Capítulo 167 – Tempos Difíceis

Supreme Magus

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

Tempos Difíceis


Tradutor: Eduard0 // Revisor: Eduard0

Além do cheiro pungente de decomposição e suas roupas mais uma vez esfarrapadas, não havia vestígios do que acabara de acontecer na tenda de Lith. A forma da luva de Solus havia se recuperado completamente de todos os ferimentos e agora estava cheia de poder.

– “Que diabos? Chamado da Morte não deveria funcionar assim. Foi como um feitiço completamente diferente.”

“Bem, pelo que vale, você também parecia uma pessoa totalmente diferente. Seus olhos ficaram desumanos e, quando o fluxo de energia atingiu seu ápice, todo o seu corpo começou a pulsar de acordo com o ritmo. Você começou a se transformar em um …”

Solus não conseguiu encontrar as palavras para descrever a silhueta monstruosa que quase se sobrepusera a Lith.
“… coisa, mas graças a Deus tudo parou antes que fosse tarde demais.” –

Lith não se lembrava de tais mudanças, mas, ao verificar as memórias de Solus, ele conseguiu ver o que exatamente havia acontecido. Depois que seus olhos ficaram amarelos, brilhando por dentro com uma pupila de fenda vertical, a aura escura ao seu redor assumiu uma forma física.

Em vez de tentáculos das sombras, seu corpo havia liberado chamas esmeraldas, enquanto as sombras na tenda pareciam tirar vida, atacando os garras junto com as chamas.

O resultado foi tristemente impecável. Nada havia sobrevivido ao ataque conjunto, nem mesmo as armas, deixando-o de mãos vazias por seus problemas.

Lith nunca havia experimentado algo assim, então ele sentou de pernas cruzadas no chão, ativando o Revigoramento em busca de respostas. Ele primeiro examinou seu corpo, depois o núcleo de mana, descobrindo que nada havia mudado.

Então, ele fez a mesma coisa em Solus, mas os resultados permaneceram os mesmos.

Tudo aconteceu tão rápido que parecia ser apenas um sonho. No entanto, ele se sentiu mais vazio do que nunca, como se tivesse compreendido algo significativo apenas para esquecer um segundo depois de acordar.

Ele tentou várias vezes conjurar essas energias e sensações, mas sem sucesso. Mais confuso do que nunca, ele usava seu uniforme médico de peste. Kilian chegaria a qualquer momento agora, e Lith estava ansioso para resolver os últimos passos da cura e
voltar à sua vida.
****
Apesar do vínculo forte, quase de amizade, Tyris não gostou de como Leegaain havia deixado o canal de comunicação aberto, enquanto discutia a anomalia com seu novo aprendiz.

Não apenas porque isso havia provocado a hilaridade de Salaark às suas custas, mas também porque havia atingido um nervo. A anomalia estava em seu território, acrescentando outra responsabilidade à sua já pesada carga de trabalho.

Ao contrário dele, ela não dormiu pacificamente nos últimos séculos, dando o dedo do meio a todos os problemas de seu país e só agindo quando algo importante acontecia.

Tampouco tinha um controle refinado sobre seus súditos, como Salaark, permitindo-lhe delegar pelo menos alguns de seus deveres aos Despertos confiáveis.

Seu papel como Guardião não era manter, ou dominar, era desencadear a mudança.

Tyris havia desencadeado a unificação do Reino Griffon, levando outros a seguir seu exemplo e pondo fim a guerras que duraram séculos. Ela havia ensinado magia verdadeira a Lochra Silverwing, que por sua vez conseguira adaptá-la de formas que as pessoas comuns podiam usar, espalhando um conhecimento inovador que melhorara a vida de milhões.

A cada século que passava, ela ficava mais tentada a jogar a toalha e a cuidar de seus próprios negócios. Empurrar um país na direção certa sem interferir diretamente, mantendo o equilíbrio era uma tarefa gigantesca.

A praga em si era a prova de como a situação dela era desesperadora. Ela não cuidara disso pessoalmente, não porque não se importasse, mas porque seu prato já estava cheio. Nos últimos anos, Tyris notou um aumento no número de abominações aparecendo no Reino Griffon.

