Capítulo 534: Memórias Desagradáveis, Descanse Bem

Reino de Mitos e Lendas

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

Capítulo 534: Memórias Desagradáveis, Descanse Bem

Tradutor: Asu | Editor: Asu

“Ela foi decepcionante até o amargo fim. Não importa o que fizemos com ela, ela não fez um som, que aberração. Aquela garota provavelmente já estava quebrada sem conserto. Que chato. Você não diria?” Rox declarou zombeteiramente.

Ele então puxou a adaga para fora da mesa e continuou: “Você estava tentando bancar o herói ou algo assim, pegando um rato de rua? O quê? Seu amigo nobre prometeu adotá-la por pena? Bem, deixe-me deixar algo cristalino.”

“O território fora das muralhas da cidade é minha propriedade! Meu reino! Algum nobre quer me humilhar? Me forçar a acomodar um rato de rua inútil no meu território? Dane-se eles! Quem eles pensam que são?!” Rox gritou violentamente. Ele então respirou fundo ao recuperar a compostura.

Um sorriso então apareceu no rosto de Rox quando ele disse: “Você não deve sentir pena dela — já que você vai se juntar a essa pirralha em breve. Mas, primeiro, eu vou fazer você pagar o preço por esse amigo nobre seu! Você vai aprender que neste lugar, eu sou o rei! Ahahaha!”

“Você terminou?” Izroth falou enquanto ele estava de costas para Rox.

A aura mortalmente calma que permanecia em torno de Izroth há poucos momentos tinha desaparecido. Não havia medo, ódio, raiva, tristeza, intenção de matar, apenas um vazio vasto – um vácuo de nada.

Izroth virou-se para encarar Rox, mas havia algo diferente nele. Sua expressão combinava com a de alguém que cortou completamente sua conexão com o mundo ao seu redor. Os olhos nem o rosto de Izroth possuíam até mesmo o menor fragmento de emoção. Sem pressa em seus passos, Izroth emergiu da sala quando dois homens perto da porta o investiram com suas armas sacadas. Ao mesmo tempo, Izroth entrou em um estado de transe enquanto submergia em seus pensamentos.

Já faz muito tempo, mas ainda me lembro como se tivesse acontecido ontem. Dessa vez, também falhei em protegê-la. Nos Sete Reinos, cheguei ao cume. Não porque eu era dotado, nem foi devido a algum encontro fortuito que alterou meu destino. Eu vim ao mundo sem nada. Rastejei até o cume com minhas próprias mãos e o vento do pico empurrando contra mim a cada curva. Poder, riqueza, fama — sempre chega tarde demais. No momento em que você adquire o poder de proteger aqueles que você se importa, você olha para trás apenas para ver que não há mais ninguém. Mas, estar sozinho em um mundo onde tudo o que você se importava já partiu para além do alcance… Aqueles que se aproximam de você o fazem apenas por medo ou ódio… Vivendo nesse tipo de mundo – qual é o ponto?

… Ah, isso trouxe de volta algumas memórias desagradáveis. Ainda deixa um gosto ruim na minha boca sempre que eu penso sobre isso.’ Izroth saiu de seu estado de transe.

“… M-mon… Mons…! M-monstro..!” A voz trêmula de Rox picou os ouvidos de Izroth.

Depois que Izroth saiu de seu estado de transe, seu entorno sofreu uma mudança drástica. Várias dúzias de corpos associados à organização de Rox foram espalhados no chão da sala, e a área parecia ter sido virada de cabeça para baixo. Além de Izroth e Rox, não havia sinais de vida dentro de todo o prédio — foi uma carnificina total!

Rox estava no chão com as costas contra a parede e um dos braços e pernas faltando. Não havia traços de sua arrogância anterior enquanto sua expressão temerosa não poderia ser escondida.

“P-poupe-me! Eu vou te dar o que você quiser! Você gosta de ratos de rua, certo?! Vou te dar um– Não, mais 50 delas! Você pode fazer o que quiser com elas! Você quer dinheiro também, certo?” Rox suplicou, mas imediatamente ficou em silêncio quando sentiu a ponta de uma lâmina fria pressionada contra sua garganta.

“A morte para você seria uma libertação. No entanto, viver é bom demais para sua espécie.” Izroth declarou sem hesitação.

“Esp-” Rox foi incapaz de espalhar uma palavra antes que a lâmina de Izroth batesse em sua garganta, colhendo sua vida.

