Selecione o tipo de erro abaixo

Jake, que não perdeu o ritmo dessa reviravolta distorcida dos acontecimentos, praguejou baixinho ao ver um recruta a apenas sete ou oito metros atrás dele ser agarrado pelo Pulsar em seu encalço. Em um ataque de frustração, ele saiu momentaneamente de seu personagem, cortando tanto o capacete quanto o crânio de seu oponente com um golpe descendente tão feroz que sua espada enferrujada se quebrou com o impacto.

“… Porra. Que sorte minha,” ele murmurou, examinando os restos consideravelmente encurtados de sua lâmina.

Foi um milagre que sua espada de merda tivesse durado tanto tempo, dada a ferocidade de seus ataques e a pele dura que esses Brilhantes tinham como pele. Ele tinha que agir, e rápido; caso contrário, em dez segundos, ele não teria escolha a não ser se tornar ‘chamativo’ assim que o resto de sua unidade fosse exterminado.

‘Talvez seja melhor assim…’ Tanto ele quanto Hephais suspiraram interiormente, trocando um aceno de cabeça.

O assassino das sombras continuou a abrir caminho para eles, a lâmina dançando no escuro. Quanto a Jake, ele se virou abruptamente, arremessando o que restava de sua espada como uma shuriken apontada diretamente para o olho do Pulsar prestes a esmagar o crânio do recruta traumatizado.

Bem, esse era o plano. Em vez disso, o gigante inclinou ligeiramente a cabeça, redirecionando a trajetória da espada. O tênue halo de energia vital ao redor de seu rosto estreitou-se subitamente, concentrando-se no ponto de impacto previsto.

Cling!

A lâmina quebrada quebrou instantaneamente em ainda mais fragmentos, deixando apenas uma leve marca avermelhada na testa do inimigo. Pior ainda, seja por reflexo ou por pura raiva, o aperto do Pulsar no crânio do recruta intensificou-se exponencialmente, amassando a cabeça tão facilmente como se fosse um tomate maduro demais.

Assim, o recruta que já havia manchado suas roupas surradas de medo teve um fim horrível, manchando-as mais uma vez — desta vez com sangue e massa cerebral.

Ainda assim, Jake estava decidido a não deixar as coisas piorarem ainda mais. Com o rosto frio e apático, ele perguntou secamente a Meribelle através de sua ligação telepática,

‘Quando você planeja ser útil? Quando o único recruta que ainda respira além de mim e de Hephais for o Rei dos Manipuladores de Alma, você estará tão patética tentando se esconder bem debaixo do nosso nariz?’

Meribelle, cujos suaves olhos cinzentos estavam fixados na Muralha Interna — onde uma batalha ainda mais sangrenta foi travada — estremeceu ao ouvir isso, seu coração esfriou. ‘O que, ele já descobriu?!’

Só então ela lançou um olhar confuso para baixo, soltando uma torrente de maldições enquanto avaliava a situação. Em apenas 75 segundos, quase toda a unidade de recrutamento foi massacrada. Ela estava tão ocupada observando os céus que esqueceu que esses recrutas ainda não estavam totalmente equipados e que os inimigos que enfrentavam não eram inimigos comuns.

Ao avaliar o punhado de sobreviventes que ainda estavam atrás de Jake, Hephais e Sank-Uk, ela imediatamente percebeu o quão ameaçada a verdadeira identidade de seu rei havia se tornado. Mesmo que aquele astuto estrangeiro estivesse blefando, esse massacre reduziu consideravelmente a lista de suspeitos.

Avaliando o campo de batalha abaixo com um olhar abrangente, ela finalmente respondeu com uma calma pouco convincente: ‘Se eu for até lá, o Manipulador de Vida deles fará o seu movimento. Isso só vai piorar as coisas.’

‘Então o que você pode fazer? Decida-se rapidamente’ Jake retrucou agressivamente.

Vendo o Pulsar já em movimento para drenar a vida de sua próxima vítima, os pensamentos de Meribelle dispararam antes de ela gritar telepaticamente: ‘Posso imobilizá-lo temporariamente.’

‘Quanto tempo?’ Jake perguntou de volta.

‘O suficiente.’

‘Muito bem. Esteja pronta.’

Sem outra palavra, Jake iniciou uma corrida estoica em direção ao Pulsar, um gigante com quase o dobro de seu tamanho. Ekho e os outros soldados ficaram surpresos ao vê-lo mudar abruptamente de rumo. Mas foi o recruta de sangue azul armado com um machado encantado quem mais foi pego de surpresa quando Jake arrancou a arma de suas mãos sem esforço, tão suavemente quanto um mestre batedor de carteiras.

Girando sua nova arma sem diminuir o passo, Jake abriu um sorriso satisfeito, intrigado enquanto verificava seus atributos.

‘Droga, com este machado de batalha, eu poderia ter derrotado aquele Pulsar sozinho, sem a ajuda de Meribelle’, ele resmungou, tingido de amargura.

[Machado de Batalha de Ferro (+4): 

  • Atributos: Vento (forte), Metal (forte). 
  • Bençãos: Durabilidade Aprimorada, Vento Cortante, Auto-reparo. 
  • Uma herança sagrada da Tribo Cinzas Brancas. Um machado de ferro comum, mas que resistiu a quatro encantamentos espirituais consecutivos após contato acidental e repetido com a Água Lumyst do Espírito. Sua essência espiritual é despertada o suficiente para sentir e seguir as intenções do usuário sem ser senciente.]

