Selecione o tipo de erro abaixo

Trayan, Noah, Archie, Gabriel e os outros correram na direção do Tom. Com ele tendo atraído três dos Ciclopes, seria mais fácil isolar dois deles.

Com um olhar afiado, Kelly saiu da mata esticando lentamente a corda de seu arco até que o fio estivesse no limite e na ponta da flecha houvesse uma leve névoa de mana azul. Seu olhar estava travado em uma das criaturas, enquanto seu corpo permanecia completamente imóvel, como uma estátua.

Lance, Magnus e alguns dos outros membros, seja do Quinto Pelotão de Kelly ou dos outros, ficaram maravilhados com a concentração da garota. 

Alguns dos arqueiros não puderam deixar de olhar com admiração, principalmente ao verem seus braços, mãos e dedos parados, sem qualquer sinal de tremulação. Um dos maiores erros de um arqueiro era não conseguir se manter estável até a hora certa.

“Quanta força e concentração é necessária para isso?” Um dos arqueiros disse, abismado, enquanto os outros concordavam.

Lance, por outro lado, estava mais interessado em observar a silhueta imóvel da garota, que devido as roupas justas dela, estava tendo uma visão inspiradora.

“É realmente impressionante… tão durinha.” disse, se mantendo agachado, com uma voz extasiada. “Será que se eu apertar, ela sequer vai sentir?” falou, com uma voz questionadora, olhando para a região das nádegas da garota, dando um passo à frente.

O jovem Magnus, que estava ao seu lado, se assustou com as palavras do homem, ficando em choque ao imaginar o que ele queria fazer. Não era a primeira vez que tinha que lidar com o sujeito.

“Senhor Lance, por favor, não atrapalhe a Oficial Kelly.” exclamou, segurando-o.

“É só uma apertadinha, ela nem vai sentir. Magnus, escute, um homem tem que fazer o que um homem tem que fazer!” sussurrou.

Swish!

De repente, a flecha, envolvida por um leve mana azulado, foi disparada, cortando o ar em direção a um dos Ciclopes, o mais gordo e atrasado dentre os que perseguiam Tom.

Ting! Bang!

A flecha bateu diretamente no centro do grande olho da criatura, ricocheteando. Mas apesar de não ter perfurado, fez com que a coisa barriguda tropeçasse em seus próprios pés, caindo pesadamente no chão com seu gigantesco tamanho. 

O olho é realmente bem rígido, como o Fernando falou… pensou a garota, usuária de magia sonora.

Quando a criatura tentou se levantar, todo seu corpo ainda estava tremendo e meio dormente, fazendo com que caísse de novo.

Vendo isso, Noah e os outros que corriam em direção aos Ciclopes, rapidamente mudaram de direção, focando em parar um dos outros dois que ainda estavam atrás de Tom.

Após disparar a flecha, Kelly olhou para trás em direção a Lance e Magnus, com as sobrancelhas franzidas e um olhar penetrante.

Ahem! Como eu ia dizendo, Magnus, eu sei que você é jovem e sente as coisas à flor da pele com frequência, mas tem que conter mais seus impulsos. É da respeitável Oficial Kelly que você está falando.” disse, com um rosto sério e uma voz de repreensão.

Kelly desviou o olhar, observando o jovem Cabo.

“O-quê?! Mas eu n-não…” Magnus disse, gaguejando sob o olhar da Oficial.

A garota balançou a cabeça, revirando os olhos, então olhou para frente novamente.

Lance sorriu para o rapaz com um olhar satisfeito, dando dois tapinhas em suas costas. Ao mesmo tempo, o jovem o olhava de forma ressentida.

“Vão, a cabeça daquele Ciclope será do Quinto Pelotão!” A Oficial falou, com uma entonação de ordenança.

“Sim, senhora!” Todos falaram em uníssono, começando a avançar.

“Tão mandona, e pensar que era tão tímida antigamente.” Lance disse, ao passar por Kelly.

A garota observou as costas do sujeito liderando os outros, seus delicados lábios levantando-se em um leve sorriso.

Bang! Bang!

Desviando-se e correndo ao redor, Fernando estava lutando contra um grande Ciclope. Mesmo com as mãos e os pés do gigante atingindo o chão próximo e fazendo a terra tremer, seus olhos mantinham-se calmos.

Bang!

Novamente a criatura pisou em direção ao jovem Tenente, tentando esmagá-lo.

Tão lento. Fernando pensou consigo mesmo, ao saltar para o lado com facilidade.

Mesmo que o tamanho da criatura fosse intimidador e sua força não fosse algo simples, sua velocidade era simplesmente muito baixa em relação a ele.

