Selecione o tipo de erro abaixo

Combo 05/30


“Ela não está morta? Ela conseguiu escapar? Ela está realmente tentando se vingar do Príncipe Edessak?” Naquele momento em que viu Trissy, Klein quase perdeu o controle de sua expressão.

Embora tivesse adivinhado com base na conversa, ele ainda sentiu que superou suas expectativas quando a verdade foi colocada diante dele.

Mesmo sem a necessidade de uma adivinhação por sonhos, ele ainda conseguia se lembrar da Grande Poluição de Backlund. Trissy conversou com ele e, naquela época, ela estava ansiosa para escapar do controle do Príncipe Edessak e escapar da manipulação de seu destino pela pessoa escondida nos bastidores. Ela sentia que sua vida diária estava cheia de dor.

“Esta Demônia que já foi um homem vendeu sua alma a um deus maligno para ajudar a vingar o Príncipe Edessak? Que tipo de enredo de romance banal e de baixa qualidade é esse!?” Os cantos dos lábios de Klein se contraíram quando ele viu Walter jogar um saco de comida para Trissy. Depois de ouvi-lo dar alguns conselhos, ele se virou e saiu do caminho isolado.

Neste momento, uma figura apareceu na casa do deputado Macht. Estava dentro da linha de visão de Klein de onde ele estava. Seguiu as sombras da rua enquanto se aproximava rapidamente da entrada do esgoto. Ela não era outra senão Hazel, que possuía um item místico do caminho do Saqueador.

“Ela encontrará Walter… Esta não é uma entrada para os esgotos! É claramente a entrada para uma cidade movimentada!” Klein olhou para baixo e quase deu uma palmada no rosto.

Ao chegar ao bueiro, Hazel observou cautelosamente os arredores por alguns segundos antes de afastar a tampa e descer. Todo o processo foi feito de uma só vez, sem qualquer sinal de atraso.

Pisando no chão levemente úmido, ela seguiu os canos de metal enferrujados e o esgoto que fluía lentamente com um destino claro em mente.

De repente, sentiu suas costas ficarem frias quando um arrepio percorreu sua espinha. Seu cabelo começou a ficar em pé.

Logo depois disso, Hazel pareceu mergulhar em um rio gelado e sentiu um frio tomando conta de seu corpo.

Ela ficou horrorizada ao se ver andando em uma direção diferente, indo direto para a parede com canos de metal. E isso foi completamente contra a vontade dela!

O horror encheu a mente de Hazel antes que ela recebesse um alívio de seus pensamentos entorpecidos. Ela infundiu toda a sua espiritualidade no colar em seu pescoço.

As sete gemas verdes do colar eram equidistantes umas das outras. Embutidos em torno delas havia pequenos diamantes. Na escuridão absoluta, eles ainda giravam com um leve brilho lustroso.

De repente, uma joia se acendeu quando o brilho verde iluminou o rosto medonho de Hazel.

Ela encostou-se na parede e parou por um momento. Moveu os pés para frente de maneira desajeitada antes de retraí-los.

Naquele instante, a frieza que Hazel sentiu parou por um momento.

Ela não hesitou em usar sua espiritualidade para acender outra joia verde. Ergueu a mão direita, apontou para si mesma e torceu o pulso.

Ao mesmo tempo, muitos símbolos e padrões misteriosos apareceram em sua mente enquanto sua espiritualidade e voz mudavam momentaneamente.

Ela havia roubado o poder Beyonder, Grito do Espectro!

Hazel estava prestes a abrir a boca para gritar quando percebeu que suas mãos perderam o controle novamente. Ela cobriu a boca com força e rapidez com as mãos.

Seu grito se transformou em um som abafado quando ela deu alguns passos rápidos em direção à parede. Virou em outra bifurcação antes de se agachar na escuridão pura.

Ela se esforçou para lutar, mas foi inútil. Nfoi capaz de ativar o colar no pescoço.

Os olhos castanhos escuros de Hazel se arregalaram quando se encheram de horror e indignação. Lágrimas começaram a brotar em seus olhos antes de escorrerem lentamente por suas bochechas.

E nesse momento Walter saiu de outro caminho, voltando para a entrada do esgoto antes de subir agilmente.

Depois que ele voltou furtivamente para a Rua Böklund, nº 160, Hazel de repente recuperou o controle de seu corpo. Ela sentiu que a frieza havia desaparecido completamente.

Ela primeiro levantou as mãos surpresa, usando sua visão noturna para dar uma olhada. Depois disso, olhou em volta nervosa, como se houvesse incontáveis ​​monstros desconhecidos escondidos na escuridão dos esgotos.

Hazel imediatamente tocou o colar com a mão direita, levantou-se cuidadosamente e dirigiu-se para a entrada.

Ela não fugiu em pânico, mas em vez disso preparou-se cautelosamente para qualquer ataque que aparecesse da escuridão.

Finalmente, voltou para a Rua Böklund, onde viu o poste de luz preto emitindo sua luz, iluminando as ruas que ainda tinham vestígios de chuva.

Só então Hazel acelerou o passo e correu para casa. No meio do caminho, ela se virou de repente, fechando nervosa e freneticamente a tampa do bueiro.

