Selecione o tipo de erro abaixo

Klein olhou para o líquido gelatinoso azul-escuro, achando difícil descrevê-lo como um bloco ou um copo de líquido. Ele engoliu a saliva e disse com grande dificuldade: 

— Devo beber assim mesmo? Não há necessidade de quaisquer outros preparativos? Como um ritual, um encantamento ou uma oração?

O Velho Neil reconheceu de forma concisa antes de dizer: 

— Preparação? Há. Pegue um copo de vinho de uva Intis Aurmir, fume um charuto Desi, depois assobie uma música relaxante e dance uma animada dança da corte. Você pode fazer um sapateado se preferir. Por fim, jogue uma rodada de cartas Gwent…

Quando viu a expressão de Klein ficar perplexa, o Velho Neil riu e resumiu o que acabara de dizer.

— Se você se sentir nervoso.

“… Você é bem humorado, não é…?” Os cantos da boca de Klein se contraíram enquanto ele resistia ao impulso de sacar a arma.

Ele abaixou a bengala e estendeu a mão direita. Como se segurasse algo pesado, ergueu o copo opaco. O cheiro da poção era fraco e parecia etéreo.

— Rapaz, não hesite. Quanto mais você hesitar, mais nervoso e com medo ficará. Isso só afetará a absorção que se segue — disse o Velho Neil de costas para Klein. Era como se ele tivesse dito isso casualmente.

Não se sabia quando ele chegou à pia mais próxima. Ele abriu a torneira e lavou as mãos.

Klein assentiu em silêncio e respirou fundo. Assim como quando era criança, ele beliscou o nariz e bebeu a poção como um remédio. Ele moveu o copo opaco para a boca e inclinou a cabeça, engolindo com um gole.

Uma sensação fria e suave rapidamente preencheu sua cavidade oral. Em seguida, fluiu através de sua garganta e em seu estômago.

O líquido azul-escuro pegajoso parecia crescer tentáculos finos e longos, trazendo estimulação e frieza a cada célula do corpo de Klein.

Ele não pôde evitar uma convulsão enquanto sua visão rapidamente ficava embaçada. Todas as cores pareciam saturadas. O vermelho era mais vermelho, o azul era mais azul e o preto era mais preto. As cores ricas se misturavam como uma pintura impressionista.

Klein já vira tal cena antes. Foi quando ele foi questionado pela Médium Espiritual Daly.

Naquele momento, sua visão tornou-se um borrão e, embora sua mente parecesse leve, estava clara. Ele se sentia como um náufrago flutuando no mar.

Aos poucos, seus arredores tornaram-se discerníveis. Todas as cores voltaram ao seu original enquanto uma névoa acinzentada e embaçada se esvaia.

Ao seu redor, ele viu corpos que achava difícil de descrever. Havia objetos transparentes que pareciam não existir. No fundo, havia aglomerados claros de cores diferentes. A luz parecia possuir vida ou conter imenso conhecimento.

“Isso é um pouco parecido com o que eu vi durante o ritual de aumento de sorte…”  Quando Klein olhou para baixo por instinto, percebeu que ele ainda estava de pé em seu local original, com seu corpo convulsionando.

De repente, Klein percebeu, fazendo com que sua consciência afundasse de forma abrupta e se fundisse com ele.

Boom!

A névoa logo se dissipou quando as cores voltaram ao normal. O halo claro e brilhante e os objetos inexistentes desapareceram no mesmo momento.

A cena na sala de alquimia voltou ao normal, mas Klein sentiu a cabeça inchar. Ele sentia como se estivesse sendo dividido. Tudo o que ele via tinha incontáveis ​​pós-imagens. Seus ouvidos foram dominados por um murmúrio etéreo.

— Hornacis… Flegrea… Hornacis… Flegrea… Hornacis… Flegrea…

Klein sentiu uma pontada na testa quando logo pensou em causar destruição para descarregar seu desconforto.

Ele franziu a testa e rapidamente balançou a cabeça.

— Sua visão está anormal? Você também está ouvindo coisas que não costumava ouvir? — disse o Velho Neil ao seu lado, com um sorriso disfarçado.

— Sim, Sr. Neil, o que devo fazer? — Klein tolerou a intensa mania e perguntou.

O Velho Neil riu.

