MPE – Capítulo 192

Capítulo Anterior
Próximo Capítulo

Capítulo Anterior || Índice || Próximo Capítulo


Capítulo 192: Um Novo Companheiro

Tradutor:  Asu | Editor:  Asu

Uma grande pilha de cinzas estava no chão. Ainda estava emitindo calor quando Gao Peng se aproximou.

Enquanto vasculhava a pilha de cinzas por um tempo, a mão de Gao Peng roçou contra algo sólido que ele rapidamente retirou.

Era o cristal de núcleo do Espirito da Palmeira Dourada, que era tão grande quanto um ovo de ganso. Também estava brilhando com uma luz verde brilhante.

Os cristais de núcleo de monstro continham concentrações extremamente altas de elementos. Esses elementos geralmente se rejeitavam mutuamente.

Como resultado, esses cristais eram impermeáveis ​​a ataques elementares. A única coisa capaz de quebrá-los era ataques físicos.

O cristal de núcleo na mão de Gao Peng pertencia a um monstro Tier Comandante Tipo Planta. Seu valor de mercado era de pelo menos alguns milhares de Créditos da Aliança.

Somente aqueles que estavam realmente precisando de dinheiro venderiam um. Normalmente, os Treinadores de Monstros trocam esses cristais por outra coisa.

Logo depois, Gao Peng encontrou uma caverna que era essencialmente apenas uma fenda de 17 metros de profundidade na montanha.

Originalmente, era um ninho de um Pato Adamantino, que Gao Peng agora afirmava ser seu.

“Quack! Quack!” O Pato Adamantino bateu com os pés furiosamente fora do ninho.

Esta é a minha casa! Minha casa!

Malditos bandidos!

Gao Peng, impaciente, acenou com a mão e disse: “Estou apenas tomando emprestado o seu lugar por um dia, não há necessidade de fazer barulho por isso. Você pode querer sair antes que meus Familiares comecem a sentir fome.”

Os olhos do Pato Adamantino se arregalaram, como se não fosse intimidado pela ameaça de Gao Peng. Ele esticou o pescoço e começou a gritar alto. “Croak, croak, croak…”

“Quack!” Retrucou Gao Peng quando percebeu que o pato não estava nem grasnando como um pato.

“Croak? Quack? Quack? Quack, quack, quack!” O Pato Adamantino silenciosamente ruminou o quack de Gao Peng, que parecia natural.

Boom!

O Pato Adamantino simplesmente ficou parado ali com um olhar incrédulo no rosto, como se tivesse sido atingido por um raio.

Seu próprio quack era ainda menos natural do que o de Gao Peng!

Quem realmente é o pato aqui? Ele pensou. O Pato Adamantino se aproximou cautelosamente da caverna.

Esticou os olhos para Gao Peng na escuridão da caverna.

Tão temperamental e teimoso como a maioria dos Patos Adamantinos poderia parecer, não havia nenhum registro deles devorando seres humanos.

Gao Peng enfiou a cabeça para fora da caverna para que o pato pudesse olhá-lo melhor. No entanto, ele não se importou. Ele simplesmente ordenou a seus Familiares que não baixassem suas guardas e tirou o saco de dormir, pronto para descansar durante a noite.

Os olhos do Pato Adamantino quase saltaram de surpresa quando viu Gao Peng tirar um saco de dormir tão grande do corpo de Silly.

Olhou para Silly, depois para Gao Peng. Seu bico de pato estava escancarado.

Flamy estava rindo alegremente ao ver a criatura que parecia tão surpresa com isso.

Uma noite passou. Dumby, que ficara acordado a noite toda na entrada da caverna, levantou-se e entrou na caverna.

Então acordou Gao Peng dando um tapinha no saco de dormir.

Gao Peng abriu os olhos e bocejou, olhando para o relógio em seu pulso. Eram cinco e meia da manhã.

Ele então se enrolou de volta dentro de seu saco de dormir. Dez minutos depois, ele abriu os olhos novamente e abriu o zíper do saco de dormir.

Fora da caverna, o Pato Adamantino estava olhando para a entrada. Não dormiu a noite toda.

Aqui vem ele! O Pato Adamantino manteve os olhos fixos na caverna com expectativa.

É ele! É ele!

O corpo do pato tremeu de excitação quando viu Gao Peng empurrar seu saco de dormir de volta para dentro do espaço portátil de Silly.

Ele bateu os pés no chão e balançou a cauda em excitação.

