Capítulo 18: Pronto para a batalha

Mutagênico

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

Capítulo 18: Pronto para a batalha

 

Tradutor: ♦ AJ ♦   |   Revisor: ♦ AJ ♦

 

 

 

Mark saiu cautelosamente e entrou nos corredores do fundos do shopping. Os corredores têm cerca de três metros de largura, mais do que o suficiente para dois carros passarem lado a lado e ainda deixando uma ampla margem. Existem muitas portas com tamanhos e cores diferentes por algum motivo.

Ele não encontrou nenhum zumbi por enquanto. Os corredores seguiam o contorno do shopping e, portanto, ele tinha muitas curvas. Mesmo que ele não possa ver nada de perigo no corredor reto em que estava, ele não pode dizer o que as curvas lhe reservam.

Ainda assim, traços de devastação estão presentes. Vários carrinhos bloquearam algumas partes do corredor e muitas caixas destruídas e viradas que espalharam seu conteúdo espalharam-se pelo chão. Marcas de sangue manchavam o chão e as paredes e havia até uma grande poça de sangue não muito longe dele.

Ele olhou para a esquerda que vai em direção ao sul. Ele viu o sinal da saída de incêndio pendurado no teto no meio do corredor com a seta apontando para uma única porta do lado direito. Ao lado de uma porta, ele viu um cadáver coberto de sangue sentado no chão com as costas apoiadas na parede. O sangue continuou a pingar de feridas expostas nos braços, pescoço e pernas, criando uma poça de sangue no chão.

Ele se aproximou da saída de incêndio e percebeu que o corpo era bastante familiar, o que ele reconheceu imediatamente. É um dos gângsters que ele deixou ir.

“Parece que o outro conseguiu fugir.”

Ele notou as pegadas vermelhas no chão. Todas as pegadas levaram à porta. Parecia que todos os zumbis presentes aqui anteriormente são aqueles que se movem rapidamente, o que ele achou plausível.

Enquanto avançava em direção à porta, percebeu como o corpo do gângster estava mutilado e se perguntou por que ele foi deixado ali e não se virou.

Então…

*BAM!*

Ele balançou seu taco de beisebol de metal em direção ao rosto do suposto gângster morto e ele saltou para atacá-lo.

“Eu não vou cair nessa.”

Mark disse como o zumbi gangster que foi empurrado vários passos para longe finalmente morto, sem mais chance de se levantar novamente.

Provavelmente…

Assegurando-se de que o gangster parou totalmente de se mover, ele espiou pela janela de vidro da porta. Vendo que não havia nada do lado de fora, ele a abriu e cautelosamente saiu. O que o saudou foi o ar viciado e quente que soprava fortemente, não combinando com a temporada atual. Ele deu uma rápida olhada ao redor, desconsiderando a cena devastadora que ele pode ver de longe.

O que ele se concentrou em procurar são as possíveis ameaças, rotas de fuga e coisas que podem ser usadas.

Onde ele estava agora era um lance de escadas que ficava presa nas paredes na parte de trás do shopping em frente a um grande estacionamento. As escadas continuaram descendo, terminando cerca de dois metros acima do solo. No final da escada, há uma escada retrátil que ainda está suspensa para cima.

Mark percebeu a comoção logo abaixo da escada. Há um grupo de zumbis agachados no concreto em volta de algo. Os zumbis estão comendo algo que não é difícil imaginar o quê. Logo atrás do grupo, ele notou um boné de beisebol que começou a rolar sendo levado pelo vento forte.

À sua direita, ele encontrou outro conjunto de escadas presas à parede. Ele olhou para cima e viu que a escada termina na beira do telhado do shopping.

Ele então olhou em direção à ala oeste e viu outro lance de escadas semelhante ao que ele está atualmente.

Confirmando que não há perigos nesta parte e achando um bom caminho a seguir, ele decidiu voltar. Mas quando ele entrou no shopping mais uma vez, gritos ecoaram do lado norte do corredor. Ao ouvir os gritos, ele não fez mais barulho e correu imediatamente para o lado norte, passando pela entrada do cinema, não para checar os gritos, mas para virar os carrinhos que lotavam o corredor.

Ele organizou os carrinhos virados e junto com as caixas pesadas, ele conseguiu construir rapidamente uma barricada da altura da cintura bloqueando o corredor. É improvável que a barricada impeça qualquer coisa que passe acima dela, mas seu propósito não é parar, mas atrapalhar.

“AHH !!! AJUDE! PARE DE ME MORDER !!! AHHH !!”