Normalmente eles eram mais raros do que os Despertos, mas agora estavam aparecendo como cogumelos, dois ou até três por ano, rápido demais para que o fenômeno fosse uma ocorrência natural.
Os pontos de origem estavam sempre perto das fronteiras do Reino, onde seus sentidos estavam mais fracos, para que Tyris só notasse quando fosse tarde demais. Ela estava convencida de ter entendido que a lógica distorcida por trás do Reino Griffon era o único alvo.

Leegaain não teria se importado, enquanto Salaark, graças a seus servos, teria encontrado a fonte da ameaça mais rápido do que Tyris jamais poderia. Alguém a estava usando para testar os poderes e recursos dos Guardiões, mas Tyris não fazia ideia do porquê.

Ela adoraria pedir ajuda aos colegas, mas os Guardiões eram altamente territoriais. Mesmo que cada um deles supervisionasse um terço do maior continente do planeta, nunca foi o suficiente, eles mal podiam tolerar um ao outro.

A anomalia era apenas uma batata pequena, que podia esperar. Primeiro, ela teve que pôr um fim à ameaça de abominação, depois teve que se certificar de que Arjîn estava realmente morto e dar ao corpo da rainha um novo sétimo membro. Só então ela daria uma olhada na anomalia.

Esperando o tempo todo que o Reino continuasse com seu retorno, que seus descendentes conseguissem evitar uma guerra civil.

Apenas o pensamento de tudo o que ela tinha que fazer deu a Tyris uma dor de cabeça. Ela suspirou profundamente, enquanto a Mãe Terra, sua técnica de revigoramento, informava que outra Abominação havia aparecido perto das fronteiras do norte.

“Eu realmente preciso de férias.” Ela disse antes de se afastar, para pegar seu misterioso oponente antes que ele pudesse fugir novamente.

***
Depois de saber que seu tratamento estava quase completo e que Lith sairia logo depois que ele terminasse com ela, Nindra se tornara bastante assertiva. Ela costumava sentar-se ereta como uma flecha, enfatizando seus seios, mexendo nos cabelos ou rindo com entusiasmo sempre que ele dizia algo engraçado.

Sem mencionar que ela prolongaria o contato físico por mais alguns segundos do que era apropriado.

“Você não pode pelo menos me dizer seu nome? Eu não acho que seus pais foram tão imaginativos para lhe dar um nome obscuro, então não há mal algum em saber isso.”

Ela disse enquanto Lith estava removendo os últimos parasitas de seus braços. Depois disso, ela seria completamente curada e, depois de dar seu relatório final a Varegrave, Lith seria capaz de voltar para casa.

Mal podia esperar para sair da tenda. Com a desculpa de privacidade, Nindra o convenceu a fechar a cortina e sussurrou cada palavra em seu ouvido.

Estar sujeito às afeições de uma mulher que não era sua parente ou criança, despertava instintos antigos, dos quais os rumores sobre sua morte haviam sido muito exagerados.

“Sinto muito, mas isso é sigiloso.” Lith respondeu com uma voz rouca, como se tivesse uma bola de tênis presa na garganta. Em outra vida e outras circunstâncias, ele não deixaria essa oportunidade desperdiçar.

Infelizmente, era a pessoa certa, mas na hora errada.

“Além disso, senhorita Luce, apesar de me sentir lisonjeado por suas atenções, tenho medo de que, sem essa máscara, você descubra que sou um pouco jovem demais para o seu gosto”.

Ela riu, fazendo o cabelo fazer cócegas na pele de Lith, fazendo-o quase querer jogar fora a máscara e experimentar um verdadeiro beijo após mais de treze anos de abstinência.

A situação era bem diferente de sua paixão louca pela professora Nalear, suas emoções estavam em cheque e suas prioridades em ordem.

Ele percebeu que, mesmo que Nindra o aceitasse, apesar de sua idade, que de acordo com os novos costumes morais do mundo era exagerada, significaria violar todas as regras de segurança do campo.

Provavelmente custaria a vida de Nindra e a ele toda a reputação e confiança adquiridas até agora, marcando Lith como um idiota lascivo. Então, ele rapidamente terminou seu trabalho e puxou a cortina, recuperando algum espaço pessoal.

“Nindra Luce é oficialmente curada.”
Ele disse aos guardas.

“Acompanhe-a até o terceiro quarteirão para os exames finais antes de sua liberdade. Senhorita, desculpe, tivemos um começo difícil, mas foi um prazer conhecê-la.”
Lith estendeu a mão como durante o primeiro encontro, apenas para ignorá-la novamente.

