Capítulo 158 – Primeiras Impressões 2

Supreme Magus

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

Primeiras Impressões 2


Tradutor : Eduard0 | Revisor: Eduard0

  Lith levantou a camisa cinza sem cerimônia, revelando a barriga lisa e de Nindra. Ele então aprimorou seu metabolismo com magia leve, cobrindo seu abdômen em gotículas leitosas de suor saturadas com as toxinas.

Seus olhos e mãos se moveram agilmente, tomando cuidado para não perder nem uma gota do precioso líquido.

O destino do Reino, mas ainda mais importante o seu, dependia dos alquimistas encontrarem uma maneira de neutralizá-los ou, pelo menos, analisar suas propriedades, tornando o trabalho de Lith muito mais fácil.

Mesmo que seu parceiro não se importasse, Solus encarou a inveja dos seios cheios e alegres de Nindra subindo e descendo enquanto ela arfava em pânico.

– “Se eu conseguir um corpo, eu realmente gostaria que fosse assim.” Ela pensou consigo mesma. –

Os medos de Nindra rapidamente foram dissipados pelo toque cuidadoso de Lith, enchendo um frasco de contenção após o outro sem fazer uma pausa para olhar a paisagem, ou pior, aproveitando seu desamparo.

Durante mais de um mês em cativeiro, ela aprendeu a reconhecer a luxúria nos homens que a cercavam, sejam eles outros infectados ou soldados.

Após o prolongado período de isolamento, as pessoas eram fáceis de cair em desespero e agir como animais.

Os guardas estavam relativamente seguros. Eles não conseguiram superar o apelo casual porque temiam mais ser infectados. Mas seus companheiros de barraca eram outra coisa. Sem nada a perder, muitas vezes perdiam decência, brigando entre si por uma fatia de pão ou assediando mulheres.

Geralmente, os guardas intervinham rapidamente, mas outras vezes, quando estavam entediados, deixavam as coisas deslizarem, observando as tentativas como se fossem apenas uma performance teatral, rindo e comentando sem se importar.

Eles ainda interviriam antes que algo realmente ruim acontecesse, mas isso não tornava nada menos traumático. Sem seus poderes, o orgulho era a única coisa que Nindra havia deixado, e ela faria qualquer coisa para protegê-lo.

Quando conheceu Lith, ela assumiu que, por trás da máscara, havia apenas outro velho pervertido, e o tratou de acordo, tomando-o para lembrá-lo de seu status na Associação e de seu conhecimento da rainha.

Mas agora, observando-o trabalhar incansavelmente, ela não conseguia sentir nada. Ele frio, como uma máquina, permitindo que ela esperasse que, pela primeira vez desde a prisão, o homem à sua frente fosse realmente um curandeiro.

Quando a última gota foi coletada, Lith cuidadosamente colocou a camisa de volta, evitando qualquer contato desnecessário, antes de usar o Revigoramento novamente. A zona em torno do núcleo de mana de Nindra estava agora livre de todas as toxinas, restavam apenas os casulos, com os parasitas ainda escondidos dentro deles.
– “Alguma mudança, até agora?” Ele perguntou a Solus.
“Nenhum, ainda é muito cedo. Mesmo para você, leva algum tempo. Não se preocupe se eu notar o núcleo dela se recuperando ou sua mana circulando como a de um mago verdadeiro, eu vou deixar você saber.” –

Sem o efeito amortecedor da toxina, Lith agora podia identificar os vermes e tentar matá-los. Seu plano era testar em Nindra a primeira cura que ele havia planejado. Consistia em limpar primeiro o núcleo de mana, permitindo que ele se recuperasse, enquanto o resto do corpo estava entupido pelos parasitas anti-mana.

Sua teoria era que, mesmo que o núcleo fosse inundado com a energia mundial, Nindra não seria capaz de percebê-lo em tal status.
– “Se eu estiver certo, preciso inventar alguma tagarelice médica para justificar o passar dos dias antes de tratar o resto do corpo. Não posso permitir que outros curadores apressem as coisas.” –

Ele então mirou os casulos mais próximos do núcleo, enviando vários tentáculos de energia escura para penetrar e matar seus habitantes. Assim como ele temia, os casulos eram apenas uma massa de toxinas altamente compactada.

