Volume 03 – Capítulo 03: Sonhos Utópicos

Capítulo 03

Sonhos Utópicos

Tradutor: Zekaev

LEEEEEEEEEEEEEVAVAAAAAAAAANNNTAAAAAAAATAAAAAAA!

Argh!

Que diabos!? O que está acontecendo? Um acidente!? Fogo!? Furacão!? A… um cotovelo? O estúpido e retardado do Ranta lhe deu uma cotovelada no peito, esmagando o esterno, sacudindo-o para acordá-lo.

Mas que merda, Ranta! Haruhiro ficou furioso. Pare de fazer coisas estúpidas e me deixe em paz! Já tive o suficiente de suas palhaçadas ridículas!

Você não precisa ficar tão chateado! Disse Ranta. Você estava dormindo como um homem morto e eu não sabia quando você ia tirar a bunda da cama, então eu fiz um favor e educadamente te acordei!

Eu não consegui dormir na noite passada, então acabei indo muito tarde para cama! Gritou Haruhiro. O que há de errado em dormir mais!

Então você admite que está errado!

Como diabos eu admito isso?

Você está errado em dormir como uma bela adormecida enquanto eu tive todo o tipo de problema para conseguir informações quentinhas para você!

Um… Ranta… Moguzo hesitou.

Moguzo, Cale a boca! Gritou Ranta. Isso é entre Haruhiro e eu! Fique fora disso! Nenhum de nós pode continuar nossas vidas até que este problema seja resolvido, então é isso que vai determinar quem é o homem de verdade! Haruhiro, você entendeu?! Nós vamos acabar com isto, aqui e agora!

Acabar com o quê? Exigiu Haruhiro.

Como assim: “O quê”!? Isso, idiota! ISTO! Em outras palavras… O que era isso mesmo?

Como se eu soubesse!

Haruhiro soltou um suspiro e se sentou. Acima de sua cabeça estava o mesmo teto do alojamento, como sempre, e – porque ele dormia no beliche superior – a cama rangeu quando se moveu.

Então? Haruhiro olhou relutantemente para Ranta. Qual é a informação que você obteve?

É isso! Ranta sorriu amigavelmente.

O olhar no rosto de Ranta irritou muito Haruhiro. Como caralhos Ranta poderia incomodar alguém apenas para sorrir, Haruhiro não sabia, mas isso o incomodava. Este deve ser mais um dos “talentos especiais” de Ranta, os talentos das formas mais baixas de vida.

Já que você decidiu dormir até tarde […] Ranta continuou. […] e Moguzo disse algo bobo sobre esperar até você se levantar… Eu estava com fome, então eu fui para a padaria sozinho. PADARIA. Entendeu? É barato, mas delicioso, tirando aquela de Nishimachi, a Padaria Tattan. Aconteceu de ter muitas pessoas da Lua Vermelha falando sobre isso. Então eu perguntei sobre o que eles estavam falando, e… espere! Tudo tem uma sequência, uma ordem. Assim como convidar meninas, certo? Whoa, whoa, Haruhiro… Isso é muito útil para você. Não precisa se preocupar com isso. Porque você ainda é virgem, não é? Eu não! Eu sou o Rei dos Tranzões. Sexo é o meu segundo nome. Já experimentei todas as posições. Você entende? A grandeza da minha virilidade deixa todas as garotas completamente loucas por mim…

E… quanto tempo mais você vai me fazer ouvir suas merdas? Haruhiro perguntou casualmente.

Eu não estou falando de merda! Dessa boca, não sai nada além de verdades! Fatos! Exclamou Ranta.

Bom. E a informação?

Primeiro, saia daí. Eu não gosto de como você está olhando para mim, como se fosse superior e poderoso. É ridículo.

Os beliches não eram tão altos. A cama superior estava logo acima da altura do ombro de Ranta quando ele estava de pé. E Haruhiro não estava de pé; Ele estava sentado no seu beliche. Ele não se sentia particularmente bem em olhar Ranta de cima, e ele não estava acima de tudo, mas também não se sentia mal.

