Supreme Magus – Capítulo 104

Capítulo 104
Lotus Vermelha 2
Tradutor: Eduard0|| Revisor: Eduard0


As videiras feridas jorraram um líquido púrpura. Lith manteve distância, evitando a substância desconhecida com movimentos mínimos, para não perder sua vantagem.

– “Não houve chiado quando atingiu o chão, então não é um ácido. Pode ser venenoso, pensou.” –
Lith estendeu os braços, soltando dois jatos de fogo das palmas das mãos.

Os apêndices reagiram rapidamente, envolvendo a massa imponente da criatura e se transformando em uma cor cinza. As chamas não tiveram efeito, deixando apenas uma marca negra, como se tivessem atingido uma pedra.

Lith nunca havia encontrado um monstro vegetal antes, então ele era particularmente cauteloso. Ele manteve vários feitiços prontos para usar, tecendo um novo assim que outro foi consumido.

– “Seja o que for, parece não ser capaz de sair daquele local, fugir não deve ser um problema. O problema é decidir se vale a pena o meu tempo ou não. Com a minha sorte, se eu matar, a flor murchará instantaneamente.

Enviando e gavinha invisível de pura mana, Lith usou magia espiritual para puxar com força o lótus vermelho, com o objetivo de agarrá-lo e correr. Ele não tinha vontade de lutar batalhas inúteis. O caule da flor dobrou-se na diagonal sob a tensão, mas se recusou a se mover.

O monstro da planta gritou novamente, desta vez com fúria.
– “Tenha cuidado!” Solus gritou. “Está vindo de baixo!” –
Lith zombou da ingenuidade da criatura, ativando novamente seu feitiço de voo. Mas quando ele tentou se levantar do chão, ele descobriu que a grama estava prendendo firmemente seus pés, impedindo-o de se mover.

Observando-o com a visão da vida, mais uma vez, ele descobriu que o pedaço de grama abaixo dele também tinha ficado azul.
De alguma forma, fazia parte do corpo do monstro.
Antes que ele pudesse se recuperar, várias videiras irromperam do chão, com as extremidades acinzentadas de pedra tentando esfaquear os órgãos vitais de Lith. Sabendo que um ataque estava chegando, Lith usou a fusão da terra ao extremo, endurecendo seu corpo e usando os braços para tirar o impacto do impacto.

Apesar de suas braçadeiras de ferro e proteções mágicas, as videiras conseguiram perfurar sua pele, cavando diretamente em sua carne. Lith gritou de dor, enquanto os tentáculos continuavam cavando em sua própria carne, sem perder uma única gota de sangue.

Sem se deixar entrar em pânico, Lith usou seu feitiço coração gelado, transformando tudo ao seu redor em gelo. Seja cinza ou verde, o fogo não causou muitos danos às gavinhas, então ele mudou de elemento.

Tendo se tornado frágil pelo frio repentino, Lith conseguiu se libertar das videiras e da grama, voando para trás tentando entender o que estava acontecendo.
Suas feridas estavam cobertas por uma gosma roxa e pegajosa, ele podia sentir seus braços ficando dormentes, uma sensação de formigamento invadindo seu corpo. Depois do que aconteceu com os Clackers, ele sempre mantinha um feitiço desintoxicante pronto, usando-o juntamente com um feitiço de cura para fechar as feridas.

– “O que diabos está acontecendo? Como ele controla a grama? Não faz sentido.” –

As mentes de Lith e Solus estavam girando em alta velocidade, tentando fazer cara ou coroa da criatura. Enquanto ele ainda estava atordoado, a grama e os tentáculos derreteram num piscar de olhos.

Como o fogo, a magia da água parecia ter pouco efeito. Sem parar, Lith ativou o visão da vida novamente, vendo uma faixa azul se movendo como um clarão na vegetação do solo, seguindo-o de perto.
– “Solus, de que cor é o seu núcleo? Não gosto nada disso!”
“Essa coisa não tem núcleo.

É apenas uma massa aleatória de energia, nunca vi nada assim. Não me lembro de ler sobre algo que se assemelha a essa coisa. É monstruoso demais para esquecer.” –

Um calafrio percorreu a espinha de Lith. Seu primeiro monstro vegetal não parecia seguir nenhuma das regras mágicas que ele havia aprendido até agora. Sem núcleo, resistente ao gelo e ao fogo e capaz de controlar a vegetação. As únicas palavras que poderiam descrever seus sentimentos foram: medo do desconhecido.
Ele passou anos aprendendo mágica, procurando por núcleos mais fortes, mas agora tudo o que sabia acabara de chegar à sarjeta.

Mesmo voando para trás em um padrão em zigue-zague era inútil, a faixa azul continuava seguindo-o. Lith não podia correr o risco de correr para uma árvore, então ele se moveu para cima e para longe do chão.
De um terreno mais alto, ele podia ver que na verdade havia mais de uma raia se movendo, enquanto a massa de trepadeiras às quais o lótus vermelho estava preso se tornara cinza.

Segundo a visão da vida, apenas a flor permaneceu colorida.
A cabeça de Lith estava girando em choque.
– “Então agora o ‘corpo principal’ está morto e o chão parece uma bola de discoteca? Mas isso significaria que mais do que sua mana, de alguma forma a visão da vida realmente percebe sua consciência. Essa coisa deve ser capaz de mudar de corpo à vontade.
Isso explicaria como ele poderia controlar até a grama e por que não há vida selvagem … “
“Fodanos de lado!” Solus o interrompeu. “As árvores! Cuidado com as árvores!” –
Apesar de sua ligação mental ser instantânea, quando Solus o alertou, o ataque já estava chegando.

