Selecione o tipo de erro abaixo

Combo → 28/55


“Darc?” A imagem de Darc apareceu na mente de Derrick.

Ele era de estatura mediana, ligeiramente rechonchudo e forte. Era um adolescente alegre e otimista, que frequentemente exibia um sorriso amigável. Ele foi colega de classe durante a educação geral e companheiro de equipe do esquadrão de patrulha.

Mas depois dessa exploração do templo semi-destruído do Criador Caído, ele se tornou reservado e apenas sorria.

Assim que se lembrou das mudanças de Darc Regence, Derrick não pôde deixar de tremer ao sentir um arrepio na espinha.

“Por que ele de repente veio me procurar? Ele não deveria estar voltando para casa depois de ser removido da quarentena?” Naquele momento, muitas perguntas surgiram na mente de Derrick.

De repente, pensou em uma possibilidade.

“A Anciã Lovia sabe que eu suspeitei que algo anormal aconteceu com eles, então enviou Darc para lidar comigo?”

Derrick ficou primeiro chocado e cheio de horror. Mas imediatamente depois disso, sentiu que poderia não ser uma coisa ruim.

“O Sr. Enforcado disse: — se não houver uma audiência adequada para testemunhar por você, então você também pode usar o Beyonder que está monitorando você. — E agora, a pessoa que me monitora está naquele canto. Se Darc me atacasse de repente, ele definitivamente exporia o fato de que há algo errado com ele!”

“Dessa forma, mesmo que eu não use o item do Sr. Mundo, ainda posso fazer as coisas correrem bem!”

Derrick virou a cabeça para olhar pela janela.

Naquele momento, a frequência dos raios caiu. Só depois de um minuto ou dois um raio riscaria o céu, iluminando metade do céu. A maior parte da Cidade de Prata estava imersa em uma escuridão profunda na maior parte do tempo.

Se estivesse sozinho, Derrick não teria procurado uma vela para acender. Ele gostava de ficar quieto na cama e pensar em todo tipo de coisa.

Claro, sabia que isso era realmente bastante perigoso. Se não houvesse luz para dissipar a escuridão, monstros poderiam aparecer de repente, mesmo dentro da Cidade de Prata. No entanto, o próprio Derrick era um Suplicante da Luz, então era equipado com o atributo da luz e não tinha medo de que algo semelhante acontecesse.

Toc! Toc! Toc! Darc bateu mais três vezes, como se incitasse o dono da casa a abrir a porta.

“Ele não era assim antes; ele era muito educado…” Derrick de repente sentiu um profundo sentimento de tristeza.

Ele tirou uma vela de uma caixa de madeira e a colocou no meio da mesa. Então esfregou os dedos, criando uma chama dourada.

A chama acendeu a vela, enchendo a sala com um brilho fraco, mas quente, acompanhado por um aroma fraco e pungente.

As velas da Cidade de Prata eram feitas principalmente de gordura e óleo refinados dos corpos dos monstros. Teriam cheiros diferentes devido às suas diferentes origens.

Depois de respirar fundo, Derrick caminhou até a porta com um forte senso de vigilância e a abriu.

— Por que demorou tanto? — Darc perguntou com um sorriso.

— Eu estava procurando velas, — respondeu Derrick.

Ele não ousou ficar de costas para a outra parte, e optou por caminhar lado a lado com Darc. Com seu colega de classe e de equipe, ele voltou para a mesa e ocupou seus respectivos lugares.

— Você quer experimentar algumas dessas Frutas da Perdição recém-secadas? — Darc perguntou com um sorriso enquanto tirava uma pequena bolsa de pano de sua cintura.

Frutas da Perdição eram um dos lanches muito raros na Cidade de Prata. Veio de uma planta chamada Vinha de Sangue da Perdição, um tipo de organismo que não precisava de luz para crescer. Crescia absorvendo os nutrientes de cadáveres podres. Ela tinha uma tendência a atacar e era considerada um monstro fraco bastante comum.