Enviar magia através deles foi como empurrar o proverbial SUV para cima, mas desta vez com o freio de mão. Como isso estava dentro de suas expectativas, ele mudou-se para o plano B. Ele usou seu feitiço de limpeza para remover as camadas externas, enquanto era aprimorado com o metabolismo de Nindra.

O efeito foi semelhante ao cardio, pressão arterial aumentada e músculo contraído e relaxado ciclicamente, acelerando o processo de dispersão das toxinas, tanto pelo fluxo natural quanto pela osmose.

As horas passaram e logo Lith estava exausto demais para continuar.
“É isso que faremos a partir de agora, mais ou menos. Posso ter sua resposta agora?”

Ele perguntou depois de remover a mordaça.
Os olhos de Nindra ainda estavam frios, mas mais desdenhosos.

“Você está ciente do que acontece diariamente naquela barraca?”

Lith balançou a cabeça.
“Se eu aceitar ajudá-lo, quero que a segurança seja aumentada e que os soldados sejam punidos por seu comportamento.”

Nindra perguntou, descrevendo brevemente suas terríveis experiências.
“Eu sou apenas um curandeiro.” Lith encolheu os ombros.

“Eu posso falar com o supervisor do campo, mas duvido que ele possa fazer muito. Os humanos serão humanos.”.

“Só mais uma coisa. Quero sua promessa de que você não me ajudará se não por razões médicas.”

Lith achou suas demandas razoáveis ​​e ele precisava da confiança dela.

Solus acreditava ser capaz de determinar se alguém havia sido despertado, mas isso não significava que Nindra não conseguia sentir a mana fluir, podendo despertar semanas senão meses após a cura.

“Negócio fechado”. Lith soltou as restrições, permitindo que ela apertasse sua mão estendida.

“Há uma coisa que você deve saber. Essas veias azuis …” Ele bateu o dedo no braço dela e atrás do pescoço dela.

“… são um sinal de que a infecção está próxima do nível crítico. Meu procedimento deve impedir que ela se torne letal, mas ainda é experimental. Ainda há muitas coisas que podem dar errado, por isso, se você sentir algo engraçado ou incomum com o seu corpo após uma de nossas sessões, você tem que me dizer. ”

Nindra ficou chocada com as palavras dele, olhando suas próprias veias como cobras na grama.

Depois do palito, Lith forneceu a cenoura. Em uma mesa pequena, ele colocou a comida de conforto que preparara, uma tigela de água com algumas toalhas e uma muda de roupa.

“Gostaria de lhe oferecer um banho adequado, mas com a magia da água indisponível, é o melhor que posso fazer.”

O delicioso cheiro de comida de verdade fez seu estômago roncar, sua oferta boa demais para recusar.

– “Não vou recusar algumas roupas limpas, pois elas só nos trocam uma vez por semana. Mas por que a tigela?” – pensou Nindra, antes de perceber que entre o pânico e o efeito da magia da luz, ela estava encharcada de suor.

Sua camisa estava grudada nela como uma segunda pele, seus mamilos erguidos perfurando o tecido fino a faziam se sentir nua. Antes que ela pudesse cobrir o peito com os braços, Lith já estava do lado de fora, puxando a cortina para trás.
– “Eu poderia continuar o tratamento dela depois do almoço, mas quero dar um tempo. Vou retomar amanhã, depois de uma boa noite de descanso. Solus diz que o núcleo se recupera mais rápido durante o sono. Hoje à tarde, tentarei minha segunda cura “. – pensou Lith.

“Capitão, eu terminei com este paciente por hoje. Hoje à tarde preciso de outro mágico forte. Quero experimentar abordagens diferentes e ver qual funciona melhor.”

Lith entregou a ele todos os frascos coletados e Kilian enviou um dos soldados para ligar para um mensageiro.

“Não é um problema, mas você já conhece o segundo mágico mais forte de Kandria. Você quer que eu escolha o terceiro melhor?”
A máscara da peste escondeu o sorriso de lobo de Lith.
“Não, o Sr. Senti se encaixa perfeitamente na minha conta.”

– “Com seu talento e experiência, se ele não consegue sentir o núcleo da mana após o meu tratamento, ninguém consegue. Então, se ele realmente despertar, ele é o tipo de cara que eu posso matar sem perder um segundo de sono.” –

“Você está falando de Garith Senti, o chefe da guilda mercenária de Kandria?”

A voz de Nindra veio de trás da tenda.
“Esse é o cara.” Lith confirmado.

