso da sua nee-chan, cerejinha~? Foi por causa daquela vez que eu te disse para falar aquelas coisas para aquele comerciante para ganhar umas coisas de graça~? Ou aquela outra vez em que eu te disse para dizer aquelas outras coisas para os seus professores para ganhar notas melhores~? Ou será que é por causa daquela outra vez em que…

— Qualquer uma dessas ocasiões serviria! As coisas que você falou para o comerciante! Por uns dois anos, todas as vezes que ele vinha aqui e me encontrava, ele chorava de felicidade porque pelo que você falou seria um milagre eu ainda estar vivendo! E eu realmente falei aquilo para os meus professores, e tomei suspensão por duas semanas! Você pode continuar lembrando de quantos acontecimentos você quiser, mas a verdade é que qualquer um deles justifica o jeito que eu estou te tratando! Ouviu princesinha? Tenha certeza de não chegar perto dessa dai de jeito nenhum! Promete!?

— Hm, pomede…

— Aiai~~~ Diabinha, você sempre diz o que todo mundo quer ouvir, por que só comigo é diferente~? E cerejinha, não precisa de toda essa rigidez, o que seria o pior que poderia acontecer~?

*Morgan para por um minuto, pensando no pior que poderia acontecer*

— Quem foi que ensinou a Lo sobre *cobre as orelhas da Happy* educação sexual…?

— Ué~~~? Alguém tinha que ensinar, e não seria você~

— Você abriu a conversa falando sobre sadomasoquismo…

— Ué~~~? É importante ela saber essas coisas para não ser abusada por pessoas más~~~ 

— Mas ela só tinha cinco anos! 

— … As garotas amadurecem mais cedo que os garotos~~~?

—  A gente teve de fazer todos os aniversários dela a partir disso sem velas, porque ela começava a chorar sempre que via uma!

— Pft—!

Chrome consegue se segurar para não rir, mas não rápido o suficiente.

— …

— …

Morgan devolve a Happy ao chão, e pula em cima da Chrome!

— Sua hipócrita! Quem que é a pessoa má que abusa dos outros!? Não tente tornar as mais novas como você e o nosso pai!!!

— Hohoho~~~ Sua mente é tão pequena quanto você, cerejinha~~~ Por que você acha que não encontrou ninguém em seus dezessete anos de vida~~~?

— Êeee! Moga e Ghome bicaado!

— Não estamos “brincando”, princesinha, estamos “brigando”. Vai ficar mais claro quando eu conseguir enfiar a cauda dela pelo nariz!

— Você que deu a ideia, não vai reclamar depois~~~

Morgan e Chrome estavam se encarando, com as mãos agarradas, em uma disputa de força desnecessária. 

— Ah… Que inveja… Vocês sempre tiveram uma relação tão boa…

A Muzet que acabara de entrar na cozinha, comenta.

A quarta irmã mais velha, a slime Muzet (18), com um corpo viscoso, frio e úmido, sem uma forma real definida. A Muzet costuma assumir a forma de uma jovem garota com longos cabelos, exceto por seus pés, que se juntam em uma poça, para sua locomoção. Com um corpo azul escuro e olhos que parecem com um recife de esmeraldas no oceano, ela é uma médica em treinamento.

— Ah! Mu-nee, bom dia!

Morgan rapidamente desliza para o lado e solta as mãos da Chrome, distraída pela chegada da irmã, enquanto lembra de deixar uma de suas pernas em seu caminho, o que faz com que a Chrome tropece e caia com a cara no chão.

— Ai~~~

— Hehehe!!! Mogaaa!

A Happy bate palmas, enquanto Morgan se vira para conversar com a Muzet.

— Desculpa Mu-nee, eu estou saindo e deixando todo o cuidado da casa com você…

— Do que você está falando, doce e gentil Morgan…? Você está saindo em uma viagem para alcançar o seu sonho, não tem nada para se desculpar… Além disso, você se esqueceu que eu sou a sua irmã mais velha…? Não tem nenhum problema em depender de mim quando precisar…

— Mu-nee! *Morgan a abraça com os olhos lacrimejando*

— Hã~~~? Por que você não depende de mim também~~~?

