Godking – Capítulo 33

  • Asu 
Capítulo Anterior
Próximo Capítulo


Capítulo Anterior

Índice


Próximo Capítulo

Godking: Ascending A Heavens

— Volume 01: Van —

Capítulo 33 — Equipe de Patrulha A da Seita Interna


Asu
Tradutor | Editor

Entre duas árvores altas, uma jovem alta com uma espada amarrada à cintura estava em silêncio, esperando a hora passar. Ela usava longas vestes negras com uma única estrela branca bordada nas costas. Seu cabelo preto estava amarrado em um rabo de cavalo alto, dando uma aura severa e afiada.

Observando as árvores, Althea tirou um pequeno apito e soprou levemente. Apesar de não haver som audível, a reação ao seu redor foi imediata.

Shuah!

Shuah!

Ta-ta-ta-ta

Shua!

Fhwump!

Figuras vestidas apareceram na pequena clareira. Vestindo várias vestes coloridas, suas únicas semelhanças eram os emblemas em seus peitos. Eles eram todos discípulos internos das várias seitas da Cidade do Dragão. Na aparência, eles variavam de jovens adolescentes a trinta e poucos anos. Silenciosamente, eles se organizaram em uma linha reta na frente dela. Logo, um total de oito patrulheiros foram reunidos.

“Qualquer coisa para relatar?” Althea perguntou.

Alguém veio para a frente.

Era um jovem vestindo o mesmo uniforme que ela, as vestes negras de um discípulo da Seita da Estrela Cortante.

“Sim, Líder de Equipe! Uma hora atrás, notei um distúrbio nas bestas demoníacas. Muitos estavam fugindo para o meu território.”

Althea balançou a cabeça: “Isso é uma ocorrência bastante comum. Eles podem ter sido perseguidos por um grupo rival ou estar perseguindo suas presas”.

O jovem balançou a cabeça.

“Isso foi o que eu pensei também até que eu notei um grupo extremamente grande de lobos demoníacos de baixo nível movendo-se através da área. Eles se moviam rapidamente em uma direção e não estavam interessados ​​nas bestas demoníacas ao redor deles. Parecia suspeito”

“Você não investigou?”

O jovem da Seita da Estrela Cortante virou-se ligeiramente e olhou para alguém no meio deles.

“Eles estavam se movendo dentro da área de responsabilidade de outra pessoa, então eu não averiguei.”

A palavra “outra” foi enfatizada tão fortemente, e o olhar tão aguçado que dificilmente se poderia perder a mensagem.

Ela virou o olhar para o canto da formação deles. Um jovem com longos cabelos loiros com um olhar sonolento no rosto estava dando tapinhas em seu ombro a um pequeno macaco dourado. Enquanto ela observava, ele abriu a boca e soltou um bocejo prolongado e gutural. Quando ele notou o olhar dela, ele piscou seus olhos azuis e enviou-lhe uma piscadela de flerte.

Althea cruzou os braços, sem se impressionar: “Você tem alguma coisa para relatar, Dieter?”

O jovem colocou as mãos nas mangas de suas vestes verdes e inclinou a cabeça, considerando. O pequeno macaco dourado mostrou um olhar de expectativa para seu dono.

Longos segundos se passaram.

Um corvo grasnou no distante céu acima.

Dieter abriu a boca.

Todos se inclinaram para frente, sua curiosidade despertada.

Por que ele estava hesitando por tanto tempo?

Teria ele visto algo fora do comum?

“… Não. Não via nada.”

Alguém caiu.

O macaco dourado no ombro de Dieter enterrou seu rostinho nas mãos.

Althea franziu a testa, suas sobrancelhas escuras se unindo. Ela realmente não sabia como lidar com Dieter.

Embora suas capacidades não pudessem ser medidas, já que ele era um discípulo interno como ela, mas ele era tão ridiculamente irracional!

A última vez que outro membro da equipe tentou invadir sua área de patrulhamento, ele havia atraído um furioso Tromfante1 para seu território, causando uma confusão que levou dias para ser limpa. Inúmeras reclamações das seitas se seguiram, amarguradas e ressentidas com o fato de que suas excursões de treinamento tinham que ser canceladas.

Só de lembrar as pilhas de papelada e os inúmeros discursos pacificadores que ela teve que fazer estavam dando a Althea uma amarga dor de cabeça.

Ela estreitou os olhos e inspecionou a expressão de Dieter. Suas sobrancelhas justas estavam relaxadas e seus olhos meio fechados como se ele estivesse prestes a cair no sono.

“E os lobos demoníacos que foram vistos viajando pela sua área de patrulha?”

Os olhos azuis aquosos piscaram lentamente.

“Você acha que os hábitos migratórios de algumas bestas demoníacas de baixo nível valem a pena ser relatados?”

Althea franziu a testa: “Você está duvidando da minha competência?”

“Você está duvidando da nubga?” Dieter perguntou maliciosamente, uma sobrancelha levantada.

Althea não sabia como responder.

Dieter continuou indiferente.

