Capítulo 26 – O principado de Bertino – Parte VII

Julietta Vista-se

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

O principado de Bertino  Parte VII


“E você vai dormir no chão ao lado desta cama a partir de hoje.”

“O que?”

Mesmo sendo o melhor quarto da pousada, era um quarto pequeno onde a porta dava para entrar a poucos passos da cama. Não importava como ela dormiria no chão, a pressão de dormir com o Príncipe neste pequeno quarto fez as palavras de protesto de Julieta saírem de sua boca.

“Eu posso dormir na sala de estar.”

Ele não mandaria Julieta dormir sozinha no chão da cama, mas ela se rebelou com ar de inocência. Killian, no entanto, acrescentou outra palavra a Albert, pois não a ouviu: “Saia daqui imediatamente, e eu não preciso de uma escolta na frente do meu quarto hoje, então deixe-o vazio.”

“Vossa Alteza, é um absurdo. Não acredito que vai mandar embora as escoltas. E se alguém invadir?”

Albert pulou fora de si, mas Killian tirou o robe com força, vestiu a calça e a camisa novamente e foi para a cama.

“Eu tenho uma empregada forte. Não se preocupe. Ela vai me proteger até mesmo bloqueando todos.”

“Eu sou?” ‘O que é isso, algum tipo de confiança sem fundamento?’

Quando Julieta ficou estupefata com as palavras desajeitadas, Killian esclareceu: “Se alguma coisa acontecer comigo, tenho certeza de que as pessoas sob mim não estarão seguras.”

Julieta aceitou imediatamente. Saindo rapidamente para a sala de estar e pegando um par de cobertores no sofá, ela calmamente colocou o cobertor que havia trazido ao lado da cama onde Killian estava deitado.

Albert balançou a cabeça tristemente ao ver Julieta e saiu para cumprir suas ordens.

Julieta olhou para a cama de seu patrão e pensou por um momento se deveria tirar os óculos pesados. Já haviam se passado alguns meses desde o incidente do vinho, e ele não se lembraria de que aquela garota era ela mesma, mas ela hesitou. Se ela fosse pega, ela não sabia qual seria a reação perversa do Príncipe, que não poderia ser chamado de boa pessoa.

Mas parecia mais suspeito dormir com os óculos, e ela se deitou com eles nas mãos para poder vesti-los a qualquer momento.

Enquanto ela estava deitada em um cobertor usando um vestido desconfortável com arames em sua cintura e quadris, o fogo explodiu de dentro dela. Quanto mais ela pensava sobre por que não conseguia dormir bem, mais irritada ficava.

“Pare de se agitar e durma. Ou você está esperando algo diferente?” Sua voz baixa e pitoresca fez Julieta parecer que estava dormindo em uma respiração.

‘Não sei por que ele não odeia ou detesta minha aparência disfarçada como todo mundo.’

Ela estava preocupada que o Príncipe estivesse sendo generoso, então ela não conseguia esconder isso, e que ela poderia estar encurtando sua vida cometendo um grande erro.

Killian saiu furtivamente da cama enquanto Julieta lentamente adormecia, tentando apagar o pensamento sinistro de que ele poderia ficar louco para tomar um banho amanhã de manhã.

‘Por que você estava com tanta raiva?’

Ela fingiu estar dormindo, mas quando ele disse algo, ela adormeceu rapidamente, isso foi fofo. Era incrível que uma empregada incomum que ele nunca tinha experimentado o tivesse deixado muito feliz em sua viagem entediante.

Killian achou melhor dizer a Albert amanhã para parar de encontrar uma nova empregada.

‘Onde posso ir e conseguir uma empregada que me odeia desse jeito engraçado?’

Ele estava tão feliz que pensou que faria o máximo possível com o que aconteceu hoje.

Exatamente duas horas depois, Killian percebeu que tinha uma ideia muito ruim antes.

A filha mais velha do conde Baden esperava vir para sua cama, e ele estava confiante de que seria capaz de lidar com isso com perfeição porque estava de ótimo humor hoje, mas foi um grande erro de cálculo.

Enquanto limpava a adaga, que lhe fora deixada pelo falecido avô, com o fundo de respiração regular, ouviu a porta da sala de estar que levava ao corredor da pousada se abrir.

