Selecione o tipo de erro abaixo

Combo do 6º Aniversário da Vulcan – Capítulos → 130/175

Combo comprado → 19/25


Burgo Norte, Rua Aulka.

Kapusky Reid estava sentado em uma cadeira reclinável em sua sala de atividades, perdido em pensamentos. À sua frente havia uma lareira acesa com carvão.

Como educador sênior de escola pública, recebia um salário de mais de quatro libras semanais, o que dava para um solteiro como ele viver muito bem, mas as roupas que usava em casa eram remendadas e as xícaras de chá pareciam extremamente simples.

Sem tirar a peruca, o que mais chamava a atenção em Kapusky eram as maçãs do rosto salientes e o peito empinado — uma deformidade em que o esterno se projetava para fora.

Em seu joelho estava um livro de poemas em Feysac antigo, mas ele não tinha virado uma única página mesmo depois de algum tempo.

Os olhos de Kapusky estavam desfocados enquanto olhava inexpressivamente quando de repente ouviu uma leve risada em seu ouvido.

— Estou muito curioso para saber por que você não fugiu e escolheu ficar em casa. Você não tem medo que a polícia venha atrás de você?

A voz era baixa e rouca, como a de um menino cuja voz falhava na puberdade.

Kapusky estremeceu e quase pulou da cadeira reclinável.

Ele abruptamente virou a cabeça para olhar e viu que havia uma figura sentada no sofá a poucos passos dele!

A figura usava roupas de verão — uma camisa de linho e calças leves. Seu rosto era nebuloso e indistinto.

— Q-quem é você? O que você está fazendo aqui? — Kapusky perguntou imediatamente enquanto agarrava o apoio de braço.

Klein, que havia usado seus poderes de alucinação, recostou-se, cruzou as mãos e disse calmamente: — Ontem à noite, heh, deve ser esta manhã, salvei todos vocês.

— Nos salvou? — Kapusky relaxou um pouco quando percebeu que o intruso não parecia querer fazer mal. — V-você é aquela pessoa na floresta? Você cuidou do cadáver que despertamos?

Enquanto falava, ele se movia desajeitadamente, mostrando medo óbvio.

“Ele foi capaz de se infiltrar sem que eu percebesse enquanto eu estava acordado. Eu definitivamente não seria capaz de resistir…” Tais pensamentos rapidamente passaram pela mente de Kapusky.

— Vocês tiveram muita sorte por eu ter passado; caso contrário, haveria apenas cadáveres espalhados no chão da floresta… cadáveres mordidos em pedaços. — Klein riu. — Responda minha pergunta anterior, estou muito curioso por que você ficou em casa. Você sabe quais crimes você cometeu?

Pela maneira como conduziu o ritual de ressurreição e pela reação que teve antes e depois do ritual, Klein confirmou que Kapusky era um novato que não tinha como esconder suas verdadeiras emoções. Portanto, ele pretendia usar apenas Visão Espiritual e interrogatório para chegar ao fundo da questão. No máximo, verificaria com adivinhação no final.

— E-eu sei, secretamente comprei cadáveres e roubei cadáveres de túmulos. Todos esses são crimes que podem me levar à prisão por mais de dez anos. Além disso, definitivamente serei punido pela Igreja. — Kapusky, que não parecia ter trinta anos, respirou fundo e disse com um sorriso irônico: — Entretanto, contanto que eu não causasse muitos problemas, aquelas crianças e seus pais não iriam me delatar porque também fizeram o mesmo. Mesmo que quisessem obter uma sentença mais leve ajudando na investigação entregando-se, ainda assim acabariam na prisão por algum tempo.

— Heh. — Kapusky deu uma risada autodepreciativa. — Algumas das crianças já contaram aos pais quem eu sou. Eles conseguiram que bandidos me avisassem para pedir demissão em uma semana e ficar longe da escola. Eu concordei.

Klein gentilmente acenou com a cabeça.

— É bom mudar de ambiente. Claro, não faça coisas semelhantes novamente. Enfeitiçar crianças ignorantes para cometer crimes é um ato hediondo.

