Volume 03 – Capítulo 04: Não ‘Deixe a Vida te Levar’

Capítulo 04

Não “deixe a vida te levar”

Tradutor: Zekaev

Depois de um dia de trabalho nas Minas Siren, venderam sua pilhagem no mercado e, após o jantar, todos estavam reunidos na Taverna Sherry.

Eu vou tomar uma cerveja, a bebida masculina para homens! Afirmou Ranta.

E-então, uh, eu também… Moguzo fez o mesmo.

Hidromel para mim. — Disse Haruhiro.

O mesmo pra mim. Disse Mary.

Yumi quer uma limonada! É borbulhante, divertido e ótimo! Yumi riu.

Eu vou querer isso também. Disse Shihori.

O pedido chegou não muito tempo depois, e Ranta levantou o copo, mesmo que ninguém tivesse pedido por um brinde. Estão todos aqui? Vocês estão prontos? Muito bem! Saúde!!!

Todos responderam com variações de “saúde”, batendo seus copos juntos. Ranta e Moguzo engoliram rapidamente suas cervejas. Moguzo simplesmente porque estava com sede, e Ranta porque não queria ser ofuscado por Moguzo. Haruhiro, sorvendo seu hidromel doce e ligeiramente amargo, não entendia porque Ranta tinha que ser tão competitivo. Por que esse cara sempre transforma tudo em uma disputa?

Ha! Ganhei! Ranta gritou, batendo o copo de cerâmica vazio sobre a mesa. É melhor que ele estivesse preparado para pagar por isso se quebrasse. Pega essa Moguzo! Eu ganhei, você perdeu!Wahahahaha!

Oh… Bem. — Concordou Moguzo. Incapaz de terminar todo o conteúdo de sua própria caneca, ele colocou de volta na mesa. Isso é bastante surpreendente, Ranta, beber tudo de uma só vez.

Malditamente direto! Eu sou o HOMEM! Você disse tudo, Moguzo! É por isso que você é meu futuro empresário, investidor e parceiro empreendedor.

Yumi piscou, não entendendo. Parceiro entre-predor, hm?

É empreendedor, Yumi. Corrigiu Haruhiro. Mas o que seria um entre-predor?

Shihori fez um estranho som de risada – metade tossido – e quando Haruhiro olhou, seu rosto ficou vermelho, e ela tinha as duas mãos sobre a boca e estava olhando para o chão.

Alguma coisa errada, Shihori? Perguntou Haruhiro.

Não… Nada… Nada em particular… Shihori respondeu.

Shihori. Ranta sorriu para ela de uma maneira excessivamente irritante. Você estava imaginando algo estranho agora mesmo, não estava?

E-estranho? Shihori repetiu. Como assim?

E você ainda pergunta? Ranta zombou. Você está completamente cheia de delírios selvagens sobre vagões.

V-vagões …? Isso não é…

Sim, um vagão inteiro. Então não me pergunte, porque eu não estou quase inundado de delírios selvagens como você está…

Eu não estou inundada! Shihori protestou.

Pare de cuspir mentiras Ranta! Yumi abraçou Shihori de forma protetora. Shihori não é um vagão selvagem e ela não é totalmente delirante!

Hum… Eu não acho que foi isso que ele disse… Mary apontou em um sussurro.

Huh? Você quer dizer que Yumi estava errada de novo!? Perguntou Yumi.

Ranta zombou dela. Você sempre esteve errada! Ouvir você me dá dor de cabeça, então pare de falar, ok? Apenas cale a boca!

Nuh-uh! Yumi não quer! Gritou Yumi.

Você não tem o direito de dizer não! Ranta respondeu.

Yumi tem o direito de declarar as opiniões de Yumi!

Ninguém falou nada sobre opiniões!

Você fez isso, Ranta estúpido!

Eu estava falando sobre o direito de dizer não! Direito-de-dizer-não. Entendeu!? O direito de dizer não!

Yumi sabe disso!

Não, você não sabe! Você não escuta totalmente o que eu digo! Você é burra como uma campainha de porta ou algo assim?

Ranta… Haruhiro interveio. Não é uma campainha de porta. Você é burro como um prego de porta… ou algo assim?

Oh… Embora pareça que Ranta tenha notado seu erro, ele não iria parar apenas por algo pequeno assim. Ele deixou cair os ombros enquanto sussurrava. Iiiii lá vamos nós de novo. Aqui vem ele outra vez, o Senhor Líder do Time pulando nas gargantas das pessoas por pequenos erros! E fazendo isso daquele jeito: Sou-o-Senhor-Hábil-Espertinho! Você tem uma poderosa personalidade Haruhiro!

Como se você fosse possível ter uma conversa decente com você. — Disse Haruhiro calmamente.

Se você não quer ouvir isso de mim, pare de me falar essas coisas. Então cuide da sua boca, idiota!

