Capítulo 12 – Mansão Bertino na Rua Harrods – Parte III

Julietta Vista-se

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

Mansão Bertino na Rua Harrods  Parte III


“Comece limpando a sala vazia. Tire a poeira dos móveis todos os dias, troque os lençóis todos os dias, remova a poeira do carpete a cada três dias…”

Julieta não conseguia se lembrar das tarefas que se estendiam indefinidamente.

‘Não sei se consigo memorizar tudo. Quando eu receber o pagamento, primeiro comprarei uma caneta.’

Julieta entrou na sala apontada pela empregada. Quando Julieta entrou na sala que ela pensou que estava vazia, uma bela empregada com cabelos grisalhos e olhos pretos perguntou: “Você é a nova empregada?”

“Sim. Estou trabalhando a partir de hoje. Meu nome é Julieta.”

“Eu sou Anna. Eu deveria ser responsável pelo lado leste a partir de hoje. Vamos nos dar bem.”

Uma semana atrás, Anna, que fora contratada para trabalhar no quarto por instrução do dono da mansão, o príncipe Bertino, ficara hipnotizada por uma atmosfera mais sexy do que o normal e sua aparência nua, mas falhou na ordem que o príncipe lhe dera. Ela caiu na raiva do príncipe, que realmente não gostava que suas ordens não fossem obedecidas instantaneamente, sendo forçado a repetir as palavras que proferira uma vez, fora repreendido por Sir Albert e rebaixado a empregada de limpeza.

Anna, que tinha sido esnobe por ser diferente das empregadas comuns, ficou muito zangada com o fato de ter se tornado uma empregada de limpeza. Vendo sua atitude de descontentamento, o mordomo disse-lhe que deixasse a mansão se não gostasse de ser faxineira.

Tendo recebido um período de carência de uma semana, ela estava seriamente preocupada em encontrar outro emprego, mas não podia pedir demissão, pois esse trabalho permitiria que ela visse o príncipe ocasionalmente. Muitas das mulheres do príncipe eram muito piores do que ela, então ela não tinha dúvidas de que um dia teria uma chance.

De acordo com informações obtidas atraindo Jeff, o servo do Príncipe, o Príncipe nunca escolheu uma mulher primeiro, ele dispensou qualquer mulher chata que a achasse especial depois de alguns meses, e naquela época uma mulher sortuda entre as mulheres ao redor dele recebeu um chance.

Anna estava procurando uma chance, pensando que seria capaz de colocar as mãos nele por apenas alguns meses. Esses meses poderiam ser anos se ela não incomodasse o príncipe e não fizesse nada que ele odiasse. Mas ela perdeu uma boa oportunidade depois de um breve erro ontem.

Anna continuamente lamentou seu erro. Ela decidiu ganhar o favor da camareira-chefe e do mordomo trabalhando duro por enquanto, e se tornar uma criada que poderia entrar e sair do quarto do príncipe novamente.

No entanto, uma nova empregada com a pior aparência entrou, parecendo burra. No momento sua mente estava novamente abalada, porque ela não queria fazer a limpeza a que não estava acostumada.

Com aquela aparência, ninguém na mansão iria querer lidar com ela, então um pouco de charme tornaria a nova empregada sua. Pensando nisso, Anna sorriu docemente para sua nova empregada.

Julieta se sentiu aliviada com o primeiro gesto amigável que recebeu depois de chegar à mansão. Comovida com a pouca bondade, ela cumprimentou Anna com um sorriso caloroso e curvou-se diante dela. “Sim, tenho um favor a lhe pedir.”

_________________________________________________________

Julieta acordou na manhã seguinte após um dia agitado e ponderou sobre o que tinha acontecido ontem antes de descer para o primeiro andar para trabalhar.

Ela ficou encantada ao pensar ‘Uma aparência não é para toda a vida’ quando a bela donzela Anna a tratou com bondade, diferente de qualquer outra pessoa. Mas havia um motivo diferente para seu comportamento e bondade não provocada.

Anna, que costumava ser afetuosa com sua voz mansa, dissera que ela era da família do Barão e uma criada que servira diretamente ao príncipe até uma semana atrás. Ela disse que tinha havido um mal-entendido por um tempo e agora ela estava trabalhando como empregada de limpeza, mas ela voltaria a ser uma empregada do príncipe, e se Julieta fosse boa para ela, seu futuro seria mais fácil.

A razão pela qual ela disse tal coisa foi para passar adiante o que ela tinha que fazer no final.

