Capítulo 16: Titulo Spoiler

Mutagênico

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

Capítulo 16: Titulo Spoiler

Tradutor: ♦ AJ ♦   |   Revisor: ♦ AJ ♦

 

 

Em meio a um mar de pessoas em pânico, ela viu uma de suas “amigas” que também está olhando para ela. Lágrimas se acumularam no canto de seus olhos.

Mesmo que não fosse uma amizade verdadeira, as duas ainda passavam um tempo juntas. 

Enquanto ela estava sendo puxada para longe, aquela “amiga” dela não estava correndo, mas deitada de barriga para cima na calçada. A garota tentou dizer algo, mas nada saiu de sua boca além de sangue e ela só pode estender o braço direito na direção de Mei. Mas aquele braço esticado apenas a fez sofrer mais quando as pessoas correndo pisaram em seu braço estendido.

Mei queria ajudar e tentou resistir ao aperto do noivo, mas uma garota frágil como ela não teve forças para fazer isso e foi puxada para longe com ainda mais força.

Ela ouviu seu noivo gritar com ela, mas suas palavras não entraram em seu ouvido enquanto ela observava sua “amiga” fazer uma careta de dor a cada pisada que recebia das pessoas que corriam para salvar suas vidas. A cena continuou até que a visão de Mei foi inundada por pessoas.

Sendo puxados para longe, os dois chegaram ao shopping e correram para dentro junto com as outras pessoas. Ela viu os guardas ignorarem as pessoas que corriam para dentro e se concentraram em falar em seus rádios com expressões severas.

Depois que entraram no shopping não demorou muito tempo quando começaram a ouvir sons de tiros.

Mei olhou para trás e viu as pessoas fugindo, as “pessoas” correndo atrás e aqueles que já faziam uma poça de sangue no chão. Ela então viu um par de guardas sendo puxados para dentro do shopping.

Um dos guardas foi pego e caiu ao ser mordido no pescoço. Pensei que o outro guarda tivesse conseguido atirar no agressor, mas ele também caiu depois que outro saltou sobre suas costas.

Ela então viu os guardas que caíram primeiro se levantaram lentamente. Surpresa, ela olhou para o guarda enquanto corria. Como se sentisse o olhar dela, o guarda de repente virou a cabeça como uma cena tirada de um filme de terror e encarou ela.

Mei nunca esqueceria aquela cena, aqueles olhos injetados de sangue, aquele rosto ensanguentado e aquela expressão de pesadelo. O guarda então correu, ignorando todo o resto, em direção a ela. Como uma besta querendo devorá-la inteira… Literalmente. Ela sentiu muito  medo e estava tremendo por dentro.

“Caralho!”

Ela ouviu a maldição de seu noivo. Ela olhou para o noivo e depois de volta para o guarda correndo atrás dela e ficou horrorizada.

O guarda já estava perto e estava prestes a pular em sua direção.

Então, um trem, não, uma coluna de carrinhos de compras empilhados veio rangendo, bloqueando a investida do guarda. O guarda se lançou e se chocou com os carrinhos de compras, causando um som alto de batidas e carrinhos de compras tombados foram espalhados ao seu redor.

“HEY! ACIMA AQUI!”

Os dois ficaram surpresos com a situação repentina antes de ouvir vários gritos em direção a eles. Quando eles olharam para a origem dos gritos, eles encontraram um grupo de jovens vestidos de maneira estranha que pareciam mais jovens do que eles segurando armas e os estava chamando.

Como se visse luz na escuridão, o noivo de Mei começou a puxá-la na direção do grupo com pressa, pois o evento com os carrinhos deu a eles uma pequena margem de manobra para escapar.

Ela não queria ir, mas não conseguiu resistir ao garoto que a puxava. Ela também se sentiu fraca, sentindo medo do encontro agora. Mas, não é o fim.

Barulhos estridentes ecoaram atrás dela enquanto o guarda corria pelos carrinhos de compras espalhados que bloqueavam seu caminho. Ele reiniciou sua busca por ela.

Assustada, Mei parou de resistir e correu em direção ao grupo estranho. Os estranhos jovens esperavam na escada rolante, quando a Mei e seu noivo chegaram, eles começaram a liderar o caminho indo para cima.