“Ele é um pouco tenso demais, mas um bom homem. Eu posso falar com ele, se você quiser. Tenho certeza que se você fizer o mesmo sacrifício que você fez comigo, ele aceitará.”

– “Um homem bom?” Lith zombou interiormente.

“Sim, além de sua boa aparência, não havia muito para ele. Qualquer coisa que o julgássemos mal, ou depois de tudo o que ela passou, seus padrões de ‘bom’ diminuíram consideravelmente”. Solus ponderou. –

Lith precisava de toda a ajuda que pudesse obter, então ele aceitou a oferta de Nindra.

Mais tarde naquela tarde, o segundo encontro foi mais educado, mas o frio na tenda teria envergonhado a era do gelo. Depois que Lith o desrespeitava, Garith normalmente nunca concordava em ajudar um cão militar imundo.

Mas depois de mais de um mês de comida na prisão, sem banho ou privacidade, ele estava desesperado o suficiente para aceitar. Apesar de todo o ódio que sentia por aquele médico arrogante, Garith não conseguia desviar os olhos do bife fumegante à sua frente.

Além disso, Nindra Luce era uma das poucas pessoas que ele respeitava, e quando ela lhe falou sobre o significado das veias azuis, ele foi forçado a repensar suas prioridades.

– “Quando eu recuperar meus poderes, sempre poderei caçá-lo, se eu ainda quiser. Mas se eu estiver morto, tudo estará perdido! Por mais que eu odeie admitir, preciso mais dele do que ele de mim. “. – Foi o raciocínio de Garith.

“Vou pegar comida a cada sessão, certo?”

Lith assentiu em resposta.

“Eu também quero privacidade. Estou farto de homens e mulheres entrando na minha cama enquanto os guardas não fazem nada além de rir das minhas dificuldades!”

Lith deu sua palavra, então, mesmo com o despeito mútuo ainda de pé, ele poderia começar a testar sua segunda teoria. Graças à experiência adquirida com o tratamento de Nindra, as coisas foram mais rápidas e tranqüilas do que pela manhã.

O plano era matar todos os parasitas enquanto deixava toxinas suficientes em seu sistema para tornar Garith despertar impossível enquanto seu núcleo de mana se recuperava. Durante a primeira sessão, Lith limpou um pequeno pedaço do braço de Garith, facilitando a circulação de sua mana durante o Revigoramento.

Então, ele começou a extrair todas as toxinas até estar cansado demais para continuar. Nos dias seguintes, os dois tratamentos divergiram cada vez mais. A de Nindra era mais lenta, primeiro removendo todos os parasitas em seu abdômen enquanto verificava seu status central, deixando o resto do corpo intocado.
Garith’s foi mais rápido, mas muito mais cansativo. Lith teve que limpar parcialmente as toxinas e matar os parasitas o mais rápido possível, sempre a partir da região do abdômen.
Como Solus havia previsto, ela logo foi capaz de perceber a energia mundial fluindo em seus corpos para preencher o vazio. Além disso, a mana deles não iria circular, mas permaneceria imóvel, provando que o Despertar não havia acontecido.
Graças à coabitação forçada, os dois pacientes logo passaram a apreciar os esforços e a dedicação de Lith. Depois de cada tratamento, enquanto escondidos atrás da tenda, eles tentavam executar o feitiço de luz mais simples.

Todas as suas tentativas falharam, mas eles podiam sentir algo mudando dentro deles. Eles expressaram sua alegria a Lith, apenas para levantar suas preocupações através do telhado.

Uma manhã, Lith estava matando os parasitas nos braços de Nindra. Seu núcleo havia se recuperado por muito tempo, então ele decidiu que era hora de cruzar os dedos e curá-la para sempre.

Lith estava prestes a terminar quando um soldado invadiu a tenda. Ele segurava no braço uma criança que não podia ter mais de dois anos. As veias de seu corpo eram azul-celeste, esbugalhando-se como mãos pequenas tentando rasgar sua pele para escapar.

“Senhor, esse garoto acabou de entrar em colapso. Os curandeiros não sabem o que fazer, nunca vimos nada assim. Disseram-me para pedir ordens.”

Lith foi forçado a decidir se deveria curá-lo, arriscar seu despertar ou deixá-lo morrer.

Aviso do Tradutor:

Vento_Leste

Vento_Leste

Rolar para o topo