Godking – Capítulo 14

Godking: Ascending A Heavens

— Volume 01: Van —

Capítulo 14 — Marca de Prata Um

Tradutor: Asu | Editor: Asu

Van balançou as costas do Coração Negro quando o chefe da vila se aproximou.

O homem com cicatrizes não era excessivamente cauteloso, mas também não era totalmente desdenhoso. Encarando Coração Negro nos olhos, ele caminhou em direção a eles. O lobo e o humano se olharam silenciosamente.

“Muito bem, Van”, Leif falou.

Ele olhou para as ervas dentro das cestas de bambu.

“Eu vejo que você completou satisfatoriamente a missão.”

“Você gostaria de inspecionar as cestas, senhor?” Van perguntou, seus olhos sondando a reação de Leif. O chefe da vila foi quem sabotou sua missão? Não parecia, mas, novamente, era difícil enxergar o coração humano.

Leif sacudiu a cabeça. Ele desviou os olhos do lobo, que estava satisfeito porque naquele momento Leif não queria ofender. O homem mais velho inspecionou Van da cabeça aos pés. O garoto estava cheio de vitalidade e a expressão em seu rosto parecia mais solta e menos solene do que Leif jamais vira nele.

Parecia que o garoto havia encontrado alguma fortuna na montanha?

Leif olhou para Coração Negro novamente. Este não era um lobo comum. Ele se lembrou do urso dourado que lhe dera a cicatriz que ia do seu bíceps até o antebraço. Talvez este lobo fosse similarmente diferente.

Para ser capaz de domar uma besta tão assustadora… o garoto tinha um pouco de talento e habilidade.

O olhar do garoto era claro e firme.

Leif suspirou internamente. Talvez todos eles o tenham julgado mal? Um garoto como este não era simples e pode contribuir grandemente para a prosperidade da vila no futuro…

“Leif”, uma voz rouca soou atrás dele.

Leif se virou para ver seu velho amigo, Blade.

Então ele viu a figura ao lado dele. Com olhos como luas crescentes, a máscara prateada lhe dava uma ar de mistério.

Leif falou cautelosamente: “E quem é o convidado honrado ao seu lado?”.

Ele viu Blade hesitar em falar. Algo estava errado.

“Você pode me chamar de Marca de Prata Um”, disse a pessoa mascarada. Sua voz não era alta, mas parecia flutuar diretamente em seus tímpanos.

“Convenientemente, parece que a vila inteira está aqui.”

⋅⌈Convenientemente?⌉⋅ Leif olhou preocupado para o amigo.

Blade deu-lhe uma pequena negação com a cabeça.

O chefe da vila ficou alarmado. Que divindade estava diante deles? O homem mascarado era mais alto que Blade, que era o homem mais alto da Vila da Montanha, e parecia magro em sua altura. Mas se alguém o subestimou, eles estariam bebendo a sopa do Sonho da Bruxa no Rio Amarelo mais rápido do que eles poderiam piscar.

Após um período de silêncio, Blade falou.

A postura de Coração Negro endureceu assim que o homem mascarado se aproximou.

Van, agora sensível ao sentimento de Poder Espiritual, podia senti-lo emanando da figura alta. Instintivamente, ele sabia que o cultivo dessa pessoa era muito mais forte do que a mulher que o interrogara na montanha.

De repente, ele viu Blade apontar para ele. O Marca de Prata virou-se lentamente para encarar Van. Seus olhos negros pareciam penetrar em sua alma.

O coração de Van bateu em seus ouvidos.

Merda.

Van não conseguiu entender o que eles estavam dizendo. O som de seu sangue correndo em suas veias era ensurdecedor. Será que a figura mascarada seria capaz de sentir Jet, dormindo na cabeça de Van? E aquele misterioso casco de tartaruga? O homem que segura o jade precioso é aquele que é morto primeiro!

E o homem mascarado iria, sem dúvida, matá-lo tão facilmente quanto matar uma mosca.

Debaixo dele, Coração Negro choramingou, refletindo o estado de espírito turbulento de Van.

Abruptamente, o homem mascarado levantou a mão.

Um brilho roxo subiu de suas palmas.

Um pequeno disco girou. Com cada giro expandido em tamanho até abranger toda a vila. O sol escureceu. O mundo ficou quieto. Um peso opressivo esmagou os moradores.

Os moradores, meros mortais sem esperança de resistir ao poder, ficaram tontos sob a influência do disco. Uma garotinha gritou de dor. Um homem mais velho desabou no chão, olhos vermelhos.

“Qual o significado disso!?”

Van finalmente ouviu alguém gritar com raiva através de seus ouvidos ensurdecidos. Foi Leif. O homem mais velho ficou chocado e com raiva – estes eram o seu povo! Como poderia um líder não se importar com a vida de seu povo?

O rosto do chefe da vila estava pálido. Ele se preparara bloqueando seus músculos no lugar. Caso contrário, ele estaria em um estado semelhante ao resto.

“Esteja feliz por eu estar usando o Disco Negro de Pesquisa “, O Marca de Prata disse friamente, “Minha intenção mental pulverizaria seus cérebros mortais em pasta. Você se tornaria como um morto vivo, mas incapaz de ver ou falar, incapaz de pensar. Babando em seu próprio excremento até você morrer de fome.”.

Van sentiu-se enjoado. Leif parecia o mesmo.

O chefe da vila apertou a mandíbula e lançou um olhar sombrio para Blade. O homem grande desviou os olhos. Ele pode ter trazido o homem mascarado para a praça da vila, mas esse deus da morte veio à vila com o propósito específico de interrogar todos! Tudo o que ele fez foi propositalmente apontar Van, era tudo!