Ei, Moguzo. Haruhiro voltou-se para Moguzo. Apenas um pequeno aviso. Você definitivamente pode fazer melhor do que ter esse pequeno pedaço de esterco como seu futuro parceiro de negócios. Sua Loja de Sorruz nunca terá sucesso com ele.

Haha… Moguzo riu secamente, parecendo desconfortável.

Loja de Sorruz? Mary perguntou, inclinando ligeiramente a cabeça.

Haruhiro começou a dar a todos uma breve explicação sobre a conversa entre Ranta e Moguzo na barraca de sorruz. E Ranta sugeriu a Moguzo que, quanto conseguissem dinheiro suficiente, podiam deixar a Lua Vermelha e abrir uma loja de sorruz.

Hm… Yumi refletiu em voz baixa. Sorruz é aquela sopa de macarrão que parece ramen, certo?

Ramen… Haruhiro repetiu e, por um breve momento, quase se lembrou de um sabor picante em sua mente.

Ranta cruzou os braços sobre o peito. Ramen…

Ramen… Shihori tocou seus lábios com um dedo.

Moguzo inclinou-se para frente na mesa. Ramen.

O que é… Começou Mary, com uma expressão preocupada. O que é isso? Esse “ramen”.

Oh, é… Os olhos de Yumi se dirigiram para frente e para trás. Ramen é que… umm… é bom. É, uhh… isso. A coisa. Ei! Sobre o que a Yumi estava falando?

Haruhiro coçou a cabeça. Eu esqueci…

Ramen. Estávamos falando sobre o ramen. — Disse Moguzo com firmeza, com uma força incomum. Nós… provavelmente o conhecemos. Sim, sorruz é muito parecido com o ramen. Quando eu experimentei pela primeira vez, tive a sensação de que eu sabia como isso era. Isso tem gosto de ramen. Não conseguia me lembrar disso, mas agora eu lembro. Eu amo ramen. Ranta…

Huh? Disse Ranta, perplexo. O quê?

Vamos… vamos fazer isso. Moguzo respondeu. Vamos abrir uma barraca de comida.

Oh?

Mas eu não quero que seja Sorruz. Continuou Moguzo. Eu quero fazer uma barraca de ramen. Enquanto economizamos dinheiro, podemos experimentar o sabor. E, uma vez que estivermos no caminho certo, vamos fazer isso. Vamos sim.

Uma barraca de ramen… Um sorriso apareceu no rosto de Ranta e, pela primeira vez, não era um dos seus sorrisos agravantes e sarcásticos. Ele colocou a mão no ombro de Moguzo, espremendo-o demais. Sim! Você pode ser o Chef e eu lido com as finanças e tudo mais! Eu farei com que isso seja um sucesso!

Muito Bom! Concordou Moguzo.

Haruhiro queria dizer que seria fantástico ter Moguzo como o chefe, Ranta só se colocava no comando das finanças – porque ele não queria contribuir com dinheiro para investir. Mas Moguzo parecia muito animado com a ideia, e Haruhiro não queria colocar um obstáculo em seus sentimentos dizendo algo negativo. Não há necessidade de ser grosseiro, apesar dos pesares. Além disso, planos como esse ainda eram para um futuro distante, provavelmente não valia a pena pensar seriamente sobre isso no momento.

Ninguém sabe sequer o que acontecerá dentro de um ano, Haruhiro pensou em dizer, mas guardou para si. Ele não queria dizer-lhes algo frio e insensível para que desistissem de seus sonhos. Além disso, ele não achou que era ruim sonharem com o futuro.

Na verdade, Haruhiro sentia ciúmes daquela capacidade de sonhar, porque ele não podia pensar em nenhum futuro, além do dia seguinte, ou talvez três dias no máximo. Mesmo que ele quisesse fazê-lo, não podia… porque havia uma grande decisão que deveria ser feita nos próximos três dias.

Pessoal… — Disse Haruhiro. Há algo sobre o qual devemos conversar, e já que todos estão aqui…

Ele deu os detalhes do Decreto da Lua Vermelha e, quando terminou, Ranta saltou para a frente de seu assento e jogou um punho no ar.

É claro que vamos! Exclamou Ranta. Não há necessidade de pensar nisso! Nós teremos um ouro para participar! Centenas! Nós vamos! Não há outra alternativa! Nós vamos!

Hmm… Os olhos de Shihori foram para o chão. Esta aparência indicava que ela não estava entusiasmada com a proposta.

E quanto a Mary? Qual seria a opinião dela? Seu olhar também estava baixo e ela tinha um dedo no queixo, como se estivesse pensando profundamente, mas não havia nenhuma indicação sobre sua decisão. Talvez isso significasse que ela apenas acataria a maioria dos votos. Talvez ela estivesse apenas tentando considerar a opinião de todos os outros. Haruhiro não entendeu porque ela reagiu dessa maneira.

Para Yumi. — Disse Yumi, soprou suas bochechas ligeiramente e enviou seu olhar diagonalmente para o teto. Está tudo bem.

Sério? Haruhiro perguntou com descrença.

