MPE – Capítulo 62

Capítulo Anterior || Índice || Próximo Capítulo


Capítulo 62: Animais Sociais

Tradutor: Asu | Editor: Asu

Depois de cuspir em Gao Peng, o Sapo de Pele Verde parecia encantado. Até seus olhos estavam sorrindo, curvando-se em formas de lua crescente.

Somente depois que a Sapo de Pele Verde subiu à superfície, Gao Peng conseguiu ver toda a sua aparência adequadamente. Era como uma bola redonda flutuando na superfície da água. Seu corpo era totalmente verde, com listras verdes mais escuras indo da cabeça até a extremidade traseira. Basicamente parecia uma melancia ambulante.

Ele sentiu que “Sapo Melancia” seria um nome mais adequado para a Sapo de Pele Verde.

O sapo viu que Gao Peng não reagiu. Seus olhos reviraram nas órbitas e depois cuspiu outro gole de saliva na perna esquerda da calça de Gao Peng. Ele bateu com entusiasmo na superfície da água, enviando água para todo lado.

Gao Peng olhou o sapo diretamente no rosto.

Os olhos do Sapo de Pele Verde estavam voltados para Gao Peng. Havia um olhar de curiosidade bastante humano em seus olhos.

Heh.

Gao Peng riu.

Então,

Pooh!

É isso mesmo, eu sou o tipo de cara que faria coisas sem sentido.

O lado troll de Gao Peng agiu. Ele olhou com prazer para a expressão do Sapo de Pele Verde que acabou de receber a saliva de Gao Peng em seu rosto.

Guu! O Sapo de Pele Verde chorou em desespero, como se tivesse sido terrivelmente prejudicado.

Em um piscar de olhos, a lagoa entrou em erupção crescente de coaxos[1] de sapo. Os coaxos se combinaram em uma onda de som que soou como um trovão.

Guu! Guu! Guu! Guu!

Inúmeros coaxos soaram no ar.

Uma por uma, cabeças de sapo começaram a sair da superfície originalmente parada da água. Alguns eram grandes e outros pequenos. Os menores eram apenas do tamanho de uma laranja, enquanto os maiores tinham facilmente 90 cm de largura. Todos eles estavam olhando friamente para Gao Peng. De relance, parecia haver mais de mil deles. Apenas seu número deixaria qualquer um arrepiado. O lago inteiro era território dos Sapos de Pele Verde.

“Corre!” disse Gao Peng, quando ele imediatamente se virou e correu com Da Zi.

Mu Tieying seguido de perto com a Semente de Lótus. Ela estava um pouco duvidosa a princípio, sobre o dano que esses sapos poderiam fazer a eles enquanto estavam na água.

No momento seguinte, ela entendeu.

O som da inspiração podia ser ouvido atrás deles. A água estava sendo sugada continuamente por todos os Sapos de Pele Verde, borbulhando quando entrou em suas barrigas.

Então –

Bang bang bang bang.

Flechas de água voavam pelo ar como chuva torrencial.

As flechas de água atingiram as árvores na área e resultaram em vários graus de dano. Os mais fracos só quebraram a casca, mas os mais fortes despedaçaram os galhos, como se fossem atingidos por canhões de ar.

Galhos e folhas quebradas voavam por toda parte.

A Semente de Lótus ainda estava bem por causa de sua forte defesa. As flechas de água não fizeram nada além de dar um baque surdo quando bateram em seu corpo.

Mu Tieying se escondeu na frente da Semente de Lótus, permitindo que ela evitasse os ataques das flechas de água.

Olhando os danos causados ​​às árvores ao seu redor, Mu Tieying abaixou a cabeça. Se esses ataques a atingirem, eles podem causar danos em seus órgãos internos, mesmo com o equipamento de proteção.

Isso explicaria por que havia tão poucas plantas e animais perto da lagoa. Foi tudo por causa desses Sapos de Pele Verde.

Neste momento, em algum local desconhecido para Gao Peng, uma câmera infravermelha instalada bem no alto de uma grande árvore estava vagarosamente rodando, registrando toda a cena.

Esta era uma sala grande com muitas telas grandes. Alguns soldados sentaram-se na frente de cada tela, que foi dividida em várias telas menores separadas. Cada uma das telas pequenas representou uma câmera de monitoramento.

Na frente de uma das telas, um soldado com uniforme militar disse: “Alguém foi para o território do Sapo de Pele de Verde, e eu não sei se é uma coincidência, mas ele conseguiu enfurecer o grupo todo”.

“Que diabos? Como esse cara irritou aquele bando de resmungões?” disse um soldado com um pequeno cavanhaque quando ele enfiou a cabeça. Ele falou com um forte sotaque de Sichuan.

