Selecione o tipo de erro abaixo


『 Tradutor: Otakinho 』

Ele tinha certeza de que o visitante era um dos indivíduos mais ricos do planeta. Einhell teve que ir até as famílias nobres da cidade e buscar a ajuda de exploradores qualificados, ao mesmo tempo que fazia doações substanciais para o altar. Cada vez que realizava essas tarefas, o convidado infalivelmente lhe presenteava com mais barras de ouro.

Ele era um homem rico que procurava as relíquias de nosso Senhor Lacryma. Presumivelmente, ao seu nível, ele já teria ligações com as famílias nobres, mas não foi o caso. Além disso, Einhell confirmou que o convidado tinha habilidades equivalentes a um usuário de espada, mas tudo o que o homem fez foi meditar em seu quarto.

A meditação não era uma prática comum entre os guerreiros, pois era normalmente reservada aos magos. Discernir a identidade do visitante foi um desafio e saber demais parecia muito arriscado.

Porém, uma coisa estava clara. O visitante era ingênuo em relação aos costumes do mundo. Ele alegou nunca ter pago a mais por nada, mas não foi o caso. Sempre que Einhell solicitava pagamento ou completava a tarefa, o visitante entregava generosamente um número considerável de barras de ouro.

Aquele dia foi igual. Não houve resposta além da porta, como sempre, mas quando Einhell empurrou a porta com cuidado, ela foi destrancada e abriu. O visitante estava novamente sentado na cama, encostado na parede, meditando.

A vibração do visitante era bastante pesada, mas não o suficiente para diminuir a ganância de Einhell. Ele encontrou um pedaço de ouro bem ao lado da porta.

Meu ouro… me pergunto por que ninguém o pegou.

Ele colocou o ouro no baú que trouxera especificamente para esse fim e deixou uma nota no local vazio onde estava o ouro. O pagamento foi duplicado. Aumentou pouco a pouco nos últimos três dias e finalmente atingiu esse valor.

Einhell ficava mais sensível sempre que saía do quarto, pois toda a sua atenção estava voltada exclusivamente para suas costas. Ele pensou que o visitante iria perguntar por que o pagamento havia dobrado um dia, então Einhell preparou uma resposta.

Porém, mais uma vez, não ouviu a voz do visitante naquela noite mais uma vez.

***

“Ontem à noite sonhei em ganhar a sorte grande e você está aqui hoje, Einhell.”

O homem falando era alguém chamado Basman, um homem de meia-idade com olhos gentis.

“Como você tem estado?” Einhell perguntou educadamente.

Basman encolheu os ombros. “Mesmo de sempre. Sigo tentando pegar umas gostosas.”

“Ouvi a notícia do seu retorno há muito tempo, mas estava muito ocupado. Desculpa por isso.”

Einhell olhou ao redor da casa de Basman. Todos na cidade sabiam que Basman tinha estranhas tendências sexuais e predileção por mulheres, e sua cama estava manchada de sangue. Einhell percebeu que Basman o estava observando, então rapidamente desviou o olhar da cama para a parede.

Naquele momento, Einhell notou um crânio de Baclan que estava sendo exibido como um troféu de guerra.

“Você deve ter estado no Norte”, Afirmou Einhell.

“Ah, esse. Eu trouxe para você. Vou mandá-lo para sua casa se você gostar.”

Einhell balançou a cabeça. “Você sempre diz coisas tão doces, Sr. Basman, mas vou entregar a suas mulheres.”

Basman resmungou: “Todo mundo sempre diz isso e se recusa a aceitar”.

“Se você quiser se desfazer, procurarei um bom lugar. Você quer vendê-lo?” Einhell perguntou.

Basman acenou com a mão. “Depende de você e vamos mergulhar no ponto principal. Conte-me sobre o que você tem feito. Ouvi dizer que você tem recebido muito dinheiro ultimamente.”

Einhell ergueu uma sobrancelha. “Uau, eu não esperava que você tivesse ouvido falar sobre isso.”

“Bem, eu sei muito sobre você. Quem te deu todo esse dinheiro?” Basman perguntou.

“Ele não é da cidade. Quero lhe contar mais detalhes, mas isso é tudo que sei… Mas Sr. Basman. Encontrei-me ontem com quatro autoridades e um sacerdote.”

Basman arregalou os olhos e começou a coçar as têmporas enquanto apoiava o queixo na outra mão, pois mais dinheiro movia-se sob o controle de Einhell do que ele esperava.

“Meu sonho ontem à noite deve ter sido com você. Não acredito que você está comprando minha espada.”

“Como eu poderia comprar isso? Por favor, me ajude”, Implorou Einhell.

Basman estreitou os olhos. “Você está dizendo que compartilhará a oportunidade comigo?”

“Somos parentes distantes, mas…”

Basman ressaltou: “Ei, não somos completamente estranhos”.

“Já que você está dizendo isso, então vou lhe contar tudo.”

Einhell forneceu uma explicação detalhada e extensa da melhor maneira possível. A quantia de dinheiro com a qual estava lidando já estava além de suas possibilidades, e as despesas com futuras operações da equipe de expedição provavelmente seriam ainda maiores.