Nindra o abraçou com força.
“Muito obrigado, doutor. Passei meus dias aqui esperando a morte antes da sua chegada. Realmente espero que mais cedo ou mais tarde seja capaz de compensar você.” Foi apenas um movimento sutil, mas ela conseguiu esfregar os quadris contra os dele durante o abraço, com consequências previsíveis.

“Se você mudar de idéia, sabe onde me encontrar.” Ela disse com um último sussurro antes de deixá-lo ir.

Os guardas e Kilian estenderam as mãos também, mas, para sua decepção, ela apenas as sacudiu enquanto sorria.

“Pronto para o seu último relatório?” Kilian perguntou com um toque de inveja em sua voz.

“Sim. Agora que a última cura foi aperfeiçoada, não há mais nada a fazer aqui.”

Os dois homens caminharam em silêncio, mas Lith e Solus conversaram até a tenda de Varegrave.

– “É realmente lisonjeiro que uma mulher seja atraída por mim sem sequer ver meu rosto. Isso significa que ela realmente me apreciava como pessoa, em vez disso pela minha aparência”.

“Sim, mas estou inclinado a dizer que é mais provável que seja apenas o efeito da ponte suspensa. Sem mencionar que você é o único homem decente que ela conheceu durante a prisão. A solidão é uma fera cruel. Eu a conheço bem.” Solus respondeu.

“Você não está sendo um pouco azeda de ciúmes por mim?” Lith enviou um sorriso suave em sua direção.

“Bem, duh! Claro que estou com ciúmes. Ela tem tudo o que eu sonho.” Solus suspirou, sua vida em forma de pedra estava ficando muito pequena para ela a cada dia.

“Você pode imaginar o que teria acontecido se eu tirasse a máscara?” Lith mudou de assunto, tentando animá-la.

“Claro que eu imagino!”
Solus projetou a imagem de uma porta fechada e uma voz gritando:

“Abra! FBI!”
Antes de abrir e fazer os dois rirem. –
Após sua chegada, Varegrave usou a pedra azul, abrindo o canal com a realeza do Reino.

Lith deu a eles as boas novas, explicando como curar o parasita bloqueador de mana nos detalhes. Eles não estavam tão felizes quanto ele esperava, no entanto. As palavras de Kilian ainda ecoavam em suas cabeças, a ideia de Lith esconder suas habilidades foi reforçada por sua análise magistral.

“É da maior importância iniciar o processo a partir do abdômen, deixando o paciente descansar por pelo menos três dias antes de continuar os tratamentos”.

O núcleo de Nindra era o mais forte entre os últimos infectados e precisava de apenas um dia e meio para se recuperar completamente. Lith estendeu o prazo para permanecer do lado seguro.

“Eu notei que todos os pacientes afetados pelos parasitas bloqueadores da mana têm um comportamento errático, provavelmente causado pelas toxinas que mexem com suas mentes.
Para evitar a síndrome de abstinência após a cura, fígado e rins devem primeiro recuperar sua capacidade total.”

Caso contrário, eles podem se tornar violentos, prejudicando a si mesmos ou a outros, como aconteceu com Garith Senti. Sua morte me ensinou melhor a não subestimar o problema “.

Lith ficou realmente satisfeito com a desculpa que ele havia apresentado. O professor Marth já estava enfatizando a idéia de fundir remédio e mágica de cura, a morte de Garith foi o empurrão final que ele precisava.

“Excelente trabalho, Mago Lith.” Disse o rei Meron.

“O Reino Griffon está em dívida com você. Se houver algo que você deseje, antes de partir, fique à vontade para perguntar.”

Lith não precisava ser avisado duas vezes.
“Gostaria de pedir clemência no caso do coronel Varegrave. Ele estava sofrendo na época, mas ele é um homem bom e um servo leal da coroa. Depois dessa experiência, estou pensando em seguir os passos de meu irmão e entrar no serviço militar voluntário. Adoraria servir sob um oficial que conheço e respeito. ”

– “Mais importante, ter alguém que me conhece por muito tempo. Ter alguém nas forças armadas sempre pode ser útil no futuro, seja lá o que eu realmente decidir fazer.” –

Aviso do Tradutor:

Vento_Leste

Vento_Leste

Rolar para o topo