Selecione o tipo de erro abaixo

Combo 23/50


Na região que estava escondido, o Santo dos Segredos, Botis, estreitou ligeiramente os olhos ao reconhecer as Viagens de Leymano.

Isso fez com que não tivesse mais dúvidas sobre as informações fornecidas pelo Santo Tenebroso Kisma.

Ele reconheceu este caderno e sabia que era um item místico ao qual a família Abraham dava grande importância. Era um dos itens mais poderosos abaixo das Sequências Altas, e os efeitos negativos foram insignificantes.

“Heh, quando eu era um Beyonder de Sequência Média, eu ansiava tanto por este caderno. No final, a família Abraham ficou desconfiada de mim e não deu nenhuma importância às minhas necessidades… Agora, eles aprenderam a lição? Esta mulher não deve ser descendente da família Abraham. Caso contrário, não teria saído por aí em busca do item amaldiçoado de um antigo espectro…” Botis murmurou interiormente enquanto sua expressão gradualmente se tornava sombria, mostrando indícios de um fervor cruel.

Depois de observar o entorno por um tempo, cuidadosamente enfiou a mão no bolso de seu manto preto.

O bolso parecia conter um vasto espaço enquanto o Santo dos Segredos Botis tirava de dentro uma caixa de joias de três camadas.

Esta caixa de joias não era pequena, tornando difícil segurá-la com uma mão. Era principalmente de cor preta-prateada e sua superfície estava coberta com decorações requintadas. Havia rubis, esmeraldas, safiras e diamantes incrustados nela, fazendo com que parecesse bastante luxuosa.

Enquanto segurava a caixa de joias nas mãos, havia uma pitada de pânico e medo em sua expressão. Era como se estivesse enfrentando o Abismo ou ouvindo os delírios de um deus maligno.

A reunião continuou normalmente. Fors guardou as Viagens de Leymano e se concentrou em ouvir os participantes, como se buscasse algumas respostas.

Durante esse processo, ocasionalmente fazia perguntas, usando libras de ouro e materiais espirituais como pagamento. No entanto, não recebeu nenhuma resposta eficaz.

Gradualmente, a reunião Beyonder chegou ao fim. O anfitrião providenciou para que os diferentes participantes saíssem por saídas diferentes.

Logo, apenas Fors e alguns outros Beyonders restaram na sala.

Depois de receber o sinal do anfitrião, Fors levantou-se e resistiu à vontade de se espreguiçar enquanto caminhava em direção à porta lateral.

Neste momento, percebeu que seu corpo havia enrijecido. Sua cabeça mal conseguia virar, mas parecia que ela era um brinquedo com a mola de torção enrolada.

Pelo canto do olho, viu que as paredes branco-acinzentadas haviam se tornado pretas prateadas em um instante. Elas estavam cobertas de grânulos, como se fossem feitas de metal. Os demais participantes e o anfitrião tiveram sua pele perdendo a cor que deveriam possuir. Seus olhos eram opacos, seus movimentos mecânicos, como se fossem grandes bonecos.

Na área oculta, Botis já havia aberto a caixa de joias em algum momento. O interior de sua camada superior não era requintado o suficiente, mas restaurou completamente a cena da sala.

Na sala havia cadeiras e mesas compridas espalhadas ao acaso. Havia alguns bonecos do tamanho da palma da mão sentados ou em pé, como se estivessem tentando simular a realidade.

Entre essas pessoas, havia uma pessoa que estava vestindo um manto com capuz. O formato de seu queixo era lindo e seus lábios eram carnudos e vermelhos. Não era outra senão Fors.

Ela e os Beyonders restantes, junto com o anfitrião da reunião, tornaram-se silenciosamente brinquedos. Eles foram levados para a camada mais alta da caixa de joias!

A sala que conectava o mundo externo só ficou com paredes branco-acinzentadas — nada mais.

Os cantos dos lábios de Botis se curvaram pouco a pouco. A mão direita fechou a tampa da caixa de joias.

Em apenas uma respiração, ele controlou magicamente seu alvo!

