Supreme Magus – Capítulo 50

Capítulo 50
Queda da escuridão
Tradutor: Eduard0|| Revisor: Eduard0

Essa longa conversa foi bastante cansativa para Lith, acrescentando novo peso ao seu fardo. Não pelas informações que ele adquiriu, apesar de tudo, ele sentiu que sua oportunidade ainda era muito boa com ou sem uma academia.

O único ajuste em seus planos era que, depois de ingressar na Associação dos Magos como um membro do círculo externo de fato, um mago desonesto, ele precisaria acumular méritos o mais rápido possível para conseguir um aprendizado com um bom mestre de forja.

Méritos normais não lhe fariam bem, ele precisava daqueles que poderia ganhar como mágico, servindo à Associação dos Magos da melhor maneira possível.

O único problema real com sua situação atual seria apodrecer por mais quatro anos, como o proverbial sapo no poço.

A razão pela qual Lith se sentiu tão deprimido foi que ele finalmente percebeu o quanto seus amigos haviam investido nele, não apenas em termos de dinheiro, mas também de tempo, paixão e esperança.

Não foi o fracasso o incomodando, mas o fato de que, com sua atitude impetuosa e indiferente, ele machucara o sentimento deles, tratando a coisa toda como uma piada. Lith teve que admitir que, no lugar deles, ele sentiria vontade de lançar pérolas a um porco por anos.

Claro, o conde Lark não foi tão crítico quanto ele, mas Lith podia ver o quão profundamente ele se importava e o quão ferido ele estava após a última repreensão.

Foi a primeira vez que Lith sentiu que, ao vencer uma discussão, havia realmente perdido a guerra.

Mas, além de adivinhar, não havia muito que ele pudesse fazer naquele momento. Então, ele prometeu reconsiderar tudo com um novo par de olhos se surgisse a oportunidade e decidiu passar para um problema mais premente.

Lith ainda tinha que resolver seus problemas com o nível quatro de magia, e perguntar a Nana estava fora de questão. Isso revelaria muito a ela, expondo o quão profunda sua compreensão da magia era, apesar de ser autodidata.

A única carta que ele ainda não jogara era pedir a ajuda de seu amigo, o rei Ry, a oeste da floresta de Trawn. Graças ao seu núcleo ciano de mana, Lith ficou menos assustado e, durante os últimos anos, eles desenvolveram um relacionamento estranho.

Lith o usaria como confiante, às vezes pedindo conselhos sobre magia do fogo e do vento, os dois elementos que os Ry podiam usar. Em troca, Lith o ajudaria com os problemas na zona leste da floresta.

Após a morte de Irtu, não havia um animal mágico forte o suficiente para tomar seu lugar, e de tempos em tempos a luta pelo poder entre as várias facções afetaria o equilíbrio da floresta.

Nessas situações, o Filhote e o Protetor juntariam as mãos para forçar as bestas mágicas a uma trégua.

No momento, a magia falsa de nível quatro era um gargalo mental que nem ele nem Solus podiam superar. Apesar de serem capazes de lançar todos os feitiços que ele encontrara nos livros do conde, eles continuavam sem fazer sentido para ele.

Era algo inaceitável comendo Lith por dentro.


Ele sempre odiou enigmas, a menos que fosse ele quem os daria.

Lith quase chegou em casa quando sentiu um cheiro familiar.

“O que diabos você está fazendo fora da floresta? Se alguém te vê, isso pode desencadear uma caça às bruxas. A última coisa que eu preciso agora é que você esteja com uma recompensa na cabeça e eu tendo que explicar por que não estou interessado.” “

“Eu sei.” O Ry respondeu. “Mas tempos desesperados exigem medidas desesperadas. Um monstro apareceu na floresta, forte o suficiente para representar uma ameaça para os meus filhotes e também para os seus. Precisamos de sua ajuda.”

“Eu nunca vi o Ry assustado antes, seja o que for, deve ser muito importante.” Lith pensou.

Depois de concordar em ajudar, o Ry pediu que ele pulasse de costas, antes de correr a toda velocidade em direção à floresta. Entre o uso da fusão de ar e suas proezas físicas, o Protector era capaz de alcançar facilmente os 300 km / h (186 mph), seria uma viagem curta.

Ao ir tão rápido, o Ry conjurava uma lâmina de vento em forma de cunha à sua frente, para proteger os olhos e o rosto de insetos e poeira, que a essa velocidade os atingia com a força de uma bala.

Também criaria um efeito corte a vácuo, permitindo que ele fosse ainda mais rápido.

A equitação de Lith foi o resultado de uma lição, duas vidas atrás, então ele precisava de todo o seu foco e força de vontade para não cair.

O Ry tinha um pêlo grosso e macio, mas não sendo capaz de seguir seus movimentos, ele foi forçado a usar a fusão da terra e a fusão da luz para evitar danos permanentes às regiões inferiores.

“Que porra é essa coisa? É realmente necessário ir tão rápido? Se continuar assim, eu não sei se me resta o suficiente para fazer alguma coisa!”

“Pare de choramingar, estamos quase chegando. E sim, a velocidade é da maior importância para enfrentar uma abominação”.

A mente de Lith passou por todos os bestiários que ele tinha em Soluspedia e por todas as suas memórias de RPG de mesa e videogame antes de desistir.

“O que diabos é uma abominação? Por que é tão perigoso?”

“Você não entende. Nós não chamamos isso de abominação pelo que faz, mas pelo que é!”

Eles estavam indo para o norte, em uma região da floresta que ele nunca havia visitado antes. Começou devagar, como a tensão no ar antes de uma tempestade. Somente quando eles se aprofundaram na floresta, Lith pôde entender o que o Ry queria dizer.