— Arruinando o clima… Que desagradável…

— Se você quer que outras pessoas tenham um suporte em você, o normal seria dizer que você também deveria confiar um pouco nelas… Confiar para receber confiança. O seu problema é que você vai bem além de confiar ou depender, e pula direto para parasitar de todos os outros! É uma relação unilateral em que você recebe sem dar nada em troca!!!

— Hããã~~~ É porque eu comi o seu sorvete de novo~~~~? Já pedi desculpas, não sabia que era seu~~~ *A Chrome tenta dar um abraço em Morgan, mas é repelida* 

— Estava com o meu nome, registrado na minha conta na geladeira da vila!

— Não é culpa minha que aquela mulher das neves sempre se confunde~~~ Eu não fiz nada de errado~~~

— Viu, esse é o seu problema!

— Qual~~~?

— ESSE!

— Hã~? Você acabou de apontar para mim como um todo~?

Finalmente, interrompendo a discussão mais uma vez, aparecem três novas vozes. 

— O seu problema não é nada do que você tem aí, mas sim o que falta dentro da sua cabeça! É óbvio que daqui só tem Morgan, Muzet e Lol para confiar. Hehe!

A primeira a comentar é a terceira irmã mais nova, a lâmia Lily (14), que possui um corpo alongado em forma de cilindro da cintura para baixo, terminando em uma cauda em formato de cone, que somados tem um tamanho pelo menos cinco vezes maior do que o seu torso. Seus cabelos púrpuros balançam e suas pálpebras se fecham sobre os seus olhos amarelos enquanto ela ri despreocupadamente, com movimentos exagerados. Ela é uma estudante do 9º ano do fundamental.

— I-isso não é algo do qual você deveria estar se orgulhando Lily… M-mas é verdade que você pode confiar em mim também para cuidar da casa, Morgan.

Ela é seguida pela segunda irmã mais nova, a vampira Lo (13), que poderia ser confundida com uma humas, não fossem os seus cabelos excessivamente dourados, seus olhos vermelhos como o sangue, e os seus grandes caninos, que se destacam enquanto ela fala timidamente. Ela também é uma estudante do 9º ano.

— Vocês falam como se eu também não fosse digna de confiança… Fufu

Constatando algo que apenas ela pensa não ser óbvio está a segunda irmã mais velha, a raposa de nove caudas Tsubaki (23) com grandes orelhas triangulares no topo de sua cabeça, e nove caudas se alongando às suas costas, saindo por uma abertura em seu lindo quimono florido. Seus cabelos, orelhas e caudas brilham como prata, enquanto ela fita o resto da família com seus olhos verdes claros. Ela é a dona de um mercadão na vila e normalmente já estaria na loja a esse horário, mas hoje é um dia especial.

 

— Ah! Lo, valeu por acordar essas dorminhocas. Eu sei que posso contar com você também! 

Morgan faz um cafuné em sua cabeça, e Lo relaxa a sua expressão.

Em contraponto, Lily eleva sua voz.

— Hã? Pera um pouco! Por que que só a Lo que está sendo elogiada? Eu também me esforcei para acordar!

Ao que Lo responde.

— M-mas você começou a conjurar magias contra mim enquanto eu tentava te acordar…

— Ah! Hehe, mas eu não te machuquei, não é?

— M-mas e os buracos na parede?

— Ah, já tem vários mesmo— Ughe—!!!

*Morgan dá um cascudo na cabeça da Lily, e machuca a sua mão*

— Você é bem forte quando quer, Lily, então tem que se lembrar de tratar os outros de forma gentil, para não acabar como as nossas irmãs mais velhas… *Os olhos da Lily começam a lacrimejar* Ah! M-mas você fez um bom trabalho em conseguir acordar! *cafuné na cabeça* *A Lily fica corada*

— Olha aí a injustiça~~~ Você só mima as fedelhas~ Para mim não dá nem um pote de sorvete~~~

*Morgan volta a encarar a Chrome*

— O café está na mesa, crianças! Venham comer!

— A mamãe está chamando… Vamos…

Café, almoço, jantar, lanche, comida, prato, boia, rango, alimento. Ao ouvir a palavra-chave, Morgan sai primeiro. As irmãs saem logo em seguida, exceto pela Tsubaki, que demora mais um momento.

— E eu? Fui ignorada? Fufu…

Aviso do Autor:

Dracorr Ira Nova

Dracorr Ira Nova

Rolar para o topo