“Esses Sapos de Pele Verde odeiam ser cuspidos”, disse o primeiro soldado com um olhar perplexo no rosto.

Ouvindo isso, todos na sala também começaram a usar uma expressão similar em seus rostos…

Cuspir em um sapo na natureza; quão burro você poderia conseguir?

―◊◊◊―

Eles estavam voltando para a casa segura agora. Depois de um dia explorando, os dois terminaram de explorar as áreas ao redor do esconderijo. Para o norte, havia um pequeno pedaço da selva. Viajar através dela os levaria ao território dos Sapos de Pele Verde. Havia pelo menos alguns milhares deles naquela lagoa. Esses monstros não eram nada para se ter medo se houvesse apenas um ou dois deles, mas depois de se reunirem em um número tão grande, eles formaram uma força formidável.

Flechas de água carregavam um forte poder de ataque. Se alguns milhares de Sapos de Pele Verde cuspissem aquelas flechas em um alvo, a força de tal ataque impediria qualquer alvo de avançar uma polegada.

Para o oeste era a direção de onde eles vieram. As árvores eram menos densas e quase não viam criaturas grandes ou ameaçadoras naquele dia.

Ao sul havia uma selva densa com muitas árvores, que eram muitas vezes mais grossas e resistentes do que o normal. Tal ambiente era difícil para a Semente de Lótus se mover, então eles só exploraram o perímetro da selva. Havia provavelmente grandes monstros carnívoros dentro, já que Gao Peng conseguiu localizar algumas de seus rastros.

Para o leste havia um pequeno declive. Subir a encosta levava a vastas pastagens. A pastagem mostrava sinais de pastoreio, indicando que havia criaturas herbívoras lá.

Isso foi tudo o que puderam reunir dentro de um dia.

Fora isso, Gao Peng conseguiu pegar alguns tipos de plantas ao longo do caminho.

Mu Tieying reconheceu algumas delas, como o Dente de Mente, a Noz-Moscada com Cordões Dourados e a Grama Preta-Azul. Estas eram todas plantas comestíveis que eram usualmente usadas como condimentos.

Havia também algumas que ela não reconheceu.

“Você está planejando preparar algum tempero?” perguntou Mu empatando com um pouco de hesitação.

“Sim”, Gao Peng assentiu.

“Mas não temos comida.” Mu Tieying estava um pouco incerta.

“Nós temos.” Gao Peng levantou a mão direita. Ele estava segurando a Cobra da Árvore Verde morta.

“Essa cobra… parece venenosa”, perguntou Mu Tieying, desconfiada.

“Vamos apenas tentar.” Gao Peng não queria dar mais detalhes. Os dois conseguiram chegar à casa segura com seus dois Familiares, mas depois descobriram que estava trancado por dentro. Gao Peng franziu a testa. Ele bateu na porta, “Oi, por favor, abra a porta.”

“Ninguém está aqui, ninguém está aqui”, uma voz veio da casa, então parou como se percebesse o quão estúpida era a resposta. O constrangimento se transformou em raiva quando a pessoa disse: “Já está cheio. Nós já estamos lotados de pessoas aqui, não podemos mais acomodar ninguém. Vocês devem procurar por outras casas seguras”.

As sobrancelhas de Gao Peng se franziram ainda mais. Ele e Mu Tieying acharam esta casa segura primeiro.

Claro, ninguém realmente se importaria com quem veio primeiro aqui nos esconderijos na região selvagem. Eles só podiam culpar a má sorte deles por se deparar com essas pessoas.

Ao ver Gao Peng se virar para olhá-la, Mu Tieying encolheu os ombros. “Não é tão ruim, eu levei minha bolsa comigo quando saí.”.

“Temos apenas nós dois aqui, e já está escuro lá fora. Podemos apenas cooperar por uma noite? Não nos importamos em apenas dormir no chão”, disse Gao Peng.

“Nós não podemos. Sigh. Vocês deveriam encontrar outro lugar.” As pessoas na casa estavam ficando impacientes. Eles então ouviram alguns resmungos. “Por que você está mesmo explicando para ele, apenas diga a ele para sumir. O esconderijo é tão pequeno, quem gostaria de se espremer com eles.”

Parecia que depois de ouvir de Gao Peng que havia apenas dois do lado de fora, alguém se sentiu um pouco mais ousado e naturalmente começou a levantar a voz.

Gao Peng olhou para as pessoas na casa segura, então ele se aproximou…

E trancou a porta do lado de fora.

“Vamos”, disse Gao Peng quando se virou para sair.


Capítulo Anterior || Índice || Próximo Capítulo


Nota:

[1] Coaxo é o som que os sapos fazem.

Rolar para o topo