Capítulo 53 – Castelo Calen – Parte XIV

Julietta Vista-se

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

Castelo Calen  Parte XIV


Enquanto ela estava envolvida em doces fantasias sobre seu futuro, Killian continuou com o questionamento. “Foi só porque você mostrou a ela o caminho com gentileza, e de repente ela bateu em você sem motivo?”

Ao tom baixo de Killian, Sylvia assentiu e olhou para o visconde Chaister. Parecia que a baronesa Lanolf finalmente o havia contatado.

Ela estava mais nervosa e tremendo com o fardo, mas já havia acontecido. Sylvia, agora incapaz de recuar, acalmou o coração e respondeu com uma cara triste, espremendo as lágrimas como ela havia praticado inúmeras vezes. “Sim sua Majestade. Eu apenas fiz um pouco de gentileza…”

Killian olhou para a mulher chorando e ordenou a Albert: “Albert, repita o que você ouviu de minha empregada.”

“Alteza, por que não está aqui uma vadia escandalosa que deveria ser morta e minha filha, a vítima, está sendo questionada como uma pecadora? Você não pode fazer isso!” O visconde Chaister, que não gostou de ser ignorado antes, protestou, incapaz de se conter quando apenas sua filha estava sendo chamada para interrogatório.

O olhar sem coração de Killian permaneceu inalterado, apesar do grito de raiva que encheu o salão. De qualquer forma, hoje a família de Chaister desapareceria do continente Lenaid. Ele não tinha intenção de trazer Julieta e fazer dela um espetáculo.

“Albert, diga-me o que você ouviu.”

As pessoas que se reuniram no corredor começaram a se agitar enquanto Killian continuava a tratar o visconde como não existindo há algum tempo.

O rosto de Pamela endureceu enquanto ela observava a situação se desenvolver. O príncipe arrogante e de coração frio havia traçado uma linha distinta entre os assuntos públicos e privados. Mesmo que ele considerasse a empregada inocente e Sylvia repreensível, depois de ser pego nisso, o Príncipe, que deveria confortar Sylvia, a vítima, não deu nenhum sinal disso, mesmo que todos estivessem olhando, era tão suspeito. Assim que se casou, perdeu o marido, foi para o Castelo Calen e trabalhou como empregada doméstica por muito tempo. A sensação que ela conquistou com o tempo estava lhe enviando um aviso.

Celine, a garota que bateu em Sylvia, disse que ela não tinha sido pega por ninguém, mas a atitude do Príncipe deixou claro que as coisas estavam erradas.

Pamela gentilmente girou seu anel em direção à palma de sua mão. Ela colocou no dedo para se preparar para uma possível situação. O anel foi projetado para levantar uma agulha que estava escondida dentro do anel quando o pequeno rubi foi enrolado em volta do conjunto. Com um aperto firme no rubi na palma da mão, Pamela avançou suavemente por entre as pessoas reunidas.

“Entendo. Minha empregada teve uma discussão com Lady Chaister.”

“O que ela disse, que uma mulher de vestido preto apareceu de repente e me bateu é mentira. Não pode haver tal pessoa neste castelo com uma guarda reforçada. Se existisse uma pessoa tão suspeita, por que os cavaleiros não encontraram a pessoa ontem quando estavam procurando por ela?”

Sylvia refutou as palavras de Albert com a voz trêmula. Ela até pensou que era um verdadeiro alívio que a empregada não estivesse aqui. Seria muito difícil para ela mentir enquanto enfrentava a empregada que havia prendido.

“Parecia que ela tinha muito orgulho de ser uma empregada pessoal de Vossa Alteza. Embora ela tenha nascido plebeia, ela parecia pensar que era diferente das empregadas comuns, e disse que podia passar pelo portão principal e ficou com raiva de mim. No entanto, não foi um problema e eu a aconselhei a ficar longe do portão principal enquanto pudesse, a menos que ela estivesse ocupada. Com minhas palavras, ela de repente começou a me bater, dizendo que ela era diferente das empregadas comuns, e eu fui arrogante em ensiná-la.”

Enquanto Sylvia mostrava seu rosto esquerdo ligeiramente machucado e azulado para Killian, e chorava, um suspiro grotesco de ‘Oh, meu Deus’ estava na boca de quem a viu.

Sylvia ergueu a cabeça para ver a reação do Príncipe, impulsionada pela reação do povo. Depois que ele viu seu rosto machucado, ela pensou que a aparência casual poderia ter mudado. Mas Sylvia vacilou para trás, porque a expressão dele olhando diretamente para ela era cheia de desprezo.