— Esta é a infiltração resultante da energia da poção. Você não tem os meios para controlá-la. Tudo bem, faça o que eu digo. Pense em um objeto em sua mente, algo comum. Torne-o simples e fácil.

Klein logo se concentrou enquanto imaginava sua própria meia cartola, tecida em seda preta. Ele se lembrou da sensação ao tocá-la e de sua forma exata.

— Coloque todo o seu foco nisso. Continue repetindo isso enquanto cria os contornos. Está um pouco melhor? — A voz do Velho Neil penetrou em sua mente como uma canção serena.

Klein voltou seu foco pouco a pouco para a cartola imaginada. Ele sentiu os murmúrios diminuírem em um sussurro antes de desaparecerem. As imagens posteriores que viu também se empilharam e não pareciam mais um borrão.

— Muito melhor — respondeu Klein depois de acalmar sua mente com emoções caóticas e exalar.

Ele olhou para seu corpo e descobriu que nada de anormal havia acontecido.

Ele moveu seus membros e com meia antecipação e meia dúvida, perguntando: 

— Consegui? Agora sou considerado um Vidente?

O velho Neil puxou uma placa de mercúrio espelhada e a colocou na frente dele.

— Olhe para os seus olhos.

Klein focou o olhar e viu que ele usava uma cartola preta. Seu contorno se destacava e seus traços faciais pareciam normais. Além de ter o rosto coberto de suor, não parecia diferente de forma alguma.

Ele seguiu as instruções do Velho Neil e olhou com cuidado em seus olhos. Só então descobriu que seus olhos castanhos haviam se aprofundado bastante. Eram tão profundos como a noite — em uma completa escuridão. Pareciam tão profundos que poderiam absorver as almas dos outros.

Normalmente, as pupilas marrom-escuras são reconhecidas como pretas com facilidade. Sem olhar com muito cuidado, nem o próprio Klein teria notado.

— Esta é uma manifestação física dos poderes da poção. Quando você aprender Cogitação e como convergir seu poder, seus olhos voltarão ao normal — O Velho Neil sorriu ao estender a mão direita. — Parabéns, nosso novo Beyonder, nosso Vidente.

— Obrigado — Klein estendeu a mão e apertou-a. — Sr. Neil, quando posso aprender a Cogitar?

— Você pode aprender agora. Os passos iniciais da Cogitação são relativamente simples. Ainda mais para os Beyonders — disse o Velho Neil com um sorriso. — Agora mesmo, produzir um objeto em sua mente para desviar sua atenção e direcionar a infiltração de energia para dentro é, na verdade, o primeiro passo para a Cogitação. Tente fazer de novo.

Klein fechou os olhos e, mais uma vez, sua mente retratou a meia cartola.

Ele parecia alcançar o foco com mais facilidade do que antes. Logo, os pensamentos aleatórios que surgiam rapidamente desapareciam, deixando o contorno do chapéu.

— Deixe seu cérebro ficar um pouco em branco. Troque o objeto que você imaginou. Use algo que não existe neste mundo, um objeto que você imagina completamente do nada.

— Você tem que seguir essa regra. Só fazendo isso você pode entrar na Cogitação, só então você pode ultrapassar o conceito de eu. O eu ilimitado se tornará um com o universo, dando a você a capacidade de ver e entender a verdade. Você obterá conhecimento que só você mesmo pode entender. No domínio dos estudos de misticismo, isso é chamado de Experiência Mística — explicou o Velho Neil em um tom apaziguador. — Você só precisa ouvir as descrições que farei mais tarde. O mais importante é entrar em Cogitação.

“Algo que não existe neste mundo. Imagine algo completamente do nada… As coisas da Terra contariam?” Klein tentou usar um míssil intercontinental verde-terra que viu na televisão. Ele substituiu a meia cartola por esse míssil longo e grosso.

No entanto, apesar de suas tentativas, acabou apenas concentrando sua atenção.

“Parece que não vai funcionar…”  Klein não teve escolha a não ser deixar sua imaginação correr solta. Ele delineou uma esfera de luz e depois muitos objetos semelhantes, reunindo-os.

As esferas de luz estavam empilhadas umas sobre as outras. Pareciam objetos de fantasia. Os pensamentos de Klein aos poucos se tornaram etéreos e flutuantes.