Eu vou ficar aqui. — Afirmou Haruhiro.

Você vai morrer se descer? Você quer que eu te mate para descer d’aí? Ranta gritou.

Você é um bosta.

O quê? Você me disse alguma coisa?

Sim. Eu disse que você é como um parasita. Não, desculpe. Não “como” um parasita. Eu disse que você É um parasita.

Idiota! Eu não sou um parasita, sou uma abelha trabalhadora!

Então você realmente é um inseto?

Espera… quê?

Não querendo continuar a conversa irritante e sem sentido, Haruhiro saiu do beliche e sentou-se na cama de baixo.

Apenas vá direto ao ponto e fale logo essa tal informação. Exigiu Haruhiro.

Pare de zombar de mim! Eu não sou um velho senil, seu retardado!

Isso fez Moguzo rir, o que fez Ranta sorrir de orelha a orelha.

Ao contrário do Haruhiro, Moguzo sabe de onde eu venho! Disse Ranta. Moguzo pode apreciar uma boa piada! Haruhiro é um merda. Ele não entende nada porque sequer tem senso de humor!

Haruhiro sentiu seus pensamentos cada vez mais e mais escuros, enquanto lutava para manter a cabeça no lugar, para manter seu temperamento sob controle.

A informação, Ranta. Ele perguntou de novo.

Ei, não me culpe pelas suas falhas, Haruuuhiiiirooo…

Ranta. A informação.

Whoa. Aqui vamos nós de novo. Somos persistentes, não?

Puta merda! Haruhiro pulou para Ranta e começou a estrangular ele. Desembucha! Chega, já deu! Cansei das suas brincadeiras!

— “Já deu”!? E… espere… Não posso… Respirar… Você está tentando… me matar!? B-Ta bom! Eu falo… Decreto… Lua Vermelha…

Decreto da Lua Vermelha? Repetiu Haruhiro, trocando olhares com Moguzo.

Moguzo, ou melhor, seu estômago, respondeu com um ruído alto, e seu rosto ficou vermelho de vergonha.

D-desculpe… estou com um pouco de fome. — Explicou Moguzo.

Você não precisa se desculpar, Moguzo. — Disse Haruhiro. Não é como se a gente pudesse controlar a fome. Ah, tem pão ali. Por que você não pega um pouco?

Esse é o MEU pão! Gritou Ranta. Eu sou o único que comprou na pequena, mas a melhor, padaria do Tattan, tirando a de Nishmachi!! Eu comprei, é MEU, e não vou dividir com ninguém!!!

Já que Ranta estava sendo egoísta e ganancioso, Haruhiro e Moguzo decidiram ir para a cidade juntos e tomar um café da manhã em outro lugar. Não querendo ser deixado de fora, Ranta agarrou-se neles, ostensivamente comendo o pão que comprou, enquanto caminhavam e explicava o Decreto da Lua Vermelha para eles.

Aparentemente é um Decreto constituído por um conjunto de ordens atribuídas aos membros da Lua Vermelha. Pelo menos, eles eram chamados de “conjunto de ordens”, mas não eram obrigatórios. Depende dos próprios membros se eles querem ou não responder ao Decreto. No entanto, aqueles que são capazes de executar determinadas missões, mas optarem por não fazê-lo sem uma boa razão, tendem a perder o respeito entre seus membros companheiros da Lua Vermelha.

Isso basicamente significa que, se este fosse um Decreto razoável, todos acatariam sem reclamações. E também houve outro incentivo para concordar em participar das missões.

Compensação monetária.

Uma parcela do pagamento é adiantada quando assinam o contrato, e o restante é pago quando a missão for completada com sucesso. Caso alguém aceitasse algo de antemão, mas não fizesse o trabalho, seria aplicada uma penalidade monetária. Se fosse julgado que as pessoas agiram de má fé, seriam convocados à sede da Lua Vermelha. Não obedecer à convocação pode resultar em uma recompensa sendo colocada sobre sua cabeça.

