Selecione o tipo de erro abaixo

Todos os cavaleiros ao redor tinham expressões tensas, assim que viram o grande Orc, até mesmo Rayzor não era diferente. Mesmo antes de enfrentar a criatura, o homem sentiu seu corpo tremer.

Além de Augak, vários Orcs Líderes caíram junto. Seus pés nus pisando sobre os Nagalus, e andando com facilidade sobre as montarias em alta velocidade.

Assim como o Major viu o Mestre de Clã, o mesmo também o viu. O velho Orc tinha uma expressão altiva, sorriu, então ergueu sua enorme espada, apontando-a para o homem, que montava em um enorme Nagalu bem no meio da Cavalaria Blindada, era como se estivesse o desafiando.

O que Augak esperava era justamente que o líder comandante Humano se revelasse, para isso, ele não hesitou em sacrificar algumas centenas do seu povo.

Rayzor tinha uma expressão severa em seu rosto, mas também não se intimidou. Com um impulso rápido, levantou-se, ficando de pé acima de sua montaria, sua alabarda apontada para frente, ele aceitaria esse combate!

“Major, você não pode!” Uma mulher, com longos cabelos vermelhos, gritou, algumas montarias atrás.

“Você assumirá o comando, Lerona.” ordenou, na comunicação. “A missão dada pelo General Comandante é mais importante que nossas vidas!”

O Major sabia que o Orc Lorde a sua frente não era simples, e não tinha certeza se seria páreo. Apesar disso não recuou ou fugiu, se o fizesse, a criatura iria destruir boa parte da Cavalaria Blindada e com isso os planos dos Generais se tornariam inúteis.

Mesmo que parte das cavalarias mistas traseiras conseguissem escapar, seriam quase inúteis sem a Nagalu para abrir um caminho.

A mulher com cabelos vermelhos era a segunda em comando, a Capitã Lerona, conhecida como a Lança Boreal.

“Eu me recuso!” A Capitã gritou, com uma expressão feroz, enquanto levantava, ficando de pé sobre sua própria montaria. Seus longos cabelos ruivos ricocheteando ao vento.

Assim como ela, vários Tenentes, Oficiais e outros membros importantes da Cavalaria Blindada Nagalu preparam-se para lutar.

“Seus…” Rayzor tinha uma expressão irritada pela insubordinação daqueles sob seu comando, mas, ao mesmo tempo, não conseguiu repreendê-los. “Que seja, se vocês querem tanto morrer, então façamos um bom show!”

Após dizer isso, o Major saltou, pulando de Nagalu em Nagalu, rumando em direção ao Orc Lorde. Atrás dele, vários dos membros do alto escalão da Cavalaria Blindada seguiram seu exemplo.

Os soldados, que não tinham a capacidade de fazer o mesmo, rangeram os dentes, focando em dirigir suas montarias para fora do exército Orc. Se eles conseguissem guiar a cavalaria para fora do campo inimigo, poderiam sair dessa situação!

Augak sorriu ferozmente, ao ver o atrevimento desses pequenos humanos.

“Ishi bal!” (Em frente!) ordenou.

Os cerca de dez Orcs Líderes, que saltaram com ele, avançaram, pisando sobre o corpo e cabeça dos Nagalus. Os Orcs comuns, mais fracos, não se atreveram a entrar nesse tipo de combate e focaram em tentar guiar as montarias para o meio do exército.

Logo duas batalhas simultâneas começaram ao mesmo tempo. Uma sobre os Nagalus, no meio da Cavalaria Blindada, e outra na parte da frente, entre os Orcs comuns e soldados, enquanto um lado tentava manter o controle da frente da cavalaria, o outro lado tentava tomá-lo.

Bang! Crack!

“Ah!”

Enquanto corriam, saltando de montaria em montaria, os Orcs Líderes não se preocuparam com os soldados Humanos, pisando em suas cabeças, ou chutando-os para fora, com facilidade.

Alguns brandiram suas lanças, tentando perfurá-los, mas cada uma dessas criaturas era equivalente a um Capitão humano, simples soldados eram como coelhos indefesos diante deles.

Os Tenentes e seus subordinados logo chegaram, alguns que dominavam magia de voo foram os primeiros.