Seu corpo e mente se acalmaram. Os objetos que pareciam não existir, a névoa com os feixes de luz brilhantes e as cores complexas apareceram de novo. Eles flutuaram no céu bem próximos.

Ele estendeu sua espiritualidade centímetro por centímetro enquanto olhava para eles em silêncio. Ele sentiu e absorveu.

— Muito bom. Como esperado de um Vidente. Você entrou em Cogitação muito suavemente. Você é apenas um pouco pior do que eu naquela época. Um pouco — disse o Velho Neil com uma risada. — Nesse caso, vou começar a ensinar a você a habilidade mais comum, mais fácil de entender e mais útil do misticismo. Visão Espiritual!

Ele apagou as lâmpadas de gás uma após a outra, mas abriu a porta da sala de alquimia. Fez o ponto onde Klein estava escuro, mas não a ponto de impedi-lo de distinguir silhuetas de objetos.

— Certo, em seu estado atual, levante as mãos e coloque-as na frente dos olhos. Seus dedos indicadores precisam estar voltados um para o outro, mas não devem se tocar.

— Abra os olhos e mantenha-os abertos até se acostumar com a escuridão.

Klein completou cada etapa de acordo com a descrição do Velho Neil. Ele viu as silhuetas de seus dedos e os objetos ao redor.

— Na verdade, você deveria estar deitado para deixar seu corpo ficar totalmente relaxado. Mas como o efeito de sua Cogitação não é ruim, vamos continuar — O Velho Neil riu. — Focalize seu olhar em um ponto atrás de suas mãos. Tem que ser atrás. Em seguida, mova lentamente os dedos e mantenha a mesma postura sem tocá-los. Além disso, não os tire de vista.

Klein ouviu com calma e lançou seu olhar para um ponto vazio atrás de suas palmas. Ele então moveu lentamente seus dedos indicadores dentro de sua visão.

“Uma vez, duas vezes, três vezes…”  De repente, Klein viu uma cor vermelho-fogo entre seus dedos.

— Eh… — Ele soltou.

— Você vê a cor? Isso mesmo. Esse é o passo inicial para a Visão Espiritual. A cor que você vê é a sua aura — explicou o Velho Neil com uma risada. — Sem pressa. Faça isso mais algumas vezes. Depois de estabilizá-la, procure outro lugar. Também aproveitarei esta oportunidade para explicar a você os diferentes significados das diferentes cores.

— Tudo bem — Klein moveu seus dedos para frente e para trás enquanto sua visão era treinada no vermelho ardente.

O Velho Neil pensou por um momento antes de dizer: 

— Para simplificar, a forma dominante do misticismo divide as partes não físicas de um ser humano em quatro níveis. Em seu núcleo está o Corpo Espiritual, que também é a espiritualidade básica de todos. Há uma escola de pensamento que acredita que todas as criaturas biológicas têm espiritualidade e têm um Corpo Espiritual.

— Não tenho certeza de mais nada, mas para Espreitadores de Mistérios, o objetivo da Cogitação e o método para aumentar nossa força é direcionado para o Corpo Espiritual.

— Fora do Corpo Espiritual está a Projeção Astral. É o meio para o Corpo Espiritual se comunicar com o mundo espiritual e com o espaço estelar. É considerada uma manifestação externa do Corpo Espiritual. Além disso, estará diretamente relacionada à sua ambição pessoal e às suas emoções predominantes… As cenas que você vê após consumir a poção são cenas que sua Projeção Astral vê quando vagueia pelo mundo espiritual. Esse mundo não obedece às leis do mundo físico. Envolve exceder o conceito de eu, o eu ilimitado e o eu do universo. O passado, presente e futuro podem ser empilhados um sobre o outro e essa é a fonte da adivinhação.

— No mundo espiritual, o que você vê é apenas uma imagem, um símbolo. Você tem que interpretá-lo para entender seu significado real.

— A adivinhação e muitos feitiços mágicos são lançados através da Projeção Astral.

— Não confunda sua relação e diferenças com um Corpo Espiritual.

“Um é apenas um corpo e o outro é para a forma…” Klein continuou olhando para a aura entre as pontas dos dedos e chegou a uma conclusão simples.