Ontem, Julieta teve que limpar os quartos vazios e áreas comunitárias usadas pelos criados e empregadas até tarde da noite após o jantar por ordem de Anna, que estava ao lado dela e mal movia suas mãos. Embora se sentisse inchada, Julieta, que não queria fazer inimizade no primeiro dia e não queria que seu futuro fosse assim, fez o que lhe foi dito.

Pensando que a mesma coisa iria acontecer novamente hoje, ela murmurou, adicionando um vestido fofo em cima de sua calcinha pesada, “O que devo fazer se eu tiver que fazer um movimento?”

Mas ela não conseguia pensar em nenhum método específico, então suspirou e desceu as escadas.

“Julieta, você nunca conheceu o Príncipe?” perguntou Anna, sentando-se de pernas cruzadas ao lado de Julieta, que estava varrendo e limpando a ponto de quebrar suas costas, cantarolando uma música e fazendo uma expressão estúpida.

“Não, eu não conheço.” Para Julietta, determinada a enterrar o incidente passado bem fundo em sua mente, o príncipe Bertino era um homem que ela nunca conheceu.

“Suponho que uma garota como você não poderia conhecer Sua Alteza. Receio não poder vê-lo novamente hoje. Ouvi dizer que a empregada disse que você não deve ser vista por outras pessoas, certo?”

Anna tinha acabado de começar a tratar Julieta de forma imprudente, deixando para trás a bondade pretensiosa.

“Correto.”

“Que pena. Eu sinto muito por ouvir isso; um dos maiores prazeres das empregadas que aqui trabalham é poderem vê-lo de perto.”

“Obrigada pela sua atenção. Mas estou numa situação em que a limpeza que tenho de terminar hoje é mais importante do que o bolo de arroz do quadro, o Príncipe.”

Julieta, que havia gravado a palavra ‘paciência’ depois de ontem e hoje, estava pensando ‘Não vamos lidar com ela, mas ficar calma’, mas não suportava Anna, que ficava mexendo em seu lado.

“Bolo de arroz do quadro? O que isso tem a ver com Sua Alteza?”

Quando Anna, que não sabia o que significava, arregalou os olhos e perguntou de novo, Julieta respondeu com desprezo: “Se você não entendeu, tudo bem. E se você vai continuar sem trabalhar hoje, vou contar para a empregada. Estou ocupada fazendo o que estou designado, e não tenho a menor intenção de fazer o trabalho de dois. ”

A mudança repentina na atitude de Julieta, que estava trabalhando como ela acabara de ouvir, fez Anna ficar boquiaberta. “Ei, você não ouviu quem eu era ontem? Não sou o tipo de pessoa que limpa. Se eu me tornar a empregada do Príncipe novamente mais tarde, posso fazer com que você trabalhe comigo. Então você poderá ver o Príncipe bem de perto.”

“Eu não preciso. Você não precisa me dar essa chance, então comece a limpar agora, ou eu irei e contarei para a empregada imediatamente.”

Ao limpar os locais designados, elas deveriam limpar aos pares. Anna, que foi rebaixada a empregada de limpeza, e Julieta, que acabara de entrar, foram emparelhadas para substituir os lençóis e limpar a poeira dos móveis, enquanto Julieta se encarregava da limpeza dos tapetes e do chão. No entanto, quando Anna entregou a cota de trabalho das duas empregadas para ela ontem, ela explodiu.

‘Qual é a diferença se eu adicionar mais uma pessoa como inimiga quando estou cercada por inimigos por todos os lados? Agora eu não me importo com o que vai acontecer.’

Julieta deu o esfregão de mão que segurava para Anna, cuja boca estava aberta de vergonha. Ela olhou para trás e a ameaçou novamente, arrastando o tapete e não a deixando sair da sala.

“Certifique-se de limpar até eu voltar. Fiz seu trabalho ontem, então quero que você termine de limpar o chão que me foi atribuído hoje.”

Anna então teve que continuar o trabalho de limpeza com o qual ela estava insatisfeita, pois ela não podia ser preguiçosa após as ameaças de Julieta. Depois de terminar sua limpeza interminável, ela ficou furiosa e grunhiu: ‘Embora seja apenas uma iniciante, você me ameaça! Eu não posso ficar assim para sempre.’

Ela tinha pensado que poderia facilmente sobreviver ao trabalho de empregada, já que Julieta tinha entrado como alguém de pouca importância, até que ela voltasse a ser uma criada do Príncipe. Mas parecia que ela tinha levado uma surra nas costas e agora ela queria descobrir uma maneira de chutar a garota feia para fora.


Tradução: Sa-chan

Revisão: Sa-chan

Obrigada pela leitura. ^-^

Parceiro:

Alone Scanlator

Alone Scanlator

Rolar para o topo