Selecione o tipo de erro abaixo

Hephais havia decidido essa mudança de alvo antes mesmo que a sombra em que ele mergulhou terminasse de engoli-lo. É por isso que ele ficou tenso logo depois, quando percebeu que a própria rede de sombras em que acabara de afundar havia sido subitamente substituída por uma intransponível terra vazia.

Todas as sombras ao seu redor foram destruídas. Mas como? Ele teve um palpite, lembrando-se do pântano corrosivo conjurado pelo sorrateiro Marshling anteriormente.

‘Realizar um feitiço com um alcance tão amplo não deve ter sido fácil’, zombou o assassino interiormente, estimando o custo que teria sido necessário para gerar um domínio de sombra semelhante.

A menos que a Aura Lumyst ou as estatísticas do inimigo fossem muito mais superiores que as suas, o alienígena devia estar exausto. Como esses dois jogadores inimigos não transmitiam a impressão de serem jogadores verdadeiramente de alto escalão como Jake e ele, tinha que ser a primeira opção.

Isso fazia ainda mais sentido se a classificação deles fosse menor. Sendo o próprio Rank 16, um Rank 14 implicava que os dois jogadores haviam chegado a Twyluxia pelo menos 72 horas, ou três dias, antes dele. Tal atraso gasto matando nativos durante o dia e Jogadores à noite poderia de fato alterar significativamente o equilíbrio de poder entre eles. Se eles tivessem usado esse tempo para fortalecer seus corpos, almas e equipamentos com a Água Lumyst, então não seria tão difícil de acreditar.

‘De qualquer forma, sem fôlego ou não, preciso agir rápido.’ Os olhos de Hephais brilharam com feroz intenção de matar, manipulando a sombra do troll onde ele se escondia para formar uma longa agulha.

No nível deles, até mesmo a exaustão crítica — semelhante a um ser humano correndo 300 metros — poderia ser recuperada em questão de milissegundos. Para derrotar rapidamente o inimigo, ele tinha que aproveitar sua vantagem agora, e era exatamente isso que planejava fazer.

A sombra do gigante, afiada para a ocasião em uma longa agulha que se estendia por centenas de metros, começou a cortar a área em um arco de 360 ​​graus, como um enorme chicote atacando tudo em seu caminho. A velocidade era alucinante e foi o suficiente para se conectar à sombra do Marshling pego de surpresa.

Os cabelos ralos do alienígena se arrepiaram instintivamente, sentindo uma presença estranha invadindo o domínio monitorado por seu sentido mental. Suas pupilas se contraíram com uma consciência repentina e, sem pensar, ele saltou no ar, inundando o chão abaixo dele em uma chuva ácida.

Sua própria sombra também fazia parte da área alvo, mas imagine sua surpresa quando ela se misturou com a agulha preta ultrafina que o perfurou. Como a cabeça de uma serpente ganhando vida de repente, a sombra evitou a zona de impacto da chuva ácida com um movimento do pescoço e então, contra todas as probabilidades, saltou do chão para morder o Marshling no ar.

O alienígena atordoado reflexivamente se envolveu em uma concha venenosa, segurando sua lança com força, só para garantir. Comparado com sua confiança anterior, seu rosto verde pálido e coberto de suor havia perdido o brilho.

‘Foda-se. Se eu soubesse que ele poderia ser tão rápido, teria mantido minha maldita boca fechada’, ele praguejou em sua mente, arrependendo-se de ter provocado aquele assassino infernal.

O problema nem era sua velocidade, já que ele mal conseguia acompanhar os movimentos do assassino. Pelo contrário, era a sua presença.

O assassino elevou a arte da furtividade a tal nível que, mesmo quando o Eageano ficou parado diante dele, o alienígena teve que exercer um sério esforço mental para não “esquecê-lo”. Então, quando o assassino se movia em velocidades tão altas, fundindo-se perfeitamente com as sombras, especialmente na calada da noite, tudo se tornava esmagadoramente caótico.

Neste momento, o Marshling tinha que admitir que não tinha ideia de onde estava seu adversário, daí seu escudo venenoso omnidirecional. Na verdade, foi uma admissão de derrota.

Felizmente, ele não estava usando sua Sombra Guia, impulsionada por sua Habilidade de Promoção do Oráculo de nível 3. Com seu temporário coronel e rank 17, ele poderia reagir de alguma forma.

“EZLAO, CUIDADO!” A voz rouca do troll de pedra mudo de repente o tirou de seu torpor, seguida por uma terrível onda de arrepios.

Enquanto o Marshling se agachava em sua bolha de veneno, cego para o mundo exterior, Hephais apareceu silenciosamente de seu covil de escuridão para desferir o golpe mortal. Envolto em uma névoa mais escura que um cosmos sem estrelas, seus olhos indiferentes começaram a brilhar ameaçadoramente em vermelho, espelhando a lua que também havia ficado vermelha.

A agulha de sombra, tendo terminado de percorrer a área, devorou e fundiu-se com todos os pedaços de escuridão, exceto o próprio céu noturno, entretanto retornou às mãos de seu criador.

