Selecione o tipo de erro abaixo

Com seu hospedeiro reduzido a uma pilha de cinzas, Night emitiu um lamento agudo e então se afastou, incapaz de suportar mais a vergonha de ter sua forma de cristal exposta. O cristal negro conhecido como Noite Negra chegou à cabana de Baba Yaga, em busca do conforto de sua família.

Ao contrário de Dawn, apesar de ter séculos de idade, Night ainda levou a derrota com a mesma graça de um pirralho mimado.

Balkor ainda estava em Othre, incapaz de desviar os olhos das consequências do Devorador do Caos. Ele poderia jurar que Manohar sorriu para ele uma última vez antes que o grito do artefato quebrasse o corpo decrépito do deus da cura.

A idade o tornara tão frágil que mesmo uma rajada de vento teria matado Manohar e o acesso de raiva de Night tinha a fúria de uma tempestade.

“Sua insanidade só foi igualada por sua bravura, Manohar. Posso ser o último homem de pé, mas esta vitória pertence a você. Obrigado.” Balkor fez uma reverência profunda à poça de ossos e pele com os olhos fechados.

Ele não orou pela alma de Manohar porque sabia que não havia deuses ouvindo. Caso contrário, eles não permitiriam que pessoas como Night existissem nem coisas como o que aconteceu com sua aldeia acontecessem.

“Não, obrigado. Não aprendi muito desde o meu primeiro dia na academia. Esta foi uma experiência altamente instrutiva.” Uma voz irritante e familiar disse.

Manohar saiu de seu esconderijo, atrás do trono fortemente encantado de Noite.

“Quando você …” Balkor estava pasmo, olhando para ele com os olhos bem abertos.

“Depois que ela me bateu na cabeça, eu percebi que sem uma armadura chique eu era carne de canhão. Então, eu tinha um constructo cheio de mana e força vital tomando meu lugar enquanto vocês dois estavam tão ocupados exibindo suas habilidades loucas. Obrigado pela dica sobre aquela coisa de Visão de Vida, a propósito. ” Manohar o interrompeu.

“Cara, eu juro que desta vez vou me lembrar de enviar uma cesta de presentes para Lith. Sem suas aulas de anatomia e seu feitiço, eu nunca seria capaz de fazer construções parecidas com a vida como aquela.”

Não foi a primeira vez que o Professor Maluco expressou boas resoluções em relação a Lith, mas ele geralmente as esquecia no momento em que tinha uma ideia brilhante, o que acontecia com frequência.

“Seu filho da mãe sujo … Quem é Lith e desde quando você pode adicionar cores às suas projeções de luz?” Balkor perguntou.

“Lith Verhen, um cara legal. Você deveria ter ouvido falar dele, ele tem muitos títulos para alguém de sua idade, mas não tantos como nós. As feras mágicas o chamam de Flagelo, enquanto os nobres que você tanto odeia o chamam de precursor de ruína.

“Depois de sobreviver ao seu encontro com Dawn, os mortos-vivos se referem a ele como o cavaleiro mais negro, seja lá o que isso signifique. Quanto às cores, desde sempre. Eu nunca me incomodei em adicioná-las porque é inútil.” Disse Manohar.

“Eu não me importo com essa merda. Se você estava vivo e bem, por que aquele truque de envelhecimento do corpo? Eu pensei que você estava morto!” Balkor fez sua pergunta para que Manohar não pudesse evitá-la com mais divagações.

“Bem, esse era o ponto principal.” Manohar encolheu os ombros. “Você pensou que eu estava morto e Night também. Se ela decidisse ficar e lutar, eu não teria durado muito. Eu sou apenas humano, enquanto ela é imortal e você está meio que Desperto.

“Morrer por uma missão teria sido estúpido e eu não sou estúpido. A propósito, é melhor sairmos antes que alguém chegue. Tenho mais duas filiais das Cortes de Mortos-Vivos para derrubar e você precisa descansar, Velhote.” Manohar disse enquanto apontava para o buraco no teto que os Supernovas haviam aberto.

O flash provavelmente era visível há quilômetros.