— Eu não vou, nunca mais. Nunca imaginei que seria tão perigoso. Acabei de ver que eles tinham os mesmos interesses que eu, e foi por isso que quis ensiná-los e levá-los a procurar os segredos da imortalidade. Quanto a cavar sepulturas, muitos médicos fazem isso há muito tempo. — Kapusky suspirou com algum medo persistente.

“A cor de suas emoções combina com seu estado de espírito atual… Pelo que parece, ele não parece ser um membro do Episcopado Numinoso…” Klein pensou por um momento, então perguntou sem rodeios: — Onde você aprendeu Dançar Espiritual?

— Dança Espiritual? Ah, eu costumo chamá-la de Dança da Morte. — Kapusky ficou surpreso no início, antes de chegar a uma conclusão. — Um velho senhor me ensinou.

— Um velho senhor? — Klein pressionou.

A mente de Kapusky ficou à deriva enquanto ele relembrava suas memórias.

— Ele era um vagabundo. Ele desmaiou na frente da minha casa por causa de uma doença grave.

— Na época, eu não sabia que ele estava doente. Achei que ele simplesmente tivesse caído inconsciente, então o ajudei a voltar para casa. Eu dei a ele uma toalha aquecida e apliquei um pouco de pomada.

— Depois que acordou, ele me disse para não mandá-lo para um hospital ou clínica e que a morte não era o fim.

— Vivi a morte de meus pais e de vários parentes e me interessei muito por essas coisas. Então, conversei com ele e descobri que ele tinha um conhecimento profundo e uma filosofia admirável nessa área. Ele pareceu muito satisfeito com a minha curiosidade e até fez o milagre de matar um mosquito e ressuscitá-lo.

“Esta introdução… Eu li pelo menos dez novels com inícios semelhantes em minha vida anterior. Eram todas sobre trazer um velho avô, que estava à beira da morte, para casa por bondade, apenas para ter um encontro fortuito…” A boca de Klein se contraiu.

— Então, você o deixou em casa?

Kapusky assentiu solenemente e disse: — Sim. Se não fosse a falta de tempo, eu até gostaria de ser seu aluno.

— Durante esses poucos dias, ele me ensinou muito conhecimento e a Dança da Morte. Infelizmente, esse período de tempo foi muito breve. Assim que aprendi, ele morreu, deixando para trás apenas um apito de cobre.

Antes de terminar a frase, Kapusky pegou um requintado apito de cobre que não parecia velho.

— É isso.

“Eu também tenho um… Provavelmente está no nível dos Ancestrais…” Klein satirizou e perguntou pensativamente: — Há quanto tempo isso aconteceu? Como ele era? Onde você o enterrou?

— Meio ano atrás. Sua característica mais óbvia eram os cabelos grisalhos e manchas vermelhas nas laterais do rosto. Ele me disse para enterrá-lo no jardim dos fundos. — Kapusky fez um cálculo das datas.

“Não é o Sr. Azik, mas as chances são de que ele seja um membro do Episcopado Numinoso e não alguém de uma Sequência baixa…” Klein mudou de assunto e perguntou: — Além da Dança Espiritual, você também aprendeu o ritual da ressurreição?

— Eu só aprendi metade desse ritual. Usei algum conhecimento disperso e folclore para melhorá-lo lentamente, pouco a pouco, — respondeu Kapusky com muita honestidade.

“Melhorou com base no folclore? Oh, pobre gato preto, que a Deusa o abençoe…” Klein resistiu ao impulso de desenhar uma lua carmesim em seu peito.

— O que mais? — ele pressionou.

— Sim, e este apito de cobre. Acho que é a chave para nos comunicarmos com o mundo além dos nossos sentidos. — Kapusky ergueu-o e soprou, suspirando. — Toda vez que termino de soprar, sinto o ambiente esfriar. É como se alguém estivesse me observando e me puxando…

Enquanto ele falava, Klein, que tinha sua Visão Espiritual ativada, viu padrões de água ondulando do chão. Um ar frio se espalhou ao lado dele, e o fogo e a luz diminuíram um pouco.