Os gritos estão se aproximando junto com passos altos correndo por mais de dez pessoas.

Mark se virou e voltou correndo para o cinema. Ele abriu as portas ruidosamente imediatamente chamando a atenção das pessoas lá dentro. Ao olharem para Mark, pensando que ele ainda parecia calmo, eles podem sentir a urgência da situação.

“O que aconteceu?”

Ange perguntou imediatamente quando Mark se aproximou. Mark olhou para as meninas e então para o empregado a uma certa distância e para a porta do cinema que agora está barricada com diferentes tipos de móveis. Ele também viu o gângster inconsciente que agora está sendo vigiado pelo funcionário. Ele sinalizou para o funcionário se aproximar e se virou para as meninas especificamente olhando para Mei, que parecia melhor do que antes.

“Zumbis estão chegando, precisamos ir embora. Ela está pronta para ir?”

Ouvindo que havia zumbis chegando, a atmosfera ficou tensa. Então Paula respondeu à sua pergunta.

“Conseguimos ajudá-la a limpar seu corpo até certo ponto, mas ela precisa muito tomar banho.”

Mark acenou com a cabeça em sua resposta.

“Não podemos lutar contra eles?”

O menino Ange perguntou.

“Nós podemos, mas …” Mark cortou propositalmente a frase.

“Mas o que?”

“Bem, acabaremos como comida de zumbi.” Mark sorriu.

Ange sentiu que ele estava brincando com ela.

“Os zumbis rápidos devem ser pelo menos uma dúzia, se tivermos sorte, cerca de mais de trinta, eu acho? De qualquer forma, prepare-se, estamos indo embora.”

Mesmo que ele apenas disse isso indiferente junto com uma piadinha, Mark conseguiu sacudi-los até o âmago. Afinal, são muitos. E como ele tem certeza de que haveria tantos?

Todos se levantaram e pegaram suas coisas. Mei, embora ainda tivesse dificuldade em se mover, também se levantou. Ela não tinha nada para carregar com ela, nem mesmo roupas, então ela está pronta para ir de alguma forma. Ela está vestindo apenas a jaqueta que Mark emprestou a ela, que se transformou em roupa de uma peça só devido à diferença de estatura.

O funcionário também chegou perto carregando o gângster inconsciente no ombro.

“O que devemos fazer com ele?”

Não foi o funcionário, mas Ange quem fez a pergunta enquanto apontava para o cara inconsciente.

Mark então se virou para Mei, que deu um passo para trás com pressa e se escondeu atrás dele quando o funcionário se aproximou. Por outro lado, o funcionário também não ousou se aproximar por algum motivo que confundiu as outras meninas.

Então eles ouviram Mark murmurar e o viram fazer um rosto perturbado.

“Andro e Gyno, que combinação ruim.”

Todo mundo está confuso.

“Mei’er, o que você quer que eu faça com ele?”

Mark perguntou a Mei.

Mas ela parecia surpresa e o encarou por algum motivo. Ela então olhou para baixo, contemplando sua pergunta. Embora ela não esteja ciente disso, ela começou a agarrar a bainha da camisa de Mark e começou a tremer um pouco.

Então a voz de Mark cortou sua linha de pensamento quando ela sentiu a mão dele acariciando sua cabeça começando a acalmá-la.

“Apenas remova as correntes e deixe-o aqui.”

Ouvindo o que ele disse, todos, exceto Mark e Mei, mudaram de expressão. Deixando o cara, sua morte com certeza se tornaria inevitável. Ainda ninguém disse nada em oposição.

Mark tirou as correntes enquanto franzia a testa.

‘Quanto tempo esse cara iria gastar dormindo?’

Ele trouxe as correntes com ele e deixou o gangster inconsciente sentado no meio do cinema.

Ele então distribuiu as armas que reuniu dos gangsters. Ele deu o taco para Ange e o cano de ferro para o funcionário. Ele queria dar uma arma aos outros, mas Paula está encarregada de ajudar Mei a se mover enquanto a mãe carrega sua filha e, claro, Mei não está em condições de lutar, mas ele também duvida que ela tenha conseguido. Então, tanto o picador de gelo quanto o facão caíram em suas mãos para seu uso. Ele enfiou o picador de gelo no cinto e segurou o facão com a mão direita enquanto a esquerda segurava um revólver. A espingarda pendurada em seu lado e a grande mochila pendurada em suas costas.

Ele parecia realmente pronto para a batalha sob o olhar invejoso de Ange.

O grupo dirigiu-se então para a saída de emergência do cinema.

 

Tradutor:

Aj

Aj

Rolar para o topo