Esta caixa de joias prateada e preta de três camadas era o Artefato Selado de Grau 0 que ele havia roubado da família Abraham.

Como nunca foi obtida pelas Igrejas ortodoxas, nem foi profundamente compreendida, não tinha um número correspondente.

Pelo que Botis sabia, esta caixa de joias originou-se de um anjo da família Abraham da Quarta Época. Ele gostava de vagar pelo cosmos e ir para diferentes lugares do vasto universo. Porém, uma vez, quando Ele retornou para Sua família para descansar, morreu silenciosamente em seu palácio. Seu rosto estava cheio de medo e sua expressão estava distorcida como se tivesse visto algo extremamente aterrorizante.

Uma verdadeira Criatura Mítica, que poderia ser considerada um deus subsidiário na Segunda Época, na verdade, morreu silenciosamente, sem causar agitação. A morte foi extremamente bizarra.

A característica de Beyonder que Ele deixou para trás fundiu-se com Seu cadáver, formando a caixa de joias que era bem diferente dos outros tipos de Artefatos Selados. E naquela época, o Sr. Porta, Bethel Abraham, não apenas não tentou quebrá-la e restaurá-la a uma característica de Beyonder pura, Ele até lhe deu um nome bastante estranho: — Caixa dos Imemoriais.

O primeiro nível da Caixa dos Imemoriais poderia transformar a localização do alvo em brinquedo e trocar de local com seu interior. Botis usou essa característica para atingir facilmente seu objetivo.

O segundo nível da Caixa dos Imemoriais registrava diferentes locais. Uma vez liberado, o detentor e os seres vivos dentro do seu alcance efetivo seguiriam diretamente para a região correspondente. Eles então vagariam pelo cosmos como o anjo da família Abraham daquela época, explorando o universo.

Quanto ao que estava no terceiro nível da Caixa dos Imemoriais, Botis sabia, mas não se atreveu a pensar nisso. Era exatamente como ele normalmente não ousava entrar em contato com este Artefato Selado de Grau 0.

Smack

Após fechar a tampa da Caixa dos Imemoriais, ele agarrou com a mão direita o espelho que estava embutido no vórtice transparente que estava suspenso no ar.

Uma vez ocultada uma determinada área, um Feiticeiro Secreto tinha que usar a porta correspondente ou remover diretamente a ocultação para sair.

Botis escolheu o último método porque era o método mais fácil e rápido.

As sombras se agitaram e a área que desapareceu voltou ao mundo real. A sala finalmente estava completa.

Botis não ficou mais. Sem sequer olhar para o seu entorno, fez seu corpo desaparecer rapidamente.

Ele segurou a Caixa dos Imemoriais enquanto as cores saturavam e se sobrepunham umas às outras. Ele atravessou o mundo espiritual que estava cheio de criaturas estranhas em direção ao local designado. Em poucos segundos, saiu do vazio, tentando entrar nas ruínas da batalha dos deuses atravessando o enorme abismo que dividia os mares.

Neste momento, Botis parou no ar.

Seus olhos se estreitaram e instantaneamente ficaram escuros, pontilhados com incontáveis ​​pontos de resplendor.

Era como se o cosmos estivesse refletido em seus olhos.

O padrão formado pelas estrelas girou rapidamente, fazendo com que as rachaduras no fundo do mar se tornassem rapidamente incorpóreas, fazendo com que tudo à sua frente encolhesse e se condensasse em uma chama laranja oscilante.

Esta chama se estendeu da ponta de um palito de fósforo quando foi apagada.

Tudo o que Botis vivenciou após a remoção do espaço oculto foi uma ilusão. Ele permaneceu enraizado no chão!

E a fonte desta ilusão era o fósforo aceso.

O palito de fósforo era segurado por uma palma de pele clara, e a dona da mão era uma mulher vestindo uma túnica preta com estampa roxa e capuz. Ela estava sentada em uma carruagem que ficava no meio da parede, formada por uma abóbora gigante.