“Você me usou, colocando minha vida em risco enquanto fingia lutar ao meu lado. Da próxima vez que nos encontrarmos, vou retribuir o favor.” Balkor riu de si mesmo.

‘Seguir um louco significa ser mais louco do que ele’. O deus da morte pensou.

O Professor usou magia de luz para esculpir “Manohar esteve aqui” em todas as paredes da sala do trono para levar o crédito pela morte enquanto Balkor tirava uma das plumas de Salaark de seu item dimensional e usava seu poder para voltar para casa.

País livre de Lamarth. Além das fronteiras orientais do Império Górgon, na Sede do Mestre.

Bytra e Xenagrosh estavam trabalhando juntos na Forja, elaborando uma bela peça de equipamento como um presente para o Mestre.

Xenagrosh purificou o Adamantio até seus limites. O metal aprimorado era agora física e magicamente dez vezes mais forte do que sua contraparte fundida. Eles gostariam de usar Davross, mas o metal mais poderoso de Mogar também foi o mais difícil de encontrar.

Xenagrosh cuidou do círculo mágico. Seu papel era alimentar a Forja mística com grandes quantidades de energia mundial e mantê-la estável por toda a duração do processo.

Dessa forma, Bytra poderia se concentrar exclusivamente em sua técnica pessoal de Forja, Forja Espiritual, que lhe rendeu o título de Governante das Chamas. Ela realizaria a vinculação dos cristais de mana, a fundição de runas e a forja masterização ao mesmo tempo.

Isso permitiu que ela manipulasse livremente todas as partes individuais dos encantamentos, desde a forma e tamanho dos pseudo núcleos até o padrão do sistema circulatório de mana. Ao contrário dos métodos normais, ela dobraria o metal de acordo com sua vontade, de modo que os materiais que usava se encaixassem em seus feitiços e não o contrário.

Garantiu que suas criações sempre seriam perfeitas e atingiriam todo o potencial como ela as havia idealizado.

Era uma técnica que até Mestre Menadion admirava e que Bytra havia levado para o próximo nível depois de ter roubado A Fúria de Menadion, o lendário martelo de Forja.

Assim que terminaram, Bytra estava segurando uma armadura completa, fina como seda, mas capaz de resistir ao golpe de um Guardião.

“Você acha que o Mestre vai gostar?” Bytra disse enquanto a armadura se transformava em um terno composto por uma camisa branca, calça azul noite e jaqueta.

“Deveria ser louco para não gostar” Xenagrosh balançou a cabeça. “Droga, eu quero uma também. Minha armadura é uma porcaria comparada a esta.”

“Quando colocarmos nossas mãos em adamantio e ingredientes suficientes, com certeza.” Bytra suspirou. O processo de purificação aprimorou as propriedades do metal, mas também consumiu muita matéria-prima.

Xenagrosh poderia usar as Chamas de Origem para reciclar o Adamantio de seu equipamento atual, mas ela ainda precisaria de nove vezes mais para ter o suficiente para criar outra peça como aquela.

“Por que você fez para o Mestre uma armadura? Somos nós que trabalhamos no campo e assumimos todos os riscos.” Xenagrosh perguntou.

“Como você pode dizer isso? O Mestre nos levou para sua casa como filhas e arriscou suas vidas todos os dias para seguir os caprichos daqueles estúpidos da realeza. O Mestre até negligencia suas pesquisas para viajar pelos Grandes Países e garantir que a Organização tenha tudo que precisa.” Bytra disse.

“Sim, certo. Um verdadeiro herói.” Xenagrosh resmungou, olhando para a armadura do Dominador com inveja. Ela gostava do Mestre também, mas a ganância de um dragão era uma fera sempre faminta.

“Se terminarmos aqui, temos trabalho a fazer. O Mestre nos designou uma missão, lembra?”

“Tem certeza que quer que eu vá?” Bytra disse. “Seria a primeira vez que eu sairia em campo desde que escapei das minas de Laroxya.

Picture of Olá, eu sou o Dogone!

Olá, eu sou o Dogone!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