“O que eu iria denunciar? Eles decidiram que minha área de patrulha era legal de se viver?”

“Eu vou ser honesto, é um ótimo lugarzinho. Há uma pequena nascente que eu gosto de visitar ocasionalmente, muitas presas pequenas e uma bela encosta para tomar sol. Se eu fosse uma besta demoníaca, também moraria lá!”

“Não é como se lobos caçando em bandos fosse algo fora do comum. Pelo que sabemos, eles poderiam estar perseguindo um coelho”.

Dieter fez uma pausa e abriu os braços. Ele se virou para o resto da equipe de patrulha.

“Alguém que NÃO SEJA da Seita da Estrela Cortante acha que esse evento insignificante merece mais atenção?”

Houve silêncio na clareira. Outros membros da patrulha evitavam seus olhares. De fato, eles tinham visto alguns lobos de demônio aqui e ali ocasionalmente nas últimas semanas. Como qualquer outro lobo, eles perseguiram suas presas em matilhas. Obviamente, eles decidiram que não eram nada que valesse a pena relatar. Nenhuma ação fora tomada até agora e, portanto, era evidente que os outros da equipe de patrulha tinham pensado o mesmo.

Quem sabia que seu novo líder seria tão cautelosa e orientada para os detalhes?

Os membros da equipe se entreolharam, desejando salvar um pouco o rosto de si mesmos.

Finalmente, uma jovem garota vestindo uma túnica azul clara da Seita Zefir se adiantou. Com um tom apologético, ela falou:

“Isso é… hum… bem, tradicionalmente as equipes de patrulha apenas relatam ou interferem em coisas que podem afetar a segurança e a reputação de nossas seitas. Você sabe, como prevenir lutas até a morte, ou rastrear os movimentos das bestas realmente fortes…” Ela parou, “eu acho … esse tipo de coisa é um pouco pequena para ser investigada…”

O companheiro de seita de Althea tinha uma expressão feia no rosto. Como Althea, ele era novo nas equipes de patrulha. Como ele saberia que a realidade de suas operações era diferente de suas expectativas?

Ele havia apontado os movimentos dos lobos porque queria expor os modos indiferentes de Dieter – como ele poderia saber que isso iria sair pela culatra tão espetacularmente? Não só ele perdeu a cara, mas Althea e a Seita da Estrela Cortante também perderam!

Ele olhou feio para as costas de Dieter, irritado, mas incapaz de desabafar.

Althea sorriu rigidamente. Ela virou um olhar infeliz para seu companheiro de seita. Ele abaixou a cabeça, evitando o olhar dela.

“Parece que é o erro do discípulo da nossa Estrela Cortante.”

Ela acenou com a mão. Quando ela falou novamente, ela recuperou seu comportamento e tom profissional.

“Nosso próximo turno de patrulha será daqui a três dias. Como de costume, nos reuniremos aqui para instruções antes e depois da mudança de turno. Os retardatários terão seus pontos de contribuição da seita deduzidos e seus direitos de caça suspensos até novo aviso.”

“Vocês estão todos dispensados.”

Três figuras desgrenhadas emergiram em uma pequena clareira na floresta.

Van podia ser visto primeiro, nu, exceto por uma grande folha que convenientemente cobria suas partes. Ele caminhou até a árvore e casualmente tirou o machado da árvore em que estivera trabalhando. Ele colocou-o no ombro.

Atrás dele, Hans e Freya entraram na clareira. Seus rostos estavam pálidos e sujos, mas pelo menos suas vestes ainda estavam intactas.

Van entregou-lhes uma pequena cabaça que acabara de encher de água e obrigou-os a lavar os rostos. Então ele instruiu-os a buscar algumas roupas para ele.

“Lembre-se das consequências se você me desobedecer”, ele avisou.

Na frente dele, a dupla assentiu solenemente, corações pesados. Eles pensaram em como apenas duas horas atrás, eles haviam perseguido esse sujeito com alto astral e saltado em sua armadilha. Eles estavam em pé no mesmo lugar em que começaram, mas como o mundo mudou tão completamente em tão pouco tempo?

Agora eles estavam ligados a cada palavra e capricho de Van por sua marca mental em suas mentes. Desobediência significava morte instantânea! Ou assim disse Van.

No entanto, nenhum deles foi tolo o suficiente para testar a obra de Van. Eles assentiram rigidamente e deixaram a floresta.


Capítulo Anterior

Índice


Próximo Capítulo

Nota:

1 Em inglês estava Trumphant, essa palavra não existe, que eu saiba, a palavra trumphant tem sido muito usada, principalmente no twitter, para se referir ao presidente norte-americano Donald Trump, essa palavra seria uma mistura de Trump e Elephant (Elefante). Como eu não consigo imaginar um elefante laranja com cabelos dourados, eu não sei como traduzir isso ‘-‘ eu vou deixar como Tromfante, apesar de não existir essa palavra também, é melhor que não traduzir.

Capítulo Anterior
Próximo Capítulo