Puxando a carruagem havia um bando de ratos cinzentos.

Esta não era outra senão Cattleya, mas sua aparência, imagem e porte haviam mudado.

Este era o poder que ela ganhou imitando a magia da Cinderela!

O poder Beyonder central do Sequência 4: Misticologista do caminho do Espreitador de Mistérios foi chamado de Recriação Mística, expressando plenamente o ditado “conhecimento é poder”.

Simplificando, um Misticologista poderia extrair poder de diferentes conhecimentos de misticismo que adquirisse e criar todos os tipos de magia ou bruxaria. Quanto ao conhecimento místico correspondente, quanto menos era conhecido pelos outros e quanto menos se espalhava, mais poderosos se tornavam os feitiços.

O contrário também poderia ser estabelecido. Uma vez que alguns conhecimentos e lendas fossem conhecidos por muitos e não mais misteriosos, a magia ou bruxaria criada com base em seus poderes se tornaria quase ineficaz.

Cattleya não tinha ideia de por que a Rainha poderia criar todos os tipos de poderes mágicos que eram ricos em magia a partir dos contos de fadas particulares que o Imperador Roselle havia contado a ela, mas isso não impediu seu aprendizado e uso deles. Afinal, ela tinha ouvido falar desses contos de fadas da Rainha Misteriosa.

A magia que ela usou para se transformar e disfarçar temporariamente foi chamada de Cinderela. A magia que lançou o Santo dos Segredos Botis em uma ilusão foi A Pequena Garota dos Fósforos. Com isso, usou isso para impedir que a outra parte se teletransportasse, criando uma oportunidade para a batalha que se seguiria.

No momento em que Botis se livrou da alucinação, a Cinderela que estava sentada na carruagem de abóbora colocou o pé no chão e abriu os braços, fazendo com que uma enorme cruz aparecesse atrás dela.

Quanto a Cattleya, ela parecia estar carregando um objeto ilusório.

Na sala vazia, velas se acenderam, uma após a outra, iluminando uma longa mesa coberta de carne e osso.

Ao redor da longa mesa havia três figuras extremamente borradas segurando pedaços de carne enquanto devoravam constantemente a comida.

Como se sentissem algo, as três figuras viraram a cabeça ao mesmo tempo e olharam para Botis. O coração deste Santo dos Segredos acelerou quando ele sentiu um arrepio vindo do fundo de sua alma.

Então ouviu sons ilusórios de roer, mastigar e digerir. Ele podia sentir a malícia e a fome indisfarçáveis.

A pálpebra de Botis se contraiu. Ele abaixou a cabeça apressadamente e lançou seu olhar para a Caixa dos Imemoriais em sua mão.

A caixa preta prateada se abriu sem que ele percebesse em algum momento!

A magia que Cattleya usou foi chamada de Banquete da Traição. Decorreu do conhecimento místico que ela aprendeu sobre a morte do antigo deus do sol no Clube de Tarô. Seu objetivo era despertar ou imbuir temporariamente o alvo com informação, permitindo-lhe cometer uma traição!

Sem dúvida, os efeitos de encontrar um Artefato Selado cheio de malícia para com o proprietário seriam excelentes.

Porém, se não fosse pelo fato de ela ter obtido a proteção do Sr. Louco em todas as reuniões, Cattleya não teria ousado usar essa magia.

Assim que os três principais protagonistas do Banquete da Traição percebessem isso, ela definitivamente morreria por motivos obscuros. Ela não seria capaz de resistir à sua morte e teria uma morte anormalmente horrível.

Portanto, os Misticologistas eram definitivamente indivíduos de alto risco. A força deles veio de caminhar à beira do Abismo, vindo de coisas que eles não deveriam ter visto ou ouvido.

Em comparação, a Rainha Misteriosa, que conseguia criar magia a partir dos contos de fadas particulares de seu pai, era muito mais segura do que outros Misticologistas do mesmo nível.

Picture of Olá, eu sou Vento_Leste!

Olá, eu sou Vento_Leste!

Comentem e avaliem o capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