Logo a grama começou a diminuir, até não haver mais nenhuma. A terra estava vazia, sem vegetação rasteira, seca e desmoronando como após meses de seca.

As árvores ao redor deles tinham a casca completamente enegrecida. Não tinham folhas nem galhos, parecendo estacas de madeira gigantes. Não havia som algum, tudo parecia sair de um filme pós-apocalíptico, após uma explosão nuclear.

A paisagem natural foi completamente destruída até onde os olhos podiam ver.

Depois de um tempo, Lith pôde ouvir claramente os sons de uma batalha, então ele focou seus olhos, melhorando sua visão.

Eles estavam se aproximando de algum tipo de sombra em movimento, travada em combate à distância com um Gylad, um animal mágico de veado com uma altura de ombro de mais de dois metros (7 pés) e pesando pelo menos novecentos quilos (2.000 libras), sua luz de pêlo marrom com tons de azul.

Atacando a sombra do flanco, havia também um Shyf, um animal mágico de puma do tamanho de um tigre, com uma altura de ombro de um metro e meio (5 pés) e pesando mais de trezentos quilos (660 libras). Tinha um pêlo cor de mel com tons de verde.

“O Gylad é o rei no norte, Lifebringer, enquanto o Shyf é o rei no sul, Reaper.” Protector rapidamente apresentou Lith a seus aliados.

“Essa coisa é a Abominação. Fique longe dela o máximo que puder, ou isso vai sugá-lo como qualquer outra coisa.”

A Abominação tinha uma forma estranha, podia ficar de pé, parecendo um homem com membros muito longos e finos, ou ficava nos quatro, ficando grande e atarracada como um porco que uma criança havia desenhado.

“Que diabos é essa coisa?” Lith lançou cinco bolas de fogo com um aceno de mão. A abominação era cercada por uma fina névoa negra, com um raio de quinze metros (16,4 jardas).

Ao viajar no meio do nevoeiro, as bolas de fogo diminuíram de tamanho e, quando atingiram, as explosões resultantes foram reduzidas pela metade em comparação à sua eficácia usual.

A Abominação emitiu um grito agudo que ressoou mais de desespero do que dor.

Os Ry uivaram, conjurando um pilar de vento que prendeu a criatura das sombras no chão, permitindo que os outros reis descansassem e se reagrupassem.

“Essa é a sua ideia de fazer backup? Um humano?” Se alguém pensasse que um veado não podia parecer feroz, olhando para o Gylad, ele seria forçado a pensar novamente.

“Menos latidos, mais recuperação de fôlego.” O Shyf ofegou pesadamente.

“Se ele é bom o suficiente para derrubar Irtu e Gerda, ele está bem comigo.”

Lith notou que uma das quatro pernas de Shyf era na verdade feita de terra, a real era atrofiada e seca de forma não natural.

“Um membro protético fora da magia da terra? Que controle incrível ele deve ter, movê-lo como um real. Eu nem notaria se o Shyf não estivesse tão perto.”

Tendo notado Lith olhando para ele, o Shyf explicou:

“É o que acontece quando você é tão arrogante em deixar o Murchar se aproximar o suficiente para tocar em você. Eu estaria morto se portador da luz não tivesse chamado sua atenção por tempo suficiente para eu escapar.”

“Murchar? Isso não é uma abominação?”

O Gylad zombou. Ele queria censurar o Ry, mas o pilar de vento estava se dissipando, então ele preferia acelerar Scourge do que perder tempo brigando.

“Uma abominação é quando uma criatura da floresta falha em evoluir. Normalmente eles morrem no local, mais raramente perdem o controle da energia mundial, ficando loucos. As abominações são incrivelmente fortes, com poderes excepcionais que os tornam fortes como monstros.

Sendo seres irracionais, geralmente um rei é mais do que suficiente para derrubá-los. Em ocasiões muito raras, todos nos reunimos para matar uma abominação única, como neste caso. Não deve ser difícil entender por que chamamos isso de murchar. “

O Gylad apontou com o focinho para a floresta morta ao seu redor.

“Como diabos ele fez todo esse dano?” Lith não podia acreditar que três criaturas com tanto poder não pudessem derrubar um único monstro.

“Simplesmente existindo.” O Ry explicou. “Onde quer que vá, tudo morre. Sempre que estamos prestes a matá-lo, seu corpo fica tão sem forma que nem vento, gelo ou terra podem prendê-lo.

Então, ele escapa para uma zona saudável da floresta, se cura e temos que começar tudo do zero. Estamos lutando há três dias, não podemos aguentar muito mais. Por isso decidi pedir sua ajuda, Filhote.

Ao contrário de nós, todos os elementos obedecem ao seu comando. “

Lith assentiu, tentando assimilar toda essa informação.

“Eles estão lutando há três dias? Puta merda, isso é alguma resistência. Solus, análise!”

“Sim, capitão, quero dizer, Lith. Todos os reis têm um núcleo de mana ciano, mas o Protetor é o mais provável de ter um avanço em alguns anos.”

“Eu quis dizer o murchar! Aura enevoada, corpo sombrio, é um morto-vivo?” Lith observou a criatura se contorcer e gemer sob o pilar em dissolução. De acordo com a literatura de fantasia da Terra e as novas tradições do mundo, os mortos-vivos deveriam ter olhos vermelhos brilhantes.

As órbitas do murchar eram totalmente negras, como o resto do corpo.

“Não é um morto-vivo. Sua força vital não é nada como eu já vi antes, nem sua aura mágica. O que diabos um núcleo de mana preto significa?”


Capítulo Anterior|| Índice|| Próximo capítulo

Rolar para o topo