Cada Vinha de Sangue da Perdição tinha muitas frutas pretas do tamanho de um polegar, que podiam ser comidas diretamente. Elas eram crocantes e doces, mas não conseguiam encher o estômago e não forneciam os nutrientes necessários. Só poderiam ser usadas ​​como um lanche diário. Os pontos de mérito recebidos de uma única patrulha podiam ser trocados por vários sacos grandes delas.

— Não, não há necessidade. — Derrick balançou a cabeça com cautela.

— Tudo bem, então, — Darc derramou uma pilha de frutas pretas da sacola, pegou uma e colocou na boca antes de mastigar ruidosamente.

Derrick pensou por um momento e tomou a iniciativa de perguntar: — Você encontrou algum monstro na área subterrânea do templo?

Darc parou de mastigar e respondeu com um sorriso: — Havia alguns deles, mas não eram tão poderosos. Eles foram facilmente eliminados por nós. Esse lugar foi destruído há tempos, então os monstros poderosos provavelmente partiram há muito tempo.

Ele parou por um segundo, então disse com os cantos da boca curvados: — Encontramos algumas plantas estranhas no fundo do templo. Pareciam os cogumelos que vimos na aula de conhecimentos gerais. Eles eram especialmente brilhantes e pareciam muito apetitosos.

— Foi confirmado que são comestíveis. Eles podem trazer um aprimoramento na espiritualidade de alguém e fortalecer o corpo. Se for combinado com monstros assados, emitirá uma fragrância inimaginável.

Ao dizer isso, ele tirou um objeto em forma de cogumelo do tamanho da palma da mão de outro pequeno saco de pano. O caule era branco leitoso e o chapéu1 era vermelho cristalino brilhante. Também foi pontilhado com manchas douradas escuras.

A mera visão da planta fez Derrick engolir saliva, como se estivesse morrendo de fome por dias.

Sob a luz fraca da vela, o belo objeto em forma de cogumelo tinha um brilho sedutor que aguçava seu apetite de forma irresistível.

— Aqui está um para você. — Darc sorriu calorosamente.

— Ok, ok… — Derrick quase agiu imediatamente quando pegou a planta em forma de cogumelo para enfiá-la na boca, mas no final, ele se forçou a abrir a boca e dizer: — Vou tentar amanhã.

Darc não disse mais nada. Ele empurrou o cogumelo na frente de Derrick e continuou a comer suas Frutas da Perdição.

Com grande dificuldade, Derrick desviou o olhar do cogumelo e perguntou: — Você fez alguma descoberta nesta expedição?

— Sim! — Darc parou de comer o lanche e segurou uma Fruta da Perdição preta, respondendo com extrema seriedade: — Encontramos muitos murais, uma série contínua de murais. Você se lembra daquela estátua no templo?

— Sim. — Derrick deu uma olhada no cogumelo e assentiu. — Uma enorme cruz com um homem nu pregado nela pendurado de cabeça para baixo, e sua superfície foi deliberadamente manchada com muito sangue.

Darc brincou com a Fruta da Perdição em sua mão e disse: — Os murais recém-descobertos nos dizem que os construtores do templo acreditavam que a estátua representava o Senhor que criou tudo, o Deus onipotente e onisciente. Eles acreditavam que o Senhor não abandonou esta terra, mas nos ajudou a arcar com a grande maioria de nossos pecados quando o Cataclismo veio; assim, passando de uma posição ereta para de cabeça para baixo, de andar livremente para ser pregado na cruz e sangrar em nosso lugar.

— A graça de Deus não conhece limites. Não somos os abandonados, mas sim os amados escolhidos. Sem o Senhor levando nossos pecados e derramando sangue em nosso lugar, a Cidade de Prata já teria sido destruída há muito tempo. Os humanos teriam deixado de existir há muito tempo!

“Mas, no mundo exterior, no Reino de Loen, onde o Sr. Enforcado, a Srta. Justiça e os outros estão localizados, não há maldições, escuridão extrema, monstros à espreita na escuridão… Não somos os amados escolhidos…” Derrick retrucou silenciosamente em sua mente.

— Se isso for verdade, então só precisamos mudar os símbolos e o nome honroso correspondente durante um ritual, e podemos receber a resposta do Senhor novamente… — Darc continuou, descrevendo os murais sob o templo e falando de suas especulações. À medida que isso acontecia, Derrick achava cada vez mais difícil resistir à tentação do  cogumelo.