As recompensas também são consideradas pelo conselho e normalmente se aplicam aos criminosos ou comerciantes desonestos. Alguns membros da Lua Vermelha realmente gostavam de colecionar esses tipos de recompensas, e ganhavam a vida com isso. Eles são apropriadamente chamados de “Caçadores de Recompensas”.

A compensação por aceitar uma missão não é paga em dinheiro, mas sim com uma pequena moeda de bronze que serve como certificado de pagamento para algumas coisas. A moeda poderia ser trocada por dinheiro em Yorozu ou qualquer instituição financeira contratada pelo Exército Regular ou Lua Vermelha.

Haruhiro e Moguzo decidiram parar para o café da manhã em uma barraca de comida, no Beco do Trabalhador, que se especializou em um prato de macarrão chamado Sorruz. As barracas de comida na área foram preenchidas com trabalhadores do início da manhã e são muito mais movimentadas – neste momento do dia – que o mercado ao norte de Allpea.

Sorruz é uma refeição com macarrão de trigo amarelo e carne grelhada em caldo salgado. Haruhiro não pensou que fosse bom na primeira vez que experimentou, mas isso lhe trouxe lembranças de algo familiar, então ele acabou vindo aqui para comer de vez em quando. Por fim, se tornou um hábito e ele desenvolveu um gosto pela comida.

Haruhiro e Moguzo sopravam a sopa quente enquanto comiam, sugando vigorosamente os macarrões. Mesmo enquanto mastigava seu pão, Ranta não pôde ficar sozinho, observando-os comer, e acabou pedindo uma tigela de macarrão também.

Cara, isso é incrível! Tãããão bom! Sorruz é o melhor! Disse Ranta.

Pare de fazer cena. E seu pequeno nariz está jogando muco em sua tigela. Haruhiro o aconselhou.

Não posso evitar! Ele está escorrendo muito! Haruhiro! Você simplesmente não entende como o Sorruz é bom!

O Sorruz realmente é muito bom. — Assentiu Moguzo, quase finalizando a segunda porção. Ou não…

Moguzo, você não vai pedir uma terceira tigela, vai? Haruhiro perguntou.

B-bem… Sim. Admitiu Moguzo. É tão bom que não consigo evitar…

Maldito Moguzo! Exclamou Ranta. Você é um rival digno, tudo bem! Mas eu não vou perder! Ele se virou para o cozinheiro de meia-idade. Ei, senhor! Outra tigela de Sorruz!

Já vai! Confirmou o cozinheiro.

Heh. Grunhiu Haruhiro, tomando seu tempo para colocar o macarrão na boca – com os palitinhos de madeira. Sim, isso foi bom. Ele não ficou completamente satisfeito, mas seu estômago não ia suportar mais.

Mas você sabe, Moguzo. Continuou Ranta. Por melhor que isso seja, não podemos fazer isso em casa se tentarmos?

Err… Moguzo hesitou. Uh… S-sim, acho que podemos… Talvez? mas o caldo…

Nah, definitivamente podemos. — Insistiu Ranta. A sopa é só um punhado de coisas jogadas numa panela que você aquece até parecer bonita e saborosa. É isso, não tem nenhum problema!

Não… eu não acho que é tão simples…

Sério? Tudo isso não me parece complicado… Então o que tem numa sopa?

Umm… Vamos ver. — Pensou Moguzo. Provavelmente um caldo de frango com um pouco de manteiga e porco. Legumes como cebolas e cenouras…

Whoa. Ranta respondeu, impressionado. Você é muito profissional nisso, Moguzo. Não consigo nem imaginar como se começa.

Haruhiro achava que conhecer os ingredientes não significava que pudessem reproduzir o sabor, mas decidiu ficar indiferente à conversa. Sim, ele não precisava dizer nada.

Moguzo ergueu a tigela na boca e tomou outro gole de sopa. Sim, e alho também. Se adicionar um pouco de gengibre, isso daria um sabor ainda mais… ousado.

Whoa, whoa, whoa! Moguzo, você pode fazer! É só a gente economizar dinheiro suficiente, vamos abrir outro lugar de Sorruz! Propôs Ranta.

