Selecione o tipo de erro abaixo


Combo 03/50


Como Víbora de Moeda de Prata, Oder, não era um pirata, havia todos os tipos de rumores sobre ele, muitos dos quais dificilmente poderiam ser verificados. Klein retraiu o olhar da escada e caminhou até o balcão do bar. Ele encontrou um assento no balcão e bateu nele.

— Um copo de Zarhar.

Esta era uma cerveja de malte produzida localmente. Era muito mais barata do que a cerveja do sul.

— 3 centavos. — O barman se recuperou de seu estado de silêncio enquanto pegava um copo virado.

A multidão no bar começou a sussurrar enquanto era iluminada pelas luminárias de parede a gás. Todos eles estavam discutindo o motivo da compra de dez passagens pelo Víbora de Moeda de Prata, Oder.

— Ele definitivamente está sendo perseguido por alguém. Dez passagens entre três navios… É claramente para evitar que seus perseguidores saibam em qual navio embarcaram! — Um membro de gangue com as mangas arregaçadas, revelando sua tatuagem, compartilhou sua opinião com base em sua experiência ao escapar da captura duas vezes.

Um aventureiro bebendo Lanti Proof zombou.

— Você não entende Oder. Se seu plano fosse tão simples, ele não teria o título de Víbora de Moeda de Prata.

— Ouso apostar que ele não estará em nenhum dos transatlânticos daquelas dez passagens!

— A única coisa que posso confirmar é que eles estão indo para o Porto Pritz.

Outro aventureiro balançou a cabeça quando ouviu isso.

— Talvez a notícia dele indo para Porto Pritz também seja falsa.

O membro da gangue de antes ficou surpreso com o que ouviu. Recusando-se a ser derrotado, ele disse: — De acordo com suas descrições, Oder provavelmente pensou no que você disse. É exatamente por isso que ele está indo para o Porto Pritz e estará em um dos três navios!

Os dois aventureiros estavam prestes a retrucá-lo, mas decidiram que havia uma chance bem diferente de zero de isso acontecer depois de pensar cuidadosamente. Momentaneamente, nenhum deles disse uma palavra.

Isso deixou o membro da gangue extremamente feliz enquanto ele bebia o resto da bebida.

Klein estava segurando um copo de Zarhar enquanto bebia e ouvia a conversa. Ele estava esperando pela identificação falsa e pelas passagens de que precisava.

“Faltam mais 45 minutos. Espero que nada aconteça. Não deixe o bar uma bagunça…” Ele orou silenciosamente enquanto desenhava a lua carmesim para dentro.

A cerveja amarelo-clara foi diminuindo lentamente de volume enquanto Klein olhava de vez em quando para o relógio de parede, ou para a entrada, torcendo para que o tempo passasse mais rápido.

Meia hora depois, a porta do bar foi aberta de repente com um baque forte enquanto o vento da noite entrava.

“De jeito nenhum…” Os cantos dos lábios de Klein se contraíram enquanto ele reprimia a vontade de sorrir ironicamente. Ele virou o corpo para olhar o som.

Parados na porta estavam cinco pessoas. Seu líder tinha cabelos pretos e olhos castanhos, com traços faciais recuados e contornos faciais nítidos. Ele parecia de Loen e parecia ter quarenta e poucos anos.

Sua expressão era fria e exalava um ar natural de domínio. Isso fez com que todos no bar se acalmassem sem perceber.

E os três homens e a mulher atrás dele usavam sobretudos. Eles não esconderam o fato de que seguravam revólveres e que mirariam e atirariam instantaneamente se houvesse qualquer sinal de anormalidade.

“Eu não os conheço. Eles não estão em nenhuma lista de procurados nem têm recompensas…” Klein murmurou para si mesmo enquanto mantinha seu estado de espectador.

Os cinco intrusos de repente se espalharam quando chegaram diante de diferentes clientes, curvaram ligeiramente as costas e olharam para eles antes de perguntar: — Onde está Víbora de Moeda de Prata, Oder?

Os clientes hesitaram em responder quando viram o cano preto apontado para eles, junto com o cabo de marfim que exalava uma estranha sensação de beleza sob as luzes.

— E-eles foram para o segundo andar! — Os clientes questionados quase apontaram para a escada em uníssono.