Hm? O que você quer dizer? Respondeu Yumi, confusa.

Nada, esquece… — Disse Haruhiro.

Ele supôs que Yumi seria totalmente contra a participação só porque Ranta era a favor. Era assim que o voto de Yumi normalmente funcionava, mas não desta vez. Por quê? Haruhiro queria perguntar a ela, mas sentiu que, como líder, seria infantil fazer algo que certamente poderia exacerbar a animosidade de Ranta e Yumi – considerando a relação desses dois.

Não há nada que possa fazer para consertar a personalidade de Ranta. Ranta é seu parceiro, afinal. E não se pode passar pela vida sempre se intrometendo nas decisões dos outros.

Mas espere, então isso significava que Haruhiro era um não, Ranta era um sim, Shihori era um meio não, e Mary e Yumi estavam na borda. Isso só sobrou…

Moguzo falou com uma expressão extraordinariamente solene. Eu acredito…

De repente, Haruhiro teve um mau pressentimento sobre o que Moguzo ia dizer… e ele estava certo.

Eu quero dar uma chance. — Concluiu Moguzo.

Moguuuuzoooo!!! Ranta jogou ambas as mãos em direção a Moguzo. — Toca aqui!

W-o quê? Moguzo piscou.

Vamos! É só bater na minha mão!

Ah… bem. Moguzo hesitantemente fez com que a palma de sua mão encontrasse a de Ranta.

Isso aí! SIIIM! Disse Ranta, depois bateu o antebraço e o cotovelo contra o cotovelo e o antebraço de Moguzo até que, finalmente, Ranta estava praticamente abraçando-o. Claro que sim! Você é um homem, Moguzo! O HOMEM! Meu futuro parceiro de negócios! Nós também somos tanques e irmãos de armas! Maldito seja! Nós somos quase gêmeos! Você também não pensa assim Moguzo?!

Er… um… claro? Haha… Tudo bem? Respondeu Moguzo.

Hahaha! Incrível! Ei, Haruhiro!

O que foi? Haruhiro suspirou.

A maioria ganha! Ranta passou um braço pelos ombros de Moguzo. Ele olhou para Haruhiro da mesma forma que um lobo faminto olha para sua presa, e lambeu seus lábios. Ele está determinado!

Hum… Haruhiro começou.

Whoa… whoa whoa whoa! Pare um pouco lá… Apenas espere um segundo . Porra, isso não é bom. Inferno, tudo está indo por água abaixo…

Se Moguzo é um ‘sim’, então ele e Ranta somam dois ‘sim’. Haruhiro e Shihori (provavelmente) seriam dois ‘não’.Mary e Yumi ainda não decidiram. Haruhiro estava bastante seguro de que, se isso chegasse a um desempate, poderia colocar Yumi de seu lado. No entanto, ele não tem 100% de certeza. Não mais. A surpresa de Moguzo estar com Ranta abalou a confiança de Haruhiro além de suas próprias previsões.

Hmm… Haruhiro refletiu, então olhou as expressões de Mary e Yumi.

Ele não conseguia discernir o que estavam pensando. Em que opção eles votariam? Ambas iriam dizer sim? Ambas iriam dizer não? Ele não fazia ideia.

Vamos decidir amanhã. — Declarou Haruhiro de repente.

O QUÊ! Ranta olhou para ele com os olhos arregalados. Você é um maldito retardado ou o que? Que diabos!? Por que amanhã, imbecil?! Podemos decidir agora, então por que prolongar isso?

Eu acho que isso pode ser sábio. Mary levantou a mão em apoio de Haruhiro.

Deus do céu, Mary é uma deusa, pensou Haruhiro. Em momentos como esses, Mary era igual a uma luz radiante e intermitente do céu. Hoje em dia, era assim que sempre a olhava.

Boa ideia. — Disse Yumi, recostando-se na mesa. Ela estava bebendo limonada, mas dava uma impressão de estar sobriamente embriagada. Eu concordo com Mary. Amanhã é bom.

Claro. Shihori assentiu vigorosamente. Eu também acho que é uma boa idéia.

Moguzo não protestou. Sim, não precisamos ter pressa.

Gente… Ranta não conseguiu encontrar as palavras para terminar sua declaração, mas isso estava perfeitamente bem para Haruhiro.

Parecia que ele ainda poderia administrar a situação, mas só por enquanto. Ele soltou um pequeno suspiro de alívio e olhou em volta da taberna. Muitos dos clientes regulares estavam ali, e um bom número de membros da Lua Vermelha também. Entre eles, deve haver um bom número de equipes que já responderam ao Decreto e decidiram participar da Operação Cobra de Duas Cabeças. Talvez ele pudesse obter mais informações perguntando-lhes.

Eu odeio reunir informações… Suspirou Haruhiro.

Ele simplesmente não é bom em se aproximar de pessoas que não conhece e conversar com eles. Mas ele também sabe que agora não é o momento para deixar sua timidez lhe dominar.

Rolar para o topo