Van sentiu o brilho roxo invadir. Energia o cercou e afundou em sua pele. O garoto lutou, canalizando o poder carnal e tentando fortalecer sua pele usando o método do «Sacrifico de Mil Santos», para que a energia púrpura não pudesse penetrar. Infelizmente, o nível de cultivo de seu corpo era muito baixo em comparação. A energia escura mal parou.

Mas Van não se atreveu a usar as poses meditativas da técnica do «Sacrifico de Mil Santos». Embora ele instintivamente sentisse que isso o ajudaria a absorver e desviar um pouco do poder do Disco Negro de Pesquisa, ele sabia que também revelaria que ele havia praticado uma técnica de cultivo corporal e lhe traria mais desconfiança.

O que fazer?

Van cerrou os dentes. Ele só poderia ser bruto e usar o método mais básico possível.

Decisivamente, ele fortaleceu a palma da mão e bateu no peito.

Crack!

Vários ossos em sua caixa torácica quebraram.

Quando a dor trovejou através dele, Van canalizou a liberação de resposta do poder carnal trancada e forçou-a a fortalecer sua pele.

A energia passando para ele foi reduzida pela metade.

Não foi suficiente!

Van se desesperou.

Fios prateados de poder alcançaram sua mente. Como vermes em uma maçã, eles se contorceram.

Van sentiu com crescente horror a energia rastejante alcançando o centro do espaço da mente, onde o anel e o casco de tartaruga flutuavam, adormecidos. Uma fina mecha púrpura tocou o primeiro objeto que poderia alcançar – o casco da tartaruga verde.

O Marca de Prata Um sentiu uma resposta no disco. Seu olhar se aguçou. Com precisão infalível, ele encontrou Van, no topo do lobo.

Então, parecia que o garoto do qual o caçador tinha um rancor de fato escondia algum segredo.

O Marca Um manipulou o disco.

Van sentiu a energia escura empurrando-o com mais força. Os vermes roxos de Poder Espiritual retorciam e alcançavam o interior.

De repente, o casco de tartaruga tremeu.

Van sentiu o Qi frio e escuro dentro do casco de tartaruga verde aniquilar a energia púrpura que se aproximava e absorvê-la para si. Pulsando, ele expandiu-se ligeiramente.

Marca Um franziu a testa. O disco não respondeu novamente. Foi um erro? Ninguém mais na vila havia movido o Disco Negro de Pesquisa. Marca Um manipulou o disco novamente.

O poder sobre Van triplicou. Ele gemeu, sentindo o crânio sendo apertado pelo poder invasor. Mas, como da última vez, antes que a energia púrpura pudesse alcançar o anel, tudo foi “comido” pelo casco verde. A cada vez, ficava um pouco maior.

Não houve mais nenhuma resposta do disco. Marca Um inspecionou Van com os olhos.

Para um garoto tão magro, ele parecia emitir um ar determinado e sério. Uma inspeção adicional revelaria sinais de ter estado em contato com um item de fortalecimento corporal. Isso não era suspeito – o tipo de tesouro encontrado neste pequeno país com sua escassa atmosfera espiritual não merecia um segundo pensamento.

No entanto, se ele tivesse cultivado uma técnica de fortalecimento corporal… Marca Um estreitou os olhos, então esse era um tipo totalmente diferente de história.

Decisivamente, ele parou o disco.

O sol reapareceu.

Lentamente, os moradores se apoiaram para ficar de pé. Leif recuperou sua postura, os punhos cerrados ao seu lado.

Blade estremeceu de volta à vida.

Marca Um acenou com as mangas. O disco roxo voou para dentro.

“Obrigado pela sua cooperação”, ele disse calmamente. Como se ele não tivesse apenas mantido a vida de centenas de moradores em suas mãos.

Com um movimento de suas mangas, ele desapareceu de vista.

A vila soltou um suspiro de alívio.

Van sentiu seu coração cair de novo no lugar.

Ele respirou fundo. Jet o levou a um tesouro! Van sabia que sem o casco de tartaruga, ele e Jet teriam suas vidas colocadas nas mãos do homem mascarado.

Coração Negro também se acalmou. No topo do lobo, Finn estava pálida e fraca. Ela tinha ouvido um som mais cedo e viu o rosto severo de seu irmão se contorcer em uma careta feroz. A rachadura veio de seu corpo! Assustada e preocupada, ela se inclinou e apertou as pequenas mãos no peito do irmão. Ele se encolheu. Suavemente, ele tirou as mãos dela. “Eu estou bem”, ele assegurou.

Expressão congelada em um semblante de um sorriso, ele fingiu que a dor aguda em sua costela não existia. Quanto ao seu braço esquerdo fraturado? Ele já havia se acostumado com as dores.

Mas enquanto ele estava na frente desses moradores, ele não mostraria um pingo de desconforto ou fraqueza.

Nem um único pingo.

Sorrindo, ele recuperou sua postura de pé ao lado do lobo gigante. Finn enterrou a cabeça no pelo do lobo. Ele a confortou.

Leif se recuperou, o roxo se afastando de seu rosto.

Um uivo de raiva e fúria surgiu abruptamente pela praça.

Blade estava agachado ao lado de sua esposa. Seu rosto estava sem sangue, quase verde. Ela estava segurando seu estômago.

Como um animal selvagem, seus olhos encontraram os de Van.

De longe, de pé imponente sobre o telhado de palha de uma casa de campo, Marca de Prata Um observava em silêncio.

Ele bateu os dedos lentamente contra a perna, olhando para o garoto ao lado do lobo gigante.

Se houvesse a mínima chance…

 
Rolar para o topo