Gao Peng engoliu um pouco de sal e depois um pouco de água antes de caminhar até o Pato Adamantino e acariciar levemente a sua cabeça. Ele então cuspiu a água salgada em sua boca e disse lentamente: “Não faz sentido procurar. Você não será capaz de aprender isso.”

“Quack?” O pato olhou para Gao Peng, estupidamente.

Gao Peng sorriu para ele, depois chamou seus Familiares. “Vamos lá. Nós poderemos chegar ao nosso destino hoje.”

Ele disse para o Pato Adamantino: “Coisa boba, não seja tão rápido em se aproximar de outros humanos da próxima vez. Você nunca sabe quando eles vão te matar.”

O Pato Adamantino era realmente destemido. Não só não tinha corrido quando viu Gao Peng, como até tinha sido corajoso o suficiente para se aproximar dele.

―◊◊◊―

“Mestre, estou com fome. Eu quero comer pato”, disse Stripey suplicante.

“Com fome, quer comer pato! Comer pato!” Disse Da Zi.

“Dumby é quem está te levando por aí. Você não tem nada a dizer que está com fome” disse Gao Peng, franzindo o cenho.

“Stripey é quem está te levando.”, Retrucou Da Zi.

Gao Peng fez uma pausa e se virou. Um pato amarelo, de beleza inexistente, com metade da altura de uma pessoa, andava em direção a ele, suas asas batendo descontroladamente de ambos os lados.

Ao ver Gao Peng se virar, os olhos do Pato Adamantino se iluminaram. “Quack, quack, quack!”

Sem um Contrato de Sangue, Gao Peng não sabia o que estava acontecendo.

Ele franziu a testa, imaginando o que o pato queria dele.

“Mestre. Está chamando você” Flamy disse de repente.

“Você consegue entender?”, Disse Gao Peng, olhando para Flamy em surpresa.

“Eu sou um mestre de nível 8 em linguagem de aves depois de tudo”, disse Flamy, que estufou o peito com orgulho.

“O que está dizendo?”, Perguntou Gao Peng.

“Está dizendo: ‘Espere por mim, pato, espere por mim'”, disse Flamy. “Mestre, eu suponho que você não é um pato.”

“Isso é besteira, claro que não sou.”

Gao Peng franziu a testa, um pouco preocupado com isso. Teria esse Pato Adamantino realmente pensado que ele também era um pato? Por quê? Ele só corrigiu o pato na noite anterior.

O Pato Adamantino estava prestes a desmoronar depois de bambolear e bater as asas por tanto tempo. Perdeu o equilíbrio completamente quando começou a grasnar.

As asas do pato bateram em seus lados duas vezes antes de cair e rolar algumas vezes na grama.

A cabeça do Pato Adamantino estava coberta de terra e sujeira.

Ai… Aquele pato estranho se foi… eu sabia, não deve ter gostado de mim…

O Pato Adamantino enterrou a cabeça profundamente na grama, extremamente dolorido em todos os lugares. Naquele momento, havia um completo vazio em sua cabeça.

De repente, sentiu-se sendo puxado.

É você! Duckie[1]! O rosto carrancudo de Gao Peng foi a primeira coisa que o Pato Adamantino viu quando levantou a cabeça.

Flamy estava esperando ansiosamente para traduzir o pato para Gao Peng mais uma vez.

“Cale o bico, não preciso que você traduza desta vez”, Disse Gao Peng enquanto pressionava o bico de Flamy com uma mão.

“Por que você veio atrás de mim?”

“Quack, quack, quack”

“O que você quer de mim?”

“Quack, quack, quack”

“Esta é a única frase que você conhece?”

“Quack, quack, quack”

“…”

“Tudo bem então. Traduza para mim.” Gao Peng afrouxou a mão que estava em volta do bico de Flamy.

Flamy imediatamente relatou: “Eu disse: ‘Duckie, eu sabia que você não me deixaria assim'”.

Com Flamy como intérprete, o restante da conversa entre o homem e o pato foi capaz de prosseguir tranquilamente.

De sua conversa com ele, Gao Peng descobriu que esse Pato Adamantino havia sido abandonado por seus pais e que vivia sozinho na natureza desde então.

No entanto, Gao Peng ainda estava curioso sobre como uma coisa tão simplória fora capaz de viver por tanto tempo.


Capítulo Anterior || Índice || Próximo Capítulo


Nota:

[1] Eu não se deveria traduzir isso, por que é como o pato está chamando Gao Peng, mas caso eu fosse traduzir seria como Patinho.

Capítulo Anterior
Próximo Capítulo