Em seguida, um crânio com três olhos salientes e desfocados emergiu do solo. Ao redor do crânio, havia muitos tentáculos pretos articulados.

Um tentáculo se estendeu, tocando a perna de Kapusky e puxando suas roupas de vez em quando, parecendo bastante impaciente. No entanto, Kapusky não reagiu, como se não tivesse notado.

“Isso é um mensageiro? O apito de cobre é usado para convocar seus mensageiros correspondentes… Qual é o significado de você convocá-lo sem lhe dar uma carta?” Klein ficou surpreso ao ver essa cena.

Naquele momento, Kapusky olhou para ele com entusiasmo.

— Você sentiu isso? O ambiente ficou frio! A luz das lâmpadas de gás também diminuíram!

— Eu não estou mentindo! Alguém está me observando e me puxando!

O mensageiro de aparência horrível tentou tocar Kapusky, uma e outra vez, mas no final, não recebeu uma carta e voltou ao subterrâneo em resignação.

Os cantos da boca de Klein se contraíram levemente ao ver essa cena. Ele sussurrou para si mesmo em seu coração, “retiro o que disse sobre ele. Ele não é um novato, ele é um noob absoluto.”

“Ele nem é um Beyonder!”

“Eu pensei que ele era alguém que acabou de passar pela porta do misticismo para aprender o básico, mas agora parece que ele nem encontrou a localização da porta…”

“Os Colecionadores de Cadáveres do caminho da Sequência da Morte podem ver fantasmas e corpos espirituais diretamente…”

Combinado com a forma como Kapusky agiu usando o apito de cobre para comandar o zumbi após o ritual, Klein estava convencido de que não estava mentindo. Ele suspirou silenciosamente.

Então, pensou em uma pergunta: “Se eu escrevesse um bilhete e o entregasse a esse mensageiro, onde ele seria entregue?”

“Um verdadeiro membro do Episcopado Numinoso? Algum membro sênior?”

Suprimindo esse pensamento, Klein assentiu e disse: — Realmente esfriou.

Depois de responder, rapidamente mudou de assunto. — Você sentiu algo incomum desde a morte do velho senhor?

— Eh… Não antes, mas nas últimas duas semanas, eu tive a sensação ocasional de que alguém ao meu redor é como um cadáver… do tipo que pode ser acordado. — Kapusky perguntou, sentindo-se curioso e com medo: — É uma alucinação?

“Está de acordo com o que Adol disse. Ele não está mentindo…” Klein deu uma olhada nas cores da aura de Kapusky e disse-lhe sinceramente: — Sugiro que você vá a uma catedral pelo menos três vezes por semana nos próximos dois meses, assista à missa e ouça as pregações.

— Se você não deseja fazer isso, você pode primeiro preparar um túmulo para si mesmo.

— Tudo bem… — Kapusky respondeu, sentindo-se desapontado.

Ele pensou que era uma manifestação de sua melhora!

Klein refletiu por um momento e disse em tom de comando: — Leve-me até o cadáver do velho senhor.

— Ah? OK. — Kapusky estava prestes a recusar, mas logo reconheceu a realidade da situação em que se encontrava.

Ele pegou suas ferramentas e conduziu Klein pela porta dos fundos da cozinha, para um jardim murcho, e parou em frente a uma árvore inclinada.

Klein ficou ao seu lado e observou Kapusky cavar habilmente na terra, revelando a ardósia por baixo.

Depois de terminar a camada superior, Kapusky usou suas ferramentas para abrir a ardósia.

Ufa!

A ardósia estava pressionada contra o solo que havia sido escavado momentos antes. A tumba não tão profunda foi velada pelo brilho da lua carmesim que penetrou levemente através das nuvens.

Kapusky subconscientemente olhou quando de repente soltou um grito miserável, recuou alguns passos e caiu no chão.

Não havia cadáver em decomposição ou ossos na tumba. A camada inferior estava cheia de penas brancas, tingidas com óleo amarelo!

Picture of Olá, eu sou o Vento_Leste!

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