Selecione o tipo de erro abaixo

Em um porão sem janelas, o corpulento Alger Wilson estava sentado ao lado de uma longa mesa com vários aparatos e pergaminhos de pele de cabra.

Na frente dele havia uma vela meio consumida. O bruxuleio da chama fraca e amarelada fazia as sombras dos objetos e da mesa se moverem como uma miragem.

O cabelo de Alger estava desgrenhado como algas marinhas com uma cor azul profunda que lembrava o preto. Ele usava um manto com padrões de raios bordados e juntou as mãos com os polegares voltados um para o outro enquanto se concentrava em uma garrafa de líquido preto à esquerda da vela.

Whoosh! Whoosh! Whoosh!

Splash! Splash! Splash!

O som de ventos tempestuosos ou o bater das ondas do mar uivavam de dentro da garrafa selada. E em pontos onde a tinta preta não afundava, uma leve névoa girava. Era como se ela tivesse crescido olhos e uma boca.

Alger inclinou a cabeça para olhar o relógio pendurado na parede e observou a agulha atingir o três.

Ele pressionou a têmpora enquanto seus olhos escureciam. Cores fascinantes emergiram dos vários itens sobre a mesa.

Nesse momento, ele descobriu que uma luz vermelho-escura apareceu como um maremoto do nada, afogando-o no mesmo instante!

Backlund, Burgo Imperatriz, dentro da luxuosa mansão da família Hall.

Depois de dispensar a professora de dança, Audrey trancou a porta e sentou-se ereta em frente à penteadeira.

O sol lá fora estava brilhante e lindo. Havia um caderno marrom claro feito de pele de cabra requintada. Foi aberto para revelar que estava em branco. À sua direita havia uma caneta-tinteiro com ponta dourada e rubis embutidos.

Audrey fez um teste e certificou-se de que poderia pegar a caneta-tinteiro e escrever a fórmula no momento em que saísse da Reunião.

— Estou tão ansiosa… — Ela inalou para reprimir suas emoções animadas enquanto olhava para o espelho com os lábios franzidos.

No entanto, ela não viu seu reflexo. Em vez disso, um raio vermelho escuro e ilusório saiu de seu corpo!

Acima da névoa cinza havia um majestoso salão divino que parecia a residência de um gigante.

Cores vermelhas escuras floresceram em ambos os lados da mesa de bronze. Elas subiram como uma fonte antes de descer e esculpiram duas figuras borradas que estavam sentadas nos mesmos lugares de antes.

Audrey, com seu cabelo loiro macio e corpo alto e esguio, olhou para o Assento de Honra por instinto. Ela viu uma figura imersa em uma espessa névoa cinza sentada nele. Uma de suas mãos estava espalmada, tocando a lateral da mesa enquanto a outra acariciava seu queixo.

— Boa tarde, Sr. Louco! — Audrey exclamou com uma voz alegre.

Depois disso, ela virou a cabeça e olhou para a pessoa à sua frente. Com o mesmo tom, ela disse: 

— Boa tarde, Sr. Enforcado!

“Esta senhorita com certeza não é sofisticada. Ela tem tanta certeza de que sou uma boa pessoa? Por que não ela não esboça nenhum medo? Ela é uma senhorita nobre que foi bem protegida?” Klein sorriu e manteve sua imagem insondável.

— Boa tarde, Srta. Justiça.

Enquanto falava, ele abaixou um pouco a cabeça, moveu a mão esquerda e bateu duas vezes na glabela.

O que ele viu mudou no mesmo instante. Ele viu a Justiça e o Enforcado emitirem as cores de sua aura!

E a névoa cinza circundante e as estrelas vermelhas escuras permaneceram as mesmas. Não havia nada que parecesse não existir ou brilhos lustrosos que possuíssem vida.

Ele desviou o olhar e viu que a aura da Justiça combinava perfeitamente com as cores que o Velho Neil descreveu. O que deveria ser vermelho, roxo, azul ou branco estava em seus respectivos lugares. Além disso, mantinham um brilho lustroso e eram de espessura apropriada. Era fácil dizer que ela era uma jovem vibrante.