Swish! Bang!

Um Tenente, com uma maça, atacou, cheio de ímpeto, em direção ao Orc Líder. Mas, antes que seu ataque atingisse a cabeça da criatura, o pé dela bateu ferozmente em seu peito, jogando-o de volta para trás.

“M-maldito!”

Mesmo tendo usado mana para diminuir o impacto, sua armadura afundou em seu peito, deformando-se. O Tenente, que caiu nas costas de um dos Nagalus, mal segurando-se, sabia desde o início que não tinha chances, mas a vontade de lutar em seus olhos não se apagou, esse era o espirito de luta daqueles da Cavalaria Blindada!

“Tenente!” O Soldado, da montaria em que o homem caiu, virou-se, assustado, tentando puxá-lo. Mas antes que pudesse fazê-lo, uma mão gigantesca agarrou a parte de trás de sua cabeça.

“Ahhh, não!”

Plaft!

A cabeça do Soldado foi esmagada com facilidade pelo Orc Líder, que sorriu, lambendo a massa encefálica em suas mãos, então ergueu seu machado, pronto para acabar com a vida do outro Humano.

“Coisa maldita!” O Tenente gritou, em seu último fôlego, antes do machado descer sobre sua cabeça.

Situações semelhantes estavam ocorrendo em vários lugares ao mesmo tempo, apenas alguns poucos Tenentes mais fortes conseguiam enfrentar os Orcs Líderes, enquanto a maioria era morta em pouco tempo.

Vendo isso, o grupo rapidamente se juntou em pequenas equipes, para resistir as criaturas.

Swish!

Como um trovão, Lerona saltou, deixando uma pós-imagem vermelha-roxa em seu rastro.

Ting! Ting! Bang!

A mulher empunhou sua lança, em alta velocidade, defendendo-se do ataque combinado de dois Orcs Líderes.

Ela sabia que poucos ali tinham a capacidade de lidar com as criaturas, então atraiu duas delas para si mesma. Apesar da dificuldade, conseguiu lutar em pé de igualdade com elas.

Todos, mesmo Tenentes e Subtenentes, ficaram admirados com a bravura da mulher, partindo com ainda mais ferocidade para cima do inimigo.

Rayzor, ignorou todas as lutas ao redor, saltando para o alto e usando Magia de Voo para seguir diretamente em direção ao Orc Lorde de barba-branca. Ele sabia que essas pequenas escaramuças não significavam nada, a maior ameaça definitivamente era essa coisa!

Ainda plainando acima dos Nagalus, o Major parou a poucos metros de onde o orgulhoso Orc Lorde estava parado. A criatura apenas permaneceu ali, sem agir ou se mover, como se sentisse que nada ali poderia ameaçá-lo.

“Em breve vou tirar essa arrogância da sua cara.” Rayzor esbravejou, dois metros acima das montarias, no ar, apontando sua alabarda, onde um redemoinho começou a se formar na ponta.

Augak tinha uma expressão calma, olhando para o Major, enquanto apoiava sua enorme espada no ombro direito.

“Izg doram lat a hiis gurz hosh.” (Te darei uma morte rápida pela coragem.) O Mestre de Clã falou calmamente.

Apesar de não entender o que a criatura estava dizendo, pela sua forma de falar e expressão, Rayzor sabia que estava o subestimando.

Mesmo que ainda não fosse um General, sua força não poderia ser subestimada. Dois Orcs Lordes Recém Ascendidos já haviam caído sob sua alabarda e ele já havia feito até mesmo um Intermediário fugir por sua vida. O único motivo para ele ainda não ser um General era devido a fatores políticos.

Erguendo sua alabarda, envolta em um poderoso redemoinho de vento, o Major avançou.

BOOM!

Espada e alabarda colidiram, o Major no ar, enquanto o Orc Lorde saltou vindo de baixo, chocando-se com ele.

A poderosa onda de choque varreu sobre toda a área, fazendo muitas das montarias abaixo serem mortas.

Boom! Boom! Ting!

A espada do Mestre do Clã era tão rápida, que numa fração de segundo havia atacado três vezes, obrigando o Major a se defender desesperadamente, usando sua Magia de Vento para desviar a poderosa força da criatura.