— Mais adiante está o Corpo do Coração e da Mente. Deste ponto em diante, ele se combinará com o corpo físico… Envolve seu cérebro e é uma manifestação geral de suas habilidades inferenciais, analíticas, observacionais e de identificação. Algumas poções aumentarão mais essa parte. Um grande número de feitiços mágicos também o atingem.

O velho Neil explicou com bastante detalhes: 

— A camada mais externa é o Corpo Etérico. É uma manifestação de suas energias vitais e forma física.

— A cor da aura que você vê é um fenômeno externo do seu Corpo Etérico. Em outras palavras, além dos corpos espirituais, fantasmas e espectros que você pode ver direto com a Visão Espiritual, também pode incluir certas existências que não devem ser vistas. Você também pode ver os Corpos Etéricos de outras pessoas ou suas auras. A partir de sua espessura, brilho e cor, você pode determinar sua saúde e estado emocional.

— Quando sua Visão Espiritual melhorar e você adquirir mais conhecimento místico, poderá descobrir ainda mais detalhes. Você poderá até determinar o tempo de vida dos outros.

— A propósito, o estado emocional que mencionei também se manifestará por causa de sua Projeção Astral. Quando você for mais alto na Sequência, sua Visão Espiritual alcançará um estágio superior. Você poderá até ver a projeção astral de outra pessoa. Dessa forma, você aprenderá ainda mais coisas. Este é um nível que apenas Videntes e Espreitadores de Mistérios podem atingir.

— Alguns companheiros até afirmam que a forma mais forte de Visão Espiritual permite ver qualquer coisa em qualquer lugar, incluindo o passado e o futuro. No entanto, sou cético quanto a isso.

“Parece bastante poderoso…”  Klein estava quase ficando ansioso.

O Velho Neil tossiu e continuou: 

— Vamos voltar ao Corpo Etérico e às cores das auras. Seus membros e partes necessárias para o movimento aparecerão em vermelho. Sua cabeça e a superfície do cérebro aparecerão em roxo. Os pontos que excretam resíduos aparecerão em laranja. O sistema de digestório aparecerá em amarelo. O coração e outros sistemas regulatórios aparecerão em verde. Sua garganta e outras partes do sistema nervoso aparecerão em azul. Um corpo equilibrado será coberto de branco… Isso é um símbolo de saúde.

— Quando escurece ou a espessura diminui, a cor muda. Isso indica que o ponto correspondente se tornou problemático. Significa que está em estado de exaustão ou doença.

— Além disso, a camada interna da Projeção Astral representa as emoções predominantes. Vermelho significa paixão e emoção. Laranja significa calor e satisfação. Amarelo significa felicidade e extroversão. Verde significa calma e paz. Azul significa frieza e quietude de pensamento. Branco significa brilho, uma ânsia de melhorar. Cores escuras significam preocupação, tristeza e silêncio. Roxo significa que a espiritualidade está tomando conta da direção, da frieza e do distanciamento…

Klein memorizou a informação em silêncio e estabilizou sua visão espiritual inicial.

— Bom, você pode olhar para outros objetos — O Velho Neil não falou mais enquanto assentia.

Klein lentamente virou a cabeça e olhou para o Velho Neil. De fato, ele via cores diferentes em diferentes partes de seu corpo. A aura era espessa e fina em diferentes pontos. A cor roxa em sua cabeça era mais brilhante e a vermelhidão de seus membros era um pouco escura. A brancura geral de seu corpo também estava um pouco desbotada.

‘’De fato, ele está envelhecendo…”  Klein fez um comentário silencioso para si mesmo.

Apenas com o que viu ele sentiu que havia se tornado um Beyonder!

— Agora sou um Beyonder!

Ele desviou o olhar e avaliou o Velho Neil com cuidado quando de repente viu um par translúcido de olhos frios e implacáveis ​​sem nenhuma sobrancelha no vazio atrás dele!

Esses olhos quase ilusórios estavam olhando fixamente para o Velho Neil, assim como para ele!

“Isso…” Klein estremeceu ao ficar boquiaberto e disse: 

— Tem um par de olhos atrás de você!

O Velho Neil foi pego de surpresa antes de forçar um sorriso.

— Ignore-os.

Olá, eu sou o 444.EXE!

Olá, eu sou o 444.EXE!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