Portanto, precisava de alguém para cuidar dele, e Basman era o candidato perfeito em comparação com aqueles das linhagens diretas das famílias nobres.

Após a explicação, Basman sorriu. “A última gota faz o pote transbordar, Einhell. Mas você é sábio. É por isso que eu estimo você. Olhe. Fui o primeiro a quem você veio procurar.”

***

“Hum…”

Pela primeira vez, Einhell falou com o visitante que meditava.

“Tenho alguém para apresentar a você. Ele gerenciará a equipe de expedição comigo.”

O capuz do visitante era grosso e enorme. Embora fosse difícil verificar seu rosto, era evidente que levantou a cabeça na direção de Basman.

“Sr. Basman é um guerreiro forte e tem uma profunda ligação com as famílias nobres da cidade. Sua notoriedade se espalhou por terras distantes, como o Reino Gemilan no norte, o Reino Atreus na região central e o vizinho Reino Exile. Onir, o Rei dos Mercenários, também elogiou a esgrima do Sr. Basman, comparando-a a um relâmpago. Basman não só ajudou a erradicar os piratas negros de Pateria, mas também esteve ativamente envolvido na linha de frente da guerra entre o Reino Gemilan e os Baclan.”

“Ele é um Cavaleiro Sagrado?” O visitante perguntou sem rodeios.

Einhell engasgou no momento, então Basman respondeu: “Cavaleiro Sagrado? É uma honra que você tenha pensado em mim dessa maneira. Porém, eu vendo minha espada na rua, então não sou tão nobre quanto eles.”

“…”

“Se você tem um status elevado, espero que nos conte aqui mesmo. Caso contrário, deixarei claro que não tenho escolha senão tratá-lo apenas como um empregador. As coisas ficarão complicadas se você disser algo mais tarde.”

O capuz do visitante balançou brevemente. “Não importa, desde que você cumpra seus deveres fielmente.”

“Certo. Qual o seu nome? Como você quer que chamemos você?” Perguntou Basman.

O visitante não respondeu.

Basman fez uma pausa e sugeriu. “Hmm… Aventura… Sr. Aventura. Como isso soa?”

O visitante respondeu: “Me chamem do que quiserem”.

Basman continuou: “Você está exatamente tão calmo quanto Einhell me descreveu. Eu cuidarei do grupo de expedição para que isso não te incomode. De qualquer forma, só é um enchessão de saco lidar com os sacerdotes.”

“Até que ponto as coisas chegaram?”

Einhell respondeu: “Estamos planejando partir amanhã. Corri o mais rápido possível, conforme suas instruções.”

“Eu irei segui-lo então”, Respondeu o visitante.

Einhell interrompeu: “Será uma jornada difícil. Se você despachar alguém, garantirei que ele retorne imediatamente após descobrir as relíquias. Também posso providenciar para que forneçam atualizações regulares e detalhadas para você.”

O visitante ordenou: “Guarde um lugar para mim. A propósito, não quero ser incomodado por ninguém.”

“Tudo bem, deixe comigo.”

“Então, vejo você amanhã. Você ficará satisfeito com a equipe amanhã”, Acrescentou Basman.

Einhell e Basman trocaram olhares e se viraram.

Basman disse assim que saíram para a rua: “Ele não é um nobre”.

Apesar das tentativas deliberadas de Basman de provocar e zombar dos sacerdotes do Senhor Lacryma, o visitante permaneceu indiferente. Além disso, a enunciação incomum do visitante e o fato de ele sempre manter o rosto escondido no capuz também deram a Basman a certeza de que o homem não era um nobre. Com base nisso, presumiu que a riqueza do visitante havia sido acumulada por meios ilegítimos.

“Você verificou onde ele está conseguindo todo esse ouro?”

Einhell balançou a cabeça. “Ele de alguma forma os preparou para mim no dia seguinte, sempre que eu venho. Seus homens devem estar por perto.”

Basman comentou: “Nosso visitante é misterioso de um jeito ruim”.

“Sim, mas não há necessidade de cortar a barriga do ganso. Deixe-o botar os ovos de ouro e nos trazer mais fortuna.”

Basman assentiu, mas segurou o sorriso porque aprendeu nos muitos campos de batalha que apenas os idiotas costumam rir.

Ele percorreu lentamente a residência do visitante e colocou a mão no ombro de Einhell.

“Concordo. Ninguém saberá como ele conseguiu tanta riqueza, mas não devemos impedi-lo de gastar muito dinheiro. Se nossa exploração terminar em sucesso…”

“Então teremos que cortar a barriga do ganso. Eu planejei até esse ponto.”

Basman sorriu. “Então, eu não deveria estar preocupado com isso. Somos praticamente família, então não direi mais nada.”

Quando os dois viraram à esquerda enquanto conversavam na rua, viram pessoas reunidas na praça. Alguns dos jovens nobres estavam armados com artefatos como armaduras sofisticadas que refletiam a luz do sol. Os cidadãos da cidade cobriam-nos com pétalas de lírio enquanto os sacerdotes do Senhor Lacryma balançavam seus incensários.

