Capítulo 159 – Crise

Supreme Magus

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

Crise


Tradutor : Eduard0 | Revisor: Eduard0

A mente de Lith não teria girado tão rápido, mesmo que seu irmãozinho Carl de repente ressuscitasse na frente dele.

Pelo menos nesse caso, ele experimentaria apenas dois sentimentos conflitantes: descrença e alegria.

Em vez disso, seus pensamentos foram subvertidos em um turbilhão caótico. Criação e natureza estavam em conflito como nunca antes, incapazes de encontrar um terreno comum.

– “Eu tenho que salvá-lo. Dediquei a maioria desses salvadores, mesmo quando eles não podiam pagar. Odiar seres humanos é bom, mas uma criança de dois anos?

Minha maior reclamação por crianças é que elas são barulhentas e desagradáveis, portanto, eu nunca quis ter meus próprios filhos. Mas matar um é outra questão completamente.

O que acontecerá com seus pais e irmãos se eu o deixar morrer? Serão eles marcados pela morte de sua amada, como aconteceu comigo? “-

Esse era o raciocínio de seu lado curador, aquele que fora criado com amor e carinho por sua família nos últimos doze anos. Seus argumentos eram sólidos, Lith experimentara em primeira mão a dor da perda, o sofrimento de uma mãe que só podia ver a filha morrer lentamente.

Ele não estava disposto a fazer alguém passar por essa experiência por mero egoísmo.

– “Não é grande coisa. Os fracos são obrigados a sofrer e são sempre os primeiros a morrer. É a lei da selva. Eu não o conheço e não ligo para ele. Salvá-lo seria imprudente. Primeiro, eu mostraria a Kilian que sou capaz de curar os parasitas por conta própria.

Segundo, esse garoto não é como eu. Se ele ganhar algum tipo de poder, ele se tornará uma ameaça para si e para os outros. Existem inúmeros riscos e nenhuma recompensa. Boas ações nunca ficam impunes, se eu o ajudar, pagarei o preço. “-

Os argumentos de seu lado “humano” também eram sólidos. Lith realmente não se importava com estranhos, ele nunca se importava. Quando ele os ajudou no passado, sempre havia um objetivo oculto por trás de suas ações.

Ele não era um herói, matara inúmeras vezes e nunca perdera uma única noite de sono.
Enquanto sua mente estava congelada, seu corpo agiu por hábito, pegando a criança nos braços do guarda e colocando-a sobre a mesa para avaliar suas condições. O número de parasitas era baixo, a criança era tão magicamente fraca que eles não podiam prosperar em seu corpo.

No entanto, vinte e dois vermes foram suficientes para rebaixar o núcleo de mana abaixo do nível vermelho. Não era preto, ele não se tornaria uma abominação. O núcleo havia encolhido do tamanho de um buraco de alfinete, ficando completamente cinza. Apenas algumas listras vermelhas profundas permaneceram, enquanto o resto estava perdendo sua densidade.

As partes cinzentas estavam enevoadas, não por causa das toxinas, mas porque o núcleo estava desmoronando.

– “Não há razão para discutir, seu idiota.” O lado lógico de Lith entrou em cena, calando todas as outras vozes em sua cabeça, não com sentimentos ou pessimismo, mas com fatos frios.

“A menos que seu núcleo possua excelentes habilidades de recuperação, ele está morto. A coisa mais misericordiosa que podemos fazer é tirá-lo de sua miséria.” –

Lith teria esperado que não ter mais escolha no assunto o faria se sentir aliviado, ao invés disso, só piorava as coisas. – “Há tantas coisas que eu ainda ignoro. Talvez eu esteja errado e a criança ainda possa ser salva. É a primeira vez que encontro uma situação como essa, não posso ter certeza a menos que tente. Por outro lado Por outro lado, esta é uma oportunidade única de experimentar o que acontece quando um núcleo fica cinza “. –

Seu conflito interno durou apenas alguns segundos, mas, para os presentes, Lith parecia ter parado por horas.

“Existe algo que você pode fazer?” A voz de Kilian estava desanimada.

Conhecendo Lith, ele assumiu que tudo estava perdido. Foi apenas uma questão de tempo até que a praga começasse a colher os mais jovens entre os infectados.

“Você não conhece a primeira regra da magia da luz? Se o paciente ainda está respirando, sempre há esperança. Por que você não está fazendo nada?” Nindra não era uma curandeira, mas tinha um grande respeito por eles, como por Lith.

Ela não podia acreditar que a situação estava além das habilidades dele. Antes de conhecê-lo, ela já havia renunciado a viver seus últimos dias em cativeiro. Ela sabia que, sem uma cura, a praga ou o Reino a mataria mais cedo ou mais tarde.

Ele lhe dera esperança.
Lith não teve resposta para suas perguntas, dilacerado por seu egoísmo e desejo de se tornar uma pessoa melhor. Alguém real do qual seus entes queridos poderiam se orgulhar, em vez da máscara que ele costumava enganar o mundo.

Ele começou a suar profusamente, mas sentiu uma sensação de frio na boca do estômago, enquanto as agulhas o picavam por dentro. Suas tripas se torceram em um nó doloroso.

