Capítulo 54 – Castelo Calen – Parte XV

Julietta Vista-se

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

Castelo Calen  Parte XV


“Mas, no caminho, soube que outros visitantes haviam chegado antes de nós.” O duque Kiellini mencionou a visita inesperada do marquês Anais.

“Sim senhor. Espero que você não se sinta desconfortável.”

“Eu não tenho nada desconfortável. Acho que é um pouco estranho, porque raramente entramos e saímos… Oh, eu interrompi você. Fique com a sua refeição.”

“Não, terminei. Parece que a fama de Manol também está em seus ouvidos. Eu não posso acreditar que você está visitando de propósito assim.”

“Sim. Assim que cheguei a Ricaren, planejava parar aqui primeiro.”

Quando o duque Kiellini se despediu dele com as palavras ‘Vamos nos encontrar no castelo mais tarde’, e entrou para o fundo sob a orientação de um membro da equipe que estava esperando. Oswald educadamente afastou o homem por trás e chamou o gerente para pedir sua conta.

* * * * *

Quando a elegante carruagem de Oswald chegou ao portão, o capitão da guarda se aproximou para uma inspeção e o cumprimentou. “Você está de volta?”

“Você está fazendo um bom trabalho. Não cometa um erro e esteja atento a ele educadamente quando o duque Kiellini chegar.”

“Sim senhor.”

A carruagem entrou no castelo depois de ser despedida pelo capitão da guarda, correu muito e passou pelo portão interno.

Oswald ergueu a cadeira à sua frente e ajudou o duque Martin a se sentar. Enquanto o duque praguejava e conseguia sair do compartimento sob o assento forrado de veludo, o criado de Oswald tirou o paletó, colocou-o com cuidado na cadeira e entrou no lugar onde Martin estava deitado.

“Vossa Excelência, estamos prestes a chegar. Obrigado pelo seu trabalho árduo.”

“Isso é mais do que eu pensava. Não sei o que está acontecendo de repente. Que tipo de homem fez isso contra Sua Alteza?”

Oswald riu enquanto o duque Martin resmungava. “Mas estou feliz que você estava a caminho de Bertino. Tire sua jaqueta e vista esta. Acho que vai ficar um pouco pequeno, porque é a roupa do meu servo.”

O duque de Martin, que acabava de receber o uniforme cinza que o criado tirara, tirou o casaco e trocou-o.

“Quando chegarmos ao castelo principal, vou descer e o motorista vai deixá-lo na entrada privada para os criados. O servo de Albert estará esperando lá, então siga-o. Infelizmente, como você chegou mais cedo do que sua bagagem, pensei em emprestar-lhe minhas roupas.”

Oswald caiu na gargalhada quando o duque balançou a cabeça assustado com as palavras finais.

“Eu não posso te ajudar já que você foi tão apressado. Está amassado, mas você terá que usar as mesmas roupas que vestia. Quero que você desça ao corredor assim que o criado arrume as roupas.”

O duque acenou com a cabeça para Oswald, que falou com tanta seriedade em comparação com quando riu. A carruagem chegou ao castelo principal enquanto os dois homens conversavam sobre o que poderia estar acontecendo quando eles descessem o corredor.

“Você não tem que sair. Vou sair sozinho, então dirija sua carroça até a porta dos fundos.”

Oswald saiu da carruagem e ordenou deliberadamente que entrasse. Quando o duque, que fingia segui-lo como seu criado, voltou a sentar-se, a carruagem recomeçou, conforme as instruções.

* * * * *

Killian decidiu que não poderia demorar mais.

Se o duque Martin não chegasse a tempo e não testemunhasse, teria de aceitar o falso testemunho de Lady Anais. Estava claro como Lady Anais agiria depois de aproveitar a oportunidade do dia, mas ele foi capaz de suportar para salvar Julieta.

Antes de Lady Anais propor um falso testemunho, ele também se preocupou em tirar Julieta da prisão. O acordo com Lady Anais não era nada comparado a arriscar tudo, não importa o que acontecesse depois. Mas não importava o quanto tentasse se tranquilizar, ele não suportava ficar com raiva da situação.

Killian olhou para a mulher segurando a bochecha machucada na frente dele.

‘De quem é esse plano? Qual é a vantagem disso, prejudicar minha própria empregada?’

Ele ficava pensando na ideia que pairava constantemente sobre sua cabeça desde ontem: “Não vou matar esse criminoso facilmente.” Até Lady Anais tentou aproveitar a oportunidade, mas ele também não tinha intenção de perdoá-la.