Moguzo riu de forma espontânea antes de responder. Mas eu sou um soldado da Lua Vermelha.

Não seja tonto! Não importa! Se pudermos ganhar dinheiro, não importa o tipo de trabalho que fazemos! Quem disse que temos que continuar fazendo isso de cortar e matar pelo resto da vida? Podemos nos aposentar um dia, e começar carreiras secundárias! Entende o que isso significa? Isso significa… Uhh… Uma classe número dois!

Você não pode usar a própria frase como definição de si mesma. Haruhiro suspirou.

Feche a matraca, Haruhiro! Ranta retrucou. Eu falei isso de propósito! Estou falando com Moguzo, então fique com a boca fechada e saia daqui! Ele se voltou para o Moguzo. De qualquer maneira. Moguzo, o que acha? Você e eu! Nós chamaremos de “Barraca de Sorruz: Ranta & Moguzo”. Podemos dividir os lucros, setenta por cento para mim, trinta para você… tá bom, tá bom, cinquenta a cinquenta. Vamos tentar adivinhar a receita agora para que tudo esteja pronto quando seguirmos em frente! Que tal?

Uma loja, hein… A expressão de Moguzo era pensativa, como se aquilo não lhe parecesse uma má ideia. Isso pode ser bom. Parece mais agradável do que lutar, também. Eu pensarei a respeito.

Certo! Faça isso! Pense positivamente, Moguzo! Disse Ranta. Vamos ficar ricos! Selvagemente ricos! Podemos começar uma Rede! Dez lojas em Allpea e setecentas lojas espalhadas em Grimgar! Se for você e eu, a gente consegue! Provavelmente!

Ranta quase inalou o resto de sua sopa, então exalou profundamente de satisfação. De qualquer maneira, sobre esta coisa de Decreto. Vocês estão prontos para ouvir, pessoal? Prontos para ouvir o que eu vou dizer! Estão prontos!? Estão mesmo? Vocês estão realmente prontos? Porque quando você escutar, não vou aceitar um não por uma resposta, você entende!

Ranta, isso já ficou insuportável, então fale de uma vez. — Disse Haruhiro.

Haaaruhiiiirooooooo… Você não pode falar isso porque você é cem vezes mais insuportável que eu! Não, espera! Mil vezes! Dez mil vezes! Não, cinco bilhões de vezes mais insuportável! Apenas admita, seu idiota!

Certo, claro.

Diga certo, cem vezes!

Certo, cem vezes.

Ei! Pare de me tratar como um idiota! Eu vi o que você fez! Porque eu posso ser mais esperto do que você algum dia! Incline-se para Lord Ranta!

Pelo menos Moguzo pôde rir disso… — Suspirou Haruhiro.

Eu… desculpe-me… Eu só pensei que agora foi engraçado… — Disse Moguzo.

Moguuuzoooo! “Agora foi”? O que você quer dizer com “Agora foi”? Eu SEMPRE sou engraçado! Eu sempre sou incrível! Eu sou o rei da comédia Rantaman! Se você duvida que sou um dos cem gênios cômicos, futuro parceiro de negócios ou não, vou chutar sua bunda!

Eu não acho que um em cem seja muito raro. — Provocou Haruhiro.

Ei! Haruhiro! Gritou Ranta.

Por que você está gritando? Perguntou Haruhiro. Isso é irritante.

Eu quis dizer um entre os cem mil! Não cem! Você entendeu!?

Certo, eu entendi. Disse Haruhiro. Agora fale sobre o Decreto. Ainda não terminamos esse assunto.

E DE QUEM É A CULPA! Gritou Ranta. É SUA!!!

Por que você está tão chateado? Eu sou o único que deveria ficar chateado aqui.

Porque é minha vez de ser irritante!

Tanto faz. Apenas fale sobre o Decreto.

Hahaha! Espere até que eu diga isso, vocês vão se surpreender! Ranta de repente se levantou, torceu os braços e, com os dedos das duas mãos, formou uma… cobra? Ou algo parecido com uma. Isso, caras! ISTO!

Não entendi. Você precisa ser mais… específico.