Ainda conectado à sombra do gigante pesado de onde se originou, Hephais levantou impassivelmente a outra mão e cortou a “corda” com um movimento rápido.

Foi a dor insuportável que finalmente permitiu que o gigante oprimido exalasse esse grito de alerta para seu companheiro. Infelizmente, tarde demais.

O longo chicote de sombra comprimiu-se instantaneamente milhares de vezes para formar uma pequena gota de escuridão, parecendo um mini buraco negro.

‘Icor1 das Sombras’, Hephais declarou friamente em sua mente enquanto cutucava-o com a ponta de uma de suas cimitarras duplas, que ficou totalmente preta — mais preta do que antes.

Então, sem olhar para o resultado, o Eageano atirou-a diretamente na esfera opaca de veneno, onde presumiu que estivesse o coração do Marshling. Como um tiro rápido e furtivo de um rifle de precisão, a cimitarra desapareceu no casulo venenoso como se fosse uma gota de tinta caindo no oceano.

Nenhum grito foi ouvido, mas uma fração de segundo depois, a esfera venenosa ficou preta e implodiu, espalhando uma torrente de sombras no chão abaixo. O Marshling que se abrigava lá dentro não estava em lugar nenhum.

Pálido e desgastado, desmentindo sua aparente compostura, Hephais de repente caiu do céu, caindo de quatro para recuperar o fôlego. Um gosto metálico encheu sua boca, provocando uma breve onda de náusea, que instantaneamente se transformou em um ataque de tosse sangrenta.

Fraco demais para se mover depois de usar aquela técnica massiva, ele não percebeu que o escoamento das sombras da morte de Ezlao e seu movimento mortal continuaram a se espalhar para o rio. Sem o conhecimento de todos, uma sombra aterrorizante estava prestes a ganhar vida…

“MORRA, SEU BASTARDO!”

Como Hephais mal conseguiu registrar o que estava ao seu redor sem vomitar, o chão tremeu de repente sob os passos pesados ​​e desajeitados de um troll de pedra enfurecido. Por mais lento que fosse, o gigante não era estúpido o suficiente para perder tal oportunidade.

BAM!

Um chute fenomenal, possibilitado por um pé enorme, tão duro e resistente quanto um bloco de diamante, pegou o assassino exausto desprevenido bem na mandíbula. Em um piscar de olhos, seu corpo — revestido bem a tempo com um fraco Escudo do Oráculo — quebrou a barreira do som com uma onda de choque ensurdecedora.

Embora ele devesse simplesmente ter atravessado o rio e desaparecido na distância, ele bateu em uma parede invisível no meio do caminho, fazendo-o deslizar horizontalmente de volta ao longo da água. Com a inércia inexplicavelmente ininterrupta, o Eageano cortou a superfície do rio por uma boa dúzia de quilômetros antes de finalmente começar a desacelerar. Seu corpo, em condições desconhecidas, ricocheteou centenas de vezes ao longo da superfície do rio Lumyst antes de finalmente afundar como uma pedra.

“…” O gigante responsável pelo chute foi o primeiro a se surpreender com o desfecho assustador, quase esquecendo a própria tristeza.

Essa trajetória em ângulo reto obviamente não estava em suas considerações. Enquanto o colosso se perguntava o que poderia ter acontecido, várias figuras se materializaram ao seu lado. Por mais estúpido que fosse, o troll só precisou dar uma rápida olhada para reconhecer dois dos recém-chegados:

Quilo e Sokal, os reforços que lhes foram prometidos. Ambos genuínos Majores de Rank 15. Quilo estava acompanhado por sua gangue de clones feitos de suas últimas vítimas, enquanto Sokal estava como sempre, seus olhos luminosos brilhando com intenção de lutar.

“Ele matou Ezlao!” O gigante começou a chorar ao reconhecer um deles, o tranquilo companheiro de Quilo.

Esses dois eram obviamente da mesma facção.

“Eu vi isso, Torak”, Sokal suspirou, desapontado ao olhar para o local distante onde o assassino havia afundado no rio. “Pena que ele está morto… viemos até aqui por nada.”

“Droga, ele estava animado para essa luta, mas acabou antes mesmo de começar. Que decepção.”

“Não reclame”, Quilo bufou laconicamente. “Eu prefiro isso a…”

BOOOOM!

Como que para satisfazer seu lamento, um enorme gêiser de água interrompeu abruptamente seu apático reencontro, levantando uma colossal coluna de água a centenas de metros de altura. Quando a massa de água caiu novamente, a silhueta completamente nua de Hephais reapareceu, agachada na costa, com um halo espectral muito mais compacto brilhando levemente em sua pele.

A fadiga paralisante que afetava seus movimentos momentos atrás desapareceu.

  1. é o fluido etéreo, presente no sangue dos deuses gregos. Afirma-se que o icor está presente na ambrósia ou néctar. Quando um deus era ferido e sangrava, o icor tornava o sangue divino venenoso para mortais. Essa substância também faria com que o sangue dos deuses ganhasse uma coloração dourad[]
Picture of Olá, eu sou o Vento_Leste!

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