Selecione o tipo de erro abaixo

“Você perdeu a cabeça?! Você não viu todo o meu esquadrão ser destruído num piscar de olhos por aquele pássaro dourado?!”

Sank-Uk, silencioso até agora, chamou a atenção quando ouviu Meribelle proclamar corajosamente que Havocspire seria retomada hoje, não importando o custo. Ela não tinha visto o colossal Titã, suas asas lançando sombras sinistras sobre a cidadela em ruínas? Nenhum exército mortal, não importa o seu tamanho, poderia resistir a tal fera.

Lembrando-se da presença do comandante, a mulher lançou-lhe um olhar irritado, deixando-o vomitar suas preocupações antes de interrompê-lo.

“Você poderia calar a boca?” Seus olhos então pousaram no rosto de Jake e uma sobrancelha curiosa se ergueu. “A propósito, o que estamos fazendo com esses dois? O outro recruta desmaiou logo no início e provavelmente perdeu tudo, mas esse cara aqui é comandante de regimento. Não podemos arriscar que nossa conversa vaze.”

O corpulento guerreiro ficou tenso, percebendo que a Manipuladora de Alma estava discutindo casualmente o fim de sua vida. E bem na frente dele! De repente, o tema da retomada da Cidadela Havocspire parecia muito menos significativo.

Aguardando ansiosamente o veredicto da estranha, ele prendeu a respiração. Mas a sorte estava do seu lado hoje. Jake não era do tipo que executava alguém que acabara de salvar.

“Eu assumo o risco por ele”, respondeu Jake, imperturbável, como se estivesse discutindo o tempo. “No entanto, compartilho suas preocupações. Se você está contando com meus poderes para lidar com Featherfall e os cinco cavaleiros que estão no topo, você está latindo para a árvore errada.”

O alívio tomou conta de Sank-Uk quando a proverbial faca saiu de sua garganta. Sua gratidão para com Jake aumentou dez vezes. Depois de ouvir a conversa, ele jurou proteger a identidade de Jake, mesmo que isso significasse mentir para seus superiores.

Normalmente, tal engano não lhe agradaria, mas ele não era um tolo. Na verdade, era mais esperto do que parecia. Ele também começou a questionar onde residia o verdadeiro Rei dos Manipuladores de Alma.

Independentemente disso, não importava se o esquivo rei estava morto ou escondido entre eles. Seguir Jake para a batalha era a jogada mais inteligente. Ele não tinha esquecido que esta guerra abrangente de escala incomparável estava apenas começando…

Mesmo comandantes estimados como ele poderiam facilmente ser deixados de lado em batalhas tão vastas. Sob a bandeira deste estranho, pelo menos, ele viu um vislumbre de sobrevivência. Quem sabe? Ele poderia até ganhar um avanço no final da guerra.

Enquanto Sank-Uk se dava um tapinha mental nas costas por sua decisão, Meribelle, prestes a se dirigir a Jake, parou no meio da frase enquanto o chão tremia abaixo deles, sinalizando a cacofonia de passos se aproximando por trás. A força principal do exército em fuga, supervisionada por esta equipe de Manipuladores de Almas, finalmente chegou.

De repente, lembrando-se de algo, a mulher virou-se para outro de seus colegas — um homem desengonçado com bochechas encovadas e, para dizer o mínimo, cabelo ralo. Antes que ela pudesse pronunciar uma palavra, ele ergueu um dedo e riu com uma voz rouca.

“Relaxe, Meribelle. Lucas está cuidando de tudo desde que pousamos aqui. Supondo que eles tenham bons olhos, tudo o que viram foi nossa equipe pousando e conversando tranquilamente com esses dois ‘cavalheiros’ nos informando. Coff, sua honra permanece intacta. Quanto ao seu orgulho…”

“Ah, vá se foder, Emlet.” Sem hesitar, Meribelle mostrou-lhe o dedo do meio, arrancando um suspiro sufocado de Jake, que ficou agradavelmente surpreso ao descobrir a natureza universal daquele gesto em todo o cosmos.

Quanto a Lucas, era uma espécie de tapete flutuante pairando cerca de cem metros acima deles. Sua superfície era estranhamente espelhada, emitindo uma força estranha que curvava a luz ao seu redor, aparentemente manipulando-a para produzir o que Jake presumiu serem ilusões.

Comparado com o que ele conseguiu entender, isso era uma ninharia, mas dado o contexto, era mais do que adequado.

Claro, Jake avistou o objeto no momento em que chegaram. Se ele conseguisse detectar a aproximação deles através de quilômetros de desfiladeiros e colinas, avistar um tapete espelhado seria brincadeira de criança. Ele simplesmente optou por se fazer de bobo depois de deduzir que o artefato não representava nenhuma ameaça para ele.

O que realmente o confundiu, entretanto, foi o tapete ter um nome tão “terrestre”. Isso mostra que você aprende algo novo todos os dias.