É uma cobra de duas cabeças! Você entendeu sim! Ranta fez a cobra da mão direita, dizer “olá” para a cobra da mão esquerda. A ofensiva para retomar o Forte de Capomorti e a Fortaleza de Steelbone, codinome “Operação Cobra de Duas Cabeças”! O conselho aparentemente quer encobrir algo sobre a operação. As inscrições para a Fortaleza Steelbone já acabaram, mas isso era para guerreiros altamente experientes de qualquer maneira. Se participarmos, estaríamos indo com os outros para Capomorti. A compensação é de 20 de pratas antecipadas com mais 80 depois de completar a missão. Isso é um ouro completo! Um ouro! Um por pessoa! Incrível, não!

Moguzo ficou boquiaberto.

Um ouro… Haruhiro respirou.

Um ouro não é pouca coisa. Haruhiro repentinamente se lembrou de quando perderam Manato. Renji lhe deu uma moeda de ouro dizendo: “Minhas condolências. Pegue isso.” Ele também não se esqueceu do desdém de Renji ao jogar aquela moeda tão casualmente.

Se o Forte de Capomorti […] Ranta sentou-se novamente e apontou para um ponto na mesa. — […] está por aqui… ou é melhor aqui? Talvez, em vez disso…

Será que realmente importa onde é? Perguntou Haruhiro.

Bem, seja o que for. São mais de seis quilômetros ao norte de Allpea, ocupados por orcs. Seis quilômetros nem é grande coisa, certo? Super perto. Então, claro, Allpea já atacou várias vezes e conseguiu retirar os orcs também. Mas não importa quantas vezes ataquemos e ganhemos, nunca conseguimos mantê-la por muito tempo. Os orcs sempre voltam. Você sabe por quê?

Uh… Moguzo cruzou os braços sobre o peito e inclinou a cabeça um pouco. Não há o suficiente de… Paciência? Ou algo assim?

Claro… NÃO! De jeito nenhum! A resposta correta é… aqui. Ranta gesticulou com o dedo indicador da outra mão para um ponto diferente perto da borda da mesa. A Fortaleza Steelbone fica a pouco mais de quarenta quilômetros a oeste de Capomorti, ao lado do rio Grande Funryuu. Se você subir o rio, logo chega às ruínas do Reino de Nananka. As meninas sabem o que isso significa? Provavelmente não. O Reino de Nananka. É território dos orcs agora. Todo o Reino foi dominado por orcs. Eles até usam barcos de transporte no rio. Mercadorias, soldados, qualquer coisa. Capomorti é uma fortaleza super pequena, mas, quando é atacada, os orcs enviam alguma mensagem para cima. Então Steelbone envia reforços.

As sobrancelhas de Haruhiro se enrugaram enquanto pensava. Mas quarenta quilômetros de distância…

Orcs tem um tipo especial de unidade chamada “Dragoon”. — Disse Ranta, fazendo uma pose estranha. Ele parecia um tipo de animal… Um polvo, talvez? Mas eles não são dragões, não é nada disso. São apenas grandes bestas parecidas com lagartos chamados de cavalo-dragão e, aparentemente, eles correm ridiculamente rápido. Na velocidade máxima, leva só uma hora para cobrir a distância entre Steelbone e Capomorti.

Entendo… Moguzo bateu o punho direito na palma da mão esquerda. É por isso que atacaremos ambos os lados simultaneamente desta vez.

Certo! Eu sabia que você tinha o cérebro para ser meu parceiro de negócios! Ranta estalou os dedos, ou tentou, mas nenhum som saiu. Ele tentou várias vezes, e acabou desistindo. Pele seca estúpida.

Haruhiro suspirou. Culpa da pele seca, hein?

O que você tem contra mim dizendo que minha pele é ruim? Você é minha madrasta ou algo assim?

Uhh… o quê?

Pare de fingir! Você quer lutar comigo?

Atacando Steelbone e Capomorti simultaneamente não é o mesmo que declarar abertamente uma guerra contra os orcs? Perguntou Haruhiro, ignorando as provocações de Ranta.