As pernas de Sylvia começaram a tremer com a expressão, o que mostrava claramente que ele não acreditava no que ela havia dito.

* * * * *

Oswald passou no restaurante mais famoso de Ricaren, Manol, depois de conversar sobre o negócio de joias com o velho anão.

Quando o Marquês, vestido com uma jaqueta azul viva e um colete dourado que combinava com a carruagem laranja, saiu na frente do restaurante, seus olhos foram atraídos para a vista espetacular. Ao entrar no restaurante graciosamente, apreciando os olhares das pessoas, o motorista da família de Oswald mudou-se para a cocheira.

Normalmente, ele teria parado a carruagem na cocheira e ido a uma lanchonete próxima e passado algum tempo com moderação, mas hoje foi diferente. O motorista parou a carruagem na área mais interna e abriu as duas portas das carruagens.

Enquanto o motorista estava ocupado indo e vindo por um tempo, uma luxuosa carruagem azul escura entrou.

A nova carruagem parou ao lado da do marquês, que era definitivamente visível mesmo dentro da cocheira. Logo o cocheiro de uniforme azul escuro saltou do assento do cavalo, abriu as portas da carruagem e começou a limpar como o cocheiro da carruagem laranja.

Uma equipe de seguranças na cocheira olhou para os motoristas, que limpavam diligentemente o interior da carroça de longe, e retirou as lancheiras que haviam preparado. Eles pensaram que estariam ocupados o dia todo hoje, vendo a multidão de convidados chegando mais cedo do que de costume, e eles tinham que terminar suas refeições antes que estivessem muito ocupados. Eles pegaram seus garfos.

O cocheiro da carruagem azul, quando viu que os guardas estavam absortos em suas refeições, agarrou a mão do duque Martin e o levantou.

“É a primeira vez que estou deitado no chão de uma carruagem em mais de cinquenta anos.” O resmungão duque de Martin, escondendo-se atrás das portas da carruagem aberta, mudou-se em segurança para a próxima carruagem. Enquanto o duque estava deitado no chão novamente fora da vista do lado de fora, Adam, vestido como um motorista, sussurrou: “Sinto muito, pai, mas você tem que ficar embaixo do assento.”

Um gemido exasperado saiu da boca do duque Martin.

“Vou entrar antes de chegar ao castelo. Não sei quando o Marquês pode chegar, mas se eu já estiver lá, não tenho certeza se vou sair vivo, porque minhas pernas estão dormentes.”

“Quando a carruagem partir, entre. Não há nada de errado em ser cuidadoso.”

Em suas palavras finais, Adam sem coração fechou as portas da carruagem e ordenou ao motorista da família do Marquês Oswald: “Antes de começar, você o ajudará a se esconder.”

“Sim, meu conde.”

Depois de acenar com a cabeça para a resposta do motorista, Adam subiu no assento de cavalo da carruagem que ele dirigia e fingiu adormecer com o chapéu bem pressionado para baixo.

* * * * *

Naquela época, Oswald, o fornecedor de carroças, estava se divertindo, com suas obras de arte que agradavam a boca.

“Oh meu Deus, quem é este? Marquês Oswald! Não acredito que estamos nos encontrando aqui.”

O duque Kiellini ficou muito satisfeito ao encontrar Oswald jantando no terraço do Manol, um restaurante com uma fonte na praça de Ricaren.

“Excelência, faz muito tempo. Fiquei surpreso ao saber que você iria visitar Bertino. Quando te vi na primavera, você não disse sobre isso.”

Depois que Oswald, um aristocrata austero e assessor mais próximo do Príncipe, apareceu no restaurante, a atenção de um punhado de convidados e funcionários do restaurante logo se voltou para ele. Quando um cavalheiro de cabelos prateados apareceu, que parecia ter uma classificação mais elevada do que ele, as pessoas ficaram mais excitadas e focadas neles para não perder uma palavra.

“O duque Martin elogiou muito o verão de Bertino como lindo. Eu o acompanhei quando ele veio visitar Bertino. Além disso, tenho meu próprio negócio. O duque Martin chegou?”

“Sim, Excelência. Ele chegou ontem à noite. Sua viagem deve ter sido muito difícil. Assim que ele veio, ele não pôde nem comparecer ao jantar, e ele fez uma pausa imediatamente. Mas estou feliz em saber que a Praça da Mágica será restaurada até o final do ano.”


Tradução: Sa-chan

Revisão: Sa-chan

Obrigada pela leitura. ^-^

Parceiro:

Alone Scanlator

Alone Scanlator

Rolar para o topo