Volume 02: Capítulo 23 — Poderes harmônicos

Jack Park e o Mistério das Realidades Alternativas

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

CAPÍTULO 23 – Poderes harmônicos

 

 

Realidade Média, Terra-03, labirinto de treinamento.

 

 

Os monstros não paravam de se aproximar em uma velocidade cada vez maior. Michel, que estava à frente, monitorava cada passo dado pelos adversários com a habilidade de seu antepassado. Jack estava a sua direita, também ativando o seu poder em grande escala, enquanto Jhenefer estava na retaguarda, observando os movimentos dos dois para copia-los e assim, se fortalecer ainda mais.

A sensação de medo com o suor escorrendo do rosto junto com o sangue fervente se manifestava ao mesmo tempo que a êxtase também crescia ainda mais, com as mãos formigando como se um enxame de formigas estivesse correndo sem rumo, e os olhos brilhando, sinalizando que o ápice chegaria naquele momento. Ninguém ali estava para brincadeira, as expressões era a prova disso. Seus rostos completamente neutros, que por trás, demonstrava e realidade do trio, a de matar e evoluir o mais rápido possível, não importava os meios.

— Michel, você consegue fazer manoplas com as pedras? Quanto mais forte for o seu primeiro ataque frontal, melhor o impacto e a vantagem. — indagou Jack propondo um começo de luta com uma habilidade que não havia certeza se seu amigo já conseguia manifestar.

— Eu acho que consigo fazer isso. Ainda não tinha me vindo a mente esse tipo de manifestação, mas para tudo tem uma primeira vez! — afirmou em seguida, concordando com a posição de Jack, olhando-o fixamente, dando-lhe um pequeno sorriso controverso, como se tudo estivesse bem até então.

Os monstros já estavam a uma boa distância dos três. Michel olhou em volta e percebeu que havia vários destroços das paredes, como pedras grandes e pequenas juntamente com o pó que era espalhado no ar. Ele se concentrou, ativou o poder de terra, fazendo um de seus olhos brilharem e fez um movimento com os braços, puxando algo pesado.

— Será que eu vou conseguir fazer isso mesmo? Na memória, Heated não havia usado ainda essa habilidade. Entretanto, é bom criar coisas novas, pelo menos vou me diferenciar dele. — disse ainda se concentrando e analisando a situação a sua volta, com seus braços brilhando, sentindo uma força de atração considerável, característico a um imã.

As pedras em sua volta começaram a flutuar e se atrair mais forte pela a força que seus braços empunhavam. Todas as pequenas e grandes pedras, juntas com a poeira se juntaram de seu cotovelo até a ponta de seus dedos, formando assim, grandes manoplas firmes e grosas, que geraria um forte ataque frontal.

Com os adversários a menos de cinco metros, Michel concentrou o seu poder em seus braços, fazendo-os brilharem ainda mais. Já com eles perto o suficiente, ele levou o seu braço direito para trás, pegando impulso e socou com toda a força acumulada. Seu golpe foi severamente critico, fazendo o tempo parar alguns milissegundos, formando uma enorme cratera abaixo dele com três divisões.  Com o impacto, somente dois dos monstros foram afetados, sendo-os jogados para vários metros à frente com grandes buracos em seus corpos.

— Isso aí, você conseguiu acertar em cheio! — Jack comemorou o ataque do amigo com um grande sorriso no rosto, porém, ainda preocupado — Ainda sobraram quatro, mas não dá pra ver direito com essa escuridão.

Após os monstros perceberem que os dois foram acertados em cheio, a raiva começou a se acumular e a energia junto com o poder começaram a crescer exponencialmente. As rochas dentro de seus corpos vieram a brilhar em uma cor avermelhada, misturada com um amarelo forte. Disso, essas rochas começaram a dilatar e crescer rapidamente, e o brilho a emanar ainda mais forte.

Como era noite, não se conseguia ver com precisão exatamente a forma dos monstros, mas depois de algum tempo, eles se revelaram. O que o grupo pensava que era dois metros, na verdade passava de três; os corpos médios ficaram gigantes; e as cores quase impercebíveis tomaram conta do recinto. Eram monstros oitenta por cento compostos de puro fogo ardente, e o seu interior feito com rochas vulcânicas, as quais geravam o fogo.

— Jack, está vento o que eu estou vendo né? — indagou Michel, olhando hipnotizado para os monstros gigantescos a frente.

— Sim… por essa eu realmente não esperava. São de fogo puro! — retrucou sem palavras o suficiente para descrever a sensação de inferioridade que sentia na hora.

— Tente absorver a força vital deles como eu fiz antes. Como são de fogo, deve dar certo. — Michel disse salientando do ocorrido passado, porém, da perspectiva dele.