Com alguns passos rápidos, Jake ficou cara a cara com o gigante. O Pulsar tinha instintos aguçados e, sentindo a intenção assassina palpável de Jake, já havia sacado e brandido sua própria arma, um enorme cutelo de açougueiro com veias marrons uniformes.

“Muito ingênuo,” o gigante zombou, apenas para sua expressão mudar quando uma força espectral malévola desceu do céu, congelando sua mente e enviando sua consciência para um lago congelado.

Sua visão ficou turva e uma tontura esmagadora o envolveu, o Pulsar nem sequer teve a chance de se sentir injustiçado antes que sua visão girasse caoticamente. Na decapitação, céu e terra alternaram-se rapidamente em seu campo de visão até que a escuridão fétida da lama encharcada de sangue se tornou seu quadro final.

De pé sobre a cabeça decapitada do gigante — agora ainda mais incrustada na lama — Jake balançou seu novo machado mais uma vez para sacudir o sangue. As lâminas gêmeas em forma de lua crescente pareciam comuns, até um pouco gastas, mas seu brilho azulado sugeria o contrário.

“Nada mal. Não é tão bom quanto o meu próprio equipamento, mas com isso, até mesmo um novato poderia facilmente derrotar um Guerreiro da Luz fora de seu alcance, se a sorte lhe servir bem.”

No momento em que atingiu o Pulsar, Jake se preparou para múltiplas tentativas de decapitar o gigante sem estragar seu disfarce. No entanto, no final, não foi necessário. Um único golpe de machado foi o suficiente.

Poucos centímetros antes de entrar em contato com o pescoço do bruto, ele começou a se partir, como se uma força cortante invisível precedesse o machado. No final, a lâmina nem sequer tocou a pele do inimigo.

“Pena que não é minha arma”, Jake fez uma careta, jogando o machado de volta para seu agradecido proprietário, que temia nunca mais vê-lo novamente. Ele seria um homem morto sem ele.

Não querendo ficar desarmado, Jake relutantemente pegou o enorme cutelo do Pulsar mais recente. Ele esperava que a arma do Pulsar fosse decente e não ficou desapontado.

[Grande Cutelo de Madeira (+2): 

  • Atributo: Madeira. 
  • Bençãos: Dureza Aprimorada, Arma Viva. 
  • Esculpido em um único galho de uma enorme árvore que cresce em algum lugar da Planície Lustra. A sua vitalidade foi despertada duas vezes, tornando esta madeira mais forte e resistente que a madeira comum. Não apodrece nem se deteriora enquanto suas necessidades vitais forem atendidas.]

O +2 era enganoso. Pode sugerir uma semelhança com o +4 de seu machado anterior, mas os efeitos foram marcadamente diferentes. O primeiro concedia vida ou aumentava a vitalidade a um objeto, promovendo mutações e evoluções, enquanto o segundo infundia espiritualidade num objeto, cujos efeitos são geralmente menos previsíveis, mas muitas vezes mais espetaculares.

Um espírito, não sendo dependente do seu recipiente, poderia teoricamente ser atribuído a qualquer coisa, enquanto o inverso não era verdade. Dar vida a um objeto inerentemente inorgânico ou artificial era muito mais desafiador.

Como tal, os guerreiros da Planície Lustra não tiveram escolha a não ser usar armas feitas de material vegetal para competir de alguma forma com o equipamento criado pelos Encantadores Espirituais das Terras do Crepúsculo. O resultado foi inevitavelmente inferior.

‘Mas pelo menos é duro e grande o suficiente’, Jake consolou-se mentalmente enquanto colocava o enorme cutelo no ombro.

O único grande problema: as almas desses Pulsares muito mais ameaçadores mal ofereciam mais sustento à sua Aura Lumyst do que os insignificantes Brilhantes que ele estava fatiando e cortando às dúzias. Acontece que a força vital não ajudava muito a alma nos estágios inferiores.

Alcançando os outros recrutas que se afastaram dele em busca da proteção de Hephais, Jake continuou balançando seu novo cutelo para aniquilar qualquer Brilhante ousado o suficiente para se aproximar demais.

“Jake, dois pulsares à sua direita”, a voz de Meribelle soou abruptamente em sua cabeça.

“Ali.”

Hephais deve ter recebido um aviso semelhante porque, sem hesitação, pegou de volta o machado que acabara de devolver ao novato. Ele então saltou, com a arma segura com ambas as mãos acima da cabeça, em direção a um colosso blindado banhado por um leve halo luminescente.

Assim como antes, a figura imponente congelou momentaneamente antes do ataque. Com um movimento rápido e selvagem, o assassino cortou-o ao meio, espalhando sangue em todas as direções.

Na mesma sequência fluida, Jake atingiu seus alvos. Esquivando-se de uma espada gigante com um passo ágil e amaldiçoando Meribelle por não atordoá-los adequadamente, ele matou sumariamente os dois gigantes.

Só assim, com a interferência de um Manipulador de Alma e um arsenal melhor, uma situação que parecia fodida desde o início de repente voltou ao controle.

Picture of Olá, eu sou Vento_Leste!

Olá, eu sou Vento_Leste!

Comentem e avaliem o capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