– “Solus, o que devo fazer? Eu nunca quis que nada disso acontecesse, não há plano de contingência.”

“Não é algo que eu decida. Sou sua companheira, mas a vida é sua. Sei que é provavelmente a situação mais assustadora que você já conheceu, não há mentira ou matança para sair dela.”

A única coisa que posso lhe dizer é que, o que você escolher, terá que repensar seu modo de vida. Depois de toda a conversa sobre mudar e crescer como pessoa, é hora de você decidir se apenas se sente vazio ou se realmente está vazio.

O que quer que você se torne, eu sempre estarei ao seu lado. “-

Essas últimas onze palavras eram tudo o que ele precisava ouvir. Solus o conhecia, o verdadeiro, mas ela nunca havia julgado ou se esquivado dele. Ela conhecia todos os segredos sujos que ele tinha, todos os seus pensamentos e defeitos vergonhosos, mas ela o aceitou de todo o coração.

Lith decidiu que era hora de se tornar digno de tal afeto, em vez de se aquecer sob sua luz, dando-o como garantido.

– “Eu realmente não sei se esse garoto pode ou não pode se tornar um Desperto. A única coisa que sei é que não posso evitar tomar decisões difíceis apenas porque tenho medo das consequências. Se realmente quero se tornar uma pessoa melhor, devo pelo menos tentar ser uma! ” –

Nem cinco segundos se passaram desde que Lith completara o diagnóstico. Suas mãos começaram a formar selos falsos, enquanto sua boca pronunciava palavras latinas aleatórias, enquanto o revigoramento varria as toxinas.

Após os tratamentos de Nindra e Garith, tudo ficou muito fácil. Não apenas os parasitas foram capazes de se multiplicar, a falta de nutrientes também os impediu de formar um casulo, deixando-os expostos, presas fáceis para os tentáculos escuros.

Ninguém coletou as toxinas que foram desperdiçadas, mas ninguém se importou. Lith levou alguns minutos para limpar completamente o corpo, e os efeitos foram visíveis a olho nu. As veias azuis primeiro desinflaram e depois desapareceram, a pele do garoto recuperou parte de sua cor, mas permaneceu terrivelmente pálida.

“Eu deveria ter limpado o sistema dele. Os parasitas ainda estão lá, no entanto.” Ele mentiu, para proteger seus segredos. Se o garoto sobrevivesse, Lith tinha que evitar a todo custo que outro curandeiro o examinasse, acrescentando-o à lista de seus pacientes.
Dessa forma, ele sempre poderia fingir que o curara pouco a pouco, em vez de de uma só vez.
“Então por que ele ainda está inconsciente?” Kilian perguntou.
“Porque não há como dizer que dano seu corpo sofreu. Eu fiz tudo que pude, agora tudo depende dele.” Além de evitar mencionar o status do núcleo de mana, Lith havia dito a verdade.
– “Usar magia de luz ou dar a ele parte da minha força vital é inútil. Seu corpo está em perfeitas condições, o problema é o núcleo.
“Nada bom. Mesmo depois que você removeu as toxinas, o núcleo de mana ainda não mostrou sinais de recuperação.” –
“Traga-o de volta para seus pais. Não faz sentido mantê-lo aqui.”

“Seus pais não estão na última tenda, mas em qualquer outra.” O soldado explicou.

“Nós nunca conseguimos encontrá-los, eles estão mortos ou fugiram quando tudo começou.”

Lith assentiu.
“Eu não quero deixá-lo sozinho enquanto ele ainda está assim. Você se importa se adiarmos seu tratamento amanhã?”

“Não é um problema.” Nindra respondeu, com medo de tocar a mão do garoto e piorar suas condições. Ela ainda estava infectada e não tinha ideia de como a praga se espalhou.

“Se importa se eu fizer sua companhia?” Lith balançou a cabeça e logo começou a andar pela pequena barraca.

Ele começou a vasculhar seu cérebro, tentando encontrar uma maneira de infundir mana no corpo do garoto sem machucá-lo, mas sem sucesso. Lith sabia por experiência que enviar mana diretamente para o núcleo era como envenená-lo.

De acordo com Solus, fazer sua própria mana circular no corpo de outra pessoa através do Revigoration nunca a prejudicou, mas também não afetou o núcleo. Durante o progresso da limpeza, a energia mundial que Lith havia bombeado para o pequeno corpo não foi absorvida, não importa o quão perto ele o trouxesse.
Talvez fosse porque ainda mantinha a marca de mana de Lith, mas o núcleo da mana a ignorou, recusando-se a alimentar-se dela. Uma hora se passou e a outra até que o núcleo ficou completamente cinza antes de desaparecer como uma nuvem de fumaça.
– “Ele está morto.” – Solus disse assim que viu a força vital da criança desaparecer.

Lith passou a notícia para os outros. Sua voz era calma e gentil, mas por dentro ele estava angustiado, questionando o quanto a culpa dos parasitas era comparada à sua. Talvez se ele não tivesse hesitado, as coisas teriam sido diferentes.

Talvez ele fosse apenas um monstro e não merecesse ser amado.

Aviso do Tradutor:

Vento_Leste

Vento_Leste

Rolar para o topo