Depois de fazer tudo isso, seguiu as sombras e entrou em seu jardim. Com a ajuda dos canos de gás e água, ela entrou pela varanda do quarto.

Só nesse ponto realmente teve espaço para pensar. Ela arregalou os olhos e subconscientemente olhou em volta. Lentamente, seu corpo começou a tremer.

Ela ergueu o braço esquerdo, na esperança de usar as roupas para enxugar o rosto, mas fez uma pausa no meio do caminho e passou a usar um lenço do bolso.

“Hazel ainda possui as habilidades básicas necessárias para reagir. Ela não é uma novata completa…” Nos esgotos, Senor apareceu com seu casaco vermelho escuro e chapéu triangular enquanto falava silenciosamente.

Depois disso, sob o controle de Klein, ele ficou invisível novamente ao entrar na bifurcação escondida onde Trissy estava.

Assim que o Espectro se aproximou, Trissy vestida de preto olhou para cima e revelou um sorriso fraco, mas teimoso.

— Pelo que parece, você não tem más intenções.

— Aquela menina teve muita sorte.

Ela sentiu Hazel e descobriu o Espectro!

A figura de Senor apareceu enquanto ele ria.

— Talvez matá-la só lhe traga problemas maiores.

Para ser honesto, ele queria denunciar Trissy às autoridades porque sabia das maldades que ela havia cometido. Ele sabia como ela havia incitado os passageiros e a tripulação do Alfalfa, fazendo com que se matassem uns aos outros no mar. Também sabia como ela fez com que muitas vidas inocentes morressem. No entanto, depois de perceber que Trissy estava investigando o mistério por trás da morte do Príncipe Edessak, Klein teve um novo plano em mente. Ele incitaria a Demônia e cooperaria com ela em certos assuntos.

O mistério da morte do Príncipe Edessak equivalia à verdade sobre a Grande Poluição de Backlund!

“Investigar este assunto certamente será muito perigoso. Usar outras pessoas me fará sentir culpado, com medo de que, como resultado, aconteçam danos ou até a morte a eles. Ao conseguir que Trissy fizesse isso, eu não teria um fardo psicológico tão grande. Os crimes que ela cometeu há muito a condenaram ao inferno! O único problema é que ela pode estar usando as investigações do mistério da morte do Príncipe Edessak para seus próprios estratagemas. Eu tenho que ter cuidado com isso para evitar que eu seja usado, causando assim um desastre…” Como Klein pensou, ele fez Senor dar dois passos à frente.

Trissy olhou para o homem de meia-idade à sua frente e riu.

— Já que você não tem más intenções, vá em frente, Sr. Senor.

Neste instante, os sentidos da marionete revelaram incontáveis ​​fios flutuando e se agitando ao redor de Trissy. E sentada no meio estava ela vestida de preto com um rosto pálido. Parecia uma aranha no meio de sua teia, mas estava cheia de tentação e pena que fazia alguém se aproximar dela.

— Você me conhece? — A marionete parou em seus passos.

A expressão de Trissy era um tanto vaga quando ela respondeu em devaneio: — Certa vez, passei um período inesquecível no mar.

“Naquela época, você ainda era um homem…” Klein satirizou e riu.

— Por que você está investigando a morte do Príncipe Edessak? Ele não cometeu suicídio?

Trissy imediatamente ergueu os olhos enquanto a raiva coloria seu rosto.

— Os suicídios podem ser diferentes. Algumas pessoas fazem isso de boa vontade; outras são forçadas.

“De jeito nenhum, ela realmente parece se importar com a morte do Príncipe Edessak… Mulher, você esqueceu que já foi um homem? Você se esqueceu da dor da qual estava falando anteriormente? Não me diga que esta é a chamada síndrome de Estocolmo, onde você acaba se relacionando com seu raptor devido à pequena quantidade de gentileza que ele forneceu? Bem, eu não sou um Espectador e não consigo determinar se ela está sendo sincera ou não…” Klein fez o Senor rir.

— Então, você acredita que o Príncipe Edessak foi forçado a cometer suicídio?

— Você procurou William Sikes para investigar este assunto?

O olhar irritado no rosto de Trissy desapareceu quando um sorriso miserável, mas lindo, apareceu.

— Isso mesmo.

— Foi ele quem obrigou Edessak a cometer suicídio com uma bala destruidora de espiritualidade. No entanto, ele também estava sob ordens de outros. Heh, para obter o prazer final, ele revelou tudo. Heh heh, ele ainda era incapaz de realmente me tocar. Até mostrei a ele minha foto anterior. Ele morreu cheio de ainda mais miséria e desespero…

“Não consigo imaginar o que William sofreu… Trissy está tão distorcida quanto antes… As Demônias na fase do Prazer são realmente cheias de encantos. Cada expressão e cada ação são repletas de sedução… Mas posso dizer que Trissy já controlou isso muito bem, só usando quando necessário. Ela já avançou? Ou é por causa do amor?” Enquanto Klein satirizava, ele fez Senor perguntar: — Quem é?

Ao fazer essa pergunta, Klein não esperava receber uma resposta, mas Trissy riu e respondeu: — Visconde Stratford.

— O capitão da guarda real da família real.

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