Uh, então você está me ignorando agora, hein. E você não sabe? Nós, humanos, já estamos em guerra contra os orcs e os mortos-vivos. Sempre foi assim.

Sim, eu sei, mas foram apenas conflitos aqui e ali. Nada realmente grande. — Apontou Haruhiro.

Nós atacamos em cada pequena oportunidade que surgia, se é o que você quer dizer com um conflito. Os orcs atacaram Allpea um tempo atrás, não atacaram? Disse Ranta.

Ah, sim… Ishh Dogrann? Eu acho que era o nome dele. O orc que Renji matou.

Sim. Esta operação provavelmente é uma retaliação. Pelo menos, originalmente. Mas, desta vez, não é só um empurrãozinho, o exército de Allpea realmente quer retomar e manter a fortaleza. Eles já perderam ela várias vezes, então eu acho que decidiram parar de repetir o mesmo erro.

Ranta riu como se fosse algum tipo de estrategista mestre, educado nas práticas militares do exército regular de Allpea. Quanto mais Ranta explicava, mais parecia uma guerra aberta para Haruhiro.

Parece um movimento bastante perigoso. Não é apenas a Lua Vermelha que estará atacando a fortaleza, certo? Perguntou Haruhiro.

Não. Claro que o exército regular também vai. Eles são a força principal. Nós, membros da força reserva, somos apenas um apoio. Por acaso você é retardado, Haruhiro? Use sua cabeça um pouco. Pare de parecer sonolento o tempo todo e acorde, Haru-Heroína.

Pare de fazer piadas sobre meu olho, ou vou esfaquear você. E o que diabos é “Haru-Heroína”?

Você simplesmente não entende minhas piadas,não é, Haru-Hélio.

Ranta, eu juro que vou…

Hum… Interrompeu Moguzo. Quantos? Quero dizer… quantas pessoas participarão da operação?

Quantos? Ranta agarrou seu queixo. Vejamos… De quinhentos a seiscentos da frota regular e mais cem a cento e cinquenta da Lua Vermelha, para Capomorti. A luta parece ser mais difícil no Steelbone, então ouvi que o Souma, da Daybreakers, os Berserkers Demônios Vermelhos, da Dak, Juntas de Ferro da Taiman Max e Shinohara da Orion, todos estarão lá. Uma loucura, não é? É quase como se eles estivessem dizendo que os fracos não são necessários aqui, porque eles seriam nada mais que estorvo.

O motivo de Ranta adicionar este último pedaço de informação, mesmo sendo completamente supérflua, Haruhiro não conseguiu adivinhar. Ranta supôs uma luta dura em Steelbone, enquanto o Capomorti seria levada com facilidade. Ele provavelmente pensou que Capomorti se renderia assim que o Exército de Allpea e a Lua Vermelha marchassem em direção aos portões.

De qualquer forma! Ranta manteve os braços entrelaçados novamente e fazia suas mãos de cabeça de cobra morder um ao outro. Um ouro completo! Está decidido, então! Nós vamos! Vamos assinar agora mesmo! Há apenas mais três dias antes do limite de tempo, então vamos assinar enquanto o metal é quente ou alguma frase como essa. Tanto faz! Vamos direto para a sede!

Espere… Moguzo superou Haruhiro para fazer isso. Não devemos, pelo menos, perguntar aos outros?

O quê! PORQUÊ? Quem se preocupa com os outros? Sobre isto? A conversa vai ser: “Será que podemos fazer isso?”. Sim, vamos fazer isso. Bem, vamos logo, todos já estão de acordo, então não se preocupe! Elas são apenas meninas, também!

Não, você não pode simplesmente assumir isso. — Disse Haruhiro, acariciando a nuca. Vamos nos reunir esta noite para conversar. Além disso, ainda temos muito tempo antes do prazo final.

Ranta franziu a testa, exalando ruidosamente pelo nariz. Bem. Que seja.

Na próxima vez que ele agir de maneira tão desdenhosa, vou responder com um soco na cara dele, Haruhiro decidiu.

Rolar para o topo