Pensando que ela finalmente havia chegado, Killian chutou a empregada adormecida no chão com os dedos dos pés de suas longas pernas. Era imperdoável que ela adormecesse antes dele, o Príncipe, mas esta maçante donzela nunca pensou em acordar, apesar do chute urgente.

Enquanto pensava no que fazer, a porta do quarto se abriu, e a sombra que se infiltrou nela saltou para a cama e esmagou seu corpo antes mesmo que ele preparasse seu coração.

De acordo com seus cálculos, a mulher teve que tropeçar na empregada ao se deitar na cama. No entanto, o obstáculo foi naturalmente eliminado, pois Julieta permaneceu perto da cama para evitar seu chute.

Nunca foi uma boa sensação se entregar  repentinamente para alguém que veio no meio da noite. Sua generosidade, que raramente era vista, hoje atingiu o fundo do poço em um momento.

Killian agarrou o pescoço da mulher atrevida e a jogou para fora de sua cama sem piedade. Um grito saiu da boca de uma mulher que caiu ao chão e, ao mesmo tempo, a empregada que dormia levantou-se perplexa.

“O quê, que som é esse?”

Uma Julieta perplexa olhou ao redor da sala escura, e a fria ordem do Príncipe caiu, “Acenda a luz.”

A voz sombria do príncipe, que parecia sinalizar ‘Você está morta agora’, estava tão fria que seu coração deu um salto em sua garganta. Assim que ela acendeu a luz mágica depois de se apressar para colocar os óculos que não havia perdido nem durante a surpresa, ela viu uma mulher deitada com roupas rasgadas no pescoço.

A atmosfera sombria cresceu e ficou mais desagradável quando Julieta olhou para seu patrão com olhos desconfiados.

“O que é esse olhar nos seus olhos? Livre-se dessa mulher agora mesmo!”

Conforme o olhar feroz e a voz revelavam que ele estava realmente bravo, Julieta rapidamente se aproximou da mulher que havia caído.

“Bem, senhora, controle-se. Acorde. Você não pode mentir aqui assim.”

Ela sacudiu a mulher com cuidado, como acordar um bêbado deitado na rua, mas a mulher nunca pensou em acordar. Ela ficou agonizando por um momento pensando em como acordar e sentiu um arrepio na espinha.

Ao sentir que o tempo da bomba estava indo para zero, Julieta começou a sacudir a mulher fortemente. Ela sentia muito por sacudi-la sem coração, mas não era hora de ignorar a situação de uma mulher.

Ela pensou que a mulher, que estava estendida no quarto de um homem no meio da noite, estava errada e a sacudiu com todas as suas forças, e finalmente a mulher cadavérica começou a responder.

“Uh, Ugh.” Ela gemeu quando a mulher acordou, como se a mente sarcástica de Julieta fosse transmitida para ela.

‘O que diabos aconteceu? E por que essa mulher estava deitada aqui desmaiada?’

Julieta só queria que ela se levantasse antes que a bomba explodisse. Quando ela olhou para o Príncipe com olhos ansiosos e se perguntando quanto tempo ele esperaria, a mulher finalmente abriu os olhos.

“Onde, onde estou…?”

A mulher, que gemia com a cabeça apoiada na cabeceira, de repente levantou a cabeça. Ela empurrou Julieta e correu para o príncipe.

“Alteza, eu tive que vir aqui para vê-lo. Por favor, me dê um abraço.”

Agora ela parecia estar completamente fora de alcance com a expressão do Príncipe e a atmosfera na sala. Enquanto ela estava agonizando sobre se deveria parar a mulher que se agarrou firmemente a ele, ela estava pendurada em seus ombros e puxando para baixo o pijama fino.

A mulher começou a chorar lamentavelmente quando seu peito nu e gordo foi exposto. Quando o Príncipe olhou para a cena sem dizer uma palavra, Julieta lentamente deu um passo para trás, pensando que era uma atmosfera da qual ela precisava se retirar.


Tradução: Sa-chan

Revisão: Sa-chan

Obrigada pela leitura. ^-^

Parceiro:

Alone Scanlator

Alone Scanlator

Rolar para o topo