“As cores de suas emoções são vermelho e amarelo. Isso é alegria, zelo e emoção…” Klein fez um julgamento antes de voltar sua atenção para o Enforcado.

Como Justiça, não havia nada de especial nas cores da aura do Enforcado. Suas emoções eram azuis misturadas com um pouco de laranja.

“Calmo, pensativo, cuidadoso e um pouco satisfeito?” Sendo esta sua primeira tentativa, Klein chegou a uma conclusão sem muita confiança.

Assim que ele desviou o olhar, de repente percebeu algo estranho.

A aura da camada mais interna do Enforcado era quase da mesma cor!

Klein concentrou sua mente e deu outra olhada cuidadosa. Ele podia ver vagamente que no fundo do Corpo Etérico do Enforcado havia um azul profundo, semelhante ao mar. Parecia uma tempestade de maré.

“Sua Projeção Astral? Ou devo dizer a superfície de sua Projeção Astral? Pelo que parece, ele é de fato um Beyonder, e parece ser mais forte que o Velho Neil.” Klein analisou enquanto sua mente estava cheia de perguntas. 

“Não necessariamente. Pode ter a ver com o fato de este ser um ambiente único. Deve ser apenas porque este é o meu território que sou capaz de ver coisas que o Velho Neil não manifestou.”

Ele virou a cabeça para a Justiça de novo e confirmou que era uma característica que apenas os Beyonders possuíam.

Nesse momento, Alger também completou suas saudações.

Audrey deu um leve suspiro ao perguntar em antecipação: 

— Sr. Enforcado, você recebeu a caixa com sangue de Tubarão Fantasma?

Alger deu uma olhada em Klein e o viu batendo na glabela como se estivesse pensando em outros assuntos.

— Muito obrigado. Atendeu perfeitamente as minhas expectativas. Nunca esperei que você a enviasse para mim tão rápido. O sangue de Tubarão Fantasma não é uma criatura fantástica comum — disse Alger com franqueza.

Audrey sorriu de forma humilde e disse: 

— Estou muito feliz em ver esse resultado.

Como adorava qualquer coisa relacionada a mistérios desde tenra idade, ela fez amizade com aqueles em círculos aristocráticos com interesses semelhantes. Eles trocavam informações, livros e artefatos raros entre si. Mas antes disso, nenhum deles jamais havia obtido qualquer poder sobrenatural para se tornar um verdadeiro Beyonder. Em vez disso, alguns príncipes sugeriram que poderiam presenteá-la com o que ela quisesse se aceitasse ser sua princesa consorte.

No entanto, ela obteve o sangue do Tubarão Fantasma direto do cofre de sua família. Afinal, o inventário dizia apenas uma garrafa grande, sem especificar quantos mililitros tinha ou quão cheia estava. Assim, ela acreditava que tirar um pouco passaria despercebido. Mesmo que houvesse um acidente e o assunto fosse exposto, era improvável que seus pais continuassem com o assunto.

Alger olhou profundamente para o Louco envolto em névoa antes de virar a cabeça para trás com um sorriso.

— De acordo com nosso acordo, vou lhe contar a fórmula da poção, Espectador.

— Deixe-me preparar-me. Certo, comece — Audrey inalou enquanto concentrava toda a sua atenção.

— Poções de baixa Sequência são muito fáceis de preparar. Basta seguir a ordem que lhe forneço. Lembre-se de que pode haver quantidades menores de ingredientes, mas não mais. Isso causará grandes problemas. Você deveria ter ouvido sobre notícias de Beyonders perdendo o controle. Eu acredito que não há necessidade de repetir isso? — Alger mencionou pela primeira vez coisas a serem observadas.

Audrey assentiu com gentileza e disse: 

— Eu entendo perfeitamente.

Enquanto falava, ela virou a cabeça para olhar para o Sr. Louco. Ela queria saber se o especialista em mistérios tinha algo a acrescentar; infelizmente, o Louco estava sentado em silêncio, como uma estátua.

Alger pensou por um momento antes de dizer: 

— Ter quantidades menores não significa que pode variar muito… Se você não tem um assistente, sugiro que passe algum tempo se familiarizando com experimentos químicos.