A casca da faia mais próxima havia descascado, revelando ser uma massa de trepadeiras enroladas em torno do tronco real da árvore, e agora disparavam na direção do inocente Lith. Antes que ele pudesse se virar, eles envolveram seus braços e pernas, batendo-o contra o tronco antes de começar a comê-lo vivo.
A dor excruciante atacou Lith por todos os lados, mas ele conseguiu permanecer consciente com pura força de vontade. Suas mãos agarraram as videiras mais próximas enquanto ele ativava um dos feitiços que havia criado depois de aprender a magia de nível quatro.

Toque Vampírico, uma versão distorcida dos feitiços de cura que Vastor lhe ensinara.
Embora normalmente esses feitiços melhorassem a recuperação de um paciente e lhe dessem energia para sobreviver ao procedimento, o toque vampirico curaria Lith em vez disso, drenando a vítima de sua energia no processo.

Quando o monstro da planta percebeu o que estava acontecendo, era tarde demais.

Os tentáculos haviam se aprofundado demais e, apertando seus músculos com a ajuda da fusão da terra, Lith os impediu de escapar.

A energia escura devorou os tentáculos, sugando-os enquanto restaurava a carne e a vitalidade de Lith. As videiras murcharam a uma velocidade visível a olho nu, até que a casca falsa desabou no chão, revelando que a faia embaixo estava morta há muito tempo.
A consciência da criatura conseguiu fugir, voltando ao corpo principal.

Lith usou o Revigoramento para se recuperar, o toque vampirico não conseguiu curar tantas feridas profundas com uma refeição tão escassa como base. Depois disso, ele atirou várias flechas de Praga contra as outras árvores.

Assim que atingiram, o latido falso caiu. Lith entendeu que a floresta luxuriante ao redor do corpo principal da criatura era na verdade um cemitério de plantas. Mais duas flechas de peste atingiram o chão, até a grama se contorceu e gritou antes de morrer.

“Eu não sei o que diabos você é, mas você é muito perigoso para deixá-lo viver. Tudo se tornou parte do seu corpo, e eu não tenho vontade de descobrir até onde você controla”
Manter a visão da vida sempre ativa exercia uma grande pressão sobre seu corpo, mas Lith entendeu que era sua única chance de fazê-lo vivo.

Antes de voltar ao chão, ele soltou de seu corpo uma aura escura, a mesma que havia usado contra o murchar na floresta de Trawn.
A energia das trevas atacava indiscriminadamente tudo em um raio de dez metros (33 pés) dele.
A grama murchava, as videiras escondidas no subsolo morriam, deixando apenas terra nua ao seu redor. Só então Lith começou a tecer seu feitiço mais forte da escuridão, zona da morte.

Uma névoa negra e espessa apareceu à sua frente, parecendo uma pequena nuvem de tempestade, com apenas vinte metros de comprimento e largura, cerca de três metros de altura. Depois de conjurá-lo, Lith precisou apenas de um pensamento para enviá-lo para o corpo principal da criatura.

Como todos os feitiços das trevas, a Zona da Morte se moveu lentamente, mas seu poder destrutivo era incomparável. Era a arma perfeita contra um inimigo que não podia fugir
.
A nuvem destruiu tudo em seu caminho, enquanto os gritos da criatura passaram de zangado para assustado, e de assustado para aterrorizado. Tentou atacar Lith para impedir o ataque, mas entre visão da vida e a aura sombria, nenhum deles chegou nem perto.

Ele podia ver todos eles em câmera lenta, não apenas por causa de seus sentidos elevados, mas também porque a magia negra enfraqueceria e corromperia tudo o que entrasse em seu alcance.
Quando a Zona da Morte alcançou seu alvo, a criatura lembrou para si mesma toda a consciência dispersa, em uma última tentativa desesperada de sobrevivência.

No entanto, Lith e seu feitiço eram implacáveis, frustrando todos os seus ataques no primeiro, ignorando-os no segundo.
Qualquer que seja a massa que o monstro conseguisse formar, isso só se tornaria alimento para a energia escura.
“Por favor pare!” A criatura falou.
Lith permaneceu imperturbável, mantendo a guarda e deixando a Zona da Morte fazer seu trabalho.
“Eu sou igual a você.”
“Não, você não é você está prestes a morrer.”

O corpo principal estava encolhendo, sem a energia necessária para sustentar aquela forma enorme, estava revertendo para uma planta muito menor.

Uma hera.
– “Lith, agora que toda a energia está finalmente em um só lugar, finalmente posso ver seu núcleo. É…

“Preto.” Lith completou o pensamento por ela.
“É outra abominação. Entendi quando vi como todas as formas de vida estavam mortas. Esta parece ter conseguido se estabilizar.” –
“Eu só queria viver. Eu …”
Lith não deixou continuar, disparando Flechas de Praga como uma metralhadora.
– “Duas coisas que aprendi com filmes de terror”. Ele explicou para Solus.
“Primeiro, nunca dê a mínima para uma história de fundo de monstros.

Não importa quantos soluços, não impediria que você seja comido assim que você virar as costas para ele. Segundo, no momento em que acabar, mate-o até que ele esteja realmente , realmente morto. ” –
Com um uivo final, a planta morreu, abominação morreu.

De repente, todo o espaço ao redor de Lith se transformou em um terreno baldio. A grama se transformou em cinzas, a casca falsa deteriorada deixando apenas árvores mortas para trás.

Tudo em um raio de mais de cinquenta metros (164 pés) era idêntico ao local em que ele lutara com o murchar na floresta de Trawn, com apenas uma exceção.

O lótus vermelho jazia no chão, brilhando como se nada tivesse acontecido.


Capítulo anterior | Índice | Próximo capítulo

Rolar para o topo