Capítulo 2

Regressor da Vida Passada

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

 

Capítulo 2

Tradutor: Otakinho

 

Meus olhos se abriram de repente quando senti que estava caindo de um penhasco.

Eu vi com olhos desfocados um pequeno braço movendo-se por conta própria. O braço pertencia ao meu corpo, mas ainda não era meu. Meu corpo estava fora de meu controle no momento e apenas realizava reflexos involuntários irrelevantes desencadeados por estímulos externos.

A ciência moderna disse que isto acontecia como atividades cerebrais imaturas de uma criança. Eles estavam certos, pois meu cérebro ainda não estava totalmente desenvolvido. No entanto, a ciência moderna não seria capaz de iluminar meus processos de pensamento atuais. Eles pertenciam à categoria de religião, já que a razão pela qual eu podia pensar como sou agora era graças à minha alma.

Mudei meu olhar com dificuldade para as duas pessoas que estavam olhando para mim. Minha visão subdesenvolvida só via sombras em seus rostos, e minha audição era quase a mesma. Minha mãe disse que deu à luz em casa ao invés de no hospital por causa de nossas finanças pobres com a ajuda de sua irmã, que era enfermeira.

Então, as duas pessoas olhando para mim seriam minha mãe e minha tia.

Embora eu não pudesse ver muito, as janelas de mensagens do sistema eram claras. Lê-las com minha visão atual parecia irrelevante e provavelmente funcionava na mesma base de ser capaz de pensar com o cérebro subdesenvolvido de uma criança.

As mensagens foram direto para o meu cérebro. Eu li as mensagens que apareceram na minha frente.

#sistema-escuro#

[A missão ‘Torne-se Saudável 1’ começou.]

[Torne-se Saudável 1 (Missão)

Missão: Beber leite materno trezentas vezes em um mês.]

#escuro-fim#

Eu finalmente soube porque o Primeiro Male era um dos seres mais poderosos do ‘Dia do Juízo Final’. Ele acumulou pontos desde criança e, em outras palavras, era um trapaceiro.

***

“Você tem que envolver os braços e as pernas de um bebê, ou eles acordam surpresos e se debatendo.”

“Mas meu filho está chorando muito. Não há nada de errado com ele? Ele tem todos os dedos das mãos e dos pés, certo?”

“Você já me perguntou isso três vezes. Ele está chorando para que você o alimente. Parabéns por ter um filho saudável.”

“Obrigada.”

Junghee lavou a placenta do bebê e deixou Mihee abraçar Sunhoo. Mihee não estava chorando de dor, mas de gratidão por seu bebê ser saudável. Ela ainda não conseguia compreender que havia se tornado mãe e dado à luz um bebê.

No entanto, Mihee não conseguia tirar os olhos do bebê que clamava por seu leite. Ela deixou Sunhoo beber de seu peito e viu que suas preocupações por não ter leite suficiente para o bebê eram infundadas. Sunhoo chupou seu mamilo e engoliu seu leite.

“Ele é um comedor feroz.”

***

Foi interessante sentir minha boca se mover instintivamente no momento em que ela foi pressionada contra o peito de minha mãe. Foi um movimento involuntário semelhante aos meus braços e pernas balançando, e eu me senti como se estivesse dentro de um pequeno animal.

Conheci uma pessoa que usava a transferência de alma como uma habilidade importante. Aquele indivíduo teria observado seus alvos assim, dentro de seus corpos, mas sem controle, antes de engolir completamente suas almas.

No entanto, este era o meu corpo, e meus membros e lábios que se moviam como queriam eram apenas reflexos. Não precisei lutar com outra alma por causa da Transferência de Alma.

Senti um líquido morno descer pela minha garganta sem sentir muito o gosto. No entanto, senti o líquido escorrer pela minha garganta e estômago como quando eu bebo água logo depois de acordar pela manhã.

Eu poderia me concentrar em beber leite materno porque meus membros não estavam se movendo, graças à minha tia me envolvendo em um cobertor. Minha mãe apoiou cuidadosamente meu pescoço e eu pude sentir meu estômago ficando cheio em meio ao amor maternal.

Isto foi uma bênção, e pensei que fosse chorar de pura felicidade. Fiquei aliviado por não poder chorar ainda. Minha mãe ficaria surpresa ao ver seu filho chorar depois de alimentá-lo com leite materno pela primeira vez.

Não tirei meus lábios do peito de minha mãe até que não pudesse mais beber, e meus lábios pararam de se mover por reflexo quando me senti cheio.

Uma mensagem apareceu. Eu só queria que não cobrisse o rosto de minha mãe.

#sistema-escuro#

[Torne-se saudável: Beba leite materno 1/300]

#escuro-fim#

Minha tia me levantou e começou a dar tapinhas nas minhas costas. Eu estava começando a me sentir entupido depois de ficar cheio, mas não conseguia vomitar o que havia engolido sozinho.

Achei que algo estivesse preso no meu estômago, mas era apenas um arroto. Eu me senti revigorado e o som de duas mulheres rindo era música para meus ouvidos.

Era hora de dormir, considerando que minha mãe havia passado a maior parte da manhã me dando à luz.

No entanto, eu não conseguia dormir porque meu corpo doía por toda parte. A dor que senti ao passar pelo canal dissipou-se com o leite de minha mãe. O tormento que sentia agora foi reduzido pela dor que senti então.