“Não, não devo comê-lo! Se eu comer, posso acabar como Darc e os outros, completamente corrompido pelo Criador Caído e me tornar um crente fanático… Mesmo se houvesse alguém me monitorando, eles não notariam nada de errado…” Derrick sentiu uma onda de horror, tinha que fazer algo para se livrar da situação.

“Acompanhar Darc e devolver o cogumelo para ele? No entanto, isso equivale a desistir desta oportunidade… Oportunidade…” O olhar de Derrick caiu automaticamente na chama da vela amarela que ardia silenciosamente.

— Vou pegar um copo de água para você. — Ele rapidamente passou pelo plano que havia discutido com o Sr. Enforcado e se levantou calmamente.

Darc assentiu enquanto jogava a Fruta da Perdição do tamanho de um polegar na boca, mastigando-a ruidosamente.

Enquanto Derrick derramava a água, ele deliberadamente desacelerou suas ações, abaixou a cabeça e recitou o nome honroso de Sr. Louco. Finalmente, ele disse: — Seu devotado servo ora por sua atenção.

— Eu rezo para que você aceite essas ofertas.

— Eu rezo para que você abra os portões do seu Reino.

Whoosh!

Uma forte rajada de vento soprou dentro da sala enquanto o poder da natureza, gerado sob a influência do encantamento, formava ondas claras.

Ao mesmo tempo, Darc, que acabara de pegar uma Fruta da Perdição, de repente levantou a cabeça e olhou para Derrick, que o encarava de lado.

— O que aconteceu?

Sem respondê-lo, Derrick colocou uma mão sobre o Machado do Furacão e enfiou a outra em seu bolso secreto, removendo a parede da espiritualidade do exterior da caixa de ferro.

Derrick lançou um olhar excepcionalmente cauteloso para Darc, apenas para ver a expressão de seu colega de classe e de equipe escurecer quando traços vermelhos brilhantes apareceram em seus olhos azuis!

Em sua mão, a Fruta da Perdição estranhamente derramou sua escuridão externa e se transformou em uma cor carnuda aparentemente pálida.

Não era uma Fruta da Perdição, mas um dedo, um maldito dedo, um dedo humano!

A pilha de Frutas da Perdição na mesa era composta por dedos humanos!

O cogumelo de cores vivas também mudou de aparência. Não era mais tão bonito e não fluía mais com um brilho apetitoso. Era um couro cabeludo manchado de sangue com cabelo preto curto!

Olhando para Derrick, Darc abriu a boca, sua voz fria e à deriva.

— O que você estava fazendo?

Backlund, Rua Minsk, nº 15.

Assim que Klein, que rastejou para o mundo quente sob sua colcha, ouviu o que parecia ser uma oração do Jovem Sol, ele lutou para sair da cama e conjurou uma parede de espiritualidade. Então deu quatro passos no sentido anti-horário e passou por cima da névoa cinza.

Sentado na cadeira que pertencia ao Louco, não se apressou em examinar o pedido do Sol. Em vez disso, ele fez a carta do Imperador das Trevas, estatuetas de papel e outros itens aparecerem na frente dele na longa mesa de bronze em uma ordem bem organizada.

Segundo o plano do Enforcado, a cena do Sol estimulando a mutação do membro da equipe exploratória aconteceria durante um ritual de sacrifício. Assim, encerrada a questão, seria bastante simples fazer desaparecer de cena o objeto emprestado do Mundo, apagando todas as evidências. Depois disso, toda a culpa poderia ser colocada em Amon!

Quanto ao Sr. Louco, Klein havia concordado com o pedido do Jovem Sol para simplificar o ritual de maneira indiferente. Tudo o que precisava ser feito eram os passos principais.

Nesse ponto, ele esperava que o prelúdio do ritual fosse concluído para que pudesse responder.

  1. sim, a parte de cima do cogumelo[]
Picture of Olá, eu sou Vento_Leste!

Olá, eu sou Vento_Leste!

Comentem e avaliem o capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