Jack afirmou com a cabeça e seguiu a frente de Michel, o qual ainda estava com ambas as manoplas nos braços. Com a imagem dos quatro monstros a sua frente, ele respirou profundamente, fechou os olhos e começou a se concentrar. Em rápidos segundos, seu olho vermelho direito brilhou intensamente, significando a ativação do seu poder, com isso, focou nos corpos das criaturas.

— Primeiro, vamos absorver, depois…

Um dos monstros que havia sido derrubados por Michel, por algum motivo conseguiu golpear Jack por trás sem ser percebido, com um soco em cheio que acertou toda as suas costelas. O garoto voou por alguns metros até chegar ao chão. Uma de suas costelas havia sido quebrada, causando uma dor insuportável. Seu sangue era cuspido em montes e seus braços sem forças para se erguerem.

— Mas o que aconteceu? Como fui golpeado? — ponderou em seus pensamentos, pois a sua boca estava dormente — Como aquela coisa conseguiu nos acertar?

— Jack, erga-se, você ainda precisa lutar!

— Quem está falando isso? É o elemental? — indagou para a voz que falava com ele.

— Você não pode ser derrotado aqui, muito menos morto. Tente se levantar!

— E como você quer que eu faça isso? Estou estraçalhado! — gritou em seus pensamentos em resposta para o elemental. Ele já estava desesperado por não conseguir se mexer nem para respirar direito, seu corpo ficou fraco muito rapidamente, pois ainda não tinha um bom controle dos seus elementos.

— Para você se curar, precisa absorver a força vital deles. Poderíamos te curar facilmente, mas você precisará aprender a manipular os elementos externos, não só os internos, como nós. Tente chegar perto deles sem ser percebido.

— E como eu vou conseguir me mover? — perguntou ao elemental desesperado pela a sua falta de movimento.

— Você consegue, mesmo com uma costela quebrada, seu braço ainda está bom, só ficou dormente por um tempo. Tente ficar calmo e concentre-se no seu objetivo.

— Diz como se fosse fácil fazer tal coisa…

Dando alguns poucos suspiros pesados, o garoto procurou uma forma de se levantar, falhando algumas vezes. Seu braço ainda dormente, porém, um pouco melhor tentava se mover no chão, de pouco em pouco, seus movimentos foram retornando, sua força também ficava maior, mas uma costela quebrada ainda era um incomodo, pior que ele imaginava.

Enquanto Jack fazia o máximo possível para chegar perto das criaturas de fogo, na linha de frente, Michel continuava a trocar golpes ainda mais fortes. Jhenefer, sem ninguém para amparar por trás, ficou na linha direta ao lado de Michel, disparando rajadas de água, que em teoria, deveria enfraquecer os adversários, mas o poder ali era incomparável.

Seu olho azul direito brilhava como uma estrela em um céu escuro na mesma intensidade dos monstros, isso mostrava que o seu poder estava no máximo que conseguia ativar, pelo menos até aquele momento.

— O que vamos fazer? Não damos conta sem Jack aqui! — indagou para Michel desesperada pois seus ataques não estavam fazendo o efeito que desejava.

— Temos que aguentar um pouco mais de tempo, ele não foi morto, pois consigo sentir a energia dele… de alguma forma. Vamos segurar eles aqui um pouco mais, ele deve ter um plano em mente.

— E como teremos certeza disso? Está vendo como estamos em desvantagem aqui? Não é igual ao monstro que vocês dois enfrentaram antes, tenho certeza —retrucou ainda mais estressada pois Michel tentava aliviar uma situação que claramente não era nada vantajosa para nenhum dos dois.

— Pare de usar o elemento água e mude para o de vento, alterne entre eles quanto mais rápido conseguir.

Jhenefer, sem escolha, seguiu o conselho de seu amigo. No mesmo instante, ela fechou ambos os olhos, e se concentrou, fazendo o olho direito do elemento agua se apagar, enquanto o esquerdo que seria o de vento, brilhar na mesma intensidade do anterior. Por algum motivo, o elemento transbordava de poder, isso fez o seu corpo brilhar junto ao seu olho e flutuar com as rajadas de ar que seus braços e pernas liberavam sincronizados.

— Mas o que… eu nem usei esse elemento antes, como pode ser tão forte que o de água? — ponderou em sua mente turbulenta enquanto flutuava a uma boa distância do chão.

Todos a volta parou de se mexer, Michel, os monstros, e Jack que estava quase perto dali, também presenciou uma pessoa brilhante igualmente um anjo no céu escuro. Depois de pensar uns instantes, percebeu que sua amiga havia liberado um de seus elementos, mas também não sabia que seria tão “radiante” como aparentou.

— Parece que ela virou um anjo, mas espero que não seja um comum. — disse pensando alto ainda se aproximando do local, com seus braços já moveis e suas pernas ainda meio sem forças.