Com a guarda na cola, eles subiram correndo até chegarem ao cinema no terceiro andar. Eles não conseguiam mais ver o guarda atrás deles. Parecia que eles o despistaram de algum jeito.

O grupo então os conduziu para dentro do cinema, que não tinha ninguem.

Mei teve uma premonição ruim.

Na verdade, ela achou estranho quando o grupo chamou especificamente por ela e seu noivo. Quando chegaram, o estranho grupo não chamou mais ninguém. Então, quando eles estavam correndo, apesar de seu medo, ela não podia deixar de notar os jovens estranhos olhando furtivamente para ela.

O olhar em seus olhos enquanto a olhavam… ela conhecia bem esses tipos de olhares… seu odiado noivo olhava para ela com aqueles olhos de vez em quando. Muitos outros homens que ela encontrou antes a olham assim.

Então, um dos estranhos jovens trancou as portas do cinema.

E então o inferno começou para ela.

Seu odiado noivo foi baleado. Não porque ele tentou defendê-la, mas por causa de sua atitude arrogante ao tentar vendê-la depois de ser ameaçado.

Então aquele que segurava a arma que era chamado de chefe pelos outros três forçou seu corpo contra ela. Ela tentou resistir, mas perdeu todas as forças ao receber um soco no estômago. Mesmo assim, ela ainda tentou resistir com o que restava de sua força, mas um tapa impiedoso atingiu seu rosto.

Lágrimas brotaram de seus olhos ao sentir a dor e a humilhação.

Suas roupas foram arrancadas de seu corpo e ela se tornou um brinquedo para o prazer do menino à sua frente. Enquanto ela estava deitada nua no chão frio do cinema, sentindo a dor em várias partes de seu corpo, sua visão foi ficando cada vez mais turva enquanto ela desejava a morte o mais rápido possível.

Risos e zombarias ecoaram ao seu redor, mas para ela …

Para Mei…

Não importava mais …

Tudo já estava preto em seus olhos…

*BANG!*

Ela ouviu um som alto, mas não reagiu, mas ainda assim, ela podia sentir o líquido quente que espirrou em seu corpo após o som. Ela também sentiu o peso na virilha ficar mais leve.

Ela ouviu gritos de dor, mas não reagiu.

Logo ela ergueu o corpo. Ela viu um homem parado na sua frente com as costas voltadas para ela. Ela olhou, mas não fez mais nada. Ela viu o menino chamado de chefe por seu grupo chorando de medo e de dor só pelo pé do homem. Ela não reagiu, mas sentiu que ele merecia isso.

Ela viu o sangue espalhado no chão, mas não ainda não tinha percebido a situação.

Mei olhou para o homem e o homem olhou para ela. Ela sentiu seu olhar como se estivesse examinando seu corpo. Porém, ela não reagiu a isso.

Ele só pode ser o mesmo que ela pensava.

Ela sentiu sua visão escurecer. 

‘Esse pode ser realmente o meu destino,’ ela pensou.

Então, ela viu o homem tirando a jaqueta.

Suas emoções começaram a desaparecer quando ela voltou a olhar para o chão frio…

E então…

Ela estava quente …

Sua visão de alguma forma ficou um pouco mais brilhante e viu uma jaqueta preta envolta em seu corpo. Cheirava um pouco suado, mas estava quente.

Então algo macio tocou seu rosto. Ela olhou para cima e viu o homem meio ajoelhado na frente dela e enxugando seu rosto com um lenço quente.

Sem saber, ela estendeu a mão e lentamente agarrou a mão que segurava o lenço com as duas mãos. O homem pareceu surpreso. Ele soltou um suspiro profundo e sorriu gentilmente. Usando a mão livre, ele estendeu a mão para a cabeça dela e deu um tapinha, desconsiderando o quão sujo ou pegajoso estava seu cabelo.

Ele então disse o mais gentilmente possível.

“Está tudo bem. Tudo vai ficar bem agora.”

Para o homem, parecia que essas não eram nada além de simples palavras de conforto, mas para ela…

Suas lágrimas começaram a cair e seus gemidos de ressentimento acabaram.

Essas palavras foram as palavras que ela queria ouvir durante toda a sua vida.

 


Capítulo 16: Seu sofrimento, seu ressentimento e as palavras que ela queria ouvir

Tradutor:

Aj

Aj

Rolar para o topo