“Alguém está realmente perseguindo Oder. Este é um ato contra a Rainha Misteriosa ou o Víbora de Moeda de Prata fez algo sozinho? Ou poderia ser por causa do misterioso homem encapuzado ao lado dele que comia doces?” Klein bebeu outro gole de cerveja ao ver os intrusos enviarem quatro pessoas para o segundo andar. Um ficou para trás para continuar questionando os clientes.

Logo, este último percebeu a situação do pedido de Oder para compra de passagens de Deniel. Imediatamente, a pessoa foi direto até o comerciante negro magro e de pele escura e perguntou com voz pesada: — Diga-me honestamente. Para onde Oder está indo com essas passagens?

Deniel não fingiu ser apenas por causa de suas conexões sociais. Ele forçou um sorriso e disse: — Ele não deixou isso claro. Ele solicitou dez passagens que serão distribuídas em três navios diferentes. A data de partida está marcada para amanhã com destino ao Porto Pritz.

— Sério? — O questionador era um homem aparentemente radical na casa dos vinte anos.

Deniel respondeu suavemente: — Você pode perguntar a qualquer um aqui. Todos eles ouviram.

— Porra! — O homem empurrou Deniel com raiva enquanto ele se virava para caminhar em direção aos outros clientes.

Deniel cambaleou para trás e estava prestes a cair e bater a cabeça na lateral de uma pequena mesa circular quando de repente sentiu uma força adicional em seu ombro. Instantaneamente, ele recuperou o equilíbrio.

Ele subconscientemente olhou e viu que era o cliente que acabara de solicitar a compra de uma identidade falsa e os ingressos.

— Obrigado, aquele bando de hienas militares! — Deniel primeiro agradeceu antes de dizer baixinho com os dentes cerrados.

A pessoa que o ajudou foi Klein. Ele não queria que nada acontecesse com esse cambista de ingressos; afinal, ele pagou um depósito de 5 libras.

Claro, ajudar os inocentes também era um hábito dele.

“Hienas militares? Em Bayam, esta descrição geralmente se refere a pessoas do MI9… O que o Víbora de Moeda de Prata fez?” Klein perguntou-se silenciosamente enquanto eliminava a possibilidade de alguém estar mirando na Rainha Misteriosa.

Para os militares de Loen, não fazia sentido.

Enquanto ele pensava, os membros do MI9 que haviam subido para o segundo andar desceram correndo. Enquanto corriam, disseram ao parceiro: — Ele fugiu há muito tempo pela janela!

O grupo de pessoas veio e saiu com pressa. Logo, o bar voltou ao seu barulho habitual, mas a porta principal, ainda balançando suavemente, provou que não estava tão calmo antes.

A espera de Klein por seus documentos de identificação falsos e sua passagem valeu a pena. Ele não precisava se preocupar com possíveis interrupções.

Depois de pagar as 15 libras restantes, saiu do Bar das Algas Marinhas e voltou para a pousada comum onde se hospedou.

“John Yode… Esse nome é simples demais, não é? Antes de voltar para Backlund, preciso fazer um documento de identificação mais realista.” Klein folheou a série de documentos de identificação antes de jogá-los dentro da mala.

Tomou banho e relaxou, preparando-se para partir de Bayam amanhã e iniciar a última etapa de suas viagens marítimas.

Neste momento, ele ouviu batidas na porta.

“Quem é?” Klein tirou apressadamente o roupão, vestiu as roupas e as calças e foi até a porta.

Do lado de fora estavam alguns policiais vestidos de preto. Um deles parecia de Loen, enquanto os demais eram mestiços ou nativos puros.

— Qual é o problema? — Klein perguntou, intrigado.

— Por favor, mostre-nos alguma identificação, — disse um mestiço educadamente, já que o cavalheiro à sua frente era aparentemente de Loen.

“Felizmente, acabei de fazer uma. Caso contrário, passarei a noite na delegacia, ou terei que fugir imediatamente, mudar minha aparência e refazer tudo…” Klein murmurou enquanto voltava para seu quarto e tirava os documentos de identificação.

O policial de Loen folheou-a casualmente e disse: — Sr. Yode, você está morando sozinho?

— Sim, todos na pousada podem atestar por mim, — respondeu Klein francamente.

O policial revelou um sorriso e disse: — Você já viu essa pessoa antes?

Enquanto falava, um policial ao lado dele desdobrou um retrato. Nela estava um velho que era anormalmente magro, com cabelos brancos e bagunçados. Fora isso, nada se destacou.