Boom! Boom!

A cada vez que a espada atingia, o homem sentia todo seu corpo vibrar com a onda de choque. Se não fosse sua magia, que criava pequenas e poderosas barreiras de ar que aparavam grande parte do poder dos ataques, sabia que seria incapaz de resistir, além disso, a cada golpe, seu mana despencava aos montes.

Essa força… Como imaginei, é um maldito Soberano! pensou, com algum receio crescente surgindo em seu peito.

Mesmo que fosse um Orc Lorde Intermediário próximo ao pico, com sua Magia de Vento, que criava bolsões de ar, ele conseguiria pelo menos tomar alguns golpes e ganhar tempo, mas contra um Soberano, sentiu que isso seria difícil.

Augak saltou com facilidade, pisando nos Nagalus, e voltando a chocar-se com Rayzor. A cada vez que fazia, matava um Nagalu com sua pisada, esmagando a gigantesca montaria, com seu poder. Mesmo as chapas de blindagem presas ao corpo do animal, não pareciam diferentes de manteiga, sendo fincadas com a marca de seus pés.

Na parte de trás, a Capitã Lerona, que estava cercada por dois Orcs Líderes, brandiu sua lança com agilidade. Sempre que o fazia, um rastro de luminescência era deixado, como pós-imagem, quase atingindo o corpo de seus inimigos.

Os dois Orcs, que a enfrentavam, tinham confusão em seus olhos, enquanto se defendiam com dificuldade. Ambos sentiram que os ataques da fêmea humana eram estranhos, sempre que estavam próximos, pareciam mudar de direção ou apareciam em outro local, misturando-se a uma estranha luz vermelha-roxa.

Essa era a magia de Lerona e que a fez ser chamada de Lança Boreal, a cada movimento seu, uma luz vermelha-roxa brilhante se espalhava pelo ar. Como uma rara usuária de Magia de Luz, ela sabia que poucos inimigos estavam acostumados a seu estilo, então usou isso para aproveitar cada oportunidade.

Sua Magia de Luz deixava rastros de mana luminosos no ar, que ela usava para criar miragens de ataques de lança. Fazendo seus inimigos não saberem exatamente como sua arma se moveria.

Seu domínio sobre a Magia de Luz não era dos melhores, então havia desenvolvido esse estilo de luta único. Usando os sentidos afiados de seus inimigos, contra eles mesmos. Sempre que reagissem à ilusão dos falsos flashes de luz, ela atacaria com velocidade em um ponto diferente.

Swish! Pa!

“Hu!” Um dos Orcs Líderes bufou, irritado, quando o fio da lança roçou em seu peito, abrindo uma grande ferida do lado esquerdo. 

Logo sangue jorrou, pintando o tórax dele de vermelho, mas a criatura parecia inabalável com isso, já que era meramente um ferimento superficial. Com o poderoso corpo dos Orcs, ferimentos como esse não eram nada de mais.

Lerona queria prosseguir em outro ataque e atingi-lo novamente, mas o outro Orc rapidamente chegou, interrompendo sua investida.

“Ah!”

“Não, não!”

Gritos e mais gritos soaram, enquanto os outros Orcs Líderes, estavam, aos poucos, matando um a um dos seus subordinados, com apenas alguns poucos Tenentes mal conseguindo reagir.

Droga!

A Capitã da Lança Boreal sabia que as coisas não estavam indo bem, se continuassem dessa forma, ela teria que lutar não com dois, mas vários Orcs Líderes ao mesmo tempo!

Enquanto pensava que a situação não poderia piorar mais, algo aconteceu.

Boom! Swish!

“AHHHH!”

Os gritos no campo de batalha eram normais, então a Capitã já estava acostumada a ouvi-los, entretanto, dessa vez era diferente, essa era uma voz muito familiar!

Quando Lerona olhou na direção em que o Major estava, todo seu corpo tremeu, quando viu o grande Orc Lorde atravessando sua espada no peito de Rayzor e erguendo-o no ar.

“Huaaagh!” Augak gritou em plenos pulmões, enquanto erguia o corpo do comandante inimigo, como um troféu.

Olá, eu sou o Glauber1907!

Olá, eu sou o Glauber1907!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