Calculando mentalmente, sentiu que a coisa não era tão forte, um Sargento ou Subtenente deveria conseguir enfrentá-lo se tomasse cuidado. Mas ficou levemente preocupado ao pensar que os outros poderiam estar enfrentando algo do mesmo nível ou superior.

Levantando a mão esquerda, formou algumas Flechas de Fogo, então fechou seu punho em direção a frente, atirando-as.

Swish! Swish! Bang! Bang!

“Wargh!”

As flechas perfuraram o peito e o rosto da criatura, explodindo em chamas e a fazendo gritar em agonia. No entanto, mesmo ainda queimando, a carne e pele da coisa começaram a se fechar rapidamente.

A expressão de Fernando mudou para choque ao ver com seus próprios olhos a velocidade de regeneração absurda de um Ciclope, que fechou a área atingida quase que instantaneamente. Mesmo com sua Habilidade de Auto-Regeneração somada a sua Magia de Cura, ele não chegava aos pés dessa coisa.

Apesar disso, não estava em pânico. Mesmo que os Ciclopes fossem fortes e com um fator de cura absurdo, não eram invencíveis. No livro que leu, dizia que haviam muitos jeitos de matá-los.

Um deles era decepar a cabeça da criatura em um único ataque, pois mesmo com sua cura absurda, eles morreriam ao ter seu cérebro separado do corpo. Outro método era causar um dano considerável na sua nuca. 

Ao contrário dos contos e crenças populares, o olho de um Ciclope não era seu ponto fraco, pelo contrário, era a parte mais dura e resistente de seu corpo, sendo, na verdade, uma área na parte de trás de sua cabeça a parte mais frágil. Dizia-se que era lá que o mana da coisa se reunia, e se fosse atingido ali, o fator de cura cairia por uma grande margem, que dependendo do ataque, poderia até matá-lo instantaneamente.

O jovem Tenente, desviando dos ataques, rapidamente escolheu sua estratégia, atirando outra saraivada de flechas de fogo. 

Swish! Swish! Bang! Bang!

“Wargh!”

Cortar a cabeça da criatura em um ataque era inviável com seu enorme tamanho, então decidiu optar pelo segundo jeito.

Boom!

Enquanto a coisa estava distraída com as chamas em seu peito e rosto, Fernando usou seus Passos Tirânicos, correndo em direção aos seus pés.

Ziii!

A espada Formek, em sua mão direita, começou a vibrar, emitindo um ruído estridente. Ele estava usando sua Habilidade de Vibração!

Swish!

De forma rápida e limpa, o fio de sua lâmina negra atravessou a região do calcanhar da criatura, cortando seu tendão de aquiles.

“Wagh!”

O gigante, que estava tentando apagar as chamas de si mesmo, deu um passo à frente ao sentir o ataque, mas com seu tendão cortado, seu pé virou num ângulo estranho, fazendo-o cair com um dos joelhos no chão.

Aproveitando a oportunidade, Fernando correu na direção da coisa e saltou, subindo nas costas da criatura, visando aproximar-se da parte de trás de sua cabeça. No entanto, devido a terra úmida presa a sola das suas botas, escorregou antes de chegar ao seu objetivo.

Sentindo a ameaça, rapidamente o Ciclope ergueu o braço esquerdo, protegendo sua nuca com a mão.

O rapaz pálido viu aquilo com um olhar surpreso, não esperando essa reação. Pelo que havia lido e ouvido falar, Ciclopes não eram muito inteligentes.

Parece que você não é tão burro, afinal. pensou consigo mesmo, sorrindo.

Então ergueu sua arma, preparando-se para tentar novamente, mas então sua expressão mudou, quando viu a mão direita da coisa vindo em sua direção.

Swish!

Sem hesitar, brandiu sua espada Formek, cortando a mão da coisa e afastando-a, mas a criatura não desistiu, tentando novamente. 

Fernando se defendeu, atacando com força num movimento rápido, então a ponta do dedo indicador do Ciclope caiu, decepada por sua lâmina.

“Wagh! Agh!” Sentindo a dor excruciante, a criatura começou a se balançar violentamente, erguendo-se, mesmo com seu tendão não tendo sido totalmente curado.

Desequilibrando-se, o jovem Tenente quase caiu, mas no último segundo conseguiu fincar sua espada nas costas da criatura, mal conseguindo se firmar.

Com todo seu corpo sendo jogado de um lado para o outro, Fernando sentiu como se estivesse montado em um touro mecânico.