Foi um momento em que Killian, finalmente determinado, tentou voltar os olhos para Christine, que o olhou com expectativa. A porta do corredor se abriu após quebrar o silêncio.

Oswald, vestindo roupas amarelas e azuis, protestou em voz alta depois de entrar: “Oh não! Alteza, você prometeu esperar até eu voltar.”

O conde Valerian olhou para o visconde e disse com desaprovação: “Fui forçado a começar rapidamente porque o visconde Chaister visitou Sua Alteza sem sua permissão.”

“Visconde, você veio aqui sem esperar o julgamento de Sua Alteza para protestar sobre o que aconteceu com sua filha?”

Quando o marquês Oswald abandonou sua atitude de fala mansa até agora e atacou duramente, o visconde Chaister explodiu de raiva reprimida.

“É demais, não é? Minha filha foi espancada severamente pela empregada de Sua Alteza. Isso foi até por uma plebeia! Mas como posso ficar calmo como pai? É tão errado eu ter vindo aqui para pedir a Sua Alteza que mate a criada? Eu estava com medo de que ele pudesse perdoá-la, só porque ela era sua empregada.”

“O visconde, acho que está pensando em algo errado. Você acha que Sua Alteza deveria assumir a responsabilidade por isso, ou ele a perdoaria só porque ela é sua empregada? Você também é um assunto de Sua Alteza. Aos olhos de Sua Alteza, todos eles são todos os mesmos assuntos sob ele. Então, você acha que ele iria recompensá-lo pelo que sua empregada fez, ou assumir a responsabilidade pelo que ela fez?”

Oswald balançou a cabeça ao ficar atordoado. Killian levantou a mão para detê-lo quando o visconde abriu a boca, como se estivesse protestando.

“Não! Vou questioná-lo mais tarde sobre sua própria ideia atrevida. Embora as reivindicações dos dois sejam tão tensas, prosseguirei com a punição da empregada conforme solicitado pela família de Chaister, determinada a ter mais credibilidade após as reivindicações de Lady Chaister, de acordo com os relatos dos cavaleiros que estiveram lá ontem.”

O rosto de Sylvia iluminou-se com a frase de Killian. Conforme sua ansiedade gradualmente se estabilizou, ela podia levantar a cabeça com orgulho e olhar para Killian pela primeira vez. Ela estava emocionada por poder servir aquele homem deslumbrante mais de perto agora.

Enquanto isso, Christine ficou envergonhada com a resposta de Killian. Quando ele a chamou aqui, ela pensou que ele estava definitivamente tentando ir em frente com o que ela disse pela manhã. Enquanto ela tentava avançar, pensando que não poderia simplesmente perder essa chance, a porta do corredor se abriu mais uma vez.

“Alteza, fiquei deitado o dia todo porque não estava me sentindo bem, então só ouvi que o veredicto está sendo mantido no corredor sobre o caso do que aconteceu na noite passada.”

Na voz profunda e ressonante, Killian olhou para a porta e gritou com prazer: “Duque Martin, você está bem? Tenho me preocupado com você.”

“Estou bem, obrigado pela sua preocupação. Acho que estava um pouco cansado da longa viagem. Tive um bom descanso e agora estou bem.”

“É uma bênção, mas você não está descansando mais para chegar aqui de propósito. Você tem algo a dizer?”

Parado na frente de Killian do outro lado do corredor, o duque Martin curvou-se educadamente. “Sim sua Majestade. Vim ver você, mas disseram que você estava aqui por causa do veredicto sobre o que aconteceu ontem. A sentença era tão estranha que perguntei sobre ela e descobri que era exatamente o que eu havia testemunhado. Fui para a cama pensando que não seria um problema para os cavaleiros virem correndo, mas as coisas ficaram estranhas.”

O duque Martin comentou sobre a história da situação de ontem que ouvira de Adam.

“O que foi estranho?”

Quando Killian perguntou de volta, o duque Martin olhou para Sylvia. “Eu vi o incidente ontem ao lado da janela do segundo andar antes de dormir. O que eu vi foi uma pessoa de capuz preto bater no mais magro das duas pessoas que encontrou e depois fugiu.”


Tradução: Sa-chan

Revisão: Sa-chan

Obrigada pela leitura. ^-^

Parceiro:

Alone Scanlator

Alone Scanlator

Rolar para o topo