Einhell e Basman juntaram-se a eles sem dizer uma palavra. Até o filho ilegítimo da família, cujo rosto era a única coisa que os dois sabiam sobre ele, recebia as bênçãos dos sacerdotes.

A natureza do ritual era evidente, pois já existiam planos há algum tempo para montar uma equipe de expedição a ser enviada à região central do continente. Corria o boato de que o Diabólico Doom Humano, que estava previsto chegar essa noite, e sua Tropa Demoníaca haviam aparecido na região central distante.

Mesmo assim, Einhell tinha dúvidas sobre o envio de uma equipe expedicionária à região central. Isto não se devia apenas à vasta distância, mas também às numerosas zonas de guerra que teriam de atravessar.

Recentemente, muitas guerras começaram para fins de conquista. Os países com grandes potências utilizaram o pretexto para justificar as suas guerras, alegando que precisavam de reforçar os seus armamentos para combater a Tropa Demoníaca.

Depois de jogar a última pétala de lírio, Einhell saiu da multidão. Basman, que saiu primeiro da praça, falou.

“Nunca imaginei que um filho ilegítimo nos traria sorte. Caso contrário, estaríamos no esquadrão e eventualmente morreríamos no caminho para a região central.”

“Nosso jovem mestre não chegará ao destino.”

“Ele saberia disso e não iria querer ir. Honestamente, não tenho certeza se o Diabo realmente apareceu. Pode ser o plano do altar de arrastar as pessoas para fora da cidade…”

Naquele momento, Basman rapidamente ficou quieto.

Einhell comentou: “Deve ser verdade, visto que todas as grandes potências do continente estão a mover-se neste momento”.

Basman assentiu. “Sim, deveríamos acreditar nisso, mas nosso jovem mestre é muito inexperiente e jovem para resistir à tentação e superar as adversidades. Espero que a bênção do Senhor Lacryma esteja com ele.”

“A propósito, não creio que demore muito até que a guerra tenha impacto na cidade. Ouvi dizer que os navios do Imperador de Exile aparecem frequentemente no Estreito de Pateria.”

Basman então comentou: “Se você não me pedisse para me juntar aqui, eu estaria naquele navio agora mesmo”.

“…”

Basman ergueu uma sobrancelha. “O que foi? Você acha que é mentira? Isso é o que fariam todas as pessoas que vendem suas esgrimas por aí. Eu sei que você não tem intenção de sair da cidade, então você deve ter em mente que seremos considerados ilegítimos para sempre…”

Einhell assentiu. “Sim, com certeza, Sr. Basman.”

“Eu realmente queria meter um pouco hoje, mas devemos nos concentrar no trabalho.”

“Então, procurarei mais trabalhadores manuais e passarei no altar.”

“Eu lidarei com aqueles que empunham espadas. Vamos aproveitar o máximo que pudermos e ajudar nosso ganso a botar o máximo de ovos possível. Hahaha.”

Na manhã seguinte, se reuniram. O tamanho da equipe de expedição era tão vasto quanto um pequeno reino, inevitavelmente atraindo mais atenção do que a equipe que havia sido despachada para enfrentar a Tropa Demoníaca ontem. Não foi apenas porque o objetivo deles era escavar as relíquias sagradas do Senhor Lacryma.

Uma cerimônia semelhante à realizada ontem estava acontecendo, com sacerdotes passando por cada uma das centenas de exploradores, soprando queimadores de incenso.

O visitante de Einhell estava em uma carruagem separada. O rosto dentro do capuz profundo ocasionalmente franzia-se em concentração enquanto vagava por terreno desconhecido. Então, Einhell veio com o cheiro de incenso queimado.

“Eu lhe disse para não me incomodar se não for por causa das relíquias”, disse o visitante bruscamente.

“O sumo sacerdote que se juntará à expedição está aqui. Ele é o sacerdote da Igreja Presbiteriana de São Jayden. A Rainha de Elsland até ordenou o sumo sacerdote parar o que estivesse fazendo e cumprimenta-lo.”

“A Rainha de Elsland o ordenou diretamente?” perguntou o visitante.

O visitante não ficou impressionado, mesmo com o tamanho da equipe da expedição. Porém, ele aumentou o tom de voz como se tivesse percebido a importância da posição desse  sacerdote.

Einhell finalmente ficou satisfeito com sua reação. “Onde você acha que gastei todas as suas barras de ouro? Tenho cumprido fielmente suas ordens.”

Ele baixou a voz e continuou: “Se você possui ou não uma profunda devoção ao Senhor Lacryma não é da minha conta. No entanto, aviso-o que revelar quaisquer coisas contra nosso senhor, vai acarretar problemas. Se você quiser que a exploração corra bem…”

O visitante o interrompeu: “Então ele já encontrou pessoalmente a Rainha de Elsland?”

Picture of Olá, eu sou Crimson!

Olá, eu sou Crimson!

Comentem e avaliem o capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