— Não. — Klein balançou a cabeça.

— Ele gosta de comer doces, — acrescentou o policial de Loen.

— Doces… — Klein de repente se lembrou do misterioso homem encapuzado atrás do Víbora de Moeda de Prata. Ele comia muitos doces cor de café em um curto período de tempo.

Após uma breve deliberação, Klein disse sem esconder nada: — Talvez. Quando eu estava no Bar das Algas Marinhas, vi um homem que adorava comer doces e estava seguindo o Víbora de Moeda de Prata, Oder.

O oficial de Loen não escondeu a sua decepção. Após uma simples palavra de agradecimento, encerrou o questionamento.

Klein fechou a porta de madeira e voltou para a cadeira reclinável.

“O assunto de Oder não só atraiu o MI9, mas também fez com que o gabinete do governador-geral enviasse mão-de-obra para fazer uma busca em toda a cidade. Isso é incrível…” ele murmurou e decidiu se dirigir acima da névoa cinza para navegar pelos pontos de oração de luz ao redor do Cetro do Deus do Mar. Ele poderia obter mais informações através das orações dos crentes em Bayam. Ele não queria acabar envolvido em um enorme turbilhão por dar a resposta errada.

Depois de entrar no banheiro, ele passou por cima da névoa cinza onde convocou o cetro de osso branco da pilha de lixo. Girando em torno dele havia incontáveis ​​pontos de luz.

Ao navegar por cada ponto de luz, ele determinou que o questionamento não era em pequena escala. O alvo era Oder e o homem misterioso, mas ele não conseguia descobrir mais nada.

Depois de pensar um pouco, olhou para um ponto de luz que havia sido especialmente marcado pela divindade.

Pertencia a um policial mestiço chamado Boulaya. Ele alegou ter engolido a humilhação ao mudar sua fé para o Senhor das Tempestades pelo Deus do Mar, a fim de subir na hierarquia policial.

Ele já era supervisor!

Então, Klein lançou a vontade do Deus do Mar no ponto de luz correspondente.

Boulaya, que estava na delegacia atribuindo trabalho a seus subordinados, de repente começou a suar frio. Ele rapidamente encontrou uma desculpa para entrar no banheiro enquanto orava silenciosamente.

— Abençoado do mar e do mundo espiritual, o grande Kalvetua, seu piedoso crente tem algo a lhe reportar.

— A pessoa que procuramos especialmente esta noite é um velho muito magro. Seu cabelo é completamente branco, mas ele tem cabelos exuberantes. É muito confuso. Ele tem muito medo do frio e usa roupas grossas mesmo em Bayam. Ele adora comer doces, como se ele próprio fosse uma máquina a vapor e os doces fossem carvão de alta qualidade. Os superiores nos informaram para encontrá-lo, mas não prejudicá-lo.

Klein ignorou Boulaya e refreou seus pensamentos enquanto tocava na lateral da longa mesa.

“Comparada ao retrato, tal descrição me dá uma sensação de familiaridade.”

“É como se eu já tivesse ouvido falar disso em algum lugar no passado…”

Para um Vidente, uma sensação de familiaridade significava uma pista. Consequentemente, Klein escreveu uma declaração de adivinhação e começou a questionar sua espiritualidade.

Enquanto recitava a declaração, ele recostou-se na cadeira. Adormeceu com a ajuda da Cogitação.

No mundo cinzento e escuro, Klein se viu de volta a Backlund, na rua Minsk, nº 15, que ele havia alugado anteriormente.

Na frente dele estava Ian de olhos vermelhos. Este adolescente ergueu os olhos e disse: — Turani von Helmosuin, o maior cientista depois do imperador Roselle, um matemático, um mecânico e o pai do motor diferencial de segunda geração.

De repente, Klein acordou e sabia quem o MI9 estava procurando!

Eles estavam encontrando o grande cientista que causou muitas mortes entre os militares Loen e a organização de espionagem de Intis apenas por causa de um mecanismo diferencial de terceira geração!

Eles estavam encontrando o louco pela ciência que havia desaparecido misteriosamente há anos!

“Não é de admirar que o oficial de inteligência do Almirante de Sangue, Velho Quinn, tivesse um transceptor de rádio modificado que superava os de Backlund!” Klein foi instantaneamente esclarecido.

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