— Tenho um tutor de família para esses assuntos — respondeu Audrey sem sentir o peso.

Depois que Alger mencionou a maior extensão do desvio, ele recitou com grande fluência:

— Espectador. Poção de Sequência 9. 80 mililitros de água pura. 5 gotas de essência de crocus de outono. 13 gramas de pó de paeonol de dentes de vaca. 7 pétalas de flores élficas. Um globo ocular de um peixe Manhal amadurecido. Adicione 35 mililitros de sangue de peixe preto com chifres de cabra.

— Os dois itens finais são os ingredientes principais. Eles são criaturas extraordinárias do mar. Você tem que ter cuidado.

— Tudo bem — Audrey relembrou e repetiu: 

— 80 mililitros de água pura. 5 gotas de essência de crocus de outono, 13 gramas de dentes de vaca…

— Pó de paeonol — lembrou Alger.

Com a ajuda dele, Audrey memorizou a ordem da fórmula de forma gradual e precisa. No entanto, ela parecia preocupada enquanto murmurava repetidas vezes.

— Você sabe sobre Cogitação? — Quando Alger viu Justiça acenar com a cabeça, ele continuou: 

— Não sei o quanto você sabe sobre Cogitação. Deixe-me descrevê-la uma vez… Depois de consumir a poção, comece logo a Cogitação para controlar sua espiritualidade e energia… Certifique-se de praticar todos os dias para de fato compreender os poderes da poção. Desenterre o significado que ela simboliza e ainda mais de seus mistérios. Dessa forma, você pode evitar ao máximo o perigo de perder o controle. E o significado de uma poção está principalmente em seu nome, como Espectador!

Klein ouviu em silêncio a conversa e não tinha planos de interromper. Tudo o que fez foi memorizar e estudar em segredo, mas quando ouviu isso, de repente teve um pensamento.

Audrey ouviu com atenção as explicações do Enforcado e, quando estava prestes a perguntar sobre algo mais detalhado, de repente ouviu o som de batidas na mesa,

Ela e Alger viraram a cabeça e olharam para o Louco. Eles perceberam que a figura misteriosa e poderosa estava batendo suavemente com os dedos. Ele disse com uma voz profunda: 

— Não se trata de desenterrá-los, mas de digeri-los.

— Não se trata de descobertas, mas sim de atuação.

— O nome de uma poção não é apenas simbólico, é também uma imagem. É a chave para sua digestão.

Audrey ficou atordoada e confusa ao ouvir isso. Ela não entendeu muito bem o que o Sr. Louco tentava expressar.

Ela olhou por instinto para o Enforcado em busca de uma reação com o canto dos olhos e ficou surpresa ao vê-lo tremer e congelar. Era como se uma pessoa comum tivesse ouvido um trovão alto e repentino.

— Digerir, atuar… Digerir, atuar… Digerir, atuar, chave… — Alger repetiu várias vezes suavemente como se tivesse captado um conceito-chave ou sucumbido a uma estranha maldição.

Depois de um tempo, ele levantou a cabeça e disse com voz rouca: 

— Obrigado, Sr. Louco. Sua dica é tão valiosa quanto a minha vida. Você esclareceu muito. Claro, acredito que ainda não entendi ou compreendi seu conselho por completo.

Klein manteve sua imagem misteriosa e insondável dizendo com um sorriso: 

— Foi um adiantamento.

Na verdade, ele não entendia o verdadeiro significado do que disse. Ele tinha certeza de que o Imperador Roselle era mais poderoso que o típico Beyonder e mais forte que o Enforcado.

“Adiantamento…” Audrey olhou para a reação do Enforcado e soube que a dica anterior era preciosa. Enquanto ruminava sobre isso, ela perguntou: 

— Sr. Louco, o que você deseja que façamos?

Em frente a ela, Alger disse com um aceno de cabeça: 

— Que assunto você deseja nos confiar?

Klein inclinou-se um pouco para trás enquanto olhava para os dois antes de dizer com uma voz suave e agradável: 

— Recolham o diário secreto de Roselle Gustav em meu nome, mesmo que seja apenas uma página dele.

Olá, eu sou o 444.EXE!

Olá, eu sou o 444.EXE!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