— Vamos ver o que isso pode fazer! — Jhenefer disse abrindo e fechando as mãos olhando para baixo e percebendo que as criaturas estavam olhando fixamente para ela, dando uma boa oportunidade de atacar de frente.

Com todo o poder que tinha transbordando, criou um furacão ao redor dos monstros, com a intenção de tirá-los do chão, assim, conseguindo atacar, mas não foi como esperado. Por mais força que colocava, as criaturas não moviam um musculo, mas ainda continuavam a olhar fixamente, como se não estivessem entendendo direito o que a garota estava fazendo.

— Não está surtindo efeito, porque? — indagou-se perplexa, pois a sua força naquele momento ainda não era o suficiente para a batalha.

— Jhenefer, tente distraí-los dai de cima, vou tentar acertá-los daqui de baixo.

A dupla começou a atacar novamente, com Jhenefer usando vento como distração enquanto Michel golpeava novamente com as manoplas. Os ataques eram fortes, mas ainda assim, não o suficiente. Quando se viram sem rumo, os monstros começaram a ter seu brilho diminuindo de pouco em pouco.

— Mas… o que eles estão fazendo? — Michel perguntou sem entender o ocorrido.

— É ele, eu consigo ver! — Jhenefer afirmou com lágrimas de felicidade escorrendo de seu rosto.

O ocorrido na verdade estava sendo causado por Jack. Ele conseguiu chegar perto o suficiente sem ser notado e ativou o seu elemento de fogo, assim, absorvendo a força vital dos monstros. Quanto mais absorvia, seus órgãos, bem como ferimentos se curavam instantaneamente.

— Então é assim que se faz? Não é tão difícil. — disse já com o corpo ereto e cabeça erguida, absorvendo ainda mais energia dos monstros — Jhenefer, prepare-se, nós dois vamos atacar em conjunto.

— Você tem um plano? — ponderou para Jack confiante que seu amigo saberia o que fazer.

— Faça novamente um furacão, o mais forte e alto que puder. Irei jogar fogo nele. Assim, conseguirei absorver melhor a força deles e você pode deteriorá-los de dentro para fora.

— Certo.

Com os dois pensando em conjunto, Jhenefer se concentrou e formou um furacão de aproximadamente dez metros, grande o suficiente para que todos do labirinto conseguissem enxerga-lo. Com ele formado e os monstros em seu centro, Jack lançou múltiplos ataques de fogo, que juntando ao vento, formaria um furacão de fogo ardente.

Em vantagem, Jack começou novamente a absorver os elementos das criaturas, agora mais facilmente. Depois de alguns segundos, o grande brilho delas desapareceu, assim, Jhenefer conseguiu penetrar dentro delas, destruindo-as por completo.

— Parece que conseguimos! — afirmou Jhenefer feliz com o resultado final.

— Bom trabalho em equipe de vocês dois, me deixaram no chinelo — Michel parabenizou a dupla também feliz pelo trabalho em equipe.

— Você também foi bem distraindo eles, conseguiu uma boa vantagem.

— Até parece.

Todos os três começaram a gargalhar contentes pela vitória merecida, porém, os corredores foram ficando cada vez menores, o tamanho foi diminuindo a cada metro, dificultando a transição. Eles passavam com certa dificuldade, mas já raciocinando as dificuldades futuras com as próximas lutas.

 

 

Em algum lugar distante da Terra-03…

 

 

— Luna, o que você tem? — indagou a mãe preocupada com o bem estar da sua filha mais nova.

— Eu não sei, esses sinais começaram a pulsar novamente, mas não sei a razão. — respondeu a garota preocupada com o estado de seu corpo, que doía a cada órgão e o psicológico, que era o mais abatido.

De repente, outra garota, maior e mais encorpada adentra na casa onde as duas estavam, com a blusa levantada mostrando o umbigo com duas formas estranhas, causando os mesmos problemas da outra garota.

— Você também Dália? Meu deus o que eu faço com vocês duas… — suplicou a mãe desesperada sem saber o que fazer e desorientada com suas duas filhas tendo os mesmos sintomas ao mesmo tempo.

— O que ou quem será que está fazendo isso conosco Dália?

— E como eu vou saber? Mas estou sentindo um calor estranho no corpo, mas é um calor bom.

— Eu também estou começando a sentir isso.

As duas irmãs demonstravam os mesmos sintomas e reações, como se algo estivesse conectando-as remotamente, sem que ambas percebessem. A batalha que Jack enfrentou desencadeou algo que nem ele mesmo esperava, não naquele momento. A sua busca, que levaria tanto tempo, se encurtou ainda mais, e naquela noite de lua cheia, a sua teoria se concretizava de pouco em pouco, a lua estava próxima.

 

 

 

Continua…

Aviso do Autor:

LUPE_SANO

LUPE_SANO

Chave Pix copiada!
Rolar para o topo