Capítulo 916 – Faíscas

Nascimento da Espada Demoníaca

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

Faíscas


 

Noah passou as semanas seguintes continuando seus testes com seu novo centro de poder. Ele precisava se acostumar com seus limites antes de se concentrar novamente na energia superior que continha.

Noah estudaria quanto tempo levou para a estrela negra voltar ao seu auge, quão rápido ele poderia retirar a energia superior, e quanto de sua escuridão ele precisava colocar em seu coração para reabastecê-la.

Afinal, era um órgão completamente novo, mesmo que parte dele ainda funcionasse como seu coração. Era diferente de seus outros centros de poder, já que ele teve quase dois séculos para explorar seus funcionamentos e limites.

Noah forjou, experimentou com as runas devoradoras de vontade, e até começou a trabalhar nas armas vivas novamente.

Não era preciso dizer que 37 se sentia animado quando Noah lhe disse que eles começariam a trabalhar juntos novamente. Ainda assim, esse sentimento só se tornou mais intenso quando as propriedades milagrosas da energia superior mostraram seus efeitos nas inscrições orgânicas.

No passado, Noah tinha usado sua energia primária para executar o método Forjamento Elemental em armas que tinham uma aptidão diferente da dele. Usar sua escuridão levaria a rejeições que aumentaram a taxa de falha dos forjas.

No entanto, tais rejeições não apareceram quando ele usou sua energia superior.

Essa descoberta surpreendeu até o Noah. A energia superior era um produto de sua escuridão no final, e ainda carregava as características do elemento escuridão. Rejeições só seriam normais no seu caso.

No entanto, parecia que o significado puro da criação transportada pela energia superior era suficiente para compensar a diferença nos elementos. O resultado foi ainda um pouco melhor do que o normal!

Valeu a pena notar que as armas vivas criadas dessa forma carregavam um traço da aura de Noah, o que tornava seus ataques um pouco impuros, uma vez que havia diferentes elementos fundidos em um ser.

Isso não afetou o poder das armas. Ainda assim, funcionou como uma assinatura que revelou a identidade de seu criador.

Noah não se importava com o efeito posterior por enquanto, já que as armas vivas ainda não tinham entrado no mercado internacional. Ainda assim, era algo que valia a pena ter em mente no caso de ele forjar armas para cultivadores fora da Colmeia.

Uma vez que a peculiaridade de suas criações se tornou famosa, qualquer especialista seria capaz de reconhecer suas obras.

Seu estoque de bestas mágicas começou a ficar magro no último período. Entre as duas sessões de cura, os incontáveis forjamentos, e a alimentação da Espada Demoníaca,estava começando a faltar comida para si mesmo.

As únicas coisas que o impediram de sair e caçar mais criaturas foram sua ânsia de estudar sua energia superior e o fato de que ele poderia usar parte da energia na estrela para apaziguar sua fome.

No entanto, chegou ao ponto em que Noah estava seriamente arriscando esvaziar seu estoque, o que o levou a sair da dimensão separada para caçar nos territórios perto da cidade neutra.

June já havia retornado à superfície nesse período. Ela teve que liderar algumas pequenas operações de limpeza em uma zona de perigo para a família Elbas, e ela usaria essa oportunidade para visitar Faith, que ainda estava em algum lugar no domínio do Conselho.

Noah reapareceu na área de treinamento subterrâneo e encontrou Daniel cultivando no canto da vasta sala. Havia um grande caldeirão na frente dele, e fios de luz fraca sairiam dele.

Parecia que Daniel tinha ficado com sua técnica de cultivo anterior mesmo depois de discutir sua individualidade com Shandal. Ainda assim, Noah adivinhou que havia diferenças minúsculas que ele não era capaz de notar.

Noah não sabia nada sobre alquimia, e Daniel tinha um dos elementos mais raros também. A escuridão e a luz tinham muitas características misteriosas que só seus donos podiam entender.

Daniel interrompeu seu cultivo quando sentiu a chegada de Noah, mas uma perturbação no meio ambiente logo chamou a atenção dos dois cultivadores.

Noah sentiu raiva subindo dentro dele enquanto seu corpo entendia o que estava acontecendo. Seu corpo foi capaz de sentir a chegada de uma Tribulação do Céu mesmo antes de suas nuvens escuras se reunirem.

‘Por que o céu continua fazendo isso?’ Noah pensou antes de atirar em direção à superfície.

A verdade é que ele esperava uma tribulação que viria quando ele criou pela primeira vez a energia superior, mas a falta de reações do Céu e da Terra o fez ignorar essa matéria.

No entanto, a reação chegou agora que ele reapareceu como uma existência com quatro centros de poder.

Noah voou sobre a cidade neutra e olhou para as nuvens escuras se acumulando no céu. Anciã Estelle e as outras existências do rank 5 já estavam lá e olharam para ele com expressões indefesas.

Noah queria dizer a eles que levaria a Tribulação para longe da cidade, mas sua mente de repente se expandiu ao ver as faíscas laranja correndo pelas nuvens.

Um raio caiu do céu enquanto sua mente ainda vagava naquela iluminação repentina, e o atingiu diretamente no peito, jogando-o de volta no chão.

Esse evento surpreendeu as existências do rank 5 no local. Afinal, a Tribulação tinha o poder do nível inferior do quinto rank, e eles tinham visto Noah lutando contra cultivadores no auge da fase gasosa.

Eles nunca imaginariam que o famoso híbrido da Colmeia não poderia reagir a tempo contra aquele raio.

Logo ficou evidente que algo estava errado com essa situação, e os especialistas tomaram a decisão silenciosa de cuidar da Tribulação antes de cair sobre a cidade.

No entanto, antes que qualquer um deles pudesse atacar, um rugido dracônico carregando palavras humanas ressoava na área. “Não toque nisso!”

Os especialistas congelaram no local e se voltaram em direção à cratera criada pela queda de Noah apenas para ver uma figura voando para longe da cidade em alta velocidade.

As nuvens decidiram perseguir Noah, ignorando os especialistas perplexos que se limitavam a olhar para a tribulação de saída por medo de incorrer na raiva do Príncipe Demônio.

Noah voou em direção aos territórios centrais até que a cidade não era nada mais do que um ponto escuro à distância. Então, ele parou e esperou a Tribulação alcançá-lo.

As nuvens negras rapidamente se reuniram sobre ele novamente e começaram a lançar raios apontados para seu peito. O alvo deles era o quarto centro de poder.

Noah não defendeu. Ele fechou os olhos e deixou os raios atingi-lo e jogá-lo no chão.

Seu corpo sentiu dor após os impactos, mas sua mente ainda estava perdida na súbita iluminação que a Tribulação havia trazido.

‘Eu vejo’, Noah pensou enquanto ele lentamente se levantava da cratera que ele havia criado com sua queda e levantou os braços para que suas palmas se enfrentassem.

As nuvens não esperaram por ele e começaram a soltar mais raios em sua direção. No entanto, Noah ignorou-os e focou-se na energia superior em seu coração.

‘Esta energia é feita para criar o mundo.’ Noah pensou, e faíscas negras se formaram entre as palmas das mãos.

Aviso do Tradutor:

Vento_Leste

Vento_Leste

Chave Pix copiada!
Rolar para o topo