Droga! reclamou em sua mente. Se ele não tivesse cometido um erro bobo quando teve a chance, essa luta já poderia ter sido encerrada.

Enquanto, com a mão esquerda, se segurava na sua espada Formek como apoio, moveu o pulso, retirando e usando sua espada Lumeris para agredir a mão direita que tentava alcançá-lo. Se ele fosse pego, mesmo com seu poderoso corpo de um Usuário de Habilidades, não sabia se sobreviveria.

Rangendo os dentes, o jovem começou a ficar irritado. Ao contrário do que imaginou, essa luta não estava sendo fácil.

Pensando nisso, resolveu se apressar. Se ele estava tendo problemas, os outros poderiam estar em uma situação pior. Com isso em mente, sua expressão ficou fria, enquanto via que a criatura ainda estava protegendo a nuca.

Segurando o punho da Formek, que estava cravada pela metade, para evitar cair, apunhalou com força em direção a área do topo das costas, usando sua outra espada.

Perfura!

A arma adentrou alguns centímetros, parando, e uma grande quantidade de sangue desceu pela ferida. No entanto, rapidamente o ferimento começou a se fechar, prendendo a lâmina dentro.

A expressão de Fernando escureceu ao ver isso, sua raiva aumentando. Veias começaram a saltar pelo seu corpo no momento em que usou sua Habilidade Fúria para incrementar seus atributos.

Então sem demora, puxou a espada, voltando a apunhalá-la de novo, de novo e de novo. Até mesmo pensou em usar sua Lança de Fogo armazenada na Lumeris para implodir a coisa de dentro para fora, mas se o fizesse, provavelmente não sairia ileso.

“Wooorgh!” O Ciclope urrou de dor e agonia, se debatendo.

Mesmo sendo chacoalhado e se defendendo toda vez que o Ciclope tentava pegá-lo, a expressão fria do jovem permaneceu a mesma. 

Enquanto isso, sua mão direita continuou perfurando incansavelmente, à medida que mais e mais sangue escorria do topo, jorrando em seu rosto como uma cachoeira. Mas mesmo com a visão carmesim, continuou atacando freneticamente.

Naquele ponto, a coisa já havia curado totalmente seu tendão e seus movimentos tornaram-se mais frenéticos, então sabia que não poderia desistir, pois se parasse naquele momento e se soltasse, a queda lhe causaria dano e poderia ser pisoteado.

Sentindo uma dor terrível, o Ciclope urrou, e por um breve momento, tirou a mão da nuca, tentando usá-la para agarrar o humano, já que apenas a direita não conseguia pegá-lo.

Se defendendo, os olhos de Fernando brilharam de forma fria, sua oportunidade havia finalmente aparecido!

Mesmo que a criatura tivesse uma alta regeneração, como qualquer ser vivo, não era imune à dor, então estava esperando que cometesse um erro.

Movendo o pulso, guardou sua espada Lumeris na Pulseira de Armazenamento, trocando por uma corrente, então começou a girá-la. Era uma das correntes que ele havia obtido ao matar Bob William´s. 

Na época, pensou em vendê-las junto aos outros equipamentos, já que mesmo que tentasse, não conseguia manipulá-las com a maestria de seu dono original. 

Por mais que odiasse o homem, o jovem Tenente não pôde deixar de admitir que seu estilo de luta era muito único e habilidoso. 

No fim, acabou por guardar as correntes, já que eram muito resistentes e poderiam ser úteis. Agora, finalmente achou o momento certo de usá-la.

Quando a mão esquerda da coisa desceu, tentando agarrá-lo, Fernando pulou, se soltando da Formek e lançando a corrente, envolvendo-a no pulso do Ciclope ao pegar a ponta que veio em sua direção, ficando suspenso no ar.

Não conseguindo agarrar nada, a mão da criatura subiu, elevando o rapaz junto, o deixando na altura da nuca.

Vendo isso, o jovem pálido rapidamente largou a corrente e jogou-se, pousando com as duas pernas em volta do pescoço do Ciclope e as apertou com firmeza para não cair. Ao mesmo tempo, com as mãos livres, moveu o pulso, retirando sua espada Lumeris.

Ziii!

Sentido o perigo, a coisa ergueu ambos os braços. 

Mesmo depois de ver as duas palmas vindo lentamente em sua direção, devido ao Disparo Neural, Fernando manteve uma expressão fria.

“Você lutou bem.” disse, erguendo sua espada e inclinando-se para trás.

Perfura!

Picture of Olá, eu sou Glauber1907!

Olá, eu sou Glauber1907!

Comentem e avaliem o capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