Godking – Capítulo 30

Godking: Ascending A Heavens

— Volume 01: Van —

Capítulo 30 —  Situação Pegajosa

Em uma floresta perto da Cidade do Dragão, duas pessoas perseguiam uma terceira. Eles trovejaram pelo chão da floresta, abaixando-se e tecendo através das árvores.

Embora já tivessem percorrido cerca de dois quilômetros de profundidade, isso ainda era considerada a periferia da floresta. Bestas demoníacas fortes não gostavam de vagar tão perto da cidade cultivadora já que os discípulos externos e internos das várias seitas de Cidade do Dragão eram frequentemente levados para a floresta para exercícios de treinamento ou para capturar bestas para domar. Embora esses discípulos não fossem muito, eram acompanhados por uma equipe de fortes especialistas. Então, a menos que os três servos percorressem nove ou dez quilômetros de profundidade na floresta, era improvável que fossem atacados por uma besta demoníaca.

Com os olhos presos nas costas do menino em fuga, Hans e Freya corriam a toda velocidade.

Embora o menino na frente não estivesse correndo extremamente rápido, ele sempre parecia estar fora de alcance.

“Seu pequeno bastardo! Apenas espere até eu colocar minhas mãos em você!” Hans rugiu, o rosto vermelho do esforço de correr. Com seu corpo grande e pesado, ele estava achando difícil acompanhar o avanço de Van. Freya estava muito melhor em contraste, mas seu rosto ainda estava vermelho e seus pulmões estavam desconfortavelmente apertados.

A intenção de Hans e Freya era ameaçar o garoto, e talvez aleijá-lo se ele não cumprisse suas exigências de entregar sua recompensa semanal a eles.

Com alguns ossos quebrados aqui e ali, ele não seria capaz de manejar um machado por meses e monopolizaria as maiores recompensas. Foi um cenário extremamente atraente; devido ao seu potencial medíocre, este foi o caminho mais rápido de Hans e Freya para alcançar o 3º Nível da Destilação de Qi e se tornar um discípulo externo!

Era isso que Hans e Freya haviam concordado, mas Hans achava que isso estava sendo tolerante demais, especialmente desde que…!

De má vontade, Hans lembrou-se de sua total humilhação há algumas semanas, quando impacientemente exigiu sua costumeira recompensa semanal no salão de plantas medicinais – apenas para que os criados ao redor explodissem em gargalhadas estridentes. O servo mais velho encarregado de distribuir as ervas sacudiu a cabeça.

“Receio que essas ervas não sejam para você.”

O rosto de Hans ficou branco e depois vermelho. Ele quase agarrou o servo mais velho pela garganta para sacudi-lo violentamente. As palavras sarcásticas ao redor dele entraram em seus ouvidos.

“Essa cérebro de musculo ainda pensa que ele é o mais forte… Olhe para ele exigindo suas incríveis recompensas de primeiro lugar… ah, espere, isso mesmo, elas não são mais dele…”

Mais risadas.

“Eu ouvi que o novo primeiro lugar é um garoto de treze anos. Inacreditável. Que tipo de lixo você tem que ser para perder para um pirralho.”

Com as orelhas queimando por causa das palavras “perder para um pirralho”, o rosto de Hans ficou branco e depois vermelho. As palavras queimaram em sua mente. Por noites, ele pulou e virou de um lado para o outro na noite, até que sua obsessão em recuperar o primeiro lugar quase se tornou um demônio interno!

O orgulho de Hans em si mesmo havia sofrido um duro golpe, ele nunca tinha sido tão humilhado em sua vida!

Hans estreitou os olhos, fazendo o ódio transbordar de sua aura.

Por essa humilhação, esse garoto iria receber toda a frustração e raiva que Hans acumulara nos últimos meses! Leniência não era uma palavra no vocabulário de Hans!

Cheio de alegria sádica, Hans perseguiu a pessoa em fuga.

Na frente deles, o fôlego de Van estava imperceptivelmente acelerado.

Antes de fortalecer seu corpo, Van era um bom corredor de longa distância. Agora que ele fortaleceu? Sua resistência estava em outro nível em comparação com os dois atrás dele, que só podiam ranger os dentes de longe.

Seus passos atrás dele ficaram mais pesados ​​e menos regulares.

Hans começou a desacelerar. Sua respiração era difícil e cada passo seu era pesado. O suor escorria pelas têmporas, pelo cabelo incrivelmente curto.

Hans deu uma olhada em Freya. A garota assentiu de volta.

Os olhos de Hans se concentraram no garoto da frente, sua concentração se aguçando.

Naquele momento, Van passou por uma árvore extremamente larga.

Hans reagiu imediatamente.

SOU!

Ele arremessou o bastão com todas as suas forças. Ele riscou o ar, brilhando perversamente. Algo pequeno estava preso a uma extremidade.

Van se esquivou facilmente com passos semelhantes a de gazelas. O bastão passou por ele.

BANG!!!

Atingiu a casca da árvore. Van continuou adiante, despreocupado.

Mas no momento em que o cajado atingiu a árvore, um sorriso exultante torceu os lábios de Hans. Ao lado dele, Freya sorriu, seus olhos castanhos brilhando com sarcasmo.

Uma espessa neblina cinzenta subia da árvore, espessa e penetrante. A pessoa correndo na frente deles estava obscurecida.

Hans e Freya pararam de correr. Eles tossiram; a fumaça ardia nos olhos e entupia os pulmões. Dizendo-se para manter a calma, esperaram que a fumaça se dissipasse.

Quando alguns metros em cada direção tornaram-se visíveis, eles sorriram um para o outro e caminharam confiantemente para a frente.

Uma vista magnífica saudou seus olhos.

Uma estrutura enorme e brilhante estava presa ao tronco de uma árvore extremamente larga. Fios grossos de uma teia misteriosa se estendiam sobre a casca áspera. Aconchegada dentro dos fios brilhantes havia uma vaga figura humana presa entre a teia misteriosa e a árvore.

Hans desatou a rir. Sua alegria explodiu pela floresta. Ao redor deles, a floresta estava estranhamente silenciosa. As pequenas criaturas fugiram há muito tempo. Animais maiores à distância ouviram o estrondo e se aproximaram, curiosos.

A superfície da teia ondulava para fora como se algo dentro estivesse lutando e atingindo a teia por dentro. Depois de um momento, a luta tornou-se menos violenta, mas a estrutura continuava a tremer de vez em quando.

Um grito desesperado pôde ser ouvido.

Sorrindo, Hans avançou para frente enquanto emitia um ar perigoso. Ele pegou o bastão prateado e continuou em frente.

Preso à árvore atrás dele pela teia pegajosa à sua frente, Van não ficou feliz.

No momento em que a fumaça cinzenta foi liberada, suas vestes reagiram violentamente. Grossos fios brancos de teia se formavam onde a fumaça tocava suas vestes. Ele tentou arrancar suas vestes, mas só conseguiu arrancar as costas antes que a fumaça o envolvesse completamente. Os fios continuavam saindo de suas vestes, voando em direção à árvore ao lado dele.

Alguns momentos depois, ele ficou preso. Os fios eram fortes, flexíveis e absorviam cada golpe que ele dava. Não importa quanto poder carnal ele canalizasse, ele não poderia perfurá-lo – ele iria distorcer momentaneamente e voltar à sua forma original, como se nada tivesse acontecido.

Houve um riso surdo e abafado.

“Eu tenho medo que, não importa o quanto você lute, você não vai sair tão cedo.”

Rolar para o topo