Quando o exército de mais de 150.000 bárbaros finalmente desacelerou, parando em uma formação um tanto ordenada a poucos metros dos Manipuladores de Almas, o comportamento destes últimos mudou dramaticamente, revertendo para sua fachada rígida e austera. Meribelle também pigarreou pela última vez e seguiu as instruções de Emlet, ajustando sua postura para espelhar a ilusão lançada por Lucas.

Tanto Jake quanto Sank-Uk também foram instruídos a seguir o exemplo, inclinando levemente a cabeça enquanto tentavam fazer uma pose de deferência crível, misturando perfeitamente o medo e admiração.

“Nada mal.” Meribelle reconheceu com um aceno de aprovação. Ela limpou a garganta uma última vez e gesticulou para que Emlet abandonasse sua ilusão.

O que saudou os soldados da linha de frente foram os rostos severos de 28 Manipuladores de Alma, cercando uma dupla trêmula, olhando para seus pés — um claramente um comandante, distinguido por sua armadura, e o outro, um recruta inexperiente, evidente por sua falta de armadura, por assim dizer…

Bem, na verdade, três. Outro homem de aparência esfarrapada estava inconsciente no chão, com sangue seco escorrendo de todos os sete orifícios faciais — uma visão com a qual os veteranos endurecidos pela guerra estavam familiarizados. Ele deve ter cruzado com um daqueles sinistros Manipuladores de Almas.

Caminhando à frente do exército, um bárbaro corpulento, com quase três metros de altura e vestindo uma armadura pesada, saltou de seu igualmente imponente corcel e imediatamente apertou as mãos em saudação. Seu olhar direto e o fato de ele nem mesmo ter tentado fazer uma reverência diziam muito sobre sua posição.

“Quais são suas ordens, Manipuladores de Almas? Devemos continuar nossa retirada para a Fortaleza da Pedra Sinistra?”

“General Torvi… Não há necessidade.” Meribelle suspirou profundamente, lançando o olhar para o norte. “O contra-ataque já está se preparando.” Jake, que estava pensando em como o Trono do Crepúsculo pretendia expulsar Featherfall e o Celestial para recuperar a Cidadela Havocspire dentro de um dia, seguiu sua linha de visão e todas as suas perguntas foram respondidas.

Centenas, ou talvez milhares de quilômetros ao norte de sua posição, um extenso manto de nuvens brancas, que ele não havia notado antes, agora enchia o horizonte. Embora ainda muito distantes para discernir a ameaça iminente que abrigavam, os olhos de Jake estremeceram quando ele discerniu o contorno sinistro de um rosto alienígena iluminado por relâmpagos vindos da tempestade interior.

Aproveitando sua Visão Cósmica ao máximo, Jake estreitou os olhos para ter uma visão mais clara e logo tremeu, seus punhos tremendo ligeiramente. Por onde quer que essa parede de nuvens brancas passasse, uma camada de gelo e desolação, ainda mais sem vida do que a superfície de Plutão, seguia atrás.

O que o surpreendeu ainda mais, porém, foi a trajetória das nuvens — não era aleatória. O caminho delas parecia calculado para preservar o máximo de vida possível. Com sua visão aprimorada, Jake percebeu, para seu espanto, que todas as formações de tropas amigas que fugiram ou estavam a caminho da Cidadela Havocspire foram completamente poupadas.

E a velocidade daquelas nuvens… Mesmo que ele fizesse todos os esforços, Jake não tinha certeza se conseguiria atingir tal velocidade confiando apenas na força bruta. Por força bruta, ele se referia tanto à sua força física quanto à telecinesia, bem como a qualquer outro meio de propulsão à sua disposição.

Este gigante estava disparando pela paisagem, atingindo dezenas, senão centenas, de quilômetros por segundo. No entanto, o que realmente o surpreendeu não foi apenas a velocidade alucinante. Foi a ausência absoluta da ruína esperada e das ondas de choque cataclísmicas que deveriam ter seguido um movimento tão supersônico daquele volume de ar.

Era como se essas nuvens… não existissem de verdade. E se não fossem reais, então só poderia ser a manifestação de uma alma. Uma terrivelmente poderosa.

Foi por isso que Jake sentiu um arrepio na espinha. Uma consciência tão vasta, que exerce o poder de influenciar o clima ao longo de centenas de quilômetros… Quando se tratava de poder etérico, ele sabia quando estava em desvantagem.

“O Regresso Abissal, Chillmire!” O general Torvi gritou, segurando sua enorme espada com a mão trêmula para se apoiar enquanto suas pernas tremiam. Agora ele entendia por que Havocspire era uma posição tão insustentável para o inimigo manter.

Agora que toda a sua guarnição havia recuado, um de seus mais terríveis Guardiões Espirituais, uma entidade calamitosa que geralmente dormia na base da Cascata do Submundo, estava livre para liberar sua ira. E sem tropas amigas com quem se preocupar, a voraz alma do inverno estava livre para causar estragos, mergulhando a cidade ainda em chamas em uma súbita e severa era glacial.

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