Desde que cheguei a este mundo, tenho me tornado muito complacente. Os humanos neste mundo não são tão ameaçadores quanto os perigos que se escondem dentro dos Sete Reinos. Por causa disso, permiti que meus inimigos tivessem tempo, enquanto que se estes fossem os Sete Reinos, eles teriam sido mortos mil vezes mais. A complacência é uma das falhas mais perigosas para os cultivadores — eu quase esqueci essa simples verdade. Mesmo que eu possa me proteger, a qualquer momento, aqueles ao meu redor podem ser afetados. Isso foi um alerta. Um que eu não queria ouvir, mas um que eu precisava.’

Izroth devolveu sua espada para o cinto de couro em sua cintura. Ele voltou para a sala onde Selene foi localizada e cuidadosamente a levou em seus braços enquanto ele se dirigia para a saída sobre as pilhas de cadáveres.

Quando este evento chegar ao fim… Vou garantir que não tenho mais inimigos neste mundo. Aqueles que me injustiçaram, serão mortos sem piedade.’

—⟢⟡⟣—

Cerca de uma hora depois, Izroth ficou em frente a uma sepultura recém-feita localizada nos arredores da cidade, no fundo da área florestal. No topo do túmulo havia uma pedra com o nome ‘Selene’ esculpida nela que parecia ser feita por marcas de espada.

“Este mundo pode ser uma ilusão, mas isso é o mínimo que posso fazer por você desde que você me acordou do meu sonho.”

Izroth colocou um par de roupas bem dobradas com um conjunto de sapatos pequenos ao lado da lápide improvisada. Além disso, havia uma escultura de madeira de uma lua crescente colocada diretamente abaixo da lápide. Estes foram os itens que ele comprou para Selene dentro das muralhas do palácio.

Depois de tirar alguns momentos para ter certeza de que tudo estava em ordem, Izroth sabia que era hora de ele ir se quisesse se encontrar com Nixere como prometido.

“Descanse bem, Selene.” Disse Izroth. Ele então começou a sair da floresta e viajar de volta para a cidade.

Poucos minutos depois que Izroth deixou o túmulo de Selene, algo incomum aconteceu.

A escultura de madeira da lua crescente que Izroth colocou no topo do túmulo de Selene desapareceu.

—⟢⟡⟣—

Várias horas depois, Izroth havia retornado há muito tempo à cidade localizada dentro das muralhas internas do palácio. Após sua chegada, Izroth se encontrou com Nixere, e os dois começaram a se preparar para a cerimônia. No entanto, isso foi há quase uma hora.

No momento, Izroth, acompanhado por Nixere, já estava na fila na entrada do palácio principal!

Tanto Izroth quanto Nixere não eram reconhecíveis com sua escolha atual de roupas.

Izroth vestiu roupas formais abotoadas que eram azuis com forros prateados bordados em suas bordas externas. Seu cabelo foi bem penteado para trás, e ele tinha um ar de nobreza nele que chamou a atenção daqueles que esperavam na fila.

No entanto, em termos de atrair olhares para eles, Nixere estava em outra liga. Ela usava um lindo vestido branco que abraçava sua pele. Seu cabelo foi amarrado em um coque e trançado em três partes separadas – uma em cada lado de sua cabeça, e a outra habilmente enrolada em torno da parte inferior de seu coque de cabelo. Ela emitiu uma aura de elegância refinada e tinha uma semelhança ainda mais próxima com sua irmã mais velha, a Rainha Nixpera.

“Lembre-se, uma vez que estivermos dentro, temos que ganhar a oportunidade de falar com minha irmã a sós.” Sussurrou Nixere.

“Sendo uma das duas estrelas da cerimônia, com tantos convidados, tal ocasião pode não se apresentar prontamente.” Respondeu Izroth.

“É por isso que estou contando com você para fazer sua parte, querido primo.” Disse Nixere com um sorriso.

“Não tenho certeza se chamaria o que você tem em mente de um plano.” Afirmou Izroth indiferentemente.

“Está tudo bem, está tudo bem. Algumas coisas são melhores deixadas para o momento. Você não concorda?” Nixpere riu levemente.

Não demorou muito para Izroth e Nixpere chegarem à frente da linha. Depois que os guardas confirmaram que não estavam carregando armas, os dois foram concedidos a entrada no palácio.

“Bem-vindos.” Quando Izroth e Nixere caminharam pelas portas do palácio, eles foram imediatamente recebidos com um arco por um grupo de servos devidamente vestidos alinhados em ambos os lados das portas.

Então este é o palácio do Rei Sonamus. É ainda mais pretensioso do que o descrito no conto.’

Aviso do Tradutor:

Asu

Asu

Rolar para o topo