A dor afugentava meu sono sempre que tentava fechar os olhos e eu, na verdade, não queria dormir.

As mãos de minha tia eram tão gentis quanto as de minha mãe e o tempo que passei deitado em seus braços enquanto ela apoiava minhas costas e pescoço era muito gostoso e confortável. No entanto, eu queria estar nos braços de minha mãe.

Chorei até que minha tia me entregou para minha mãe e não parei nem mesmo quando minha tia esfregou minhas costas e cantou para mim.

Quando parei imediatamente de chorar no momento em que minha mãe me segurou, ouvi as duas mulheres rirem de novo. Então comecei a sentir pena porque precisava tomar leite materno pelo menos dez vezes ao dia para completar a missão.

Eu tinha que beber cerca de doze vezes por dia para cumprir a missão com segurança, o que significava que tinha que pedir o leite de minha mãe a cada duas horas.

Eu vi até que ponto minha mãe teria que se sacrificar. Ela perderia noites e fins de semana.

***

Devo ter adormecido e acordei com fome. Eu poderia reprimir o choro de fome ou as fraldas molhadas, já que meus processos mentais não eram os de um bebê.

Eu queria que minha mãe descansasse hoje. Em 1985 não havia centros de atendimento pós-parto, e as mães viviam com seus bebês ao seu lado nesta época.

Além disso, minha mãe não podia pedir ajuda, pois minhas duas avós haviam falecido e minha tia teve que voltar a trabalhar.

Como ela teve que me criar sem nenhum cuidado pós-parto, a pélvis de minha mãe começou a apresentar problemas por volta dos 40 anos.

O Dia do Juízo Final ainda estava muito longe e eu tinha trinta dias antes que o prazo para esta missão expirasse. Então, minha mãe deveria descansar pelo menos por hoje, pois ela não conseguiria dormir à noite a partir de amanhã.

Comecei a suportar o vazio em meu estômago e me lembrei de como os bebês eram fracos enquanto a fome estava começando a se transformar em dor. Embora não doesse muito, senti como se alguém estivesse cutucando minha barriga.

Então, era por isso que os bebês não suportavam ficar com fome. Fui contra os Oito Males e Oito Virtudes e superei a adversidade do canal de parto com minha mãe. Eu não poderia estragar o único dia de descanso de minha mãe por causa desta fome.

No entanto, quando chegou a hora, minha mãe me deixou chupar seu peito e os instintos de sobrevivência de uma criança chutaram por reflexo.

Eu não deveria fazer isso, pelo menos hoje…

#sistema-escuro#

[Torne-se Saudável 1: Beba Leite Materno 2/300]

#escuro-fim#

***

#sistema-escuro#

[Torne-se Saudável 1: Beba Leite Materno 9/300]

#escuro-fim#

***

#sistema-escuro#

[Torne-se Saudável 1: Beba Leite Materno 10/300]

#escuro-fim#

***

#sistema-escuro#

[Torne-se Saudável 1: Beba Leite Materno 11/300]

#escuro-fim#

Apesar de meus esforços, minha mãe não conseguiu dormir à noite desde o primeiro dia. Meu pai havia começado a trabalhar nesta época e não pôde ajudar minha mãe.

Pai…

Além disso, criar bebês era responsabilidade unicamente da mãe nesta época. Minha mãe nunca olhava para outro lugar quando estava sozinha em casa comigo.

Ela me envolvia com cuidado sempre que meus membros se debatiam para fora dos cobertores, mesmo que ela cochilasse. Ela tentou me ajudar a dormir depois de me alimentar e me ajudar a arrotar.

A rotina diária de minha mãe era uma repetição interminável de me alimentar, arrotar e me ajudar a dormir. Fingi adormecer quando minha mãe quis, a fim de ajudá-la. Ela só conseguia dormir por uma hora ou mais durante o momento em que eu fingia adormecer.

Eu vi minha mãe chorar pela primeira vez depois de uma semana.

Eu a ouvi chorar cansada, embora sua silhueta ainda fosse vaga. Seus soluços eram o oposto das risadas alegres que eu ouvira com minha tia. Minha mãe devia estar em seu limite, já que ela não tinha dormido bem nem mesmo uma vez durante a semana.

Fui o primeiro e único filho e, portanto, foi a primeira vez que minha mãe criou um recém-nascido. Ela não podia ir ao banheiro sozinha, e a quantidade máxima de sono para ela era uma hora de cada vez.

Então, ela começou a chorar e eu percebi como foi difícil para ela me criar.

Eu a vi parar de chorar para me alimentar e, nessa época, não me importei mais com a missão. Pouco importava para o meu plano se eu fracassasse em minha primeira missão. Eu poderia passar fome por um dia se isso significasse que minha mãe poderia dormir profundamente por um dia.

No entanto, minha mãe ficou ansiosa e ligou para todos os lugares quando reprimi as dores da fome e não gritei.

Doze vezes por dia a cada duas horas.

Minha mãe me alimentou e me ajudou a arrotar novamente como se não tivesse chorado. Meu objetivo final não estava longe ou algo no futuro. Ele estava bem na minha frente.

Coloquei três palavras no topo da minha lista de objetivos – dever como filho.

 

Revisado por: Jaci

Tradutor:

Otakinho

Otakinho

Boa Leitura S2 S2
Rolar para o topo